Atualizações anteriores



Salário Mínimo Santa Catarina 2011 – Valor do Piso Salarial


Dando sequência a nossa série de matérias sobre as faixas salariais entre vários estados do Brasil, agora vamos falar sobre Santa Catarina. E temos novidades. Pois no dia 01 de março de 2011, foi aprovado na Assembleia Legislativa do estado que irá acontecer um reajuste de 07% no salário mínimo da região. O acordo firmado entre trabalhadores, empresários e também o governo do Estado, agora faz a faixa salarial passar de R$ 630 para o valor de R$ 730.

Agora vamos falar dos pisos salariais de algumas atividades especificas. Em Santa Catarina a divisão é feita por faixas, e na primeira delas encontramos trabalhadores como motoboys, empresas de pesca e aquicultura; também trabalhadores da agropecuária, turismo, construção civil, empregados domésticos, entre outros. Para tais funções a base salarial que era de R$ 587 passa a ser de R$ 630.

Na segunda faixa de salários, os quais tinham valores de R$ 616 e passaram a ter R$ 660, agregam os seguintes trabalhadores das indústrias de: fiação de tecelagem, vestuário e calçado, artefatos e couro, papelão, papel e cortiça, distribuidoras e vendedoras e empresas de administração de jornais. Passando para a próxima faixa salarial, vamos encontrar as atividades em indústrias de alimentação, cinematográficas, agentes autônomos, farmacêuticos, comércio em geral; que recebem um valor atual de R$ 695.

Na última faixa, o valor praticado anteriormente era de R$ 679, agora passará para vencimentos de R$ 730. Neste grupo estão trabalhadores atuantes de indústrias gráficas, de porcelana, de borracha, de joalheria, de condomínios residenciais, de metalúrgicas, materiais elétricos, entre outros. 

Por Oscar Ariel 



Salário Mínimo Paraná 2011 – Valor do Piso Salarial


Antes de qualquer pessoa entrar em alguma profissão, são vistas as características, a área de atuação, como são as vagas no mercado de trabalho e também, obviamente, como é a faixa do piso salarial para a sua função.

Começamos uma série de matérias que abordam os valores praticados em vários estados brasileiros. Agora vamos falar sobre os numerários no estado do Paraná. Segundo a lei estadual de número 16.470, do dia 30 de março de 2010, os pisos salariais ficaram divididos em quatro grupos.

No grupo 1, estão aqueles, cujos suas atividades estão ligadas à agropecuária, pesca e florestais. As pessoas que trabalham neste conjunto de atividades recebem o valor de R$ 663. No próximo agrupamento de atividades se encontram trabalhadores de serviços administrativos, vendedores, pessoas que atuam em manutenção e reparação, podem contar com uma faixa salarial no valor de R$ 688,50.

Seguindo em frente vamos nos deparar com pessoas que tem o piso fixado no valor de R$ 714, são eles os trabalhadores que têm atividades ligadas à produção de bens e serviços industriais. Por fim, encontramos valores para técnicos de nível médio, sendo o praticado para tais profissionais o valor de R$ 765. Estes números são válidos desde o dia 01 de maio de 2010, data de quando a lei entrou em vigor.

Segundo a Força Sindical do estado, a ideia é para que esse ano aconteça um reajuste de 10% nos valores. Porém, segundo o atual governador do Estado, Beto Richa, a meta é manter o equilíbrio.  Com isso, ainda não se tem definições do índice de reajuste salarial. 



Salário Mínimo Rio de Janeiro 2011 – Valor do Piso Salarial


Muitas pessoas quando estão à procura de um emprego  sempre querem ficar por dentro de quanto é o piso salarial da sua função.  Pois bem, vamos aqui dar o início a uma série de matérias que contemplarão vários estados brasileiros sobre a faixa salarial entre algumas funções.

Primeiramente iremos abordar o estado do Rio de Janeiro. Na localidade a faixa salarial pode variar entre os valores de R$ 553,31 e R$ 1.484,58.

