Atualizações anteriores



Produção industrial apresentou queda em janeiro de 2012


Os números da produção industrial em nove regiões apresentaram queda, foi o que mostrou uma pesquisa realizada pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Segundo as informações da instituição, as perdas mais significativas foram as dos Estados do Pará e Paraná com 13,4% e 11,5%, respectivamente. Quando levado em consideração a média de perda nacional, que é de 2,1%, outros Estados também apresentaram resultados significativos como o Rio de Janeiro e o Ceará, que fecharam o mês de fevereiro com perdas de 5,9% e 3,1%, respectivamente, percentual maior que o apresentado na média nacional.

Mesmo ficando na média, os outros locais que apresentaram queda na produção foi São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais, Espírito Santo e Pernambuco.

Porém algumas regiões registraram um aumento em suas produções como a Bahia, que apresentou aumento de 12,6%, seguido da Região Nordeste com 5,7%, Goiás com 3,3%, Rio Grande do Sul com 0,5% e o Amazonas com 0,1%.

Ao todo foram pesquisados 14 locais de todo o país, sendo que o documento levou em consideração o fato de que o mês de janeiro de 2012 teve um dia útil a mais que o mesmo mês no ano passado.

Por Joyce Silva



Produção Industrial apresentou crescimento em 14 Estados brasileiros em 2010


O setor industrial brasileiro, incomodado com o aumento das importações, procura fazer o possível para negociar com o governo medidas de estímulo para frear essa tendência e aumentar as exportações. Em termos produtivos, porém, houve crescimento nos 14 locais sondados em 2010.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) assinalam que a produção em cinco unidades federativas ultrapassou a média nacional, de 10,5%. Espírito Santo é o caso mais evidente, pois avançou 22,3% em confronto a 2009, acompanhado por Goiás, com incremento de 17,1%, Amazonas, de 16,3%, Minas Gerais, de 15%, e Paraná, cujo índice chegou a 14,2%. Embora abaixo da média nacional, Pernambuco e São Paulo apresentaram bons índices, de 10,2% e 10,1%, respectivamente.

Em dezembro do ano passado, por outro lado, 11 dos 14 locais pesquisados abrangeram quedas em comparação a novembro, com destaque para Rio de Janeiro, com recuo de 5,7% na produção industrial, seguido por Paraná, onde a baixa foi de 5%, depois Bahia, com arrefecimento de 3,9%, Goiás, com decréscimo de 3,8% e, por fim, Rio Grande do Sul, de -3%.

Diferentemente da tendência descrita no parágrafo anterior, o confronto anual de dezembro foi positivo para dez dos 14 locais examinados, com Pará no índice mais positivo, de 13,5%, além de Goiás, com alta de 10,3%.

Segundo o IBGE, eletrodomésticos da linha marrom (TVs, aparelhos de som e eletrônicos), automóveis e as commodities, a última relacionada diretamente à exportação, marcaram o crescimento industrial brasileiro.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: IBGE



Brasil – Produção Industrial – Índices em 2010


A indústria brasileira apresentou avanço na produção pelo segundo mês seguido em outubro, porém o nível de expansão desacelerou em comparação ao mesmo período de 2009 de acordo com informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O incremento em outubro abarcou percentagem de 0,4% sobre setembro e de 2,1% ante mês análogo do ano passado. A baixa relacionada acima se refere à comparação anual de setembro de 2010. Para André Luiz Macedo, gerente da coordenação de indústria do instituto, o índice de 2,1% é o mais ameno desse período de desenvolvimento da indústria como um todo.

Em sua concepção, as paralisações advindas de alguns setores, os estoques e o crescimento mais acanhado das exportações foram os fatores capitais que responderam a um resultado bem mitigado em relação à atividade da indústria.

Segundo a agência de notícias Reuters, o IBGE revisou para cima o índice de setembro sobre agosto, de 0,2% para variante positiva de 0,1%.

Por Luiz Felipe T. Erdei