Destaque em Salário

Atualizações anteriores



13º salário será pago aos aposentados na folha de setembro


Após tantas incertezas, o Governo garantiu que irá pagar a 1ª parcela do 13º salário aos aposentados do INSS na folha de pagamento de setembro. A segunda parcela será paga, normalmente, na folha de novembro.

Uma das polêmicas envolvendo as finanças do Governo Federal durante este ano, dizia respeito ao pagamento da primeira parcela do 13º salário aos aposentados. Há nove anos seguidos, o 13º salário tem sido pago aos aposentados dividido em duas parcelas de 50% cada, e a primeira parte era sempre paga no mês de agosto. Mas, com a crise econômica se agravando, o governo atestou estar com os cofres vazios para fazer o primeiro pagamento.

Houve a proposta de dividir a parcela de 50% em duas menores, de 25% cada, a serem pagas nas folhas de pagamento dos meses de setembro e outubro, mas o governo voltou atrás, e a presidente Dilma Rousseff assinou um decreto, que garante o pagamento da primeira parcela integral do benefício já na folha de setembro. O decreto foi publicado na edição do Diário Oficial da última sexta-feira (dia 4).

A segunda parcela será liberada na folha de novembro, e corresponde à diferença entre o valor total do benefício e a parcela já liberada antecipadamente.

Atraso na parcela:

Geralmente, os aposentados recebem o benefício já na folha de agosto (paga no começo do mês de setembro), mas o ritmo fraco da economia e a queda na arrecadação, fez com que o atraso de um mês prejudicasse os aposentados. Atualmente existem cerca de 28,2 milhões de beneficiários no país.

A proposta de parcelar a primeira parcela do 13º salário não foi vista com bons olhos pelo Sindicato Nacional dos Aposentados Pensionistas e Idosos da Força Sindical. Para eles, o parcelamento do benefício soou como um “crediário” feito pelo governo. O sindicato entrou com uma ação, pedindo que o governo fosse obrigado a pagar a primeira parcela integralmente aos aposentados.

Parece que mesmo com a justificativa de cofres baixos, o governo não está convencendo os brasileiros de suas dificuldades. A tentativa de adiamento e parcelamento do benefício seria somente mais uma “facada” na já desgastada imagem da presidente. Por isso, ela e seus ministros resolveram voltar atrás e pagar o benefício no próximo mês, de forma integral.

Por Patrícia Generoso

Salário aos aposentados



Renda média dos brasileiros caiu em maio


Renda média dos brasileiros caiu 1,9% em maio de 2015, ficando em R$ 2.117,10.

De acordo com o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a renda média dos brasileiros no mês de maio caiu 1,9% ficando na média dos R$ 2.117,10 sendo que no mês anterior era de R$ 2.158,74.

A queda de 1,9% na renda média do brasileiro foi em comparação com o mês de abril. Mas se compararmos o mês de maio com o mesmo mês do ano anterior a queda chega a 5%, já que em maio de 2014 o rendimento registrado foi de R$ 2.229,28.

O IBGE também divulgou dados sobre o Rendimento Médio Real Habitual, que é o montante total da renda dos trabalhadores brasileiros, que também recuou, chegando a 1,8% se for comparado com o mês de abril. Já na comparação com maio de 2014 o recuo foi de 5,8%, sendo que o valor em maio deste ano não chegou nem a R$ 49 bilhões.

Foi detectada a queda do rendimento médio do brasileiro em 5 regiões metropolitanas, sendo que o total pesquisado pelo IBGE foram de 6 e a maior queda registrada foi em São Paulo com um déficit de -3%.
Logo depois de São Paulo veio a região metropolitana de Belo Horizonte onde a renda média apresentou uma queda de 2,9%. Em Salvador, onde foi constatada a 3ª maior queda, o déficit foi de 2,1%.
Das 6 regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE, somente a de Porto Alegre conseguiu registrar uma alta no rendimento, mesmo assim ficou muito baixa, não passando de 1% se comparado com o mês de abril.
O IBGE divulgou ainda, uma pesquisa feita com grupamentos de atividades, sendo que foram estudados 7 destes grupamentos e 4 apresentaram quedas no rendimento ficando a maior queda atribuída aos serviços que são oferecidos às empresas, seguido por aluguéis, atividades imobiliárias e também intermediação financeira, sendo que a queda foi de -5,1% se comparada com o mês de abril. Se a comparação for com o mês de maio em 2014 a queda chega a -9,2%.

Por Russel

Dinheiro



Saiba se seu salário é justo


Algumas análises podem ser feitas para descobrir se seu salário é justo ou não.

Você já parou para se perguntar se seu salário é justo? Muitos de nós nos sentimos injustiçados por trabalhar demais e não sermos reconhecidos na hora do pagamento, seja você estagiário, funcionário efetivo ou contratado, deve sempre estar atento a esses detalhes que fazem tanta diferença no fim do mês. Separamos aqui algumas dicas para te ajudar a descobrir se o seu salário é justo.

– Consulta:

Uma forma óbvia, mas que muitos acabam esquecendo é que muitos do seu lado na empresa fazem a mesma coisa que você. Seja sútil para saber qual a média salarial na sua empresa, você não precisa saber exatamente do colega ao seu lado, mas tente avaliar com base no que as pessoas acham do seu próprio salário.

– Busque na concorrência:

Descubra o quanto as empresas concorrentes estão pagando para funcionários que realizam as mesmas atividades que você. Fazendo isso você pode perceber se há uma diferença clara entre a sua e as outras empresas. Leve em conta também seu tempo de casa, ou seja, há quanto tempo você trabalha na sua empresa, com o passar do tempo é natural que você ganhe um pouco a mais e também é natural seu salário ser menor do que o de alguém que está na empresa há mais tempo que você

– Oportunidades futuras:

Seu trabalho te oferece um bom planejamento de crescimento? Você pode ter um salário não muito bom para o seu cargo, mas sabe que em breve ele será melhorado por conta de uma promoção. Nesse caso, é bom pensar duas vezes antes de tomar qualquer atitude se descobrir que seu salário é injusto, isso ocorre muitas vezes com estagiários.

– O quanto o trabalho interfere na sua vida pessoal:

Essa é uma forma um pouco abstrata de analisar se seu salário é justo, mas muito eficaz. Primeiramente, porque é pessoal, você tem que saber o quanto o trabalho pode interferir na sua vida e de que formas. Se você está acordando cedo demais ou se saindo tarde demais ao ponto de você não tem mais tempo para sua família, você tem que pensar o quanto vale a pena, será que seu salário é tão bom para isso? Esse fator é essencial e te ajuda a refletir sobre o trabalho e o salário.

Por Tom Vitor de Freitas

Salário

Foto: Divulgação



Desigualdade salarial entre homens e mulheres cresceu


Mulheres recebem 81,4% do valor que os homens recebem trabalhando na mesma posição e tendo o mesmo nível de conhecimento.

A renda feminina cresceu pelo sexto ano consecutivo, mas ainda existe uma grande desigualdade salarial entre homens e mulheres no Brasil, e isso é comprovado através de índices que foram levantados no ano de 2014.

Essa pesquisa foi realizada pela Fundação Seade, na região metropolitana de São Paulo, mostrando que não existem motivos para comemorar a evolução do quadro das mulheres trabalhadoras, logo que os homens ainda possuem os salários mais atrativos.

Na pesquisa foi visto que as mulheres recebiam 81,4% do valor que é pago aos homens que trabalham na mesma posição, e que possuem o mesmo nível de conhecimento. Em 2013, esse percentual era de 77,1%.  Esse foi o maior aumento da última década.

Pensando em um cenário otimista, se o salário da mulher continuar crescendo da mesma forma, existe a previsão de que em até 4 anos elas consigam receber o mesmo valor do que os homens.

Em São Paulo, uma mulher ganhava por hora de trabalho o valor de R$ 9,80, mas com o aumento de 5,3% que aconteceu no ano de 2014, o valor pago por hora foi para R$ 12,04. Esse valor os homens já recebiam em 2013.

Um dos benefícios que o público feminino possui são as cargas horárias reduzidas. Boa parte das mulheres trabalha cerca de 36 horas por semana, enquanto eles atuam durante 40 horas. Alguns usam isso como justificativa para a diferença de remuneração, além dos benefícios como o auxílio maternidade e etc. 

Visão Mundial:

Mas saiba que essa diferença de salário não acontece apenas no nosso país. Até mesmo celebridades de Hollywood recebem menos que os homens que fazem papéis de destaque, pois isso foi revelado através de um discurso realizado pela Patrícia Arquette, que ganhou o Oscar neste ano de 2015 como atriz coadjuvante.

No momento em que foi receber a estatueta, ela pediu, em um discurso emocionado, a igualdade pela remuneração entre homens e mulheres. A atriz viveu a mãe Boyhood. 

Por Yasmin Fernandes Robles

Homem e mulher

Foto: Divulgação



Queda no rendimento médio real dos assalariados em SP


Rendimento médio real dos ocupados na Região Metropolitana de São Paulo recuou em fevereiro de 2015, passando para R$ 1.903.

A Pesquisa de Emprego e Desemprego, a chamada PED, que foi divulgada no dia 29 de abril, destacou que o rendimento médio real dos ocupados na Região Metropolitana de São Paulo sofreu um recuo. A pesquisa aqui destacada concluiu que tal rendimento caiu 1,8% no mês de fevereiro, dessa forma, passando para R$ 1.903. A pesquisa foi realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos.

É importante destacar que a pesquisa teve como base os índices dos meses de janeiro, com isso, o recuo apresentado é em relação a janeiro de 2015. Além disso, a mesma também destacou que a renda média real dos assalariados também sofreu recuo. A queda neste caso foi de 1% no período considerado, passando para R$ 1.919.

Além disso, houve também uma queda na massa de rendimentos dos ocupados: 2,2%. Acompanhando o mesmo cenário de quedas, a massa de rendimentos dos assalariados registrou um recuo de 1,4%. Segundo os órgãos responsáveis pela execução da pesquisa, um dos principais motivos para tais quedas está relacionado diretamente com o recuo do rendimento médio real, bem como do nível de ocupação.

Já em relação à comparação com fevereiro de 2014, os números de quedas são ainda piores. A comparação com o mesmo período em 2014 mostra que a queda nos rendimentos médio reais dos ocupados foi de 6,3%, enquanto que os assalariados registram recuo de 5,7%.

Como já foi destacado nesta matéria, a pesquisa também destacou que a baixa no nível de ocupação também teve influência direta nas quedas registradas. Vale ressaltar que a taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo avançou de 10,5% para 11,4%.

Dessa forma, o número de pessoas que se encontram desempregadas na região passou para 1,246 milhão. Esse aumento foi consequência direta do aumento da procura de emprego.

