Atualizações anteriores



Provar – Preço no varejo online tem redução de 0,8% em maio


O varejo virtual cresce a cada dia. As melhorias no sistema de telefonia, que abrange também a internet, estimulam o avanço dos números de sites especializados em vendas de diversos produtos como eletroeletrônicos, artigos de perfumaria, vestuário e outros. A elevada concorrência entre as empresas online, por sinal, tem feito muito bem ao consumidor, que eventualmente encontra preços mais baixos nos chamados sites de e-commerce em detrimento às lojas físicas.

Dados sondados pela parceria realizada entre a Felisoni Consultores Associados e a Fundação Instituto de Administração (FIA), por meio do Programa de Administração do Varejo (PROVAR), revelam que em maio o índice e-Flation recuou 0,8%. Embora seja um dado positivo, revela-se negativo quando comparado a abril, uma vez que a taxa baixou 1,5% no período.

O levantamento pondera que as categorias CDs e DVDs registraram arrefecimento de 3,1% nos preços praticados no mês, movimento semelhante ao observado no grupo eletrônicos, cuja queda chegou a 2,4%, em livros, de -2,2%, em cine & fotos, de -2,1%, nos eletroportáteis, de -1,1%, nos perfumes & cosméticos, de -0,7%, nos brinquedos, de -0,3%, e no ramo da informática, queda de 1,1%.

As três categorias sondadas que representaram sentido inverso, no medidor, foram a linha branca, cujo incremento chegou a 0,1%, o segmento de telefonia & celulares, 0,7%, e os medicamentos, salto de 2,3%.

Cláudio Felisoni de Angelo, coordenador-geral do PROVAR, admite que a manutenção da deflação nos índices em questão é reflexo da maior variedade de sites de e-commerces, principalmente os de compras coletivas.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Assessoria de Imprensa



Concorrência no varejo ajuda a evitar aumento da Taxa Selic


Claudio Felisioni, coordenador do Programa de Administração do Varejo (Provar), disse que a concorrência entre as redes varejistas do país deverá restringir os efeitos de uma provável ascensão da taxa básica de juros da economia, a Selic, sobre o consumo do segundo trimestre de 2010.

Segundo ele, a intenção de compra no varejo paulistano para os primeiros três meses deste ano conquistou o maior índice já registrado desde 1999. Portanto, acredita que ao longo de 2010 esses dados positivos continuarão a ser assinalados.

As vendas pela rede mundial de computadores também alcançaram estimativas positivas para os próximos meses. Segundo levantamento feito pela Provar em conjunto com a e-Bit, consultoria especializada no comércio eletrônico, quase 87% das pessoas entrevistadas (7,5 mil) pretendem adquirir novos produtos.

Por fim, a Provar indica que as categorias de automóveis e motos, eletroportáteis e materiais de construção foram os segmentos que mais apresentaram elevação. A tão comentada e procurada linha branca, por sua vez, mantém seu ritmo de busca por parte do consumidor.

Por Luiz Felipe T. Erdei