Atualizações anteriores



IBC-BR apresentou queda em janeiro de 2012


O Banco Central (BC) divulgou na segunda-feira (26/03) o Índice de Atividade Econômica da entidade (IBC-BR), demonstrando que o caiu 0,13% em janeiro deste ano, comparando-se a dezembro de 2011. Este resultado avalia a taxa com reajuste sazonal. Sem o reajuste, a queda registrada foi de 4,49% em janeiro. Com relação ao mesmo mês do ano passado, a taxa foi 1,61% mais alta.

Com isso, o IBC-BR retraiu, passando de 140,91 pontos em dezembro do ano passado para 140,73 pontos em janeiro deste ano. No último mês de 2011, o índice já havia registrado retração de 0,57%.

O IBC-BR apresenta uma previsão de como o Produto Interno Bruto (PIB) vai se comportar durante o ano. O resultado de janeiro foi a primeira queda mensal do indicador desde outubro de 2011, quando registrou retração de 0,53% na série com ajuste.

Apesar disso, o Banco Central manteve a projeção para o crescimento do PIB. A expectativa é que a economia cresça 3% neste ano. Em 2011, o crescimento foi de 2,7%.

A expectativa positiva é impulsionada pelo resultado do trimestre encerrado em janeiro deste ano, que teve alta de 1,11% com relação aos três meses finalizados em outubro do ano passado, verificando-se a série sazonal.

Por Matheus Camargo

Fonte: Banco Central



Vendas no varejo – Alta em janeiro de 2012


O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – divulgou a sua pesquisa mensal sobre o comércio e constatou alta de 2,6% nas vendas no varejo, sendo que a receita nominal cresceu 3,6%. Este resultado é referente ao primeiro mês do ano em comparação a dezembro de 2011.

De acordo com o IBGE o resultado apresentado para esse período é o melhor desde 2010, pois em fevereiro desse ano as vendas aumentaram 3%. Quando levado em consideração o acumulado em 12 meses o aumento foi de 7,3%.

Ao todo foram pesquisadas pelo Instituto dez atividades do comércio, em que sete apresentaram resultados positivos quando comparados ao último mês do ano passado. Os setores que mais se destacaram foram os de produtos alimentícios, fumo, hipermercados, supermercados, calçados, tecidos e vestuário. Quando comparados com janeiro de 2011, nove dos dez setores pesquisados apresentaram bons resultados. Apenas um segmento registrou queda, foi o de combustíveis e lubrificantes que fecharam o período com baixa de 0,7%.

A pesquisa também analisou o volume de vendas nas 27 unidades da federação, de acordo com o estudo foi constatado um aumento em 25 regiões, somente o Rio Grande do Norte e o Amazonas apresentaram números negativos e fecharam o período com baixa de 1,2% e 0,2%, respectivamente.

Por Joyce Silva



Produção industrial apresentou queda em janeiro de 2012


Os números da produção industrial em nove regiões apresentaram queda, foi o que mostrou uma pesquisa realizada pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Segundo as informações da instituição, as perdas mais significativas foram as dos Estados do Pará e Paraná com 13,4% e 11,5%, respectivamente. Quando levado em consideração a média de perda nacional, que é de 2,1%, outros Estados também apresentaram resultados significativos como o Rio de Janeiro e o Ceará, que fecharam o mês de fevereiro com perdas de 5,9% e 3,1%, respectivamente, percentual maior que o apresentado na média nacional.

Mesmo ficando na média, os outros locais que apresentaram queda na produção foi São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais, Espírito Santo e Pernambuco.

Porém algumas regiões registraram um aumento em suas produções como a Bahia, que apresentou aumento de 12,6%, seguido da Região Nordeste com 5,7%, Goiás com 3,3%, Rio Grande do Sul com 0,5% e o Amazonas com 0,1%.

Ao todo foram pesquisados 14 locais de todo o país, sendo que o documento levou em consideração o fato de que o mês de janeiro de 2012 teve um dia útil a mais que o mesmo mês no ano passado.

Por Joyce Silva



Procura por crédito apresentou queda em janeiro de 2012


Segundo o Indicador Serasa Experian, o número de pessoas em busca de crédito financeiro apresentou uma queda de mais de 8% no mês de janeiro de 2012, se comparado ao mês anterior, sendo que comparado ao mesmo período de 2011 essa queda foi de 6,1%.

Segundo alguns economistas do Serasa, um dos pontos responsáveis por essa queda foi a falta de pagamento de alguns consumidores que usaram o mês anterior para quitar débitos contraídos anteriormente, isso fez com que esses consumidores optassem por não fazer novas dívidas.

As pessoas das classes mais baixas, com renda menor de R$ 500,00 por mês, foram as que menos solicitaram crédito em janeiro, nesse setor da sociedade a diminuição foi de 9,1%, já nas classes com renda mensal entre R$ 500,00 e R$ 1.000,00 a queda foi de 9%

Com relação aos consumidores das classes com maior poder de compra, a queda foi menor do que as apresentadas entre as outras classes, entre aqueles que recebem de R$ 5.000,00 a R$ 10.000,00, a diminuição foi de 6,4%. A queda entre aqueles com salários maiores de R$ 10.000,00 foi de 5,8%

Foram levadas em consideração todas as regiões demográficas do Brasil.

Por Joyce Silva



Importação de gasolina teve alta em janeiro de 2012


A nossa maior produtora petroleira, Petrobras, registrou um aumento de 36% nas importações de gasolina no mês de Janeiro. Foram estimados valores na importação de gasolina deste ano em níveis semelhantes ao ano de 2011, quando chegaram a somar uma quantidade de 45 mil barris/dia. A nova presidente da estatal não forneceu nenhuma quantidade absoluta, nem das importações de janeiro, muito menos das de dezembro do ano passado, onde conseguimos o recorde de importações no volume de 100 mil barris.

A Petrobras pecou ano passado com relação às compras externas de combustíveis, o que pesou e muitos nos resultados da empresa em anos posteriores. Os lucros ficaram comprometidos e as ações na bolsa começaram a registrar leves quedas, construindo um cenário de balança comercial desfavorável.

As importações de gasolina só começaram a acelerar quando, após uma forte redução de safra de cana-de-açúcar no centro-sul do país, onde se produz quase a maior porcentagem de etanol do Brasil, muitos motoristas deixaram de usar o álcool por causa dos preços que acabaram se tornando pouco competitivos frente à gasolina, cujo valor pode e é controlado pela Petrobras.

Por Jéssica Monteiro

Fonte: G1



Inflação apresentou alta em janeiro de 2012


O Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou os dados oficiais sobre a inflação no país. De acordo com o instituto a inflação de janeiro de 2012 foi de 0,56%. Esse número teve como base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e apresentou aumento se comparado a dezembro, que foi de 0,5%

De acordo com os dados do IBGE, nos últimos 12 meses a taxa acumulada sofreu uma alta de 6,22%, número abaixo do resultado apresentado nos 12 meses anteriores que foi de 6,5%. No último mês a taxa teve uma variação de 0,83%. 

Os fatores que mais influenciaram o resultado foram os reajustes com relação à alimentação e bebidas que foram de 0,86% e o reajuste em transportes, 0,69%, esses dois fatores juntos representam 61% do IPCA. 

Vale lembrar que o IPCA é responsável por medir a inflação para famílias com renda de até 40 salários mínimos.

Neste ano foram incorporados os resultados dos gastos de consumo da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2008-2009. 

Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que é o responsável por medir a inflação das famílias que possuem renda de até 6 salários mínimos, teve um aumento de 0,51% em janeiro, a mesma de dezembro.

Por Joyce Silva