Atualizações anteriores



Saque do PIS-Pasep para Idosos


Governo liberou o saque do PIS/Pasep para idosos. O calendário de pagamentos ainda será definido pela Caixa.

O Governo Federal anunciou na última quinta-feira (24) a liberação de R$ 15,9 bilhões em contas inativas do PIS/Pasep para cerca de 7,8 milhões de idosos que têm direito ao abono. Com a nova medida, terão direito ao saque, idosos com mais de 60 anos.

Antes o benefício só era possível para pessoas a partir de 70 anos ou por outras situações como, aposentadoria ou pensão por invalidez, entre outras.

A Caixa Econômica deverá anunciar o calendário de retirada dos rendimentos em breve, mas o sistema será o mesmo do FGTS.

A exemplo do que aconteceu com as contas inativas do FGTS que injetou uma média de R$ 44 bilhões na economia brasileira, o governo Temer espera alcançar o mesmo propósito inserindo quase R$ 15,9 bilhões para girar.

A medida provisória 797/17 autorizando sacar o saldo do FGTS permite mulheres a partir dos 62 anos e homens aos 65 anos. De acordo com o Ministério do Planejamento mais de 4 milhões de idosos, dos quase 8 milhões beneficiados com a medida, já completaram 70 anos, portanto poderiam ter feito o saque sem precisar de nenhuma medida governamental.

Com essa nova lei quem já tinha direito e não sacou seu saldo inativo vai ter que aguardar até a divulgação do novo calendário que será disponibilizado pelas agências da Caixa Econômica (PIS) e Banco do Brasil (PASEP), responsáveis pelos pagamentos. A data prevista vai de outubro deste ano até março de 2018, a depender do mês em que o idoso faz aniversário.

Como verificar o saldo

Para quem trabalhou na iniciativa privada, a partir de outubro poderá encaminhar-se à uma agência da Caixa Econômica para verificar seu saldo inativo. Quanto aos trabalhadores do serviço público devem consultar uma agência do Banco do Brasil.

Como sacar o rendimento

Exatamente como aconteceu com o saque das contas do FGTS, quem confirmar que tem direito ao saque poderá optar por receber direto em conta corrente ou conta poupança ou até mesmo direto na folha de pagamento.

Quem tem direito ao abono?

Todos os idosos maiores de 62 anos que estejam de acordo com os termos da nova medida imposta pelo Governo Federal, além de possuir fundos depositados até o ano de 1988. Os trabalhadores que passaram a contribuir após esse ano não terão direito ao saque.

Também é possível sacar o dinheiro pessoas com doenças graves, como câncer, HIV, por morte e invalidez. O Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, ainda alerta que muitos herdeiros nem sabem que têm direito à receber o rendimento.

PIS/Pasep

O Fundo PIS/Pasep, segundo o Tesouro Nacional, é o resultado da unificação de fundos compostos por recursos do PIS e do Pasep, com o objetivo da integração do trabalhador no desenvolvimento da empresa, além de assegurar e estimular a poupança.

De acordo com informações do Tesouro Nacional e seguindo legislação em vigor a atualização das contas individuais seguem a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que no momento estão em 7% ao ano.

Cálculo dos recursos nesse fundo

Até junho de 2016 o saldo médio por cada cotista era de R$ 1.187, além do mais, quase todos que têm direito ao beneficio vão resgatar pelo menos R$ 750.

FGTS

É uma espécie de poupança que o empregador é obrigado a fazer para o trabalhador referente a 8% de seu salário. Lembrando que esse valor não vem descontado da remuneração mensal. O FGTS foi criado no dia 13 de setembro de 1966 e ultimamente vem beneficiando cerca de 28 milhões de brasileiros.

Por Ruth Galvão



Novas regras da Aposentadoria


Com as novas regras aprovadas pela presidente Dilma Rousseff, ocorrerá um aumento gradativo no total da soma dos anos para a aposentadoria até que se chegue à soma de 90 anos para mulheres e 100 anos para homens.

Conforme já previsto, foram sancionadas as novas regras da lei de aposentadoria que varia progressivamente de acordo com a expectativa de vida da população brasileira.

Já existia uma medida provisória com as novas regras aprovadas pela presidente Dilma Rousseff em maio de 2015.

Após publicada e sancionada no “Diário Oficial da União”, a presidente aposentou o fator previdenciário e criou uma alternativa para a regra de 85/95 anos.

Existia a expectativa que fosse aprovada a possibilidade do aposentado que continuasse trabalhando efetuar um novo cálculo do benefício, chamado de “desaposentação” ou “desaposentadoria”, porém o artigo foi vetado. A justificativa foi que essa possibilidade fosse aprovada geraria um déficit de 70 bilhões de reais à Previdência Social.

A antiga regra de 85/95 consistia que mulheres precisariam de 85 anos somando a idade com o tempo de contribuição e 95 anos a soma para os homens.

