Atualizações anteriores



Salário Mínimo nos EUA – Valor está congelado há 5 anos


Proposta de Reajuste no salário mínimo nos Estados Unidos volta a ser debatida pelos especialistas. Valor do salário mínimo é o mesmo há 5 anos.

Há mais de 5 anos que o salário mínimo nos Estados Unidos está congelado, sendo que lá o valor é de US$ 7,25 por hora. E depois de tanto tempo sem reajuste, a população começa a se mobilizar reivindicando um aumento de salário, o que de acordo com vários especialistas, seria até uma forma de ajudar a melhorar a economia do país.

Em abril do ano passado, foi levado ao senado uma proposta de elevar o valor do salário mínimo nos Estados Unidos para US$ 10,10 por hora, porém, a proposta foi rejeitada e no restante do ano não se voltou a falar mais no assunto, porém, agora este ano começa a fortalecer novamente o movimento para um reajuste do salário mínimo por lá.

Mas a questão do aumento do salário nos Estados Unidos não seria apenas uma forma de melhorar a economia, mas também de melhorar a imagem do presidente Barack Obama, pois uma pesquisa realizada recentemente mostrou que para boa parte da população, principalmente a classe mais pobre, Barack Obama é o pior presidente desde a segunda guerra mundial.

Mas há alguns especialistas que olham para esta questão com um certo receio, pois se no ano passado, quando a economia dos Estados Unidos estava ruim, não foi aprovado um aumento para o salário, o que dizer agora então, quando a economia americana começa a dar sinais de melhora.

Em 2013, a economia dos Estados Unidos cresceu muito pouco, assim como no ano passado. Outro problema enfrentado por lá nos dois últimos anos foi o crescente número de seguro desemprego e o fato de que os empregos gerados eram de baixa qualidade.

A "curva de crescimento dos salários" se comparada com a "curva de crescimento dos lucros" apresenta-se como a mais baixa de toda a história americana.

Um grande número de pessoas que ainda estão na idade de trabalhar dependem do vale-refeição do Governo para terem uma alimentação mínima. Se esta ajuda foi criada para crianças e idosos, hoje ajuda a sustentar um bom número de trabalhadores desempregados.

Isto complica ainda mais o cenário, pois para um grupo de políticos, não se trata apenas de aumentar salário, mas principalmente, gerar novos empregos e que estes sejam de qualidade. Este debate gera uma expectativa de que o salário mínimo nos Estados Unidos continuará congelado, ao menos por mais alguns meses, ou pior, volte a ser novamente debatido somente no próximo ano.

Por Russel



Salário mínimo do brasileiro deveria ser de R$ 2617,33


Todos sabem que o valor do salário mínimo brasileiro mal dá para o trabalhador se manter e sustentar a sua família e, para comprovar isso, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sociorconômicos (Dieese) fez uma pesquisa que constatou que o valor do salário mínimo do trabalhador brasileiro deveria ser de R$ 2.617,33, ou seja, 4,21 vezes maior do que o valor do salário mínimo atual, que é de R$ 622,00. 

Este valor foi estimado baseando-se na constituição brasileira, no preceito de que o salário mínimo deva ser suficeinte para suprir os gastos do trabalhador e de sua família com alimentaçção, moradia, educação, saúde, transporte, vestuário, higiene, lazer e previdência social. 

No ano passado o valor estimado para o salário mínimo era de R$2.329,94, ou seja, 4,28 vezes maior do que o piso vigente na época, que era de R$545.

De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, o trabalhador precisa trabalhar, em média, 95 horas e um minuto para conseguir comprar produtos alimentícios essenciais presentes na cesta básica. No ano passado esta jornada era de 94 horas e quatro minutos.

O Dieese apontou ainda que o trabalhador brasileiro comprometeu, no mês de outubro deste ano, 46,95% do seu salário com a compra de produtos da cesta básica. No ano passado este percentual foi de 46,48%, para a compra dos mesmos produtos.



Reajuste do Piso Salarial dos Professores em 22,22%


Foi divulgado na tarde desta segunda-feira (27) pelo Ministério da Educação, o reajuste para o piso salarial dos professores em 22,22%.

O valor da remuneração passa a ser agora de R$ 1.451 para um professor de ensino médio com jornada de trabalho estipulada em 40 horas por semana.

