Destaque em Dinheiro

Atualizações anteriores



Empréstimo Consignado – FGTS poderá ser Usado como Garantia


Confira aqui as regras para realizar um empréstimo consignado usando o FGTS como garantia.

Os trabalhadores já podem usar a nova linha de crédito, que deve ser uma das mais baratas do mercado. Eles podem usar o saldo do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) para realizar empréstimo consignado, ou seja, o desconto será realizado na própria folha de pagamento.

A nova linha de crédito pode ser utilizada por trabalhadores da iniciativa privada que tenham saldo no FGTS, a taxa de juros é de até 3,5% ao mês, que chega a aproximadamente 51% ao ano, o prazo máximo é de 48 meses e o limite de garantia em caso de inadimplência corresponde a 10% do saldo do FGTS, e em caso de desemprego, 100% da multa por demissão por justa causa.

Por oferecer risco mais baixo para os bancos, estima-se que as taxas devem ter valores acessíveis para os trabalhadores. Todavia, eles correm o risco de perder a poupança que os protegem se ocorrer desemprego. Desta forma, cabe ao colaborador avaliar se vale a pena ou não aproveitar a nova modalidade de crédito.

Segundo o Banco Central, por exemplo, em fevereiro a taxa média cobrada dos trabalhadores do setor privado no crédito consignado era em torno de 43,8% ao ano e os juros do cartão de crédito chegavam a aproximadamente 486% no mesmo mês. Em relação aos juros médios cobrados, em todas as modalidades de crédito para as pessoas físicas correspondiam a 73,2% ao ano.

Além disso, de acordo com o Ministério do Trabalho, devido à garantia do FGTS, as taxas do consignado não poderão ultrapassar cerca de 3,5% ao mês. A nova modalidade é indicada para as pessoas que estejam com dívidas elevadas como, por exemplo, as que são relacionadas com o cheque especial ou do cartão de crédito.

Segundo a agência de classificação de risco Moody’s, a modalidade de empréstimo consignado é recomendada para os bancos, pois diminui o risco de perda com crédito em caso de demissões. Desta forma, a garantia do FGTS é positiva, uma vez que os bancos não tinham acesso a estes recursos quando o trabalhador era demitido. Entretanto, o colaborador precisa avaliar e ponderar se realmente vale a pena fazer este tipo de empréstimo.

Por Babi



Caixa antecipa o saque do FGTS de Contas Inativas


2ª etapa de saques das contas inativas do FGTS foi antecipada para começar neste sábado, dia 8 de abril.

Desde o mês de março as pessoas que possuem o direito já estão sacando seus saldos que correspondem ao FGTS de Contas Inativas. O cronograma com os vencimentos estipula que esse saldo seja liberado seguindo um calendário que considera a data de nascimento do beneficiado. A 1ª etapa de pagamentos foi realizada no mês passado e a 2ª, prevista para ter início no dia 10 de abril, foi antecipada para sábado, dia 08.

Nesse sentido as pessoas que nasceram nos meses de março, abril e maio e possuem o direito de sacar os recursos de Contas Inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, podem comparecer no sábado nas agências da Caixa Econômica Federal e assim realizar o saque.

Em fevereiro, antes mesmo que os pagamentos começassem a Caixa criou um cronograma com as datas que terminam no mês de julho. Contudo, observando o número de pessoas que devem sacar esse mês, para agilizar essas operações foi decidido que no sábado houvesse expediente. Pois ao abrir no sábado exclusivamente para o pagamento de Contas Inativas, as pessoas ganham mais esse dia em que a maioria não trabalha, além disso, na segunda-feira, bem como no resto da semana, as agências da Caixa não ficarão tão congestionadas, visto que a Caixa possui outros serviços, principalmente na 1ª quinzena do mês.

No entanto, a Caixa avisa que quem, por algum motivo, não conseguiu realizar o saque de seu saldo na data prevista pelo cronograma, ele estará disponível até a data limite de 31 do mês de julho. A partir de então, todos os recursos de contas inativas do FGTS serão recolhidos para o FAT, que é o Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Nesse sentido, se você já sabe que possui saldo de Contas Inativas e faz aniversário em março, abril ou maio, fique atento, reúna seus documentos e compareça a uma das agências da Caixa Econômica Federal que estarão abertas no sábado dia 08 exclusivamente para esse tipo de operação.

Não deixe de realizar o seu saque, ele é um direito seu. Em caso de dúvidas procure a Caixa levando seus documentos e verifique se possui esse saldo.

Fique atento ao calendário e não deixe para a última hora.

Por Sirlene Montes

Dinheiro



Saque de FGTS de Contas Inativas – Prazo para Pagamento


Saque do FGTS Inativo começa neste mês de março de 2017.

