Atualizações anteriores



Nubank – Novo cartão de crédito completamente digital


Novo serviço alia a tecnologia e o setor bancário. Nubank chamou a atenção por apresentar pouca burocracia, praticidade, preços convidativos e juros baixos.

Praticamente não se passa um dia em que não vemos algum aplicativo financeiro aqui, um serviço ali e por aí vai. Parece ser algo natural e é. Mas isso tudo, formado ou não de pequenas coisas, faz parte de uma mudança natural e bem mais complexa que poucos percebem. Que o setor de finanças no Brasil está em um processo movimentado de transformação não é segredo para ninguém. Mas tem muito mais aí.

No meio do furacão temos as instituições financeiras de grande porte que correm e tentam até fazer milagres para que seus clientes sejam mantidos. Para isso não poupam esforços para criarem novas soluções que tenham como objetivo atender as necessidades desses mesmos clientes e de novos também (que são mais e mais exigentes). Na mesma linha e praticamente lado a lado temos aquelas empresas pequenas que vão surgindo repentinamente e sem que ninguém perceba, até que o serviço criado por elas passa a ser notado por pontos fundamentais como eficiência e rapidez. Lembrando que esses são os dois grandes obstáculos encontrados pelas grandes corporações.

Vamos ver um exemplo de como a tecnologia anda mexendo com o setor bancário brasileiro: um sucesso bem recente é o Nubank. Para quem não sabe trata-se de um cartão de crédito completamente digital. Esse serviço começou a operar por aqui há pouco tempo. Dito e feito, caiu nas graças das pessoas por diversos motivos dentre os quais a pouca burocracia, a praticidade, preços convidativos e juros baixos quando comparados com a concorrência.

E tem mais vindo por aí. Essa iniciativa deve mexer ainda mais e revolucionar mais profundamente o setor financeiro principalmente pela grandiosidade e pelos nomes por trás do projeto. Estamos tratando aqui do Banco Original. Da mesma maneira que o Nubank ele pretende oferecer tudo o que a concorrência oferece. Mas com o diferencial de usar apenas os meios digitais para fazer as coisas.

A principal diferença é de onde começa. Se o Nubank é quase desconhecido em termos de criadores o Banco Original já começará grande. Por trás dele estarão gigantes como a J&S, grupo que é dono do frigorífico JBS (a Friboi). Entre os nomes de peso estão Flavio Dias da Fonseca, fundador do Walmart.com no país, e Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco do Brasil.

Pois bem, se as filas e a burocracia quase que insuportáveis dos bancos andam te perturbando talvez suas orações estejam sendo ouvidas. Novidades sempre chegam e essas são mesmo para revolucionar. Afinal de contas, dificilmente vamos encontrar pessoas que gostam de ir ao banco por que são rápidos, bem atendidas e seguros.

Por Denisson Soares

Cartão Nubank

Foto: Divulgação



13º Salário – Trabalhadores devem Utilizar o Salário para Pagar Dívidas


Economistas indicam que grande parte dos brasileiros com benefício do 13° salário pretende pagar dívidas com a quantia. Trabalhadores formais e informais devem ganhar a renumeração extra, conforme indica as leis trabalhistas.

De acordo com a pesquisa da ANEFAC, que entrevistou 634 consumidores na cidade de São Paulo, cerca de 60% dos entrevistados devem pagar dívidas que foram contraídas com uso do cheque especial. Também existe uma porcentagem alta de pessoas que desejam limpar o nome na praça.

Por conta de dívidas contraídas no passado, o Natal pode ficar prejudicado. Ainda conforme a ANEFAC, 15% dos entrevistados indicam que usam o dinheiro para comprar presentes, visto que 11% poupam ou fazem investimentos. Além disso, cerca de 4% deseja reformar ou investir na compra da casa própria.

Até mesmo quem deseja poupar na verdade economiza para pagar dívidas posteriores. Por exemplo, há pessoas que seguram o décimo terceiro salário no intuito de pagar as contas que surgem no começo do ano, como no caso de matrículas em instituições de ensino, IPTU, IPVA, entre outros.

O poder público indica que quase 65 milhões de trabalhadores brasileiros recebem o décimo terceiro salário. Não se pode ignorar o fato de que idosos e pensionistas têm direito ao benefício.

Os valores de pessoas que ganham décimo terceiro salário têm como base números do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), grupos de pesquisas filiados ao MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

Por conta das dificuldades em mensurar recursos, não entra na contabilização oficial o público assalariado sem carteira assinada e que recebe o abono ao final do ano, embora categorias de trabalhadores informais também tenham direito ao benefício.

Nos dados, deixam de fazer parte da contagem os pagamentos antecipados que aconteceram ao longo do ano, como nas férias.

Por Renato Duarte Plantier



Novo salário mínimo para 2014


Na madrugada desta quarta-feira, dia 18, o Plenário do Congresso aprovou a proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2014. Além de estabelecer o valor do salário mínimo em R$ 724,00, previsto para vigorar a partir de 1º de janeiro, o texto estabelece o orçamento da União para o próximo ano. Para ser efetivada, a proposta de Lei ainda depende de sanção presidencial.

Segundo o Jornal do Senado, o relator-geral da proposta, Miguel Corrêa (PT-MG), afirmou ter remanejado recursos para garantir o valor do salário mínimo em R$ 724,00 e o aumento de R$ 1,10 em relação à proposta anterior, o que ocasionou um gasto extra de R$ 250 milhões. O valor proposto para o salário mínimo era de R$ 722,90 anteriormente. Hoje o mínimo é de R$ 678,00

Segundo o texto de Lei, o valor total do orçamento da União é de R$ 2,48 trilhões. Em 2013, o valor aprovado foi de R$ 2,28 trilhões. Para 2014, R$ 654,7 bilhões serão destinados para refinanciar a dívida pública da União. Para a saúde serão destinados R$ 95,7 bilhões e para a educação R$ 82,3 bilhões.

A LOA 2014 estabelece um investimento público de R$ 900 milhões e não está previsto nenhum corte nas despesas com pessoal. Entre as negociações do orçamento para 2014, o Fundo Partidário fechou com mais R$ 100 milhões sobre a proposta original, totalizando R$ 364 milhões em investimentos. Segundo a Legislação, 95% deste fundo devem ser distribuídos entre os partidos políticos, de acordo com a proporção de cada um na Câmera. O Fundo partidário também teve destaque nas negociações de orçamento de 2012 e 2013.

De acordo com a proposta de Lei, haverá um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 4%, a inflação prevista será de 5,3% segundo o índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e a taxa de juros (Selic) média de 9,29%.

Por Suellen Mota