Atualizações anteriores



Dilma Rousseff está otimista com a situação da Petrobras


Em pronunciamento, Dilma Rousseff deixou claro que problemas de gestão da Petrobras foram superados e está satisfeita com a nova gestão da empresa.

De acordo com a presidente Dilma Rousseff, a Petrobras virou uma triste página de sua história e ao divulgar o balanço, ainda que com um resultado bastante preocupante, mostrou que os problemas de gestão foram todos superados.

No anúncio feito nesta sexta-feira (24), Dilma Rousseff mostrou otimismo com a nova fase que começa para a Petrobras, que apresentou seu balanço anual indicando um prejuízo de R$ 21,6 bilhões no ano passado.
Dilma em seu pronunciamento destacou o fato de que, ao concluir e registrar seu balanço, a Petrobras deixou claro para todos os brasileiros e o resto do mundo que os problemas de gestão foram todos superados. Agora, a antiga gestão e as ligações ao esquema de corrupção denominado posteriormente pela Polícia Federal como "Lava Jato", ficou no passado.

A presidente do Brasil participou de um almoço que homenageava Park Geun-hye, presidente sul-coreana e aproveitou a ocasião e a presença dos jornalistas para expor sua satisfação com a nova gestão da Petrobras.
O balanço auditado da Petrobras estava muito atrasado e foi apresentado pela nova gestão da empresa, sendo reveladas perdas superiores a R$ 6,2 bilhões devido à corrupção que se instalou na empresa durante anos e teve ainda uma redução superior a R$ 44 bilhões relativos ao valor dos ativos da empresa.
Dilma se referiu à Petrobras como uma "grande empresa", indiferente de como ela venha a ser analisada e mostrou total confiança na recuperação da empresa em um futuro próximo.

A presidente ressaltou ainda a importância da aprovação do balanço, ainda que com tamanho atraso e com resultados tão negativos, justificando-se que desta forma a Petrobras virou uma página de sua história e começará a caminhar por um novo trajeto. Dilma finalizou dizendo que a Petrobras trará muitas alegrias para os brasileiros.

Dilma já havia dito aos jornalistas, antes do almoço com a presidente sul-coreana, que não tinha mais dúvida sobre o fato de que a divulgação do balanço seria muito  positivo para a empresa e de forma alguma, seria um problema ou motivo de pessimismo em relação à estatal.

A Petrobras continua sendo investigada pela operação Lava Jato, envolvendo funcionários da empresa, empreiteiras e até políticos de vários partidos.

Por Russel

Petrobras



Importação de gasolina teve alta em janeiro de 2012


A nossa maior produtora petroleira, Petrobras, registrou um aumento de 36% nas importações de gasolina no mês de Janeiro. Foram estimados valores na importação de gasolina deste ano em níveis semelhantes ao ano de 2011, quando chegaram a somar uma quantidade de 45 mil barris/dia. A nova presidente da estatal não forneceu nenhuma quantidade absoluta, nem das importações de janeiro, muito menos das de dezembro do ano passado, onde conseguimos o recorde de importações no volume de 100 mil barris.

A Petrobras pecou ano passado com relação às compras externas de combustíveis, o que pesou e muitos nos resultados da empresa em anos posteriores. Os lucros ficaram comprometidos e as ações na bolsa começaram a registrar leves quedas, construindo um cenário de balança comercial desfavorável.

As importações de gasolina só começaram a acelerar quando, após uma forte redução de safra de cana-de-açúcar no centro-sul do país, onde se produz quase a maior porcentagem de etanol do Brasil, muitos motoristas deixaram de usar o álcool por causa dos preços que acabaram se tornando pouco competitivos frente à gasolina, cujo valor pode e é controlado pela Petrobras.

Por Jéssica Monteiro

Fonte: G1



Financial Times – Petrobrás tem vários obstáculos com o pré-sal


A nação brasileira tem saboreado algumas vitórias obtidas pelo atual governo em áreas diferentes entre si, tais como, por exemplo, no caso do crescimento econômico dos últimos meses impulsionado pela habitação, pelo maior pode aquisitivo da população, pelo “Bolsa Família” – ou se preferir, transferência de renda – e igualmente importante, pelos segmentos da linha branca e de veículos automotores.

Como resultados o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem a seu poder concedido alta aprovação por parte da população. Dilma Rousseff, presidenciável do Partido dos Trabalhadores, é, seguramente, uma das maiores beneficiárias. Não à toa, as pesquisas de intenções de votos a ilustram na liderança da disputa, deixando para trás, consequentemente, o tucano José Serra, a pevista Marina Silva e o psolista Plínio de Arruda Sampaio.

Lula, que tanto enaltece a ex-ministra da Casa Civil em seus discursos, por vezes exalta os feitos de sua gestão, um deles, as políticas intrínsecas à questão petrolífera. O Financial Times, veículo de comunicação de origem britânica, voltou a repreender algumas atitudes do ex-sindicalista.

De acordo com o jornal por meio de Norman Gall, diretor-executivo do Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial, o presidente põe em risco seu legado por endossar as políticas de sua gestão para o caso do petróleo. De acordo com a agência de notícias Reuters, Lula ressalta o país como potência emergente do ramo no intuito de angariar anseios triunfais que viriam a ser empregados para ajudar o PT a conquistar as eleições deste ano.

Gall avalia que existem muitos obstáculos para a Petrobrás no mote pré-sal, tais como possíveis e insuficientes investimentos para aquilo que o país tanto almeja. Relembrando críticas anteriores, o artigo publicado no FT assevera que todos os entraves acontecem em meio a uma nação com infraestrutura e educação a serem melhor investidas.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Empresas brasileiras estão entre as maiores do mundo


A Revista Forbes publicou na última quarta-feira, 21 de abril de 2010, a lista das maiores empresas do mundo, totalizando duas mil. Dentre as cem primeiras colocadas estão algumas empresas brasileiras como o Bradesco, o Banco do Brasil e a Vale. Mas a empresa do Brasil que teve a melhor colocação foi a Petrobras, que ficou em décimo oitavo lugar.

Apesar do enorme crescimento da China nos últimos tempos, não há um número considerável de empresas deste país na seleção dos cem primeiros colocados, e quem se destacou mesmo foi os Estados Unidos, que ocupam as quatro primeiras colocações, com as empresas JPMorgan Chase, General Electric, Bank of America e ExxonMobil.

Fonte: www.forbes.com/lists

Por Elizabeth Preático



TCU e Petrobras criam grupo para investigar superfaturamento


Na finalidade de debater investigações sobre projetos geridos pela Petrobras, a estatal e o Tribunal de Contas da União (TCU) informaram a criação de um grupo de trabalho para tal objetivo.

A primeira reunião a ser realizada dessa parceria ocorrerá nos primeiros quinze dias de fevereiro, daqui a quatro semanas.

A Petrobras, para início, mencionou alguns dos projetos investigados pelo TCU, que são a Refinaria do Nordeste, localizada em Pernambuco, o Terminal Barra do Riacho, situado no Espírito Santo, a Refinaria Getúlio Vargas, no Paraná e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro.

Em dados gerais, há 12 irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas. Suspeitas de superfaturamento são um dos pontos abordados, prontamente negados pela Petrobras.

Por Luiz Felipe T. Erdei