Atualizações anteriores



Empréstimo Consignado – FGTS poderá ser Usado como Garantia


Confira aqui as regras para realizar um empréstimo consignado usando o FGTS como garantia.

Os trabalhadores já podem usar a nova linha de crédito, que deve ser uma das mais baratas do mercado. Eles podem usar o saldo do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) para realizar empréstimo consignado, ou seja, o desconto será realizado na própria folha de pagamento.

A nova linha de crédito pode ser utilizada por trabalhadores da iniciativa privada que tenham saldo no FGTS, a taxa de juros é de até 3,5% ao mês, que chega a aproximadamente 51% ao ano, o prazo máximo é de 48 meses e o limite de garantia em caso de inadimplência corresponde a 10% do saldo do FGTS, e em caso de desemprego, 100% da multa por demissão por justa causa.

Por oferecer risco mais baixo para os bancos, estima-se que as taxas devem ter valores acessíveis para os trabalhadores. Todavia, eles correm o risco de perder a poupança que os protegem se ocorrer desemprego. Desta forma, cabe ao colaborador avaliar se vale a pena ou não aproveitar a nova modalidade de crédito.

Segundo o Banco Central, por exemplo, em fevereiro a taxa média cobrada dos trabalhadores do setor privado no crédito consignado era em torno de 43,8% ao ano e os juros do cartão de crédito chegavam a aproximadamente 486% no mesmo mês. Em relação aos juros médios cobrados, em todas as modalidades de crédito para as pessoas físicas correspondiam a 73,2% ao ano.

Além disso, de acordo com o Ministério do Trabalho, devido à garantia do FGTS, as taxas do consignado não poderão ultrapassar cerca de 3,5% ao mês. A nova modalidade é indicada para as pessoas que estejam com dívidas elevadas como, por exemplo, as que são relacionadas com o cheque especial ou do cartão de crédito.

Segundo a agência de classificação de risco Moody’s, a modalidade de empréstimo consignado é recomendada para os bancos, pois diminui o risco de perda com crédito em caso de demissões. Desta forma, a garantia do FGTS é positiva, uma vez que os bancos não tinham acesso a estes recursos quando o trabalhador era demitido. Entretanto, o colaborador precisa avaliar e ponderar se realmente vale a pena fazer este tipo de empréstimo.

Por Babi



Empréstimos pelo BNDES ultrapassam R$ 168 bi em 2010


Diante da crise financeira mundial, cada país tentou, à sua maneira, buscar soluções para minimizar os prejuízos. O Brasil, por exemplo, adotou uma série de medidas de estímulo, entre elas isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) aos setores de veículos automotores e linha branca, entre outros.

O segmento produtivo do país conseguiu, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), empréstimo de R$ 168,4 bilhões no ano passado, montante superior em 24% ao conquistado em 2009. Comércio e serviços, infraestrutura, agropecuária e indústria foram os ramos beneficiados.

O resultado foi alcançado devido ao Programa de Sustentação do Investimento (PSI), lançado em junho de 2009 como medida para conter o colapso financeiro global – no final de março deve ser extinto. Com ele, o Brasil obteve retomada de investimentos, inclusive com extensão a bens de capital.

O setor de máquinas e equipamentos conseguiu levantar R$ 52,7 bilhões no ano passado por meio da linha de crédito Finame. O Procaminhoneiro foi outro programa com bons recursos angariados, mais precisamente R$ 6,6 bilhões, então destinados à renovação de frotas.

No total, aproximadamente 610 mil operações de crédito foram realizadas em 2010, alta de 56% frente a 2009. De todo o volume, 93% foram voltados às micro, pequenas e médias empresas, bem como a pessoas físicas.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Secom



Anefac – Juros de Cartões de Crédito, Empréstimos Pessoais e Cheque Especial – Novembro de 2010


Informações levantadas pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) indicam que os juros em operações de crédito tornaram a crescer no mês passado após quatro períodos de recuos seguidos, com exceção para os praticados no cartão de crédito rotativo, que teve sustentada sua taxa.

Matéria exprimida pela Band Online revela que a taxa de juros para o consumidor passou de 6,69% em outubro para 6,74% em novembro, ao mês. O cheque especial, que com o passar dos dias cai em desuso perante o dinheiro de plástico, atingiu seu maior valor desde abril do ano passado para 7,59% ao mês, contra 7,44% de antes.

Em relação ao empréstimo pessoal nas financeiras houve reajuste para 9,48%, 0,06% acima do índice anterior. Para as empresas, por outro lado, o crescimento foi mais ameno entre outubro e novembro, de 3,76% para 3,79%.