Outro destaque bastante interessante da pesquisa é que houve demissões em três dos quatro setores acompanhados pela mesma. Apenas o comércio registrou nada menos que o fechamento de 41 mil postos. Já a construção registrou 10 mil demissões. A indústria fechou o período com 12 mil demissões. Em contrapartida, o setor de serviços gerou 41 mil vagas de emprego.

Por Bruno Henrique

Rendimento dos trabalhadores

Foto: Divulgação



Mulheres são mais flexíveis na negociação do salário


Pesquisa revelou que as mulheres estão mais dispostas a negociar os salários com as empresas do que os homens

Uma recente pesquisa feita pela Robert Half detectou que as mulheres são mais abertas a negociações quando o assunto é salário, neste quesito os homens são mais inflexíveis.

Pelos resultados obtidos no estudo, ficou confirmado que a questão da diferencia salarial no que se refere ao gênero não é em função de um conformismo por parte das trabalhadoras. Segundo a pesquisa realizada com este instituto, a mulher é mais flexível e tem maior possibilidade de negociar a remuneração do que os homens tanto durante uma entrevista de emprego quanto em momentos onde uma promoção ou uma alteração no pacote da remuneração está em jogo.

Um dos principais motivos desta melhor negociação é o mesmo que é apresentado pelas empresas quando uma mulher é colocada em um cargo de gerência e liderança, as mulheres tendem a ter mais cautela e também são mais pacientes, conseguem desenvolver melhor um acerto entre a outra parte e a sua, ainda que tenham características mais emotivas e condescendentes, as mulheres tendem a manter firmeza de objetivos. Esta combinação entre poder de decisão, análise de possibilidades e cordialidade são fundamentais em diversos momentos, inclusive na hora de negociar a remuneração.

Quase metade dos executivos, 48%, indica que as mulheres estão atrás de melhores remunerações e condições financeiras. Sobre este assunto, foi concebido um ranking que avalia onde a mulher está situada e qual é a porcentagem delas que corre atrás de negociar o pacote de remuneração que lhe é oferecido.

Em primeiro lugar no mundo encontra-se a Nova Zelândia com 73%, isto é, a porcentagem de mulheres que busca uma melhor remuneração aproxima-se aos 75%. Seguindo esta linha de raciocínio, Austrália encontra-se em segundo lugar na lista com 67% seguido pela pelo Brasil em terceira posição. Após a posição do Brasil são citados Chile (4°), Reino Unido (5°), Suíça (6°), França (7°), Alemanha (8°), Holanda (9°), Bélgica (10°), Áustria (11°) e Emirados Árabes (12°).  

Este estudo realizado pela Robert Half foi feito em 2014 e para conseguir ter resultados fidedignos foram entrevistados 1.675 gestores nestes doze países.  

Por Melina Menezes

Salário



Desoneração da Folha de Pagamento pode afetar Salário Mínimo


Valor do salário mínimo pode ser afetado pelas desonerações da folha de pagamento.

Joaquim Levy, Ministro da Fazenda, anunciou que poderá faltar dinheiro para cumprir a política de reajuste do salário mínimo e isto está comprovado em um estudo feito recentemente.

E esta desoneração da folha de pagamento por parte das empresas poderá prejudicar bastante a política que visa manter a valorização do salário mínimo, através dos reajustes anuais.

O estudo técnico apresentado por Joaquim Levy mostra esta possibilidade e o ministro aproveitou para defender um projeto de lei que já foi enviado ao Congresso Nacional, pedindo que a carga tributária das empresas seja elevada, porém, seriam para as empresas que se beneficiam da desoneração da folha de pagamento.

De acordo com o resultado do estudo apresentado por Joaquim Levy, é preciso ficar alerta para o modelo de desonerações que vem gerando obrigações em um ritmo muito maior do que as evoluções das receitas, isso está gerando um problema que vem só crescendo, tendo que ser corrigido o quanto antes, para a situação não complicar ainda mais.

Outro problema seria o impacto negativo que seria gerado e afetaria diretamente o Orçamento da Seguridade Social, isso a médio prazo. Ainda de acordo com o estudo, isso estaria afetando até o projeto para valorização dos salários!

O que o ministro Joaquim Levy quis dizer com tudo isto é que no próximo reajuste do salário mínimo, vai faltar dinheiro.

Esta "desoneração" foi criada em 2011 e chegou para substituir a antiga contribuição patronal de 20%, que era calculada sobre a folha de pagamento das empresas.

O ministro ainda defende que "ligar o financiamento da Previdência ao faturamento, em vez da folha, tende a tornar fiscalmente insustentável uma política de valorização do salário mínimo".

O estudo foi publicado no site do Ministério da Fazenda e deixa clara a posição contrária do ministro em relação ao atual modelo de desonerações que, segundo o próprio ministro, custa cerca de R$ 25 bilhões aos cofres do Tesouro Nacional.

Só que elevar as alíquotas para compensar esta desoneração não vai ser nada fácil, já que no Congresso Nacional há uma grande resistência a este projeto. O Governo até já enviou uma MP, mas o presidente do Senado, Renan Calheiros, a devolveu.

Agora o Governo tenta um acordo rápido para conseguir a aprovação do seu projeto ou ao menos, parte dele.

Por Russel



Diferença salarial entre homens e mulheres diminuiu em SP


Uma informação muito importante para as mulheres, pois de acordo com pesquisa divulgada pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) na região metropolitana de São Paulo, a diferença salarial entre homens e mulheres diminuiu e alcançou o menor índice desde o ano de 1985 quando foi dado início na divulgação dos dados dessa pesquisa.

Segundo dados do Dieese, a média salarial para as profissionais do sexo feminino foi, no ano de 2014, pago em média de R$ 9,80 por hora trabalhada, sendo que os homens receberam em média, uma faixa salarial de R$ 12,04 por hora trabalhada.

A conclusão do Dieese é que o salário pago para as mulheres ficou representado em 81,4% ao salário pago aos homens em 2014, sendo que no ano anterior, 2013 essa porcentagem era de 77,1%.

Outra importante informação é que o salário líquido mensal recebido pelas mulheres foi de R$ 1.594, isso representa 71,96% do rendimento líquido dos homens, que em média fizeram jus a uma remuneração média de R$ 2.215.

O interessante é que em média, as mulheres cumprem uma jornada de trabalho bem menor do que a dos homens, ficando na média semanal de 38 horas, sendo cinco horas a menos do que a jornada cumprida pelos homens, que segundo a pesquisa é de 43 horas semanais.

Outro dado que pode trazer preocupação as mulheres é o referente à taxa de desemprego que aumentou na região metropolitana de São Paulo, sendo que antes esse índice era de 11,7% subindo para 12,2% entre os anos de 2013 e 2014.

Agora a participação das mulheres no competitivo mercado de trabalho da região permaneceu inalterada, ficando em 55,1%, valor exatamente igual ao mesmo valor de 2013, sendo eu em 2012, esse índice era de 56,1%.

O fato é que as mulheres estão cada vez mais ocupando cargos importantes em diversos setores do mercado de trabalho e isso é muito importante para a igualdade e para a conquista dos direitos iguais, sendo que os dados dessa pesquisa revelam que ainda existe uma diferença errônea de visão em relação à remuneração de homens e mulheres, o que é lamentável, pois quem ocupa o mesmo cargo deve receber o mesmo salário, independente de sexo.

Por Rodrigo da Silva Monteiro

Diferen?a do sal?rio da mulher



Salários de empregos temporários na Páscoa


Com o  fim do carnaval é  chegada a  hora de voltar às atividades, de correr atrás de um emprego.

Já  que o mercado de  empregos formais está passando por esse momento difícil que  já tem  durado  vários meses onde não estamos vendo uma melhora significativa, surgem as  oportunidades de  empregos temporários.

E essa  oportunidade  surge coma chegada  da páscoa, onde é a terceira melhor oportunidade de  se  conseguir um emprego temporário, ficando apenas  atrás do Natal e do Dia das Mães.

As indústrias começaram  a  recrutar  mão de obra  já em  setembro e  outubro de  2014, com cerca de  52 mil  vagas  e  segundo as pesquisas,  cerca de 47  mil vagas já  foram preenchidas, restando apenas  5 mil  vagas.

Já no  comércio  a  contratação ocorre próximo a  Páscoa, por isso  o  número de vagas  ainda é grande.

Cerca de 18 mil vagas  já estão ocupadas e 12 mil ainda aguardam candidatos de  todo o Brasil.

Entre  as  funções que mais  contrata é de  Vendedor. Onde em média é pago a esse profissional R$  1.168,95 de  acordo com o levantamento da Salário BR.

O valor mais alto pago para esse período é R$ 2.009,00 para Assistente Administrativo.

Claro que  o importante  seria se fossem empregos formais ondem tivessem suas carteiras de trabalhos assinadas, mas em  vista  da  baixa  do mercado a  contratação temporária  vem  sendo uma  saída em meio à crise.

E com  esses salários que podemos dizer que  são  bons, ajudam no  final do mês para equilibrar o orçamento.

Muitas vezes os profissionais que foram contratados como temporários  acabam  sendo  efetivados após  o período da  páscoa por se destacarem  em seus  serviços. Isso faz  dessa  oportunidade de  emprego temporário uma chance de ouro, onde  vemos os profissionais  darem  duro, buscando se  destacar para  que  possam  ter  a oportunidade de  serem efetivados após a  Páscoa.

Por André Escobar

Dinheiro



Empresários devem pagar até 1 salário mínimo para vagas de emprego de final de ano


Segundo uma pesquisa realizada pelo órgão SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), cerca de 57,4% empresários brasileiros devem pagar até um salário mínimo por mês para vagas de emprego de final de ano.

Dos 138,9 mil postos de trabalho que serão criados até o fim do ano, 66% vão ser oferecidos e preenchidos pelo comércio. Enquanto as remunerações mais altas, de até dois salários mínimos, serão oferecidas e pagas por 24,4% dos empresários. Já em termos de duração, cerca de 62,2% das oportunidades irão durar três meses.

Vale observar que 623 empregadores foram ouvidos pela pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). 75,6% do total das oportunidades que serão oferecidas vão ser destinadas às vagas de Vendedor e Balconista, 31,8% delas para vagas de caixa, 24,6% para os cargos de Repositores e Estoquista. Com relação às chances de efetivação, a maioria dos empresários que participaram da pesquisa disse que não tem o interesse de efetivar os seus funcionários temporários ao encerrarem seus contratos no final do ano.

Quanto à carga horária, a maior parte dos empregadores, que são sete dos dez varejistas que oferecerão oportunidades de trabalho, procuram por pessoas interessadas nas vagas que estejam dispostas e disponíveis para trabalhar entre 6 e 8 horas por dia. Já a média de contratações, será cerca de três novos funcionários por cada uma das empresas que vão oferecer as oportunidades.