Com a nova fórmula ocorrerá um aumento gradativo no total da soma até que se chegue à soma de 90 anos para mulheres e 100 anos para homens. Será acrescido 1 ano ao total da soma de idade e tempo de contribuição a cada 2 anos.

A partir do dia 31 de dezembro de 2018 a soma sobe para 86/96 anos, em 31 de dezembro de 2020 o total fica em 87 anos para mulheres e 97 anos para homens. Após 2 anos, em 31 de dezembro de 2022 é acrescido mais 1 ano a soma da idade com o tempo de contribuição, totalizando 88 e 98 anos. Em 31 de dezembro de 2024 sobe para 89 anos para mulheres e 99 anos para homens. Finalizando a graduação em 31 de dezembro de 2026, chegando aos 90 anos para mulheres e 100 anos para homens.

Resumindo a explicação, em um período de 8 anos compreendidos entre 2018 e 2026 a soma do tempo de contribuição com a idade passará de 85 anos para mulheres e 95 anos para homens, para 90 anos para mulheres e 100 anos para homens.

Por Jean Fretta Pereira

Aposentadoria



Número de idosos inadimplentes no Brasil aumentou


Em agosto o número de idosos inadimplentes no Brasil teve um aumento de 8,56%, sendo o principal motivo os empréstimos para ajudar os filhos, que não pagam as dívidas aos pais.

Infelizmente, o número de idosos inadimplentes no Brasil continua crescendo e o pior desta constatação é que em boa parte dos casos isso ocorre porque os idosos fazem empréstimos para ajudarem os filhos que depois acabam não pagando os pais que ficam com o nome protestado.

No mês passado houve um aumento de 8,56% entre os consumidores com idade entre 65 e 94 anos que passaram a atrasar o pagamento de suas dívidas. Estima-se que em todo o país o número de idosos inadimplentes já ultrapasse os 4,3 milhões.

Dados divulgados pelo SPC Brasil – Serviço de Proteção ao Crédito, juntamente com a CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, apontam um aumento no número de idosos inadimplentes se comparado os meses de agosto e julho deste ano.

Já o IBGE divulgou dados indicando que em uma década e meia o número de pessoas com idade entre 65 e 94 anos aumentou de 5,61% para 7,90% em todo o país.

Para Marcela Kawauti, economista chefe do SPC Brasil, a tendência é que o número de idosos inadimplentes no Brasil continue aumentando, sendo que um dos principais motivos além dos empréstimos feitos para terceiros, principalmente filhos e parentes, é o fato da expectativa de vida ser maior e também vem mudando os hábitos de consumo também entre os idosos que agora viajam mais e procuram aproveitar mais a vida, ao invés de ficarem em casa como era há alguns anos atrás.

Acontece que a maior parte dos idosos brasileiros vive com uma baixa renda e conta ainda com a falta de um bom planejamento financeiro. A inadimplência entre os idosos avançou acima da média nos últimos anos e a situação poderá piorar daqui para frente, por causa da crise que assola o país e não tem previsão de melhorar em um curto espaço de tempo.

Ainda de acordo com o SPC Brasil já são mais de 4,3 milhões de consumidores idosos com o nome registrado em serviços que oferecem proteção ao crédito. Uma outra curiosidade sobre esta questão, é que boa parte destes idosos está inadimplente por causa do não pagamento das contas de água e também de luz.

Por Russel

Idosos inadimplentes



Descaso com a saúde dos idosos – Uma história real


O envelhecimento não acontece para alguns e sim para todos, sendo assim devemos nos preparar para a aceitação dessa nova fase, que não é nada fácil. Vários fatores podem tornar esse processo ainda mais desgastante, o descaso com os idosos é o meu foco nesta postagem.

É inaceitável como se trata o idoso; relatando experiência própria fiquei indignada quando meu pai aos 73 anos precisou de atendimento médico, primeiro foi levado a um hospital onde o descaso do médico poderia ter levado ele a óbito, ficou sentado em uma cadeira no meio do corredor sentindo muita dor, foi medicado com um analgésico e em seguida o mandado para casa.

Logo tiveram que retornar para o hospital, mas para outro hospital, então veio à notícia: ele estava enfartando e o médico ficou indignado com o atendimento do seu colega, daí foram 15 dias de internação em uma emergência super lotada e condições precárias, onde acontecem atendimentos pelos corredores do hospital. Em meio tudo isso estão nossos idosos com saúde já fraca e agora ainda mais abalada por tudo que presenciam.

Gostaria muito que nossos governantes tivessem uma visão especial, um cuidado melhor para com a saúde dos nossos idosos, melhor idade depende de uma saúde bem cuidada isso é apenas um dos DIREITOS dos IDOSOS.

Se não for assim, afinal, pra que existem estatutos e leis se não funcionam?

Por Aline Medeiros da Silva