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um velho conhecido dos que já estão no mercado de trabalho há algum tempo. Foi anunciado no dia 20 de fevereiro que os trabalhadores terão direito a sacar o valor correspondente a contas inativas até o dia 31 do mês de dezembro de 2015.

Como saber se minha conta está inativa?

É muito simples. Uma conta se torna inativa a partir do momento que deixa de receber depósitos por parte da empresa que te contratou. Enquanto você presta serviço sob registro em uma empresa, ela faz depósitos em sua conta FGTS, quando acontece uma extinção do contrato por algum motivo, a empresa deixa de fazer esses depósitos, tornando assim, sua conta inativa.

Quem pode realizar o saque?

Todos os trabalhadores que possuem contas inativas até 31 de dezembro de 2015. Mesmo que você esteja empregado atualmente, pode fazer o saque equivalente a todas as contas inativas. Não é possível apenas realizar saques em contas ativas, ou seja, você não poderá retirar o valor correspondente à conta que o seu empregador atual alimenta.

Qual o prazo para retirar o dinheiro correspondente da minha conta inativa?

O período de saque se dará entre 13 de março e 14 de julho de 2017. Não existe um limite para saque, portanto, você pode realizar a retirada do dinheiro de todas as suas contas inativas de uma vez.

Como saber se você tem saldo em conta inativa para realizar a retirada?

Para saber se você possui valor para realizar algum saque referente a contas inativas de FGTS, basta identificar o número do seu NIS em sua carteira de trabalho (trata-se do seu PIS ou Pasep), acessar o site oficial da Caixa Econômica Federal e logar no sistema. Feito isso, será possível visualizar o extrato dos lançamentos dos últimos seis meses.

Posso pedir adiantamento do meu saldo FGTS?

Existem alguns bancos que trabalham com essa possibilidade. O Santander, por exemplo, oferece a opção de adiantamento do FGTS para correntistas. Entretanto, esse adiantamento sofre a cobrança de juros, portanto, é importante analisar a real necessidade desse adiantamento, a fim de não se envolver em dívidas desnecessárias.

Carolina B.



Herdeiros podem sacar o FGTS Inativo de pessoas falecidas


Herdeiros devem procurar uma agência da Caixa para solicitar o resgate do dinheiro das contas inativas do FGTS no caso da pessoa que tem o direito já ser falecida.

A partir do próximo dia 10 desse mês de março, os brasileiros que possuem o direito já devem começar a sacar o dinheiro referente ao FGTS de contas inativas, liberados de forma extraordinária como medida de combate a crise econômica do país.

O saque de FGTS de contas inativas pode ser feito por pessoas que tenham trabalhado com carteira de trabalho registrada e que pediram demissão ou que foram demitidas por justa causa, ficando assim impossibilitadas de receberem as parcelas de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. Nesse sentido, esse saldo fica retido em contas nos nomes desses trabalhadores e lhe eram devolvidos quando estes se aposentam, ou sofrem de doença grave ou ainda adquirem casa própria.

Dessa forma, quem possui o direito ao saque deve consulta o calendário do FGTS de contas inativas e verificar a data em podem realizar o saque. A Caixa Econômica Federal que é a responsável pelo pagamento de FGTS aos trabalhadores, desenvolveu o calendário de vencimentos considerando a data de aniversário dos beneficiados. Contudo, os pagamentos se encerram no dia 31 de julho de 2017.

Ainda existem muitas pessoas com dúvidas, e uma das dúvidas que tem levado as pessoas às agências da Caixa é o fato de haver pessoas que possuem esse direito e estas já serem falecidas.

Diante dessa situação em que o portador de conta inativa de FGTS já ser falecido, a Caixa recomenda que o cônjuge ou herdeiro procure uma agência da Caixa solicitando esse resgate.

Para isso será necessário a apresentação da carteira de trabalho do falecido, que é o titular da conta inativa, além de documento de identidade de quem for realizar o saque.

Contudo, se a família não possuir o documento de inventário do titular da conta, a recomendação é de que os interessados compareçam no Instituto Nacional de Seguro Social e solicitem a emissão de uma declaração que afirma não existir dependentes preferenciais.

Caso o titular da conta possua filhos de menor idade, quem for realizar o saque deve apresentar a carteira de identidade e CPF desses herdeiros, a fim de que os valores sejam repartidos e depositados em contas poupança desses menores, para quem quando atinjam a maior idade possam sacá-lo.

Por Sirlene Montes

Dinheiro



Brasileiros que moram fora do Brasil podem sacar o FGTS Inativo


Brasileiros que estão fora do país possuem o direito de sacar o FGTS de contas inativas. Confira como fazer a solicitação.