Entre as habilidades e aptidões mais valorizadas na hora de se candidatar a uma das vagas oferecidas até o fim de ano, cerca de 48,9% dos empresários que irão disponibilizar os postos de trabalho desejam observar dinamismo na postura profissional do candidato à vaga de emprego. Enquanto 37,8% dos empregadores querem funcionários responsáveis e esperam observar essa característica (responsabilidade) na postura profissional da pessoa.

E para finalizar a lista das características mais importantes que se deve apresentar para conquistar uma oportunidade de trabalho nesse fim de ano, é ter uma boa comunicação, que cerca de 28,9% dos empresários vão querer que o aspirante à vaga de emprego demonstre ter.

Por João Calvet



Influência da graduação no salário dos trabalhadores


Segundo dados da Rais (Relação Anual de Informações Sociais) do MT, pouco mais de 47% dos trabalhadores que concluíram a formação superior e que atuam no mercado formal brasileiro ganhavam até quatro salários mínimos em 2013. Somente 5,3% dos trabalhadores com curso superior completo tinham salários superiores a 20 salários mínimos. Além disso, o percentual daqueles que apresentam nível de escolaridade de mestrado e doutorado e recebem o teto de até 4 salários é de 36% e 23%, respectivamente.

Já o economista Naercio Menezes Filho, do Insper diz: "Os salários pagos no Brasil, de forma geral, ainda são baixos, apesar de a renda ter aumentado". Não só ele, como outros especialistas afirmam que os números podem refletir a qualidade do ensino superior do país. Outro economista, Fernando Veloso afirma: "Existe uma heterogeneidade grande na formação superior".

Além disso, um estudo feito por Menezes Filho mostra que os salários pagos a determinadas carreiras que tiverem muitos formandos despencaram. É o caso dos cursos de Administração, Enfermagem, Marketing e áreas correlatas, que são vítimas da lei da oferta e da procura. Quanto mais profissionais no mercado, menores são os salários pagos e como ele consegue absorver os profissionais nesta faixa salarial, eles estagnam e sofrem pouco aumento.

Em contrapartida, áreas como Medicina, Economia, Ciências Sociais e as Engenharias registram salários cada vez maiores, devido à carência de pessoal especializado. "Parece existir um efeito de mudanças de demanda e oferta no mercado, mas fatores como diferenças na qualidade da formação também podem influenciar os salários", afirma Menezes Filho.

Os números não são dos piores e ainda mostram que a recompensa para os trabalhadores que possuem nível superior em relação aos que apresentam ensino médio é uma das maiores do mundo. Trata-se de um prêmio salarial que pode ser até 160% maior do que os salários daqueles com ensino médio. Segundo dados da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o prêmio foi o segundo maior em 2013, em um grupo de 34 países desenvolvidos e emergentes. 

Por Robson Quirino de Moraes



Fatores que influenciam nos valores dos salários


Qualificação profissional, experiência e um bom perfil geralmente não determinam o valor de um salário. De acordo com a ciência, há outros fatores que percorrem caminhos entre o início e o topo dos níveis de uma "pirâmide hierárquica". E, de certa forma, eles podem ser muito bizarros. É o que dizem os três seguintes estudos científicos:

– Altura: não, você não leu errado. É exatamente isso, a estatura física do profissional pode ser proporcional aos seus ganhos financeiros, ou seja, quando mais alto for o profissional, maior será o seu salário. Essa descoberta é recente, e veio de uma pesquisa realizada pela equipe da London BUSINESS SCHOOL, na Suécia, que teve seu texto publicado pelo Financial Times.

Os dados desta pesquisa mostraram que a maioria dos presidentes das empresas são, em média, mais altos do que 90% da população em geral, além de terem mais habilidades cognitivas do que a maior parte das pessoas.

Os pesquisadores tiveram que acompanhar a vida de 1,3 milhão de homens que serviram o serviços militar entre 1952 e 1978, para poder chegar a essa conclusão (por isso não houve mulheres que participaram do estudo). Mais de 41 mil pessoas deste grupo eram executivos do topo da "pirâmide hierárquica".

De acordo com Samuli Knüpfer, coautor desta pesquisa, esses resultados também servem para os demais países industrializados do mundo.      

– Beleza: homens e mulheres bonitos podem ganhar mais do que os que não são considerados tão belos assim. Essa diferença pode chegar a 17% para homens e 12% para mulheres, de acordo com Daniel Hamermes, autor do livro “Beauty Pays: why attractive people are more successful”.

De acordo com a pesquisa, isso mostra o quanto a autoestima e a autoconfiança podem ter impactos incríveis no salário. A pessoa que se sente mais bonita e atraente tem mais chance de se mostrar segura de si. Essa atitude pode influenciar completamente o comportamento no trabalho, por exemplo, e, consequentemente induzir a pessoa ao sucesso na carreira.    

– Nome curto: isso pode soar como algo mais estranho ainda. Uma pesquisa que foi divulgada no TheLadders, site de recrutamento, estabelece relação do tamanho do nome da pessoa com seu salário, ou seja, quanto mais curto for o nome da pessoa (até cinco letras no máximo), maior será seu salário ou seus ganhos. Para chegar a essa conclusão, pesquisadores do próprio site resolveram analisar o nome de mais de 6 milhões de usuários e pessoas nessa categoria. Alguns nomes como Melissa, Rob e Dale podem estar relacionados a maiores salários.

Por Daniela Almeida da Silva



Suíça poderá ter o maior salário mínimo do mundo


O trabalho é algo extremamente essencial para o ser humano e está presente em nossas vidas desde o nosso surgimento até os dias atuais. Após as diferentes fases do trabalho, o mesmo passou a virar um emprego logo após a Revolução Industrial, sendo assim, os trabalhadores passaram a ser empregados e serem assalariados. A questão salarial varia de acordo com cada país, suas leis, bem como outros detalhes como, por exemplo, países subdesenvolvidos tendem a dispor de um piso salarial baixo.

Uma notícia que já “correu” todo o mundo é justamente quanto ao fato da Suíça ter organizado um referendo, em 18 de maio de 2014, onde através desse referendo será decidido se o país e irá dispor do maior piso salarial do mundo. Para quem ainda não sabe, a Suíça é um país localizado na Europa e também um dos mais desenvolvidos do mundo.

Em relação à votação no referendo é importante destacar que os suíços irão, por meio de votação decidir se o piso salarial do país passará a ser de 4.000 francos, o equivalente hoje a cerca de R$ 10.000. Esse é um valor bastante alto e, por isso vem ganhando bastante destaque em toda a imprensa internacional.

Uma das curiosidades em relação ao possível novo valor do piso salarial suíço é justamente quanto ao fato de que se o mesmo for aprovado será nada menos que 13,8 vezes maior que o valor brasileiro, que atualmente é de R$ 724.

Vale ressaltar que cerca de 90% dos trabalhadores suíços já ganham mais do que o piso salarial proposto, 4.000 francos, porém os empregadores afirmam que a proposta iria aumentar o rendimento em toda a economia suíça. Além disso, a proposta ainda tem o forte apoio dos sindicatos suíços, que usam como argumento o fato dos preços praticados no país, dessa forma, o ajuste do piso salarial seria uma necessidade.

É importante destacar que pesquisas já foram feitas em relação à opinião dos suíços sobre o ajuste do piso salarial, onde 52% estão propensos a rejeitar a proposta. Porém, no mês passado (março de 2014) outro instituto do país divulgou que esse mesmo percentual apoiava a medida.

Por Bruno Henrique



13º Salário – Trabalhadores devem Utilizar o Salário para Pagar Dívidas


Economistas indicam que grande parte dos brasileiros com benefício do 13° salário pretende pagar dívidas com a quantia. Trabalhadores formais e informais devem ganhar a renumeração extra, conforme indica as leis trabalhistas.

De acordo com a pesquisa da ANEFAC, que entrevistou 634 consumidores na cidade de São Paulo, cerca de 60% dos entrevistados devem pagar dívidas que foram contraídas com uso do cheque especial. Também existe uma porcentagem alta de pessoas que desejam limpar o nome na praça.

Por conta de dívidas contraídas no passado, o Natal pode ficar prejudicado. Ainda conforme a ANEFAC, 15% dos entrevistados indicam que usam o dinheiro para comprar presentes, visto que 11% poupam ou fazem investimentos. Além disso, cerca de 4% deseja reformar ou investir na compra da casa própria.

Até mesmo quem deseja poupar na verdade economiza para pagar dívidas posteriores. Por exemplo, há pessoas que seguram o décimo terceiro salário no intuito de pagar as contas que surgem no começo do ano, como no caso de matrículas em instituições de ensino, IPTU, IPVA, entre outros.

O poder público indica que quase 65 milhões de trabalhadores brasileiros recebem o décimo terceiro salário. Não se pode ignorar o fato de que idosos e pensionistas têm direito ao benefício.

Os valores de pessoas que ganham décimo terceiro salário têm como base números do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), grupos de pesquisas filiados ao MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

Por conta das dificuldades em mensurar recursos, não entra na contabilização oficial o público assalariado sem carteira assinada e que recebe o abono ao final do ano, embora categorias de trabalhadores informais também tenham direito ao benefício.

Nos dados, deixam de fazer parte da contagem os pagamentos antecipados que aconteceram ao longo do ano, como nas férias.

Por Renato Duarte Plantier



História do Salário Mínimo no Brasil


Por lei, os trabalhadores maiores de 18 anos com carteira assinada no Brasil devem receber pelo menos um salário mínimo. Esse direito trabalhista resulta das leis que chegaram ao país no final da primeira metade do século XX, regras instituídas por Getúlio Vargas.

No começo da década de 40, houve um primeiro decreto oficial que se relaciona com o salário mínimo no Brasil. De acordo com as regras legais, a maior quantia era paga aos trabalhadores do Rio de Janeiro (240 mil réis), capital do Brasil na época. Em São Paulo, a quantia iniciou em 220 mil réis.

Para fazer o cálculo dos valores na primeira tabela do salário mínimo brasileiro, se considerou a média salarial da região junto com o custo da cesta básica. Em 1943 aconteceu o primeiro ajuste de forma oficial.

No ano de 1979 a revisão do salário mínimo começou com uma revisão de modo mensal. Porém, por conta dos valores altos nos índices inflacionários da década de 80, o poder público instituiu uma ordem oficial para corrigir os valores anualmente.

Em 1946 houve a ordem oficial que considera o salário mínimo como os valores ideais para que os cidadãos possam promover o sustento de sua família. De 1951 a 1964, aconteceram reajustes de forma frequente na quantia mínima recebida por trabalhadores.