Tal medida é retroativa para o primeiro dia de janeiro de 2012.

De acordo com detalhes do MEC, a correção no salário dos docentes é refletida na variação do valor anual mínimo por aluno que foi definido em âmbito nacional no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) do ano de 2011, fazendo uma comparação com o valor apresentado em 2010.

No ano passado o piso aplicado ficou no valor de R$ 1.187. Já em 2010, o a remuneração era de R$ 1,024. Os estados e municípios são obrigados em aplicar o piso de acordo com a lei federal número 11,738, de 16 de junho de 2008.

Algumas das regiões brasileiras podem alegar não possuir verbas suficientes para o pagamento do reajuste, acessando assim recursos federais para a complementação da folha de pagamento.

Porém, desde a regulamentação de 2008, nenhum estado ou município conseguiu receber os recursos, pois o MEC não comprovou a falta de verbas para tal.



Novo Piso Salarial para Professores 2011


Foi divulgado nesta quinta-feira (24) pelo Ministério da Educação, que o novo piso nacional para professores terá um reajuste de 15,9%. Com este reajuste o valor passa de R$ 1.024,67 para R$ 1.187,97.

De acordo com está lei, nenhum professor de nível médio, com carga horária de 40 horas semanais poderá receber menos que este valor.

O MEC aproveitou e divulgou os critérios para que Estados e Municípios possam cumprir o novo piso do magistério.

O novo piso salarial é assegurado pela Constituição Federal e deve ser respeitado em todo o território nacional, em todas as redes públicas e privadas.

Um exemplo da falta de responsabilidade e não aplicação da lei, é a cidade de Torixoreu (Mato Grosso) onde o professor sem curso superior com carga horária de 30 horas semanais recebe o piso de R$ 415,00, ou seja, menos do que o salário mínimo nacional.

Por Henrique Pereira



Reajuste do Salário Mínimo Regional


As discussões sobre o reajuste do salário mínimo alcançaram grandes proporções. Após muitas delongas, foi definido que o valor de R$ 545, inicialmente endossado pelo governo, se mantém. Alguns estados, diferentemente, debatem valores diferenciados, com mínimo de R$ 553,31, encabeçado pelo Rio de Janeiro, e máximo de R$ 640, pelo Ceará.

De acordo com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), apesar de alguns estados seguirem essa ideia, os municípios precisam obedecer a lei vigente e o valor acordado pelo Congresso.

A CNM assinala que após ter sondado todas as unidades federativas, apenas Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraná e Ceará possuem a lei que regulamenta sobre mínimo regional.

De acordo com Paulo Ziulkoski, presidente da confederação, as leis em cada local são diferentes. Em São Paulo e Rio Grande do Sul, os salários regionais abrangem servidores estaduais e categorias profissionais, enquanto no Ceará apenas servidores públicos estaduais.

Infelizmente, o valor de R$ 545 não atende às reais necessidades dos trabalhadores. O Brasil ainda possui muitas deficiências e altos gastos, além do famigerado rombo da Previdência. A metodologia de avanço do mínimo é coerente, mas o valor insuficiente.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do Salário Mínimo – PT defende política de longo prazo


O reajuste do salário mínimo já virou um dilema. O governo brasileiro anunciou, há algumas semanas, alta para R$ 545, muito aquém das expectativas aguardadas e defendidas pelas centrais sindicais, que pleiteiam aumento para R$ 580 de modo a garantir maior poder de compra aos brasileiros, estimulando, assim, a economia.

Em reunião realizada no dia 10 de fevereiro, o Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) endossou a manutenção do acerto realizado com as centrais sindicais para progresso de valor do mínimo, porém num prazo mais amplo com base nas diretrizes atuais (reajuste em função da inflação acumulada dos últimos 12 meses mais a variação do PIB de dois anos antes).

O relatório do encontro, em conhecimento da imprensa, também agregou diretrizes sobre a reforma do sistema político, citando não apenas melhorias no âmbito eleitoral, mas no próprio fortalecimento da democracia.

O PT, obviamente, acredita ser a principal base de apoio da ex-ministra-chefe da Casa Civil, mas ao mesmo tempo quer estabelecer ligação com a sociedade no intuito de atender as necessidades dos trabalhadores.

