Atualizações anteriores



Saúde Pública no Brasil – Principais Problemas


No Brasil, 47 milhões de pessoas possuem plano de saúde, ou seja, 25% da população. Os outros 75% dependem da rede pública de saúde, isso equivale a 143 milhões de brasileiros.

De acordo com as informações do secretário de Gestão Estratégica e Participação do Ministério da Saúde, José Odorico Monteiro de Andrade, desses 143 milhões, 100 milhões são atendidos pelo Programa Saúde da Família (PSF).

Os números são impressionantes, mas uma pesquisa realizada pelo Ipea junto aos usuários do SUS mostrou que a qualidade do serviço prestado pelo Sistema tem muito o que melhorar. Seguem abaixo alguns números dessa avaliação:

58,1% dos participantes da pesquisa disseram que o problema mais frequente é a falta de médico. A demora para atendimentos em hospitais, centros de saúde e postos foi a questão mais crítica para 35,4% dos entrevistados. Por fim, o longo período de espera para conseguir consultas com especialistas aparece em terceiro lugar, com 33,8% dos votos.

Um dado que ajuda a explicar esse fato é que no Brasil só 6% dos gastos totais do governo vão para a saúde. Isso significa que o país ocupa a nona posição no ranking dos gastos públicos com saúde, atrás, por exemplo, da Bolívia (8%) e da Colômbia (18,3%).

Por Christiane Suplicy Curioni



Investimentos em Saúde no Brasil e no Mundo


A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou alguns dados sobre os investimentos em saúde pública em diversos países. Reino Unido, Espanha, Alemanha, Suécia, Itália, Canadá e Austrália investiram, em média, 6,7% do PIB em Saúde, em 2008.

Ainda de acordo com os números fornecidos, naquele mesmo ano os investimentos em saúde no Brasil não passaram de 3,24% do PIB, somados União, Estados e Municípios. Em valores, isso significa que faltam pelo menos R$ 83 bilhões para que o Brasil chegue à média internacional.

Mais um dado. Se o projeto original de lei 121/2007 tivesse sido aprovado na íntegra, a União deveria investir em 2012 cerca de R$ 32 bilhões em saúde, equivalentes a 10% da receita corrente bruta. Vê-se, portanto, que isso ainda não seria suficiente para o Brasil atingir a média internacional de investimentos em saúde pública.

O senador e ex-ministro da saúde Humberto Costa, do PT de Pernambuco, afirma que uma comissão mista da Câmara e do Senado deve analisar esse assunto ainda no começo de 2012 e, assim, apresentar alternativas para financiamentos em saúde.

Por Christiane Suplicy Curioni



Pesquisa sobre os Problemas da Saúde Pública no Brasil


Um dos grandes problemas de gestão no Brasil é a saúde pública.

A pesquisa "Retratos da Sociedade Brasileira: Saúde Pública", divulgada pela CNI, revelou que aproximadamente 96% da população brasileira rejeita a criação de impostos para melhorar a situação da saúde no país.

O sistema público de saúde teve reprovação de 61% dos brasileiros e 95% revelaram que o setor precisa urgentemente de investimentos na área.

Entre os principais problemas do sistema público, os entrevistados citaram: a falta de médicos (mencionado por 9% dos entrevistados), a demora no atendimento (indicado por 55% dos entrevistados) e a falta de unidades de saúde e de equipamentos (informado por 10% dos entrevistados).

Entre as soluções para o problema, os entrevistados mencionaram a melhoria dos postos de saúde e hospitais (citado por 54% dos entrevistados), o aumento do número de médicos (citado por 57% dos entrevistados) e a melhoria no salário dos médicos (indicado por 30% dos entrevistados).

Por Natali Alencar