Depois do período houve golpe militar. Com generais no poder, o salário mínimo tinha política na qual apenas acontecia reajuste se a nação demonstrasse melhora nos índices do ciclo da produtividade. A conta considerou os valores da inflação, que na época era alta ao extremo. Por esse motivo que no regime dos militares o mínimo ficou em patamares baixos.

No ano de 1984 surgiu a união no valor do mínimo de forma federal. Em 2007 o salário começou a ser revisado de acordo com a inflação do ano anterior.

Por Renato Duarte Plantier



Informações sobre o Piso Salarial das profissões


Em termos práticos, piso salarial é o valor mínimo pago para determinado profissional, desde limpadores de janelas até políticos. A grande parte das profissões que existe no mundo tem pisos definidos de acordo com as decisões do poder público, estatísticas que medem a remuneração no mercado de trabalho, luta dos sindicatos e valorização trabalhista no conjunto econômico.

Para que o valor seja oficial, existe a necessidade de estabelecer a quantia junto com a data base estabelecida em “convenções” ou “acordo coletivos de trabalhos”. Os dois tipos de projetos de forma usual têm controle por parte dos sindicatos que representam a categoria de trabalhadores. De maneira legal, as decisões dos valores precisam ter o acordo firmado entre funcionários e patrões.

A convenção coletiva (o mesmo que instrumento normativo) consiste em nome que classifica o processo no qual acontece à assinatura dos acordos de valores dos pisos negociados entre chefes e trabalhadores.

Convenções e acordos coletivos de trabalho existem no sentido de oficializar os compromissos e as normas que durante o prazo de validade são respeitadas. A data-base (trinta dias) consiste no prazo que existe para representantes de organizações trabalhistas discordarem das mudanças. Durante esse mês também acontece o debate para organizar o piso salarial, por exemplo.

Não se pode ignorar que o piso pode mudar para cargos semelhantes presentes em estados ou municípios. Em termos práticos as decisões afetam apenas os trabalhadores que fazem do documento, ou seja, aqueles que são filiados ao sindicato da categoria e (ou) trabalham na região em que há a convenção ou o acordo do piso salarial.

Interessante notar que os pisos possuem variação inclusive em posições distintas que abrangem a mesma categoria profissional. Por exemplo, ao levar em conta os trabalhos dos pedreiros, o salário do mestre de obras é maior ao comparar com a remuneração dos auxiliares.

Por Renato Duarte Plantier



Como cuidar bem do salário


Final de Janeiro, como de costume, já houve o reajuste no salário mínimo, mas como conseguir coordenar o salário que se recebe com as despesas? Bem, nesse fim das férias, comece economizando, fazendo uma tabela de quantidade de dinheiro que se quer economizar, como por exemplo, economizar vinte reais por semana até o final do ano ( tendo em vista o Natal ou férias, economizando isso por semana, da oitenta reais por mês, ou seja, daqui até o fim do ano você terá oitocentos e oitenta reais economizados, o que já ajuda bastante na hora de querer comprar presentes para as pessoas ou viajar, sem ficar apertado na época ).
Uma outra coisa também que ajuda bastante é controlar o que se gasta no cartão de crédito. A maioria das pessoas gasta adoidadamente com o cartão de crédito esquecendo que tudo aquilo será pago depois. Pense antes de comprar algo se você realmente precisa daquilo e, se realmente precisar, não compensa mais pagar à vista em vez de parcelado? Então faça um fundo de reserva para comprar essas coisas que você tanto quer, como geladeiras, fogões, até videogames ou computadores. Ou então, mesmo que você compre parcelado, já deixe o dinheiro para o mesmo reservado.
Uma outra coisa também que pode ser eficaz é você deixar uma porcentagem do seu salário guardado, no banco, de preferência numa poupança à parte para ser usada como se fosse conta corrente. Tem juros, apesar de poucos, mas já é algo que ajuda no fim das contas. Reserve de 20% a 30% todo mês que no final do ano, você terá dinheiro para fazer aquelas coisas costumeiras.
Investir em pequenas coisas, bolsa de valores, também acaba sendo uma boa para aqueles que gostam de arriscar, ainda mais nesse começo de ano, com a bolsa baixa, vindo de um ano ruim, e onde se tem altas muito grandes devido ao número de investidores que aparecem por aí. Então, se você está confiante do seu palpite, acho que vale a pena.
E, claro, sempre reserve uns dois reais por mês para tentar a sorte na lotérica. Vai saber, né? Sempre vale a pena tentar.

Mariana Caetano. 



Trabalhadores terão direito à revisão de valores do FGTS


Os trabalhadores que contribuíram com FGTS desde o ano de 1999 até o ano passado vão ter direito a revisão de valores, mesmo aqueles que já efetuaram o saque.

O motivo se deve a TR (ou Taxa Referencial) que estava abaixo do valor devido à inflação que atingiu o mercado durante o período. O Supremo Tribunal Federal responsabiliza a TR pelo novo procedimento rotulando-a como ilegal. A explicação é simples: durante este período em que a taxa foi utilizada, ela não teria acompanhado demais índices de correção e como estava abaixo da inflação não houve a recuperação do poder de compra e dessa forma muitos trabalhadores do regime CLT não receberam os valores corretos.

A diferença pode variar de 60% a 80% conforme o tempo de registro, ou seja, os meses ou os anos trabalhados neste período.

A notícia sem dúvida agrada a todos os trabalhadores que podem estar recebendo esses valores, principalmente aqueles que utilizaram o seu FGTS para comprar imóvel, por exemplo. Neste caso, também é possível solicitar à Caixa Econômica Federal um abatimento nas prestações que ainda possam estar em débito. Os aposentados também podem solicitar esta revisão: basta solicitar os extratos do FGTS entre 1999 e 2013 (na própria CEF) e estar com RG, CPF, comprovante de residência atualizado e procurar um advogado trabalhista. Os extratos são imprescindíveis para esta ação.

A polêmica Taxa Referencial representa a Lei 8.177 e sua vigência teve início no ano de 1991 ainda na época de Fernando Collor sendo parte do  Plano Collor II. Para quem não sabe, o Fundo de Garantia é de 1966 que corresponde a Lei 5.107 que foi criada para proteger o trabalhador com demissão sem justa causa. Todo mês os trabalhadores podem verificar no holerite um valor descontado que corresponde a cerca de 8% do salário com a atualização monetária e os juros correspondentes.

Por Luciana Ávila

Revisão do FGTS

Foto: Divulgação



Fim do prazo para o pagamento da 1ª parcela do 13º salário


Está chegando o tão esperado dia 30. Feliz dia para muitos (e para outros nem tanto) já que significa a primeira parcela do décimo terceiro salário garantida pelas leis vigentes relacionadas ao regime CLT de contratação. Porém, todo cuidado é pouco! Muitos trabalhadores já têm destino certo onde empregar a "gratificação natalina", mas o que muitos se esquecem é que a segunda parcela vem com os devidos descontos referente ao INSS e Imposto de Renda onde somados podem chegar a representar 38,5% da fatia.

Por isso, o menos indicado é que as parcelas sejam destinadas a pagar algum tipo de dívida que esteja relacionada a compromissos de alta prioridade como o pagamento de um débito bancário, por exemplo.

Segundo o Dieese – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – cerca de mais de 82 milhões de trabalhadores terão direito ao benefício. Os trabalhadores que não receberem  a primeira parcela nesta próxima sexta-feira podem denunciar a empresa infratora na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Pernambuco pelos seguintes canais:

– E-mail: 13salario.srtepe@mte.gov.br;

– Telefone: 3427-7932;

– Pessoalmente: Avenida Agamenon Magalhães, nº 2.000.

Para o procedimento é necessário informar a razão social, nome fantasia, número do CNPJ e endereço com ponto de referência. As fiscalizações do STRE já ocorrem no primeiro dia útil do mês. 

Todas as empresas impreterivelmente devem adiantar este pagamento para o dia 29  de novembro, segundo o Conselho Federal de Contabilidade (CFC). Em nota via e-mail, o  vice-presidente de Desenvolvimento Operacional, Enory Luiz Spinelli, declarou que se a data prevista para a primeira parcela do 13º cair fora do dia útil, o mesmo deve ser adiantado ao dia anterior não podendo em hipótese alguma ocorrer no dia seguinte. Se essa data fosse cair em um domingo, por exemplo, a regra também seria válida (como é previsto que aconteça no próximo ano).

Não se deixe enganar, direitos são direitos e o crédito deve acontecer para trabalhadores de todas as categorias que são contratados na modalidade efetiva, ou todos que tenham a carteira devidamente assinada.  

Por Luciana Ávila

Pagamento do 13º salário deve ser feito até dia 29 de novembro

Foto: Divulgação



Economia X Sálário dos Executivos


A produção industrial no Brasil não está indo tão bem quanto nos anos anteriores. Com o câmbio oscilando muito, os preços dos produtos estão em aumento, o que dificulta as transações comerciais para o exterior, pois os preços altos dos produtos industriais reduzem a competitividade perante os mesmos produtos fabricados em outros países.

Isso de fato está ocorrendo, visto que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) foi de 0,6% comparado com o último trimestre de 2012. 

Segundo uma pesquisa realizada pela Consultoria Hays (especializada na colocação laboral de profissionais especializados em cargos permanentes), 55% dos executivos detentores de altos cargos tiveram um aumento nos salários e em mais da metade deles o aumento registrado foi de 5,5%. 

Existem dúvidas do porquê destes aumentos salariais sendo que a economia industrial não está no seu melhor momento, especula-se que negociações trabalhistas e demanda de mercado por profissionais especializados num cenário de pouca oferta de mão-de-obra deste tipo, possam ser os responsáveis pelos excessivos aumentos.

Esta pesquisa identificou que os executivos de alto escalão estão recebendo remunerações com valores semelhantes aos recebidos pelos profissionais europeus de países como Itália e Alemanha. Se bem ocorreu uma elevação no valor do salário base, os incentivos de curto prazo como bónus e participação nos lucros e resultados (PLR) tem diminuído.

As indústrias que oferecem melhores condições de remuneração para os executivos são as dedicadas à construção e à mineração.

Por Melina Menezes



Profissões que Mais Tiveram Aumento de Salário entre 2000 e 2010 – Pesquisa da BRAiN


A BRAiN (Brasil Investimentos & Negócios) realizou um estudo entre os anos de 2000 e 2010 chamado de “Talentos – As profissões e o mercado de trabalho brasileiro”, que mostrou quais são as profissões mais procuradas, bem como quais foram as alterações salariais.