Resta saber como o partido conseguirá conduzir as medidas adotadas pelo governo e os pedidos da sociedade. Na verdade, a oposição precisa entrar nesse diálogo, não para depreciar as iniciativas, mas para atuar como agente fiscalizador.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Agência Brasil



Reajuste do Salário Mínimo – Reunião entre o Governo Federal e Centrais Sindicais


O debate sobre o reajuste do salário mínimo continua em aberto. Reunião entre governo federal e centrais sindicais, ocorrido na sexta-feira (4 de fevereiro), terminou sem novidades. Enquanto o primeiro interessado endossa valor de R$ 545, os demais, por outro lado, almejam avanço para R$ 580, ainda abaixo do prometido por José Serra, ex-candidato à presidência da República, na época da última campanha eleitoral.

A reunião, realizada em São Paulo, contou com representantes de inúmeros ministérios, como é o caso de Carlos Lupi, do Trabalho e Emprego, Guido Mantega, da Fazenda, e Gilberto Carvalho, da Secretaria Especial da Presidência. Ricardo Patah, presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT), ressalta que as centrais sindicais vão fazer uso de todos os mecanismos legais e cabíveis para assegurar aos trabalhadores e aposentados seus direitos. Caso não se chegue a um consenso, assevera, o debate será encaminhado ao Congresso Nacional.

Paulinho da Força, deputado federal e presidente da Força Sindical, afirma que os dirigentes estão inquietados com o início dos trabalhos do governo de Dilma Rousseff. Em contrapartida, Mantega assinala que o governo não possui sobras para elevar o mínimo além de R$ 545.

Quanto mais tempo for levado para se chegar num consenso, mais o governo consegue manter as diretrizes decretadas há poucas semanas. Se algum aumento for concedido, possivelmente não chegará muito além do já acordado.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Maxpress



Reajuste do Salário Mínimo – MP visa Novos Valores para 2011


Os longos debates em torno do salário mínimo parecem estar distantes de uma definição que agrade a todos os envolvidos. Centrais sindicais almejam reajuste para R$ 580, mas o governo tenta nutrir alta para R$ 540. Entretanto, um acerto pode comportar incremento além desse valor por meio de cortes no Orçamento 2011.

Artigo veiculado pela Band Online assinala que os reajustes a mais ficariam à mercê de Medida Provisória (MP) que poderá ser editada nos próximos dias para assegurar novo valor, em torno de R$ 560 – com vigência para e a partir de janeiro próximo. Os recursos ao intento adviriam de uma reserva estimada em R$ 6,6 bilhões, dos quais R$ 3 bilhões cominados por Serys Slhessarenko, senadora e relatora do Orçamento.

Caso a proposta padrão do Orçamento seja acatada, os trabalhadores terão reajuste para R$ 540 e os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), avanço de 5,5%. Nesse último caso, se a reserva for utilizada e a MP votada, haverá aumento de 7,5%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do Salário Mínimo em 2011 – Valores


O tão esperado aumento no salário mínimo do trabalhador já foi anunciado para o ano de 2011. O salário que atualmente é de R$510 aumentará 8% e chegará a R$540.

O valor não chega a ser uma novidade, pois esta já era a proposta que havia sido anunciada neste ano de 2010. Devido o aumento no salário haverá um investimento no montante de 171 bilhões na área. Os cortes de pessoal e investimentos que preocupava muito; e que devem acontecer para viabilizar o aumento.

Isto que trata-se apenas de um aumento de 8%, imaginem só se fosse o aumento para R$600 que o candidato José Serra jurou que ocorreria em seu mandato.

Por Teresa Almeida

Fonte: Folha de São Paulo



Decisões sobre o Reajuste do Salário Mínimo – Lula e Dilma Rousseff


O debate em torno do reajuste do salário mínimo poderá ser definido em breve. Os últimos encontros de lideranças do governo com centrais sindicais assinalam que o valor atual, de R$ 510, poderá chegar a R$ 540, abaixo do pretendido pelos sindicatos (R$ 580). Caberá à presidente eleita, Dilma Rousseff, e Luiz Inácio Lula da Silva a definitiva demarcação.

Gim Argello, relator da proposta de orçamento da União para o ano que vem, espera uma indicação do governo para realizar, caso sejam necessárias, alterações para tornar o reajuste viável. Segundo a Band Online, as lideranças da base aliada, participantes das negociações com as já citadas centrais sindicais, asseguram que existe possibilidade para o salário mínimo alcançar R$ 550.