Para Miguel Ribeiro de Oliveira, coordenador do levantamento, o aumento reflete a crise no Banco do Grupo Silvio Santos, o Panamericano, assim como o anúncio feito pelo Banco Central (BC), que majorou os depósitos compulsórios e incrementou o requerimento de capital para as operações com prazos acima de dois anos relacionadas a crédito para pessoas físicas.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Crédito Financeiro – Empréstimos BRDE


O segundo semestre de 2010 promete ser mais interessante no que diz respeito a credito financeiro.

Serão R$ 1,3 bilhão de recursos para empréstimos concedidos pelo BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento Econômico do Extremo Sul, contra R$ 670 milhões ofertados no ano passado, no mesmo período.

O BRDE ainda garante que poderá aumentar esse número se assim determinar a demanda. Apenas no Paraná o número de recursos chegou a R$ 570 milhões em 2009 e as expectativas são as mesmas para este ano, principalmente no setor agropecuário.

Em 2009 o Paraná foi responsável por 47% do total dos financiamentos realizados pelo BRDE. As cooperativas são as campeãs na busca por crédito junto ao BRDE, com 62,7% das contratações. Os produtores rurais vêm em seguida com 17,3% e na seqüência estão as empresas de médio e pequeno porte, com 13,8% e 4,8% respectivamente. As microempresas foram responsáveis por 1,4% dos financiamentos concedidos.

Por Cíntia Foloni Santoro



Caixa Econômica pode Comprar Banco e Atuar em Crédito de Varejo


Fontes da Caixa Econômica Federal apontam que a instituição deve finalizar, em breve, sua primeira compra participativa de uma entidade financeira. Com isto, a CEF poderá atuar em locais pouco explorados anteriormente. Boatos denotam que um banco de médio porte, com atuação no crédito de varejo, deve ser o alvo aquisitivo.

O negócio será concluído pela CaixaPar, então subsidiária da Caixa Econômica Federal, criada no ápice da crise financeira mundial para a aquisição de participações acionárias em outras companhias. Atualmente, revela um executivo que não se identificou em reportagem ao jornal O Estado de S. Paulo, aspectos técnicos da operação estão sendo finalizados.

Para o governo brasileiro, a importância de ter um banco público na área de crédito pessoal pode aumentar a concorrência com os bancos privados, possibilitando, inclusive, que taxas de juros sejam baixadas.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Emprestar dinheiro – você tem este costume?


Você tem o hábito de pedir dinheiro emprestado? Sim? Que tal reorganizar o seu orçamento?

Preste muita atenção nas taxas de juros cobradas por bancos e financeiras. Se os juros forem muito altos, não vale a pena solicitar o empréstimo.

Cuidado também ao solicitar antecipação do Imposto de Renda. Muitas vezes isso pode significar uma malha fina.



Agora é mais fácil conseguir financiamento para reformar e construir


Agora está mais fácil conseguir financiamento para reformar ou construir a sua casa através da Caixa Econômica Federal.

Existem dois tipos de finaciamentos para a reforma e construção. Um para quem ganha mais do que R$1.900, onde o limite de financiamnto é de acordo com a renda e os juros sào de 20% ao ano.

Outro financiamento é para pessoas que possuem renda familiar de até R$1.875, neste caso, o limite, que antes era de 7 mil reais, passou a ser de R$ 25 mil. Antes, o prazo para pagar o financiamento era de 96 meses e agora passou a ser de 120 meses.

Para conseguir o empréstimo, não precisa mais de garantia ou de fiador, pois este tipo de financiamento utiliza os recursos do fundo de garantia com juros de 5% ao ano.

Outra novidade é que além dos materiais tradicionais para reforma e construção, o cliente poderá comprar móveis embutidos para a casa com o dinehiro do financiamento e, 15% do total do finaciamento pode ser utilizado para pagar mão-de-obra.

São 40 mil empresas conveniadas no Brasil que aceitam o cartão de finaciamento da Caixa.



Trabalhador que teve o seu salário reduzido poderá conseguir descontos em empréstimos


A Febraban – Federação Brasileira dos Bancos realizou um acordo com a Força Sindical, que orienta as instituições financeiras a reduzirem ou suspenderem o valor das prestações dos empréstimos consignados de trabalhadores que tiveram seu salário reduzido, por conta da crise econômica.

A redução do valor descontado deverá ser proporcional a redução do salário do trabalhador. Por exemplo, se o trabalhador, que realizou um empréstimo, sofrer uma redução de 20% no seu salário, o valor da parcela descontada em sua folha de pagamento que antes era de R$ 100, passa a ser R$ 80, ou seja, 20% a menos.

Os valores descontados na parcela serão acrescidos no final do pagamento do financiamento.