O estudo foi baseado nos censos de 2000 e de 2010 e uma das conclusões foi de que, nessa década, profissões nas áreas de Engenharia Química, Medicina e Engenharia Civil foram as mais procuradas pelo mercado de trabalho, além de terem conquistado um grande aumento de salário. Entretanto, profissionais de áreas como Farmácia, Administração, Marketing e Ciências da Computação obtiveram quedas salariais, tendo em vista a menor demanda por parte do mercado de trabalho.

Além disso, o estudo fez uma comparação entre o salário de profissionais com nível superior e de trabalhadores com ensino médio. Em questão de Engenheiros Civis, a diferença salarial aumentou 50% na década analisada, passando de 200% de diferença em 2000 para 250% de diferença em 2010. Outras profissões que tiveram análises semelhantes foram as relacionadas à Arquitetura, Engenharia Química e Medicina. Isso mostra que os trabalhadores desses setores têm sido mais procurados, o que aponta que o mercado vem demandando mais engenheiros civis, químicos, arquitetos e médicos.

Outra análise feita foi com relação à área de atuação das pessoas após serem formadas, no caso de continuarem atuando no mesmo segmento em que se formaram (ocupações típicas). Os maiores índices ficaram com as formações em Arquitetura, Medicina e Pedagogia. Nestas profissões, os índices ficaram entre 50% e 80%. Entretanto, setores como Artes, Ciências Sociais e Administração obtiveram índices maiores que 90%.

As áreas que tiveram aumento de salário entre 2000 e 2010 foram:

  • Arquitetura
  • Artes
  • Biblioteconomia
  • Ciências Físicas
  • Ciências Sociais
  • Contabilidade
  • Direito
  • Economia
  • Engenharia Civil
  • Engenharia Elétrica
  • Engenharia Mecânica
  • Engenharia Química
  • Estatística
  • Física
  • Medicina
  • Militar
  • Odontologia
  • Outras Engenharias
  • Serviço Social
  • Veterinária

Já as áreas que tiveram diminuições salariais foram:

  • Administração
  • Ciências da Computação
  • Enfermagem
  • Farmácia
  • Filosofia
  • Hotelaria
  • Imigração
  • Jornalismo
  • Marketing
  • Matemática

Por Guilherme Marcon



Trabalho em final de semana dificulta contratos em supermercados


A busca por um emprego é incessante para muitas pessoas, no entanto, segundo pesquisa da Apas (Associação Paulista de Supermercados) o grande problema para obter funcionários em supermercados reside no fato da exigência para trabalhar nos finais de semana.

Aproximadamente 73,1% dos entrevistados disseram que não querem trabalhar nestes dias.

Outra causa de fuga dos trabalhadores do ramo de supermercados está na falta de qualificação e falta de experiência

Para tentar resolver estas questões, muitos supermercados optam por recrutamentos internos e treinamentos para seus funcionários além de diminuir as exigências de qualificação na hora da seleção.

Fonte: Infomoney

Por Ana Camila Neves Morais



Servidores municipais de Teresina – PI fazem manifestações trabalhistas


Nesta quarta-feira, dia 12 de dezembro de 2012, os servidores públicos municipais da cidade de Teresina realizaram uma reunião para Assembléia Geral no centro da cidade.

No encontro foram aprovadas reivindicações de diversas áreas da Prefeitura Municipal com alteração da carreira dos técnico-administrativos, pagamento de 13º e horas extras aos funcionários, reajuste salarial, concessão de insalubridade para profissionais de saúde, além de outras questões específicas.

A pauta com as solicitações dos trabalhadores foi entregue ao prefeito eleito de Teresina Firmino Filho e será, também, votada na Assembléia Legislativa do Piauí.

Por Ana Camila Neves Morais



Sergipe cria mais de 3.000 empregos em outubro de 2012


O Caged (Cadastro Geral de emprego e Desemprego) do Ministério do Trabalho divulgou dados do mês de outubro de 2012 que mostram a criação de 66.988 novos empregos no Brasil dos quais 3.139 foram ofertados no estado de Sergipe.

Segundo a pesquisa, durante os 10 meses do ano de 2012 foram 1.688.845 novos trabalhadores com carteira assinada com um aumento nesta oferta de 1,12% para o estado de Sergipe.

Este crescimento, segundo o governo do estado, se deve a um aumento da capacidade das indústrias, das empresas além da chegada de novos negócios que causaram o aumento no setor de empregos em Sergipe.

Ao considerar este avanço em Sergipe de forma mais específica foi identificado que a maior parte dos postos de trabalho foi para o setor de serviços com 5.273 contratações.

Por Ana Camila Neves Morais



Salário mínimo do brasileiro deveria ser de R$ 2617,33


Todos sabem que o valor do salário mínimo brasileiro mal dá para o trabalhador se manter e sustentar a sua família e, para comprovar isso, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sociorconômicos (Dieese) fez uma pesquisa que constatou que o valor do salário mínimo do trabalhador brasileiro deveria ser de R$ 2.617,33, ou seja, 4,21 vezes maior do que o valor do salário mínimo atual, que é de R$ 622,00. 

Este valor foi estimado baseando-se na constituição brasileira, no preceito de que o salário mínimo deva ser suficeinte para suprir os gastos do trabalhador e de sua família com alimentaçção, moradia, educação, saúde, transporte, vestuário, higiene, lazer e previdência social. 

No ano passado o valor estimado para o salário mínimo era de R$2.329,94, ou seja, 4,28 vezes maior do que o piso vigente na época, que era de R$545.

De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, o trabalhador precisa trabalhar, em média, 95 horas e um minuto para conseguir comprar produtos alimentícios essenciais presentes na cesta básica. No ano passado esta jornada era de 94 horas e quatro minutos.

O Dieese apontou ainda que o trabalhador brasileiro comprometeu, no mês de outubro deste ano, 46,95% do seu salário com a compra de produtos da cesta básica. No ano passado este percentual foi de 46,48%, para a compra dos mesmos produtos.



Pesquisa sobre a Média Salarial na área de E-Commerce


A Associação Brasileira de Recursos Humanos divulgou que faltam 40 mil profissionais qualificados na área de Tecnologia da Informação. Isso tem gerado uma valorização salarial nessa e em áreas afins, pois a estrutura do e-commerce exige a colaboração de diversos profissionais.

Sobre a média salarial nesse segmento do comércio eletrônico, seguem dados da pesquisa realizada pela Catho Online entre dezembro de 2011 e janeiro de 2012.

A pesquisa foi realizada com 260 mil profissionais de 4 mil cidades em todo país e em 8 áreas envolvidas no e-commerce.

1 – E-business:

  • Diretor: R$ 17.110,43;
  • Gerente: R$ 8.680,37;
  • Supervisor: R$ 5.994,66;
  • Analista Sênior: R$ 4.211,36;
  • Assistente: R$ 1.134,02.

2 – Negócios Web:

  • Executivo de Contas: R$ 6.112,91;
  • Analista Pleno: R$ 3.505,75.

3 – Criação Web:

  • Web Designer Sênior: R$ 3.501,21;
  • Webmaster Pleno: R$ 2.405,40;
  • Revisor: R$ 2.062,72;
  • Estagiário: R$ 763,65;
  • Trainee: R$ 2.307,86.

4 – Web Development:

  • Gerente: R$ 7.087,71;
  • Analista Sênior: R$ 6.014,61;
  • Analista Júnior: R$ 2.153,83;
  • Assistente: R$ 2.019,40.

5 – Arquitetura e Informática na Web:

  • Supervisor: R$ 9.237,35;
  • Arquiteto Júnior: R$ 3.312,32;
  • Estagiário: R$ 1.173,74.

6 – Segurança da Informação:

  • Gerente: R$ 10.459,87;
  • Consultor: R$ 7.180,07;
  • Analista Pleno: R$ 3.923,09;
  • Analista Júnior: R$ 3.313,32.

7 – Programação Web:

  • Gerente: R$ 9.613,51;
  • Coordenador: R$ 6.383,27;
  • Programador Sênior: R$ 2.811,39;
  • Analista Pleno: R$ 3.816,23;
  • Trainee: R$ 1.335,87;
  • Assistente: R$ 1.335,87;
  • Auxiliar: R$ 932,84.

8 – Mídia Web:

  • Diretor: R$ 17.523,63.

Por fim, seguem dados de outra pesquisa da Catho sobre a média salarial de profissionais do segmento de e-commerce, com foco exclusivamente em São Paulo:

  • Diretores: R$ 17 mil;
  • Gerentes: R$ 8 mil;
  • Coordenadores: R$ 6 mil.


Diferença salarial entre homens e mulheres – Projeto de Lei prevê multa para empresas


Mesmo em tempos “modernos“, infelizmente as mulheres ainda sofrem com a discriminação no mercado de trabalho.

Ainda que provem sua eficiência e se destaquem profissionalmente, infelizmente muitas estão sujeitas a situações de preconceito no ambiente de trabalho.

Se procurarmos bem, logo encontraremos histórias de pessoas próximas ou conhecemos  alguém que recebe salário inferior a dos homens que ocupam o mesmo cargo.

Agora as empresas devem ficar mais atentas e reajustar os salários que ainda têm essa disparidade, pois, caso contrário, estarão sujeitas a pagar multa.

Foi aprovado na última terça-feira (06-03) o Projeto de Lei 130/11, que prevê multa para as empresas que pagarem salários diferenciados para homens e mulheres que exercem a mesma função. A intenção é acabar com o preconceito de gênero nas empresas.

O valor da multa pode ser de até cinco vezes a diferença salarial.

Especialistas em direitos trabalhistas explicam que a aprovação do Projeto de Lei fará com que os empresários pratiquem salários mais justos sem discriminar as mulheres.

Aprovada em caráter terminativo no Senado e já aprovada pela Câmara, a Proposta de Lei segue para ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff.

Por Natali Alencar



Diferença de Salário entre Homens e Mulheres Diminui em São Paulo


Uma pesquisa realizada pelo Dieese mostrou que os rendimentos das mulheres em São Paulo aumentaram se comparado aos dos homens, a pesquisa foi feita em parceria com a Fundação Seade.

A pesquisa levou em consideração o valor pago por hora tanto para homens quanto para as mulheres, sendo que eles ainda possuem uma jornada maior que elas, 44 horas contra 39.

Em 2011 o valor médio pago por hora para as mulheres foi de R$ 7,32, ou seja, um aumento de 2,4% se comparado a 2010. O aumento entre os homens na comparação dos anos de 2010 e 2011 foi de 0,4%, esse ritmo de crescimento fez com que a diferença entre os dois diminuísse bastante.

De acordo com especialistas, um dos responsáveis por esse aumento no rendimento das mulheres foi a elevação ocorrida no comércio e nos serviços domésticos, sendo que estes fatores podem ter sido influenciados pelo novo valor do salário mínimo, além dos diferentes pisos praticados em cada região.

