Atualizações anteriores



Requerimento do Saque do FGTS no Ministério do Trabalho


Enquanto durar a greve dos funcionários da Caixa Econômica Federal (CEF), os trabalhadores desempregados que tiverem direito ao recebimento do seguro desemprego poderão solicitar o pagamento do benefício diretamente nas agências regionais ou estaduais do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e nos postos Sistema Nacional de Emprego.

Para solicitar o benefício, que poderá ser de até cinco parcelas mensais, o trabalhador deverá apresentar a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e o cartão do Programa de Integração Social (PIS) ou do PASEP. Enquanto durar a greve dos funcionários da CEF, os saques dos benefícios poderão ser feitos diretamente em qualquer casa lotérica do País, desde que os beneficiários tenham o Cartão-Cidadão.

Por: Alexandre de Souza Acioli



Governo amplia Seguro-desemprego para mais 216,5 mil trabalhadores


O Ministro do Trablaho e Emprego, Carlos Lupi, informou que o Governo pretende ampliar o número de trabalhadores que terão direito as duas percelas extras do seguro-desemprego.

Mais de  216, 5 mil trabalhadores que foram demitidos entre dezembro de 2008 e janeiro de 2009 terão direito ao benefício ampliado. 

“Entendemos necessário atender mais trabalhadores demitidos em dezembro, além dos 106,7 mil que foram contemplados na primeira fase da ampliação, e também incluir 73,3 mil demitidos em janeiro”,  explicou Carlos Lupi.

A proposta irá passar pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalalhador (Codefat) e deverá ser confirmada na próxima semana.



Veja aqui quem terá direito a receber mais duas parcelas do seguro-desemprego


Mais de 103 mil trabalhadores terão direito a receber duas parcelas a mais do seguro-desemprego, que pode chegar a sete meses.

Esta ampliação do benefício será concedida a trabalhadores demitidos entre dezembro de 2008 e fevereiro de 2009, nos setores afetados pela crise econômica. 

Clique aqui e veja a tabela dos setores afetados em cada Unidade de Federação do Brasil.

Tire aqui as suas dúvidas sobre Seguro-desemprego.



Mais de 100 mil trabalhadores receberão parcelas extras do Seguro-desemprego


O Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, anunciou que o Governo irá ampliar o prazo para o pagamento do seguro-desemprego para até 7 parcelas

A partir do mês de abril, mais de 103 mil trabalhadores terão direito a estas parcelas extras do benefício. 

As duas parcelas a mais do seguro serão pagas a trabalhadores que foram demitidos no mês de dezembro de 2008, auge da crise econômica no Brasil, em 16 estados: AM, AP, MA, CE, PB, PE, SE, BA, MG, ES, RJ, SP, PR, SC, RS e GO, nos setores que foram mais afetados pela crise.

A medida foi tomada pois os setores fortemente atingidos pela crise ainda não conseguiram se reestabelecer e voltar aos patamares de produção anteriores à crise econômica.



Seguro-desemprego passa a ser de até 7 meses para trabalhores de setores afetados pela crise


O Codefat – Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador, aprovou a medida que amplia por mais dois meses o pagamento do seguro-desemprego de trabalhadores que foram demitidos de empresas de setores mais afetados pela Crise Econômica

Atualmente o benefício varia de 3 a 5 meses, conforme o tempo que o trabalhadou ficou com a carteira assinada e o valor recebido varia conforme os seus rendimentos anteriores, de R$465 a R$870.

Ainda não foi definido quais são as áreas mais afetadas na qual o trabalhdor poderá receber este “plus” no benefício, apenas sabe-se que a crise está afetando mais as empresas que dependem de exportações como a siderurgia, aço e mineração.



Prazo para pagamento do Seguro Desemprego poderá ser ampliado


Em uma entrevista no programa Bom dia Ministro, nesta quarta-feira, o Ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, afirmou que o Governo poderá ampliar o período do pagamento do seguro desemprego, devido ao aumento do número de demissões no País provocadas pela crise econômica

“No que for necessário ampliar, ampliaremos. Existe a possibilidade. O que não podemos é dizer que o seguro desemprego está aumentado para todo mundo, porque cada setor é um“, afirma o Ministro.

Atualmente, o número de parcelas do seguro varia conforme o tempo de trabalho registrado em carteira. Se trabalhou até 12 meses tem direito a receber 3 parcelas, de 12 a 23 meses recebe 4 parcelas e, acima de 23 meses, recebe 5 parcelas do seguro desemprego. 



Valor do Seguro-Desemprego sofre reajuste de 12,048%


Nesta segunda, 02/02/2008, o Diário Oficial da União publicou o reajuste do valor do seguro-desemprego

O reajuste é de 12,048% e, o valor médio do benefício passou a valer R$564,40.

O valor do benefício varia conforme a faixa salarial do trabalhador. Para quem recebia até 1 salário, receberá as parcelas no valor do novo salário mínimo, R$465,00

Para salários acima de R$1.279,46, o valor da parcela do benefício será de R$870,01.



Tire as suas dúvidas sobre o Seguro Desemprego


O Seguro-desemprego é um benefício temporário concedido ao trabalhador formal que foi demitido sem justa causa, trabalhador com contrato de trabalho suspenso por bolsa de qualificação profissional ofececida pelo empregador, pescador artesanal  durante o período de procriação da pesca e para os trabalhadores resgatados de trabalhos forçados ou similar à escravidão.

Para receber o benefício o trabalhador deverá comprovar que foi demitido sem justa causa, que recebeu salário nos últimos 6 meses, que trabalhou com carteira assinada pelo menos 6 dos últimos 36 meses, que não possui renda própria para sustentar a família e que não esteja recebendo nenhum outro benefício da Previdência Social, com excessão de abono de permanência em serviço, pensão por morte e auxílio-acidente.

Para solicitar o seguro desemprego o trabalhador deverá se apresentar à uma Delegacia Regional do Trabalho, Postos de Atendimento ao Trabalhador ou no Sistema Nacional de Emprego (SINE).

É obrigatório a apresentação dos seguintes documentos para a concessão do seguro-desemprego:

  • Carteira de Identidade, motorista, Certidão de Nascimento ou Casamento;
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social;
  • Comunicação de Dispensa (via marrom) e Requerimento do Seguro-Desemprego (via verde);
  • Comprovante de inscrição no PIS/PASEP;
  • Termo de rescisão contratual, devidamente homologado; 
  • Documento comprobatório de depósito das contribuições previdenciárias e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS);

O trabalhador poderá solicitar o seguro-desempego a partir do sétimo dia da sua dispensa e até 120 dias da data da sua rescisão.

Para receber o benefício, o trabalhador deverá comparecer a uma Agência da Caixa Econômica Federal, 30 dias após o requerimento do seguro. 

O valor do salário-família varia de acordo com a faixa salarial do trabalhador. Clique aqui e faça uma simulação do valor aproximado de seu Seguro Desemprego.