Atualizações anteriores



Condomínios – Queda na inadimplência em 2011


Um levantamento feito pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) mostrou que o número de processos por falta de pagamento em condomínios caiu para 9.947, contra 11.808 registrado em 2010, o que representa uma queda de 15,76%.

O resultado reforça uma queda iniciado a partir de 2007 (15.902), em 2008 (13.084) e em 2009 (11.459).

 Em relação aos processos de dezembro, houve queda de 33,68%, com 579 casos. No mês anterior o índice foi de 873 casos. Já em relação a dezembro de 2010 a queda foi de 27,99%, com 804 casos registrados.

Para o vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios, Hubert Gebara, a redução se deve ao bom momento em que vive a economia brasileira, principalmente porque as pessoas estão regularizando suas pendências financeiras com acordos extrajudiciais.

Ele argumenta que o acordo é vantajoso para todas as partes envolvidas, já que uma ação dessa categoria pode levar muitos anos para ser concluída e resolvida.

Outro fator que tem contribuído para essa queda nos percentuais é a lei 13.160, que prevê a possibilidade de protesto aos boletos de condomínio, por isso é aconselhável que os síndicos e as administradoras também procurem negociar com os inadimplentes, principalmente no sentido de conscientizá-los mostrando a importância do pagamento para a manutenção financeira do prédio.

Por Natali Alencar



Secovi – SP indica queda na venda de imóveis na cidade de São Paulo


Adquirir imóvel novo ficou mais tranquilo aos brasileiros nos últimos meses devido a benefícios de até R$ 23 mil concedidos pelo programa do governo federal “Minha Casa, Minha Vida”. O setor tem celebrado os números, tanto que as construtoras começaram a buscar locais longe de grandes centros para abrir empreendimentos, principalmente os voltados às classes C, D e E.

A cidade de São Paulo apresenta inúmeros tipos de residências, porém, mesmo com grande número de ofertas, em maio houve arrefecimento de 46,3% na comercialização de imóveis na região metropolitana do Estado em comparação a abril. O Sindicato das Empresas de Compra, Locação e Administração de Imóveis Comerciais de São Paulo (Secovi-SP), por meio de estudos, revelou que o total de unidades vendidas relacionadas à totalidade de lares novos em oferta na região decresceu 10,5% na mesma base comparativa.

Os imóveis de dois ou três quartos foram aqueles que melhor se comportaram e puxaram as negociatas, com mais de 74% de participação perante as demais modalidades. Segundo reportagem veiculada pelo portal de notícias G1, no acumulado dos primeiros cinco meses deste ano os lançamentos contabilizados superaram mais de 23 mil unidades, montante inferior às vendas (de quase 28,7 mil).

Por Luiz Felipe T. Erdei