De acordo com a pesquisa, o valor por hora entre as mulheres apresentou um aumento generalizado, com exceção das funcionárias públicas.

Por Joyce Silva



Reajuste do Salário – Benefícios para classes C e D em 2010


Ao longo de 2010, alguns setores mais baixos da sociedade brasileira se beneficiaram com o reajuste do salário mínimo. Ainda longe de possui uma distribuição de renda igualitária, a economia do Brasil anda possuindo um avanço do consumo de classes C e D.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, setores como os de construções civis e serviços domésticos estão com maior rendimento devido ao reajuste salarial e à escassez de profissionais qualificados nos setores, sendo portanto um pouco mais valorizados.

Ainda de acordo com a publicação, algumas regiões tiveram maior distribuição de renda que outras. Nesse processo, destaca-se Recife (com um aumento de salário de 10,4%), Rio de Janeiro (aumento de 5,6%) e Belo Horizonte (aumento de 5,5%). Em São Paulo, esse crescimento de salário foi de apenas 0,5%.

Mesmo com essa melhora na distribuição de renda, o país ainda tem um longo caminho a percorrer para melhorar a qualidade de vida das classes baixas e também melhorar a educação para formar profissionais mais capacitados.

Por Adriana Arruda



Dieese – Alta Salarial dos Trabalhadores garantirá a Sustentabilidade do Crescimento do Brasil


Durante as campanhas presidenciais, cada candidato procurou explorar méritos próprios e deméritos dos adversários. Dilma Rousseff, já eleita presidente, enalteceu as realizações do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, entre as quais a transferência de renda para a população mais carente por meio do Bolsa Família, a criação de 15 milhões de empregos desde 2002, entre outros pontos.

O aumento da massa salarial foi outra questão muito utilizada pela ex-ministra-chefe da Casa Civil. Segundo economistas do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o aumento do rendimento dos trabalhadores brasileiros assegurará a famigerada e pretendida sustentabilidade do crescimento do Brasil.

Com avanço próximo de 11% no acumulado dos últimos 12 meses até outubro, o Dieese pondera que a alta foi puxada pelo incremento da remuneração média e pelo avanço no número de cidadãos ocupados no período. Para Sério Mendonça, economista da instituição, a massa de rendimentos representa aproximadamente 40% do Produto Interno Bruto (PIB). Em sua concepção, esse índice dará sustentação à economia, mesmo perante o ambiente global desfavorável.

De acordo com a Folha UOL, nos 12 meses encerrados em outubro a renda mensal das pessoas ocupadas cresceu, em média, 6,1%, para R$ 1.344. Os assalariados, por sua vez, contraíram alta de 3,6% e rendimento médio de quase R$ 1,4 mil.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo – Estudos para calcular o Reajuste


Uma das propostas do candidato do PSDB derrotado na eleição presidencial, José Serra, a de reajuste do salário mínimo para R$ 600 em 2011 pode acontecer pelas mãos da presidenta eleita, Dilma Rousseff. Embora seja sempre delicado se falar em reajuste do mínimo e principalmente no peso que o reajuste teria, por exemplo, nas contas da previdência social e sempre que se fala neste assunto inúmeras autoridades se apressam em demonstrar por meio de diversos cálculos o tamanho do rombo e quanto custaria o reajuste, mas em matéria do site Eleições UOL, a presidenta eleita afirmou em sua primeira entrevista coletiva após a vitória nas urnas que no final de 2011 o salário poderá chegar a R$ 600 e bem acima de R$ 700 em previsão para 2014.

Mas não existe mágica para isso. Pela atual fórmula de reajuste do salário mínimo ele ocorre anualmente levando em conta à variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes somada a inflação registrada pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Como em 2009 o PIB registrou retração de 0,2% em função da crise internacional, em 2011 seria considerada apenas a inflação como base para o reajuste. Já em 2010 o crescimento estimado para o PIB é de cerca de 7%, o que provocaria em 2012 um grande aumento.

E de acordo com matéria do Jornal FOLHA DE SÃO PAULO, a presidente estuda a possibilidade de antecipar parte do reajuste de 2012 para o próximo ano como forma de equilibrar estes reajustes.

Por Mauro Câmara



Dieese – Valor ideal para o Salário Mínimo – Outubro de 2010


O atual valor do salário mínimo (R$ 510) é insuficiente para suprir todas as necessidades básicas da população brasileira. Apesar disso, cada cidadão que depende desse montante consegue, mês a mês, sustentar não somente a si, mas a uma família inteira. As centrais sindicais almejam alta para R$ 580 e o governo, por sua vez, R$ 540.

Delongas à parte, de acordo com o Estadão pesquisa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revela que o salário mínimo do trabalhador deveria ter alcançado a cifra de R$ 2.132,09 no mês passado, justamente para a seguridade de suas necessidades – e de seu lar.

Apoiado na Pesquisa Nacional da Cesta Básica de outubro, a qual teve por base o valor mais alto verificado (em São Paulo, de R$ 253,79), o levantamento estabelece que para o cidadão bem viver a soma ideal deve abastecer despesas com moradia, alimentação, saúde, educação, transportes, vestuário, lazer, higiene e previdência.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste Salarial – Metalúrgicos – Mercedes-Benz


As várias alas trabalhistas brasileiras têm aproveitado o cenário econômico brasileiro favorável para angariarem remunerações mais altas. Recentemente, metalúrgicos do ABC conquistaram alta em seus salários; agora foi a vez dos trabalhadores atuantes na Mercedes-Benz campinense, centro responsável pela assistência técnica de distribuição de peças e veículos.

Após 16 dias de greve, uma assembleia ocorrida na última terça-feira, 28 de setembro, convencionou reajuste salarial de 10,5% aos trabalhadores da unidade. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, aproximadamente 800 trabalhadores estabeleceram, quase como um adendo, piso salarial de R$ 1.440,00.

A convenção, conforme já mencionado anteriormente, segue a tendência iniciada na semana passada, quando metalúrgicos da Volkswagen, Scania e Ford conseguiram reajuste de 10,8%.

A categoria parece bem posicionada no atual momento, pois inúmeras foram as séries trabalhistas que pouco conseguiram nesse sentido e em tal amplitude. O reajuste de 10,5% está bem acima da inflação, de 4,50% aproximadamente.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Reuters



Salários – Situação Financeira – Brasileiros confiantes


Sobrevivência financeira e a consequente vivência como ser humano é um dos fatores mais almejados por toda e qualquer pessoa. Pouca remuneração, inclusive, incide em qualidade de vida mais baixa, como se é possível averiguar por meio de vários estudos de casos emitidos quase mensalmente por distintas entidades.

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) por meio do Índice de Expectativa das Famílias (IEF) revelou no inicio desta semana que a situação financeira está melhor na atualidade em relação à observada há um ano, de acordo com opinião emitida por 74% dum total de mais de 3,8 mil lares consultados.

Políticos de oposição até podem supor que os dados a seguir são altamente justificáveis, mas mesmo assim é importante salientar. O Norte e o Nordeste brasileiro abrangem o maior número de famílias que observam melhorias em suas situações financeiras (81,33% e 78,97%, respectivamente). O Centro-Oeste, Sul e Sudeste, por outro lado, aparecem em seguida, porém não muito distantes em termos percentuais (76,49%, 71,53% e 70,34%, também respectivamente).

Para ocasiões futuras o estudo do Ipea não é muito diferente. Aos próximos 12 meses, segundo o Estadão, mais de 77% dos entrevistados preveem melhores condições financeiras e outros 7,56%, agravamento.

Marcio Pochman, presidente do Ipea, avalia como fatores incidentes as duas parcelas do 13º salário ao final de 2010, as quais permitem o pagamento de dívidas e outros correlatos.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salários – Aumento Real – Recorde em 2010


O avanço do número de empregos com carteira assinada pelo país é uma situação que, mesmo de maneira empírica, passou a ser comemorada por vários setores; os tão citados Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do país, e Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, chegaram a estimar 2,5 milhões de oportunidades criadas e contabilizadas ao final de 2010.

A imprensa e ministros de distintas pastas têm relacionado, também diretamente ligado ao número de vagas formais geradas, aumento real da massa salarial. Embora nem todos os segmentos o sintam, vários são aqueles que deverão fechar este ano com ares otimistas, como é o caso dos metalúrgicos atuantes na região do ABC. Na semana passada, por exemplo, houve aumento à classe de 6,26%, somado a um incremento de 4,29% para repor a inflação, ou seja, 10,81% no total – a maior elevação concreta de toda a história da categoria.

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) avalia, de acordo com o portal R7, que 2010 será o ano com a maior quantidade calculada de aumentos reais superiores a 5%, superando, inclusive, 1996, quando quase 7% de todas as negociações obtiveram ganhos acima dessa margem.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Trabalhador – Renda Média Mensal


Economistas, especialistas e políticos muito têm relatado o crescimento do número de empregos e o acesso mais facilitado ao crédito nos últimos meses. Outro discurso comum é o maior poder de compra e aumento da massa salarial da população, porém, poucos citam dados transcritos.

Eis que a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada há poucos dias, levou adiante algumas informações. Elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o levantamento revelou que o rendimento médio do trabalhador deste país chegou a R$ 1.472,10 em agosto passado, o maior desde março de 2002, ano em que a série histórica foi iniciada.

O valor, avalia o IBGE, é superior em 1,4% ao montante notado em julho, de R$ 1.451,91, e 5,5% acima do rendimento médio de agosto do ano passado, quando as cifras alcançaram R$ 1.395,21. Para Cimar Azeredo, gerente da pesquisa, esse avanço acontece pela quarta ou quinta vez (mensal) seguida.

O maior crescimento, segundo o Canal Executivo UOL, ocorreu em Recife entre julho e o mês passado, com elevação de 4,4%. Belo Horizonte, por outro lado, manteve-se estável se relacionada a mesma base de comparação. O menor índice ficou a São Paulo, com crescimento de 3,8%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Diferença de Salário entre Homens e Mulheres


As mulheres ainda estão em desvantagem diante dos homens em relação aos salários recebidos. De acordo com uma pesquisada realizada pela Catho online, a diferença chega a 51%.

Em relação à gerência, os homens chegam a ganhar até 51,6% a mais que as mulheres. No operacional a diferença pode chegar a 50,7% e no técnico a diferença pode ser de 37,5%. Os homens podem ganhar até 35,5% a mais que as mulheres, na posição de diretores, e 32,2% a mais se for em relação ao cargo de supervisão.

As mulheres procuram estudar e se preparar melhor para a vida profissional. Elas chegam a estudar mais que os homens. Em relação à escolaridade, 63,7% das mulheres possuem ensino superior, enquanto que 55,3% dos homens possuem alguma faculdade.