Agora ficaremos sabendo as funções e os seus vencimentos propriamente ditos. Quem recebe o valor de R$ 553,31, são trabalhadores de áreas agropecuárias e também florestais.

Caso esteja em cargos como empregado doméstico, trabalhe com manutenção, auxiliar de serviços gerais e afins, terá uma base salarial de R$ 581,88.

Na faixa dos R$ 603,31 até o valor de R$ 665,77, estão as pessoas que atuam em serviços administrativos, operadores de caixa, vendedores, fiscais, despachantes, cobradores de transporte, administradores, telefonistas, datilógrafos , contadores, entre outros.

Caso você tenha atuação em áreas como contabilidade de nível técnico, telecomunicações ou atue como professor de ensino fundamental, advogados, arquivista, contador, entre outras funções, poderão receber vencimentos que ficam entre o valor de R$ 782,93 até R$ 1.484,58.

Outra informação importante é que nesta primeira semana de março entrou em vigor a lei que reajusta o salário mínimo para o valor de R$ 545. O governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, afirmou que vai manter o índice de reajuste que foi estabelecido pela nossa presidente Dilma Rousseff.

Para conferir todas as informações sobre as funções e as faixas salariais, clique aqui.



Reajuste do Salário Mínimo Regional


As discussões sobre o reajuste do salário mínimo alcançaram grandes proporções. Após muitas delongas, foi definido que o valor de R$ 545, inicialmente endossado pelo governo, se mantém. Alguns estados, diferentemente, debatem valores diferenciados, com mínimo de R$ 553,31, encabeçado pelo Rio de Janeiro, e máximo de R$ 640, pelo Ceará.

De acordo com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), apesar de alguns estados seguirem essa ideia, os municípios precisam obedecer a lei vigente e o valor acordado pelo Congresso.

A CNM assinala que após ter sondado todas as unidades federativas, apenas Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraná e Ceará possuem a lei que regulamenta sobre mínimo regional.

De acordo com Paulo Ziulkoski, presidente da confederação, as leis em cada local são diferentes. Em São Paulo e Rio Grande do Sul, os salários regionais abrangem servidores estaduais e categorias profissionais, enquanto no Ceará apenas servidores públicos estaduais.

Infelizmente, o valor de R$ 545 não atende às reais necessidades dos trabalhadores. O Brasil ainda possui muitas deficiências e altos gastos, além do famigerado rombo da Previdência. A metodologia de avanço do mínimo é coerente, mas o valor insuficiente.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo de R$545,00 é aprovado


A Câmara dos Deputados derrubou as emendas da oposição de R$600,00 e também a de R$560,00 para o salário mínimo. Sendo assim, por enquanto, o novo salário será o proposto pelo governo, R$545,00. Agora, a emenda vai para o Senado. Para o cálculo do benefício, conta-se a inflação acumulada no ano anterior e a variação do PIB dos dois últimos.

A lei do salário mínimo foi promulgada por Getúlio Vargas na década de 30 e seu objetivo era trazer o poder de compra ao trabalhador, que garantiria sua sobrevivência e a de sua família. No entanto, o salário foi perdendo seu valor devido à inflação e é difícil para o empregado manter suas necessidades mensais como alimentação, vestuário, educação e moradia com apenas esse valor. 

Por Flávia Yoshitani



O Salário Mínimo, o Governo e os Trabalhadores


O Governo da Presidente Dilma Rousseff está apenas no início, porém, hoje trava uma batalha que pode dizer a população como será sua política pelos próximos 4 (quatro) anos a frente do Governo do Brasil em relação ao salário mínimo.

A própria Presidente entrou de “escudo e espada em punhos” para a aprovação do valor desejado pelo Governo (R$545,00), inclusive chantageando os partidos que forem contra sua proposta, ameaçando-os de ficarem de fora da composição dos cargos para o Governo.

