Atualizações anteriores



Ipea registra aumento do emprego formal no país


Os dados do emprego de 2010 foram relativamente importantes à ascensão da economia brasileira. No período, o Ministério de Trabalho e Emprego registrou 2,5 milhões de vagas com carteira de trabalho assinada. Embora positivos, os índices não devem se sustentar pelos próximos anos, a não ser quando o país receber a Copa do Mundo de 2014, que de modo temporário até pode apresentar contratações efetivas.

Estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que de 2001 a 2009 o percentual de trabalhadores formalizados no mercado de trabalho subiu de 37,9% para 44,2%, dados que incluem empregados com registro em carteira de trabalho e funcionários públicos estatutários.

Apesar dessa informação, o estudo revela que boa parte da população brasileira economicamente ativa permanece na informalidade. De acordo com Sandro Sacchet, técnico de planejamento e pesquisa do Ipea, enquanto o incremento da formalização foi motivada, sobretudo, pelo nível mais elevado de geração de vagas formais, o crescimento do emprego informal até ocorreu em bom ritmo, porém, com baixa criação de oportunidades.

Distribuído por regiões, o levantamento aponta que a região Nordeste contraiu maior número de trabalhadores formais entre 2001 e 2009, com alta de 27,4%. O Norte brasileiro também registrou índice louvável, de 24,6%.

Por Luiz Felipe T. Erdei