Se assim for feito, algumas diretrizes do relatório de Argello terão de ser remarcadas, pois a diferença entre a proposta do governo e a da base aliada abarca R$ 3 bilhões.

Portanto, para viabilizar essa pretensão, uma Medida Provisória (MP) precisará ser assinada.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo – Previsões de Luiz Dulci para o Reajuste em 2011


Debater reajuste para o salário mínimo, atualmente em R$ 510, poderá ser uma tarefa árdua entre os envolvidos. As centrais sindicais almejam alta para R$ 580, mas o governo pleiteia valor próximo de R$ 540. O cálculo utilizado nos dias atuais tem por base a inflação acumulada de 12 meses mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

Para Luiz Dulci, ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, o valor de R$ 540 sugerido pelo poder Executivo poderá ser ultrapassado, porém, caso a legislação atual citada no primeiro parágrafo seja seguida, o Ministério do Planejamento avalia que o ajuste deveria abranger alta de 5,3%, portanto para R$ 536,88.

Em entrevista concedida a um programa de rádio, Dulci pondera que o espírito da política é que em cada ano exista um reajuste para conferir aumento real, sem, no entanto, haver atos irresponsáveis.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Terra



Reajuste do Salário Mínimo de 2011 – R$ 580 ou R$ 540?


O debate para o reajuste do salário mínimo de 2011 possui vastas bifurcações de ideias. As centrais sindicais almejam aumento do atual valor (R$ 510) para R$ 580, enquanto outros, tais como Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, projetam incremento para R$ 538, montante a ser arredondado para R$ 540.

Aliás, Bernardo endossou, novamente, a utilização do sistema de reajuste atual, calculado a partir da inflação acumulada de 12 meses mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. Mesmo assim, afirma que o governo está acessível a negociações juntamente às classes representantes da ala trabalhadora e ratificando citações ditas ainda nesta semana, acredita que se um reajuste superior a R$ 540 for seguido, poderá o ser por questões políticas.

Em matéria relacionada pelo portal de notícias G1 o ministro assegura que tem debatido com as centrais sindicais questões sobre o reajuste e o sistema em vigência e que todas elas acreditam ser necessário nutrir o critério atual.

Para 2011, segundo Bernardo, o reajuste será calculado com sustentação somente na inflação de 2010, índice pouco acima de cinco pontos percentuais. O ano de 2009, ocasião na qual a crise financeira global se fazia presente, foi complicado, mas a promessa, alega, cumprida.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do Salário Mínimo para 2011


A proposta de reajuste do salário mínimo para o ano que vem é abordada por várias autoridades e políticos brasileiros. As centrais sindicais almejam ampliar a remuneração base para R$ 580, pois alegam haver montante derivado da sobra de R$ 17 bilhões da proposta orçamentária de 2011.

Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, alega que para o valor superar R$ 540 tal iniciativa proveria de uma decisão no âmbito político. Pela regra em vigência, o mínimo tem de ser reajustado com base na variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes combinada à inflação acumulada de 12 meses.

Já aludido neste meio de comunicação, o PIB de 2009 sofreu variação negativa de 0,2%, porém 2010 deverá acumular avanço de 7,5% e até 8%, segundo informou recentemente Henrique Meirelles, presidente do Banco Central.

A presidente eleita Dilma Rousseff, segundo a agência de notícias Reuters, sinalizou a possibilidade de haver um reajuste maior, algo que seria diferenciado em relação ao sistema atual.

A questão poderá ser debatida na próxima semana.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do Salário Mínimo – Valores para 2011 – Previsões de Carlos Lupi


Os debates para demarcar o novo reajuste do salário mínimo ao ano que vem ganham novas opiniões e ideias a cada dia. Centrais sindicais ambicionam valor de R$ 580, superior ao conjeturado pelo governo com base na fórmula de cálculo atual. Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, decidiu embarcar, obviamente, na discussão.

Para ele, o novo mínimo (atualmente em R$ 510) para entrar em vigor já a partir de 1º de janeiro será fruto de negociações entre as centrais sindicais e o governo com partidos políticos, podendo ser estabelecido de R$ 560 a R$ 570, inferior à pretensão de R$ 600 de José Serra (PSDB), candidato derrotado no segundo turno das eleições presidenciais.