Os brasileiros que estiverem fora do país também possuem o direito a realizar o saque do saldo de FGTS – Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – em suas contas que se encontram inativas até o fim do ano de 2015, de acordo com o calendário de pagamentos publicado pelo Governo Federal, porém precisam estar atentos às regras divulgadas pela própria Caixa Econômica Federal. São diferentes as regras para quem é correntista do banco e para quem não tem conta na Caixa.

A partir do mês de março, um pouco mais de 30 milhões de cidadãos terão o direito ao saque do dinheiro. Conforme o governo federal divulgou, encontram-se mais de R$ 43 bilhões parados nas referidas contas e a União estima que, do valor total, cerca de R$ 34 bilhões serão retirados pelos cidadãos até o dia 31 de julho.

Caso você seja correntista da Caixa:

O cidadão que estiver fora do Brasil e possua uma poupança ou conta corrente na Caixa poderá optar por receber o dinheiro através de transferência automática, sem ser necessário ir até o consulado.

Caso você não seja correntista da Caixa:

Se o trabalhador não tem uma conta na Caixa, o mesmo precisa obter um formulário chamado "Solicitação de Saque do FGTS" no próprio site da Caixa e então comparecer diretamente em algum consulado do governo brasileiro e apresentar tal documento que deve estar devidamente preenchido, portando os documentos (original e cópia) que comprovem o direito de realizar o movimento da conta vinculada.

De acordo com informações da Caixa Econômica, o documento de solicitação tem de ser assinada diante de um representante do consulado. O saldo será creditado diretamente na conta bancária do titular. Se por algum motivo o cidadão não possuir uma conta bancária no Brasil, o mesmo poderá fazer a indicação de uma conta de uma pessoa de confiança.

O valor será liberado em no máximo 15 dias úteis depois da entrega dos documentos, a qual está condicionada à certificação das condições exigidas para que seja movimentada a conta vinculada do FGTS.

Por Filipe Silva

FGTS no exterior



Prazo para realizar o saque das Contas Inativas do FGTS


A data limite para realizar o saque das Contas Inativas do FGTS é dia 31 de julho de 2017.

Em dezembro do ano passado o presidente da república Michel Temer fez um pronunciamento em que liberava a partir de 2017 o saque do saldo das contas inativas do FGTS. Após esse pronunciamento milhões de brasileiros passaram a acessar o site da Caixa Econômica Federal, que é a responsável pelos pagamentos do Fundo Garantidor por Tempo de Serviço, para obter informações e verificar se possuíam esse direito.

Passados dois meses, o Governo Federal junto à Caixa publicou no último dia 14 o Calendário com as datas dos vencimentos. Segundo esse cronograma todos os saques devem acontecer em um período de 5 meses, que começa no dia 10 do mês de março e se encerra no dia 31 do mês de julho.

A expectativa é de que sejam sacados durante esse tempo cerca de 40 bilhões de reais. Considerando o fato de ser um prazo relativamente curto, a Caixa Econômica Federal anunciou que durante esse tempo irá abrir suas agências duas horas mais cedo. Além disso, ainda está sendo estudado o fato de as agências também se mantiverem abertas nos finais de semana, algo ainda a ser discutido.

Nesse sentido, para que não haja muitas dúvidas e nem qualquer tipo de dificuldades em relação ao FGTS de contas Inativas, foi criado um site para dar todas as informações necessárias sobre o tema que é o www.caixa.gov.br/contasinativas.

A Caixa recomenda que aqueles que possuem o direito de sacar o dinheiro do FGTS de contas inativas fiquem atentos a data no calendário, que é baseado considerando a data de nascimento dos beneficiados.

Nesse sentido, a instituição ainda deixa claro que a data limite para realizar o saque é no dia 31 do mês de julho de 2017. Ao passar essa data ninguém mais poderá realizar o saque, mesmo quem possui esse saldo.

O dinheiro que quem não fazer a retirada até essa data limite será automaticamente transferido para o FAT, que é o Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Dessa forma, se você já verificou e já sabe que possui um saldo a ser sacado, consulte o calendário na página da Caixa e aguarde a sua vez de sacar. Planeje-se e não deixe de sacar na data certa, isso é bom para o Brasil e melhor para você.

Por Sirlene Montes

FGTS



FGTS Contas Inativas – Dúvidas e Informações


Veja abaixo todas as informações importantes sobre o Saque do FGTS em Contas Inativas.

O Que é FGTS

O FGTS é o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, que foi gerado com o intuito de resguardar o trabalhador despedido sem justa causa, através da abertura de uma conta na Caixa Econômica Federal com vínculo ao contrato de trabalho. Onde o empregador tem obrigação de todo o início de mês, depositar o equivalente a 8% do salário do funcionário, como fundo.