Como podemos chamar isso de Democracia? Me parece aquele velho ditado: “Manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

O PT (partido que diz ter sua base em prol dos trabalhadores) é contra um aumento salarial maior, mas não consegue explicar (inclusive a Presidente Dilma Rousseff), porque não batalharam com este afinco quando a votação era para o aumento dos próprios Deputados, Senadores, Ministros, entre outros e a própria Presidente para mais de R$26.000.00?

Afinal de contas, o salário mínimo é tão responsável assim pelo aumento de custos do Governo? Ou será o bode expiatório para a explicação dos altos gastos que este Governo possui com propagandas e seus próprios salários, que digam de passagem, não recebem apenas R$545,00?

Lanço um desafio à nossa “Presidenta” Dilma Rousseff, viva por pelo menos 2 (dois) meses com o salário de R$545,00, aí depois responda à população se existe a mínima condição sobrevivência, ou teremos que nos transformar em mágicos?

Por Henrique Pereira



Reajuste do Salário Mínimo – Reunião entre o Governo Federal e Centrais Sindicais


O debate sobre o reajuste do salário mínimo continua em aberto. Reunião entre governo federal e centrais sindicais, ocorrido na sexta-feira (4 de fevereiro), terminou sem novidades. Enquanto o primeiro interessado endossa valor de R$ 545, os demais, por outro lado, almejam avanço para R$ 580, ainda abaixo do prometido por José Serra, ex-candidato à presidência da República, na época da última campanha eleitoral.

A reunião, realizada em São Paulo, contou com representantes de inúmeros ministérios, como é o caso de Carlos Lupi, do Trabalho e Emprego, Guido Mantega, da Fazenda, e Gilberto Carvalho, da Secretaria Especial da Presidência. Ricardo Patah, presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT), ressalta que as centrais sindicais vão fazer uso de todos os mecanismos legais e cabíveis para assegurar aos trabalhadores e aposentados seus direitos. Caso não se chegue a um consenso, assevera, o debate será encaminhado ao Congresso Nacional.

Paulinho da Força, deputado federal e presidente da Força Sindical, afirma que os dirigentes estão inquietados com o início dos trabalhos do governo de Dilma Rousseff. Em contrapartida, Mantega assinala que o governo não possui sobras para elevar o mínimo além de R$ 545.

Quanto mais tempo for levado para se chegar num consenso, mais o governo consegue manter as diretrizes decretadas há poucas semanas. Se algum aumento for concedido, possivelmente não chegará muito além do já acordado.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Maxpress



Novo valor do Salário Mínimo desagrada sindicalistas


O reajuste do salário mínimo ganha novos capítulos quase todos os dias. Recentemente, o governo brasileiro elevou o valor anterior, de R$ 540, para R$ 545, situação que desagradou as centrais sindicais (almejam R$ 580).

Segundo Paulo Pereira da Silva, deputado e presidente da Força Sindical, Gilberto Carvalho, escolhido para dialogar com os movimentos sociais, deve receber as centrais sindicais para debates na próxima semana, em Brasília.

Paulinho da Força, como é mais conhecido, criticou em várias oportunidades o posicionamento adotado pelo governo de Dilma Rousseff, sob a argumentação de que durante o mandato de Luiz Inácio Lula da Silva o planalto estava sempre disposto a negociar com os movimentos sindicais.

Com essa informação, é correto afirmar que o governo ganha um pouco mais de tempo para refletir sobre o assunto. Alguns economistas também defendem o reajuste para R$ 545.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: G1



Reajuste do Salário Mínimo – Aguardando a aprovação de Lula


A aguardada reunião para o debate sobre o reajuste do salário do mínimo, atualmente em R$ 510, ocorreu na tarde da última quinta-feira, 18 de novembro. Durante os últimos dias as centrais sindicais assinalaram intenção de cobrar do governo aumento real, para R$ 580, superior em R$ 40 ao endossado por Paulo Bernardo, ministro do Planejamento.