Lupi assegura que abaixo dessa estimativa não deverá ficar. Segundo o portal de notícias R7, a proposta do governo é de R$ 538, podendo, “inclusive”, ser arredondado para R$ 540.

Mantendo a cordialidade, o ministro do Trabalho considerou que Dilma Rousseff (PT), presidente eleita, deverá participar dos debates para a deliberação do novo valor do salário mínimo com o devido respeito às diretrizes atuais.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo – Estudos para calcular o Reajuste


Uma das propostas do candidato do PSDB derrotado na eleição presidencial, José Serra, a de reajuste do salário mínimo para R$ 600 em 2011 pode acontecer pelas mãos da presidenta eleita, Dilma Rousseff. Embora seja sempre delicado se falar em reajuste do mínimo e principalmente no peso que o reajuste teria, por exemplo, nas contas da previdência social e sempre que se fala neste assunto inúmeras autoridades se apressam em demonstrar por meio de diversos cálculos o tamanho do rombo e quanto custaria o reajuste, mas em matéria do site Eleições UOL, a presidenta eleita afirmou em sua primeira entrevista coletiva após a vitória nas urnas que no final de 2011 o salário poderá chegar a R$ 600 e bem acima de R$ 700 em previsão para 2014.

Mas não existe mágica para isso. Pela atual fórmula de reajuste do salário mínimo ele ocorre anualmente levando em conta à variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes somada a inflação registrada pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Como em 2009 o PIB registrou retração de 0,2% em função da crise internacional, em 2011 seria considerada apenas a inflação como base para o reajuste. Já em 2010 o crescimento estimado para o PIB é de cerca de 7%, o que provocaria em 2012 um grande aumento.

E de acordo com matéria do Jornal FOLHA DE SÃO PAULO, a presidente estuda a possibilidade de antecipar parte do reajuste de 2012 para o próximo ano como forma de equilibrar estes reajustes.

Por Mauro Câmara



Dilma Rousseff – Alteração na Metodologia do Reajuste do Salário Mínimo


Após obter mais de 55 milhões de votos no segundo turno da eleição presidencial, Dilma Rousseff afirmou na última quarta-feira, 3 de novembro, que está apreciando a possibilidade de alterar a metodologia de reajuste do salário mínimo.

Caso as pretensões da petista sejam vistas e acatadas, é bem provável que o novo valor possa sofrer aumento considerável, pois o sistema em vigência considera variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois antes anteriores, somado, portanto, à inflação acumulada em um ano.

O impasse para 2011, caso o sistema atual vigore, é que a soma de todas as riquezas e bens produzidos no país (PIB) sofreu queda de 0,2% em 2009 em virtude dos efeitos da crise financeira global.

O PIB de 2010, de acordo com estimativas, poderá alcançar o índice de 7,5%. Em entrevista a jornalistas, de acordo com a agência de notícias Reuters, a ex-ministra-chefe da Casa Civil prevê que em 2014 o mínimo poderá ultrapassar o limiar de R$ 700.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo – Propostas de Reajuste para 2011


Durante a corrida pela sucessão presidencial, José Serra, candidato do PSDB, tem prometido à nação brasileira salário mínimo de R$ 600 já a partir do ano que vem. Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, e Luiz Inácio Lula da Silva, por exemplo, alegam não ser possível o intento, pois a definição para o valor teria de acontecer ainda em 2010.

Na semana que vem, mais exatamente de 1º de novembro em diante, as diretrizes para a elevação dos atuais R$ 510 começarão a ser encabeçadas. Gim Argello (PTB-DF), senador e relator-geral da proposta de Orçamento da União, examinará se o mínimo será incrementado para R$ 538, como rege a proposta do atual governo, ou para R$ 560, como almejam as centrais sindicais.

Informações emitidas pela Agência Estado, de acordo com a Band Online, asseveram que isso dependerá do relatório de receitas que será encaminhado ao relator. Para Argello, se tudo transcorrer bem e se for possível, o salário mínimo poderá, sim, ser compreendido em R$ 560.

