Atualizações anteriores



Copa do Mundo gera bons resultados à Philips Brasil


A Copa do Mundo na África teve seu fim há mais de uma semana. Certamente, o país mais conhecido pela figura carismática de Nelson Mandela começou a sentir os efeitos comuns após o término um evento de amplitude mundial, como diminuição no comércio e, por que não, trânsito menos afogado.

O país canarinho, em especial, foi eliminado precocemente da Copa em partida contra a Holanda, ainda pelas quartas-de-final. Aos que ficaram em território tupiniquim, as iniciativas para acompanhar as partidas da seleção foram diversas, principalmente aquisição de novos televisores. A Philips do Brasil, por exemplo, constatou impulso na comercialização de TVs.

Marcos Bicudo, presidente da unidade brasileira, afirma que a fábrica daqui é o motor mundial da companhia. Para exemplificar, entre abril e junho, as vendas de televisões no país mais que duplicaram, possibilitando margem de lucros superior a juros, depreciações, impostos e amortizações.

Bicudo assevera, em reportagem veiculada pelo portal de notícias G1, que entre os BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China), a nação governada por Luiz Inácio Lula da Silva é a mais representativa da companhia e aquela em que os esforços são tratados como prioridade nas estratégias globais.

Por Luiz Felipe T. Erdei