Destaque em Taxa desemprego

Atualizações anteriores



Instituto Brasileiro de Economia divulga tendências para mercado de trabalho no Brasil


O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas divulgou uma recente avaliação do mercado de trabalho no Brasil e apontou para uma tendência de aquecimento das possibilidades de emprego nos próximos meses.

O responsável pelo estudo é o economista Fernando de Holanda Barbosa Filho o qual afirmou que o mercado de emprego terá um aumento dos trabalhadores com ocupação além da manutenção dos baixos níveis de desemprego vistos há alguns meses no país.

O Instituto Brasileiro de Economia apresentou nesta pesquisa dois indicadores que foram utilizados para acompanhar as tendências e evolução do mercado profissional em todo o Brasil.

O primeiro é o IAEmp (Indicador Antecedente de Emprego) que busca antecipar as possíveis tendências no mercado de trabalho com informações mais ágeis sobre o que pode acontecer neste segmento.

Já o ICD (Indicador Coincidente de Desemprego) tem como principal função fazer um monitoramento do comportamento da taxa de desemprego nacional e apontou uma diminuição no mês de outubro de 2,5% nesta taxa específica.

Ainda segundo informações do economista Fernando a boa expectativa com relação ao mercado de trabalho no Brasil ocorre, principalmente, por mudanças na estrutura da mão de obra do país com maior quantidade de trabalhadores no setor de serviços e um fortalecimento do câmbio brasileiro.

Fonte: Agência Brasil

Por Ana Camila Neves Morais



Taxa de Desemprego no Brasil – Fevereiro de 2012


O mês de fevereiro registrou taxa de desemprego de 5,7%, o que representa 1,4 milhão de desempregados, o menor percentual para o mês desde 2002, as informações fazem parte da PME (Pesquisa Mensal de Emprego) realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Vale ressaltar que comparado com janeiro a taxa apresentou uma leve alta (naquele mês o resultado foi de 5,5%), mas quando comparado com o mesmo período de 2011 houve uma queda, em fevereiro do ano passado a taxa foi de 6,4%, ou seja, esse ano 130 mil trabalhadores deixaram de buscar uma vaga no mercado de trabalho.

Já o número de empregados atingiu o patamar de 22,6 milhões em fevereiro, mantendo-se estável quando comparado ao mês anterior. Com relação ao mesmo período de 2011, houve um aumento de 1,9%, o que representa que o número de pessoas que conseguiram um emprego foi de 428 mil em um ano.

Vale lembrar que esses números levam em consideração apenas os trabalhadores devidamente registrados. Os trabalhadores autônomos não entram na contagem. Sendo que o número de trabalhadores sem vínculos empregatícios cresce a cada dia, justamente devido à falta de postos de trabalho no setor privado.

Por Joyce Silva



Taxa de Desemprego no Brasil – Novembro 2011


Com 5,2%, a taxa de desemprego bateu novo recorde e já é a menor registrada desde o ano de 2002. São 22,8 milhões de pessoas empregadas, com alta de 0,7% em relação a outubro deste ano.

Segundo o IBGE, o número de pessoas buscando emprego foi de 1,3 milhão em novembro, recuo de 7,9% em relação ao mesmo período de 2010.

Entre cidades que se destacaram com a queda da taxa de desemprego estão: Salvador, Recife, Belo Horizonte e São Paulo.

A renda real do trabalhador também continua em elevação, tendo batido a cifra de R$1.623 em novembro, resultado mais alto em toda a série de pesquisas do IBGE.

Os números do Brasil contrastam com os números da Europa, onde o desemprego persiste na casa dos dois digitos para diversos países, com destaque para a Espanha, que amarga um indíce de 22,8% de desempregados (a maior parte na faixa dos jovens).

Nos Estados Unidos a situação não é diferente, onde a taxa está em torno de 8,6%, resultado ruim mesmo com a melhora de 0,4 ponto percentual em relação à última medição.

Por Luiz Moreira



Salário Médio e Taxa de Desemprego no Brasil – Outubro 2010


Nesta quinta-feira, 25 de novembro, o Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou levantamento mensal, onde se constatou que ficou em R$ 1.515,40 o rendimento médio real dos trabalhadores brasileiros no último mês de outubro.

Este valor é o maior já registrado desde o ano de 2002, quando teve início a série histórica.

O recorde anterior, de acordo com o Instituto, no valor de R$ 1.511,49, havia sido verificado no último mês de setembro.

A taxa de desemprego de outubro deste ano foi a menor já registrada nos últimos oito anos, com índice de 6,1%. No mês de outubro do ano passado, esta taxa havia ficado em 7,5%.

Das seis regiões pesquisadas pelo IBGE, São Paulo foi a que apresentou o maior salário médio no último mês de outubro, registrado em R$1.610,00.

Por Elizabeth Preático



Brasil tem a menor taxa de desemprego da história


Situada entre as nações melhor posicionadas no atual momento, mesmo em meio à crise europeia, o Brasil sustenta bons números de contratação de mão de obra nos últimos meses, fator que confere ao país estimativas plausíveis advindas de autoridades nacionais, como, também, de entidades estrangeiras.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que o desemprego pelo país assinalou a menor taxa desde o início da série histórica, em 2002. De acordo com a entidade, em abril o percentual constatado foi de 7,6% contra 7,3% em março, correspondendo, então, às estimativas dos economistas da agência de notícias Reuters.

Em São Paulo – um dos principais motores econômicos e industriais do país –, o desemprego no mês passado foi de 7,7%, índice abaixo do indicado em março (8,2%). Cimar Pereira Azeredo, economista do IBGE, avalia como positivo essa constatação, embora com percentual pequeno, mas importante, pois aponta que vagas foram criadas.

Por Luiz Felipe T. Erdei