O senador avalia que o documento preliminar poderá ser entregue em 5 de novembro para que finalmente, a partir do dia 8 do mês que vem, sejam realizadas as devidas emendas parlamentares.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do Salário Mínimo – Propostas de José Serra


A corrida presidencial do 2º turno agrega promessas de Dilma Rousseff (PT), ex-ministra-chefe da Casa Civil, e de José Serra (PSDB), ex-governador de São Paulo. Nos dois últimos domingos ambos voltaram a apresentar suas propostas em cadeia nacional, no mesmo instante em que destilavam trocas de acusações, especulações e feitos anteriores.

O candidato tucano, já há várias semanas, inseriu durante as propagandas político-partidárias a promessa de elevar o salário mínimo dos atuais R$ 510 para R$ 600 já em 2011. Serra assegura ter feito todos os cálculos e que o reajuste à população é totalmente possível.

Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, decidiu intervir no discurso do peessedebista. Segundo ele, cabe somente ao Congresso e ao governo em vigência, ou seja, o de Luiz Inácio Lula da Silva, estabelecerem o valor do mínimo para 2011.

Pelas regras atuais, assegura Lupi, o montante almejado por Serra só poderia ser conseguido em 2012, mais exatamente no valor de R$ 606,98; para o ano que vem, avalia em reportagem veiculada pelo portal de Economia Terra, bem abaixo: R$ 538,15.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste Salarial – Metalúrgicos – Mercedes-Benz


As várias alas trabalhistas brasileiras têm aproveitado o cenário econômico brasileiro favorável para angariarem remunerações mais altas. Recentemente, metalúrgicos do ABC conquistaram alta em seus salários; agora foi a vez dos trabalhadores atuantes na Mercedes-Benz campinense, centro responsável pela assistência técnica de distribuição de peças e veículos.

Após 16 dias de greve, uma assembleia ocorrida na última terça-feira, 28 de setembro, convencionou reajuste salarial de 10,5% aos trabalhadores da unidade. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, aproximadamente 800 trabalhadores estabeleceram, quase como um adendo, piso salarial de R$ 1.440,00.

A convenção, conforme já mencionado anteriormente, segue a tendência iniciada na semana passada, quando metalúrgicos da Volkswagen, Scania e Ford conseguiram reajuste de 10,8%.

A categoria parece bem posicionada no atual momento, pois inúmeras foram as séries trabalhistas que pouco conseguiram nesse sentido e em tal amplitude. O reajuste de 10,5% está bem acima da inflação, de 4,50% aproximadamente.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Reuters



Aposentados e Pensionistas – Reajuste Salarial


Uma decisão perdurou durante bom tempo no Brasil: reajuste aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) de 7,72%, conforme pleiteava, à época, o Senado. Até a definição muitas dúvidas permearam na cabeça de inúmeras lideranças políticas, tais como a do próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que delongou ao máximo a demarcação.

Agosto foi o mês ‘X’ para a questão aos aposentados que ganham acima de um salário mínimo (R$ 510), situação que gerou custo de quase R$ 899 milhões sobre o retroativo de 6,14% estipulado em janeiro. Carlos Eduardo Gabas, ministro da pasta, assevera que o montante ficou abaixo do relacionado anteriormente pelo governo, o qual estipulava ampliação de R$ 1,6 bilhão na folha do órgão.

O impacto, de fato, foi sentido somente em agosto. Aliás, no oitavo mês do ano o INSS gastou outros R$ 1,8 bilhão com o adiantamento à primeira parcela do 13º salário de aproximados 19 milhões de aposentados com benefícios mensais de um salário mínimo.

Segundo o portal de notícias G1, outro aumento à folha do INSS acontecerá ainda neste mês, correspondente ao adiantamento para os beneficiários com remuneração acima de um salário mínimo.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste Salarial – Metalúrgicos – GM


A confiança dos empresários e consumidores surte positiva e consideravelmente importante à própria economia brasileira. O aumento da massa salarial, termo em evidência na atualidade, e a geração de empregos têm propiciado índices interessantes ao país, permitindo às empresas estrangeiras apostar em bons resultados por aqui.

Enquanto o movimento geral permanece nesse sentido, vários são os setores que de uma maneira ou outra se valem da ampliação do Produto Interno Bruto (PIB). De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, os metalúrgicos da montadora da General Motors, na cidade, conquistaram no início desta semana reajuste salarial de 9%.