Apesar de se mostrar irredutível, Bernardo assegura que o governo brasileiro tem feito as devidas contas e que a deliberação final ficará a cargo de Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, depois de sondada a opinião de sua sucessora, a ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff.

O sistema atual para reajuste do mínimo ocorre a partir da variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes e da inflação do ano anterior. O que tem deixado as centrais sindicais com a orelha em pé é que a economia brasileira apresentou retração de -0,2% em 2009, bem diferente das perspectivas de avanço para 2010, algo no nível de 7,5% segundo cálculos do Banco Central.

Se o sistema vigente prevalecer, de acordo com o portal de notícias G1, o reajuste ao mínimo seria de aproximadamente 5%, resultando, portanto, em R$ 540 (valor arredondado). No intuito de argumentar alta para R$ 580, Artur Henrique da Silva, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), ressalta que a ampla maioria das categorias conseguiu reajuste acima da inflação.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo – Previsões de Luiz Dulci para o Reajuste em 2011


Debater reajuste para o salário mínimo, atualmente em R$ 510, poderá ser uma tarefa árdua entre os envolvidos. As centrais sindicais almejam alta para R$ 580, mas o governo pleiteia valor próximo de R$ 540. O cálculo utilizado nos dias atuais tem por base a inflação acumulada de 12 meses mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

Para Luiz Dulci, ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, o valor de R$ 540 sugerido pelo poder Executivo poderá ser ultrapassado, porém, caso a legislação atual citada no primeiro parágrafo seja seguida, o Ministério do Planejamento avalia que o ajuste deveria abranger alta de 5,3%, portanto para R$ 536,88.

Em entrevista concedida a um programa de rádio, Dulci pondera que o espírito da política é que em cada ano exista um reajuste para conferir aumento real, sem, no entanto, haver atos irresponsáveis.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Terra



Salário Mínimo de R$ 540, segundo Paulo Bernardo


O ministro do Planejamento Paulo Bernardo divulgou a projeção para o crescimento econômico deste ano de 6,5% para 7,5%. Durante a audiência na Comissão Mista de Orçamento, que aconteceu nessa terça-feira (16), Bernardo também divulgou uma redução na projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), de 5,5% para 5,3%.

A redução do INPC fez com que o salário mínimo caísse de R$ 538,15 para R$ 536,88. O reajuste é calculado de acordo com a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes somado ao INPC acumulado. O ministro fez a proposta de arredondar o salário mínimo para R$ 540. Ele destacou também que valores acima do estipulado pelo ministério dependeriam da política.

Fonte: Folha de S. Paulo

Por Luana Costa



Reajuste do Salário Mínimo de 2011 – R$ 580 ou R$ 540?


O debate para o reajuste do salário mínimo de 2011 possui vastas bifurcações de ideias. As centrais sindicais almejam aumento do atual valor (R$ 510) para R$ 580, enquanto outros, tais como Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, projetam incremento para R$ 538, montante a ser arredondado para R$ 540.

Aliás, Bernardo endossou, novamente, a utilização do sistema de reajuste atual, calculado a partir da inflação acumulada de 12 meses mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. Mesmo assim, afirma que o governo está acessível a negociações juntamente às classes representantes da ala trabalhadora e ratificando citações ditas ainda nesta semana, acredita que se um reajuste superior a R$ 540 for seguido, poderá o ser por questões políticas.

Em matéria relacionada pelo portal de notícias G1 o ministro assegura que tem debatido com as centrais sindicais questões sobre o reajuste e o sistema em vigência e que todas elas acreditam ser necessário nutrir o critério atual.

Para 2011, segundo Bernardo, o reajuste será calculado com sustentação somente na inflação de 2010, índice pouco acima de cinco pontos percentuais. O ano de 2009, ocasião na qual a crise financeira global se fazia presente, foi complicado, mas a promessa, alega, cumprida.

Por Luiz Felipe T. Erdei