Mesmo as mulheres estudando, procurando se aperfeiçoar para suas tarefas, se atualizando sempre mais, mesmo assim ainda recebem menos que os homens.

Fernanda T. Sodré



Aposentados e Pensionistas – Reajuste Salarial


Uma decisão perdurou durante bom tempo no Brasil: reajuste aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) de 7,72%, conforme pleiteava, à época, o Senado. Até a definição muitas dúvidas permearam na cabeça de inúmeras lideranças políticas, tais como a do próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que delongou ao máximo a demarcação.

Agosto foi o mês ‘X’ para a questão aos aposentados que ganham acima de um salário mínimo (R$ 510), situação que gerou custo de quase R$ 899 milhões sobre o retroativo de 6,14% estipulado em janeiro. Carlos Eduardo Gabas, ministro da pasta, assevera que o montante ficou abaixo do relacionado anteriormente pelo governo, o qual estipulava ampliação de R$ 1,6 bilhão na folha do órgão.

O impacto, de fato, foi sentido somente em agosto. Aliás, no oitavo mês do ano o INSS gastou outros R$ 1,8 bilhão com o adiantamento à primeira parcela do 13º salário de aproximados 19 milhões de aposentados com benefícios mensais de um salário mínimo.

Segundo o portal de notícias G1, outro aumento à folha do INSS acontecerá ainda neste mês, correspondente ao adiantamento para os beneficiários com remuneração acima de um salário mínimo.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário – Dificuldades durante o mês


Geralmente escutado entre os cargos com menor remuneração mensal, os dizeres “meu salário não dura até o fim do mês” é mais comum do que se possa supor. Prova disso é o estudo divulgado nos últimos dias pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o qual abaliza que mais de 75% dos brasileiros admitem dificuldades para pagar suas contas e, ao final de todas as dívidas, algum montante ficar disponível para fins diversos.

A Síntese de Indicadores Sociais, divulgado pelo IBGE, assinala que a região Nordeste do país é o local onde a reclamação é mais evidente para aqueles com muita dificuldade em terminar o mês relativamente bem. O Norte aparece em seguida, com o Centro-Oeste, Sudeste e Sul logo atrás.

Diferentemente da tendência descrita anteriormente, quase 25% das residências tinham em seu favor alguma facilidade ou muita facilidade em fazer o salário perdurar durante os 30 ou 31 dias dos meses.

Se esse estudo assinala o bem-estar das pessoas, como o Brasil consegue viver um momento tão positivo economicamente e com previsões tão otimistas ao futuro? Seria a palavra correta a “esperança”?

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: R7



Reajuste Salarial – Metalúrgicos – GM


A confiança dos empresários e consumidores surte positiva e consideravelmente importante à própria economia brasileira. O aumento da massa salarial, termo em evidência na atualidade, e a geração de empregos têm propiciado índices interessantes ao país, permitindo às empresas estrangeiras apostar em bons resultados por aqui.

Enquanto o movimento geral permanece nesse sentido, vários são os setores que de uma maneira ou outra se valem da ampliação do Produto Interno Bruto (PIB). De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, os metalúrgicos da montadora da General Motors, na cidade, conquistaram no início desta semana reajuste salarial de 9%.

Destilado em duas partes, 4,52% são referentes ao aumento salarial e outros 4,29% ao reajuste pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Pelo acordo, divulgado pelo portal Economia Terra, há previsão de abono de R$ 2,2 mil.

A conquista deste ano é superior à campanha salarial de 2009, a qual reteve somente 3,7% de aumento real aos trabalhadores da fábrica, então situada no interior de São Paulo.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Infelicidade – Pesquisas revelam que Comparar Salários prejudica as pessoas


Um estudo elaborado na Escola de Economia de Paris, apontou que as pessoas que tem o hábito de comparar o salário com os de amigos e também familiares, são mais propensos a infelicidade.

Mais da metade dos entrevistados afirmou que é importante ou que simplesmente praticam o ato de comparar seus ganhos com os rendimentos de outras pessoas. O que mostrou que essas pessoas aparentavam menos contentes depois de tal ação.

Foram 19 mil pessoas, em 24 países europeus, entrevistadas para a pesquisa. Os dados ainda apontam que quanto maior é a comparação que a pessoa faça, mais intenso fica o desgosto e a pouca satisfação com a própria vida. A população de baixa renda é a que mais sofre, segundo as apurações. Os pobres comparam seus salários com os de pessoas de países mais ricos, que geralmente recebem mais. Especialistas afirmar que essas comparações podem causar insegurança nas pessoas.

Por Oscar Ariel

Fonte: BBC



SEFAZ SP aumenta salário de concurso público


É consenso que um dos maiores atrativos para realizar e passar em um concurso público é o salário. Pois a Secretaria do Estado de São Paulo (SEFAZ) aumentou o salário oferecido em seu concurso público, no cargo de técnico de apoio à arrecadação tributária, em 5%.

O salário passou de R$ 619 para R$ 682. Mas, o salário não é tão baixo assim, pois é complementado com o Prêmio de Incentivo à Qualidade, que pode chegar a R$ 1.950 mil.

As inscrições para esse concurso podem ser realizadas até as 14h do dia 13 de agosto pelo endereço eletrônico: www.concursosfcc.com.br. A avaliação para o concurso será através de prova objetiva, com duração de 4 horas.

Por Jeferson Vainer.



Salários Melhores é o que leva Brasieliro a mudar de emprego


Ser bem-sucedido é para uma fatia pequena da população, justificado por números relacionados à separação das classes sociais – grande número de pessoas ganha pouco e um número muito menor retém salários exorbitantes. Conquistar uma nova oportunidade sempre gera expectativa de melhorias, independente para qual casta se menciona.

Um estudo mundial divulgado pela Robert Half, pertencente ao segmento de recrutamento, indica que os brasileiros estão entre os mais exigentes do planeta no momento de pensar se continua, ou não, na atual companhia. De acordo com o Canal Executivo UOL, um dos pontos considerados pelos residentes no Brasil é a questão salarial, seguido de benefícios extras, horários flexíveis e treinamento (geralmente conferido em empresas de médio e grande porte).

A pesquisa assinala que os brasileiros também enxergam como conceito importante a possibilidade de crescimento dentro de empresas. Além disso, o levantamento apontou que em países como Alemanha, Espanha, França, Irlanda e Itália, a temática salarial é fator crucial e levado em grande consideração.

Quer obter mais informações a respeito da pesquisa? Acesse o UOL.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salários dos negros é metade do concedido aos brancos


O descobrimento do Brasil, pelos portugueses, gerou uma série de problemas históricos vigentes até hoje, principalmente questões raciais, em que, ao menos no campo de empregos, ser negro é enfrentar dificuldades, preconceitos e alvos de inveja. Longe de acabar, um estudo divulgado em 13 de maio, quinta-feira, indica mudança de conceitos na própria sociedade brasileira.

O portal dinheiro UOL relata que os consumidores negros e pardos poderão encerrar este ano com renda de R$ 546 bilhões, aproximadamente 40% dos R$ 1,38 trilhão estimado para todas as famílias do país. Em outros termos, indica o veículo de comunicação, de cada R$ 10 dispostos para gastos na nação, R$ 4 deverão estar em poder da mão de obra negra e parda.

O UOL chama atenção para uma curiosidade controversa no assunto. O salário dos negros, em geral, ainda é aproximadamente metade do concedido aos brancos.

Os jovens da atual época hão de estar vivos para observar as discrepâncias ideológicas sumirem da sociedade. Quinhentos anos não permitiram mudanças, mas quem sabe isso não venha a acontecer quando menos se espera?

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: UOL



Brasil precisa melhorar distribuição de renda da população


A Organização Internacional do Trabalho (OIT) avalia positivamente o sucesso conquistado pelo Brasil e seu governo em relação a esforços feitos durante a crise para impossibilitar a nação de sofrer grandes abalos em sua economia. Entretanto, a entidade pede que no atual momento o país se concentre em melhorar a distribuição de renda da população, pois há casos de pessoas que sobrevivem com apenas R$ 130 mensais.

Para a OIT, o grande desafio do país liderado por Luiz Inácio Lula da Silva será o de criar de ferramentas capazes de melhorar as condições dos trabalhadores, pois não basta somente a geração de empregos, é necessário permitir à população maior acesso a bens de consumo e garantias de seus direitos assistidos pela Constituição.

Em reportagem veiculada pelo portal de notícias G1, a entidade recomenda aos governos globais, paralelamente, manutenção dos pacotes de resgate à economia, no objetivo de frearem um possível salto nas taxas de desemprego que poderão vir a acontecer caso cuidados não sejam tomados.

Quer ler mais? Clique aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Baixos salários dos professores e a vergonhosa qualidade da educação brasileira


Em um recente relatório da UNESCO que avaliou a qualidade educacional em 128 países, o Brasil ficou na infame 88º posição. Cooperando para isso estão a falta de investimentos e os baixos salários dos professores. Só em 2009, 10 bilhões de reais deixaram de ser aplicados no FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) devido aos conflitos financeiros enfrentados pelo país.

No Paraná, os professores da rede estadual recebem míseros R$ 516,57 (em princípio de carreira, para uma jornada de 20 horas semanais). Não dá para desvincular os salários precários – que desmotivam os docentes – com a decadência na qualidade de ensino.

É imprescindível para o êxito da educação brasileira e o bem-estar dos professores que um piso salarial nacional seja implantado. A valorização que o nosso governo e sociedade derem (ou não) a esses profissionais implicará de forma intrínseca no futuro da educação estadual, e consequentemente no desenvolvimento da nação como um todo.

Fonte: www.nota10.com.br



Emprego no Comércio Varejista – Média salarial em São Paulo


O Estado de São Paulo tem se saído muito bem, desde o início do ano, quando o tema debatido é emprego formal. O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), noticiado recentemente pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), indica que o nível de postos de trabalho com carteira assinada, no varejo, cresceu 5,7% em fevereiro de 2010 ante o mês igual de 2009.

O percentual indica, pois, um acréscimo de três mil novas vagas no setor, figurando, agora, mais de 876 mil trabalhadores com carteira de trabalho devidamente assinada. Um dos ramos em que mais se notou rotatividade foi o de Calçados, Tecidos e Vestuário.

De acordo com o Canal Executivo do Portal UOL, o salário médio do comércio varejista, no mês passado, foi de R$ 1.366. As lojas de departamento são aquelas em que os funcionários recebem melhor remuneração, em média R$ 2.356. Por outro lado, lojas de eletroeletrônicos e eletrodomésticos oferecem aos seus empregados, também em média, R$ 1.865.