Destilado em duas partes, 4,52% são referentes ao aumento salarial e outros 4,29% ao reajuste pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Pelo acordo, divulgado pelo portal Economia Terra, há previsão de abono de R$ 2,2 mil.

A conquista deste ano é superior à campanha salarial de 2009, a qual reteve somente 3,7% de aumento real aos trabalhadores da fábrica, então situada no interior de São Paulo.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Categorias Profissionais recebem Reajuste Salarial acima da Inflação – 2010


Segundo balanço efetuado pelo Sistema de Acompanhamento de Salários (SAS) e divulgado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) nesta quinta-feira, 26 de agosto de 2010, das 290 categorias profissionais existentes no país, 97% delas tiveram seus salários reajustados neste primeiro semestre de 2010 com valores iguais ou acima da inflação verificada pelo INPC, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os resultados melhores obtidos neste ano refletem, segundo do Dieese, uma melhora na situação econômica do país, mostrando uma negociação coletiva em sintonia com uma maior estabilidade financeira, onde há menos desemprego, maiores contratações formais de trabalhadores e melhor salário mínimo oficial.

Por Elizabeth Preático

Fontes: Band, O Globo



Reajuste do Salário – Senador Tião Vianna faz Proposta de Aumento


O  senador Tião Vianna (PT-AC) apresentou a proposta no relatório da Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO) para 2011. Na conta de Vianna, o trabalhador pode receber um aumento real de 2,47% no seu vencimento.

Mas Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, é reticente. Segundo ele, o governo segue trabalhando em cima da proposta anterior.  

Nesse caso o reajuste é calculado com base no crescimento da economia nacional (de 2 anos atrás, no caso 2009 )mais a inflação medida pelo INPC (Índice Nacional De Preços Ao Consumidor). Sendo assim o salário não teria ganho real pois o PIB de 2009 foi afetado pela crise econômica mundial.

A decisão sobre qual será o aumento do mínimo para 2011 cabe ao presidente da Republica, Luiz Inácio Lula da Silva.

Por Vinícius Soares



Reajuste dos Aposentados – Governo poderá ser mais maleável


Por meio de discurso cauteloso, Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, acredita que o governo brasileiro poderá adotar uma postura mais maleável em relação ao reajuste aos aposentados, caso o Legislativo opte por um índice superior a 6,14%, este, vigente desde o primeiro dia de 2010 através de Medida Provisória (MP).

O episódio mais polêmico desse assunto ocorreu quando Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do país, afirmou, caso o reajuste ultrapasse o índice fixado anteriormente, que poderia vetar qualquer decisão favorável a percentuais superiores.

Líderes do governo no Congresso pretendem reajustar aposentarias e pensões superiores a um salário mínimo em 7%, o que, segundo outros políticos, poderia comprometer a estrutura econômica do país.

Fonte: Estadão



Reajuste na Aposentadoria chega a 6,14%


Foi divulgado nesta sexta-feira, 23 de abril de 2010, que o governo brasileiro decidiu manter em 6,14% o reajuste para os aposentados que recebem acima de um salário mínimo. A decisão parece ter sido tomada pelo governo por não ter havido um consenso por parte do Congresso até o momento.

A maioria dos parlamentares quer que o aumento seja de 7,7%. Mas o presidente Lula disse que, caso o congresso defina por um reajuste maior do que 6,14% ele terá que decidir se vetará ou não a decisão, pois, segundo o presidente, não há como conceder um valor que o governo não tenha como pagar e é preciso verificar se o aumento cabe no orçamento da previdência.

Por Elizabeth Preático



Brasil tem recorde em reajuste salarial dos trabalhadores


Segundo dados do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), em 2009 o Brasil apresentou o maior índice de reajustes salariais iguais ou acima da média da inflação, em comparação aos dados obtidos desde o ano de 1996.

Segundo os resultados, cerca de 80% ou mais dos trabalhadores conseguiram um reajuste salarial em 2009 com valor de no mínimo o obtido pela inflação, medida pelo IBGE. Atualmente tem-se uma inflação de cerca de 5% ao ano.

Os valores foram medidos para os salários brutos, sem levar em conta os demais benefícios. No resultado por setores, o único que apresentou desempenho negativo foi o industrial mas a redução foi pequena, de 88% para 85% de trabalhadores que tiveram reajustes maiores que o valor da inflação.