Clique aqui e confira outros salários e mais informações sobre esta matéria.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Brasil tem recorde em reajuste salarial dos trabalhadores


Segundo dados do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), em 2009 o Brasil apresentou o maior índice de reajustes salariais iguais ou acima da média da inflação, em comparação aos dados obtidos desde o ano de 1996.

Segundo os resultados, cerca de 80% ou mais dos trabalhadores conseguiram um reajuste salarial em 2009 com valor de no mínimo o obtido pela inflação, medida pelo IBGE. Atualmente tem-se uma inflação de cerca de 5% ao ano.

Os valores foram medidos para os salários brutos, sem levar em conta os demais benefícios. No resultado por setores, o único que apresentou desempenho negativo foi o industrial mas a redução foi pequena, de 88% para 85% de trabalhadores que tiveram reajustes maiores que o valor da inflação.



Lula comenta sobre salários dos funcionários do Banco do Brasil


Em mais um de seus discursos otimistas que exalta, sobretudo, o atual momento brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do país, afirmou há pouco, juntamente a Aldemir Bendine, presidente do Banco do Brasil, que o BB dissolveu o paradigma de que o Estado é ineficaz.

O Portal de Economia do Terra relata que Lula retornou o assunto de que a remuneração dos funcionários do banco estatal é baixa; em contrapartida, teceu comentários positivos em relação a Bendine. Segundo ele, embora essa realidade remunerativa não soe tão bem, o banco e seus trabalhadores obtiveram resultados além da expectativa e acima do que fora conquistado por quaisquer outras instituições brasileiras.

Reforçando suas palavras, Lula admira Bendine, pois mesmo com um salário três vezes inferior a inúmeros bancos privados, o presidente do Banco do Brasil conquistou um bom ambiente no mundo dos negócios, visto que o BB tem por função ser a referência da economia brasileira.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Correto desconto do INSS no Salário


Trabalhadores registrados em carteira, avulsos e empregados domésticos, podem verificar a correta quantia que deve ser descontada de seus rendimentos pelo empregador no site www.mpas.gov.br.

O portal da Previdência Social detalha qual a correta porcentagem de desconto do INSS de acordo com faixa salarial de cada empregado.

Desde de 2008, as alíquotas do INSS (Previdência Social) permanecem as mesmas, o que variou foi o valor dos salários a que se aplicam. Atualmente, para salários de até R$ 911,70 o valor para recolhimento do INSS é de 8%. Acima deste valor até R$1.519,50 o desconto deve ser de 9%. Já para quem ganha de R$ 1.519,51 até R$ 3.038,99 o desconto de INSS deve ser de 11% ao mês.

Karina Gonçalves



Aumento Salarial – Como pedir aumento para o seu chefe


O salário está relacionado intimamente ao padrão de vida da pessoa, portanto o ideal é ter um salário condizente com a projeção pessoal. No entanto não é fácil decidir como negociar um salário melhor.

O conselho dos especialistas é fazer uma análise de como o salário é ‘pensado’. É por produção? É por comparação? Está atrelado à metas? Averiguar de onde vem o salário ajuda-a a ter uma visão ampla se algo deve ser melhorado.

Mas e quando o salário é fixo? Primeiramente certifique-se de que é autosuficiente e faz seu trabalho em sua totalidade. Faça uma análise honestamente de sua visão em relação ao futuro da empresa e em que você está contribuindo para ele.

Depois de rever seus cálculos considerando projetos pessoais futuros, exponha ao seu superior o que você pensa sobre seu trabalho, as melhorias que podem ser feitas, suas expectativas quanto ao futuro, se lhe foram ofertadas novas propostas. Não hesite em falar no valor pretendido, pode apostar: patrão aprecia quem tem projeções pessoais.



Valor Salário Mínimo Professores 2010 – Reajuste


O Governo reajustou hoje (30 de dezembro) o valor dos salários para os Professores para o ano de 2010.

O novo mínimo para professores da rede pública teve um aumento de 7,86% e agora passará a ser de pelo menos R$1.024,67 (valor para 40 horas semanais).

O cálculo do novo salário dos professores foi realizado de acordo com o reajuste do Fundeb (tendo como base o valor de 2008).

Segundo o Ministério da Educação, a média salarial dos professores atualmente é de R$1.527,00 (aproximadamente R$600,00 a mais do que a média nacional). Apesar disso, em vários estados, o valor recebido pelos professores ainda era inferior a esta média.



Novo Valor Salário Mínimo 2010 – R$510,00


O Presidente Luís Inácio Lula da Silva, junto com o Ministro do Planejamento (Paulo Bernardo) definiram neste final de tarde de terça-feira, 22/12/2009, o novo valor do salário Mínimo.

O novo salário, que passa a valer a partir do mês de janeiro de 2010 (recebimento em fevereiro) é de R$510,00.

Apesar da proposta inicial de aumento do salário fosse para R$507,00, Lula e Bernardo decidiram aumentar para R$510,00 até para facilitar a vida dos aposentados na hora do saque do benefício.

Este novo valor do benefício custará ao governo cerca de 4,6 bilhões a mais nas contas da Previdência.



Seu Salário está defasado? Veja como anda Mercado de Trabalho


Um grande defeito da maioria dos empregados de hoje em dia é a falta de procura de vagas enquanto trabalhando normalmente em uma empresa.

Quando ficamos muito tempo em uma empresa, é comum ficarmos defasados em relação às competências, salários, responsabilidades e cargas horárias para a mesma função em empresas concorrentes.

Mesmo que a empresa atue em outro ramo, mas possui em seu quadro a mesma função, é importante ficar antenado e saber como anda o mercado.

Uma forma de saber se a remuneração é condizente com o mercado é o site www.bne.com.br/pesq_salario onde podemos pesquisar a média salarial oferecida pelas empresas de acordo com o perfil pesquisado.

Por José Alberi Fortes Junior.



Quando o Salário prejudica o seu Emprego


Atualmente, vários problemas do dia-a-dia podem afetar o rendimento no trabalho. Porém, um dos mais agravantes é a dificuldade financeira.

Saber administrar o salário é uma tarefa difícil que vem tentando ser desvendada há décadas. Mas quando esse problema começa a afetar o ambiente de trabalho poderá prejudicar significativamente os resultados do funcionário.

Além disso, essa dificuldade acarreta também em desmotivação, mau-humor, falta de interesse, falta de concentração e desvio de foco. Sendo assim, um funcionário que passa por esse obstáculo prejudica a si, aos colegas e principalmente a empresa.

Administrar os custos e lucros é a principal forma de evitar essa dificuldade.

Por José Alberi Fortes Junior



Autônomos possuem dificuldades em Comprovar Renda


A dificuldade em apresentar comprovantes de rendas aceitáveis para instituições bancárias causam um grande transtorno para empregados autônomos ou independentes.

Por isso muitas pessoas aceitam ganhar ou receber menos em regime de CLT, ou seja, com carteira assinada e comprovante de renda reconhecido.

O credito é maior para quem consegue comprovante, e isso também facilita ao credor a facilidade de confirmação.

A segurança para quem empresta dinheiro financia bens ou faz qualquer movimentação bancaria também é algo para se analisar, afinal autônomos não mostram a mesma segurança e estabilidade de alguém com registro trabalhista.

Por José Alberi Fortes Junior



Eike Batista é o homem mais Rico do Brasil segundo pesquisa


Para quem imaginava que seria Antônio Hermínio de Morais, se surpreendeu em levantamento feito que o homem mais rico do Brasil é Eike Batista.

Agora vivendo em São Paulo, Eike fez muito de sua fortuna morando no Rio de Janeiro. Mineiro radicado no Rio, Eike foi durante muito tempo, e ainda hoje, mais conhecido como o ex-marido de Luma de Oliveira do que propriamente pelo seu desempenho como empresário.

Dono de várias empresas que lidam com minério e extração de petróleo, o mineiro conseguiu multiplicar e muito a fortuna de seu pai, que já era muito rico em Minas Gerais.

Por José Alberi Fortes Junior



Empregos: Benefícios muitas vezes valem como Salário


Algumas oportunidades de emprego são descartadas somente pela falta de benefícios oferecidos. Essas pessoas fazem uma conta bem básica quando analisam os valores dos vencimentos.

Analisando duas ofertas: A primeira oferece um salário de R$ 1.500,00 com direito a vale transporte. A segunda tem um salário de 900,00, Vale Transporte, bolsa auxílio de R$ 300,00, participação nos lucros, auxílio creche e plano de saúde.

Se formos colocar no papel e na calculadora, o valor agregado dos benefícios da segunda opção soma mais que o salário nominal maior que a primeira. Mas antes de concluirmos qual a melhor e mais vantajosa, devemos avaliar a condição do funcionário, pois se ele for jovem e já ser sustentado pelos pais, o maior salário é mais vantajoso.

Por José Alberi Fortes Junior



Greve Bancária e os impactos sobre a população brasileira


Sempre que questionamos greves surgem argumentos que são favoráveis e contras, portanto para que se possa tomar uma posição de apoio ou desfavorável, é preciso verificar o quanto o movimento impacta o dia-a-dia da população.

Todos que precisam dos serviços bancários, correntistas ou não, sofrem com a greve, que por muitos são criticadas. O salário e as reivindicações, para a maioria da população, demonstra apenas um sentimento de individualismo dos bancários.

Eles já possuem remuneração e benefícios acima do mercado, e carga de trabalho, normalmente, de 6 horas. Mas, independentemente das razões, o direito de um vai até onde interfere no direito do outro, ou seja, o correntista tem as taxas cobradas mas não pode usar os serviços em épocas de greve.

Por José Alberi Fortes Junior



Maior Salário pode não representar maiores ganhos – Avalie os benefícios


Em algumas etapas da vida profissional nos deparamos com diversas oportunidades que são muito diferentes entre si. Se diferenciam no salário, nos benefícios, nas responsabilidades, na jornada de trabalho e no tamanho da empresa.

Para que uma escolha seja correta ou com menos risco, deve-se estudar com calma e com muito estudo da vaga. Verificar se existe possibilidade de crescimento, procurar referências (semelhante à pesquisa que a empresa faz com o funcionário), consultar conhecidos e pesquisar na internet informações de funcionários e ex-funcionários para que você possa escolher de forma segura e com pequena margem de erro.

Verificar o pacote de benefícios para o funcionário e para os familiares também deve ser levado em conta, pois em alguns casos o maior salário não representa o maior ganho, por exemplo, uma pessoa que ganha R$ 1.000,00 de salário sem benefícios, ganha menos que uma pessoa que recebe R$ 800,00 de salário, R$ 250,00 de vale alimentação, mais vale transporte e ainda plano de saúde.

Por José Alberi Fortes Junior