O FGTS é composto pela totalidade desses depósitos mensais e esses montantes são dos empregados que, em algumas circunstâncias, podem sacar estas quantias depositadas em seus nomes.

Saque em Contas Inativas

Possuem o direito de sacar as contas inativas de FGTS, todos os funcionários que pediram rescisão de contrato ou tiveram seu contrato de trabalho rescindido por justa causa até 31/12/2015

Quem tem Direito

Qualquer trabalhador com contrato de trabalho formal, inclusive atletas profissionais, trabalhadores rurais, avulsos, temporários e safreiros (que trabalham somente na época da colheita) possuem direito ao FGTS.

Aplicativo para Celular

FGTS Caixa é o aplicativo que auxilia o trabalhador a observar sua conta FGTS com muito mais facilidade. Com esse App o trabalhador pode verificar os depósitos em sua conta FGTS, deixar atualizado o seu endereço e identificar os pontos de atendimento mais aproximados. Tudo pelo seu telefone.

A Caixa disponibiliza o aplicativo para realizar download gratuito, para Android na Google Play, para iPhone na Apple Store e para Windows na Windows Store.

Como Acompanhar seu FGTS

Com o aplicativo, o trabalhador recebe mensagens pelo celular, informando sobre os movimentos em sua conta com vínculo ao FGTS.

Esses SMS avisam sobre o valor depositado mensal pelo empregador, o saldo atual com juros e correções monetárias e quando tiver o saque liberado.

Seguirá sendo emitido normalmente, por meio dos Correios, um demonstrativo anual do FGTS, com as informações referentes as movimentações do ano.

Como Atualizar o Endereço

Esta função pode ser acessada no aplicativo, pelo trabalhador, informando o seu NIS (PIS/PASEP) e sua senha da Internet já cadastrada ou com a utilização da Senha Cidadão.

Nesta função é possível atualizar o seu endereço, caso seja necessário, mantendo suas informações sempre atualizadas.

Como Sacar (Documentos Necessários e Saque do Saldo do FGTS)

Os documentos principais necessários para sacar o FGTS são: documento oficial de identificação (RG), carteira de trabalho e número de inscrição no PIS/PASEP.

O saque de valor inferior ou igual a R$ 1.500,00 podem ser realizados em lotéricas, em correspondentes Caixa Aqui e nos caixas eletrônicos, para pessoas que tenham o cartão do cidadão e senha. Para valor acima de R$ 1.500,00, somente nas agências da Caixa.

Calendário para Saque das Contas Inativas:

Lucineia Fatima Campos



Dinheiro das Contas Inativas do FGTS – Transferência para outros bancos


Quem tem direito a receber o dinheiro das contas inativas do FGTS pode solicitar junto à Caixa, gratuitamente, a transferência eletrônica para outro banco.

A Caixa Econômica Federal anunciou na última terça-feira, dia 14 de fevereiro, mais uma medida que busca facilitar o acesso, por parte dos trabalhadores, aos recursos que estão disponíveis para saque em contas inativas do FGTS. Isso porque os beneficiados que possuírem conta corrente ou poupança em algum outro banco irão poder solicitar, gratuitamente, a transferência eletrônica do dinheiro.

Quem quiser utilizar do recurso, precisa fazer o pedido pessoalmente em um dos caixas, logo que o for liberar o seu saldo. Para valores de no máximo R$ 10 mil, a transferência é possível apenas com a apresentação da carteira de identidade. Acima do valor citado, ainda é preciso apresentar a carteira de trabalho ou comprovante de rescisão de contrato de trabalho que está vinculado à conta inativa.

A medida foi tomada por motivos de segurança, principalmente para os trabalhadores que possuem grandes valores a serem sacados. Dessa forma, evita-se que as pessoas saiam das agências com quantias gigantescas de dinheiro em espécie, chamando a atenção de assaltantes.

Quem não for correntista da Caixa Econômica ou de qualquer outro banco, bem como não possui o Cartão Cidadão, poderá sacar o seu saldo do FGTS, em espécie, diretamente em uma das agências.

Para quem preferir abrir uma conta corrente ou conta poupança na Caixa, precisa fazê-lo antecipadamente à abertura da temporada dos saques, acontecendo esse na data de 10 de março. Com isso, os recursos serão automaticamente depositados, na opção da poupança, e de forma simplificada, no caso de conta corrente.

Com isso, facilita-se todo o procedimento e o acesso ao saldo do FGTS inativo aos correntistas da Caixa. Quem possuir conta corrente no banco, tanto titular como conjunta, precisará autorizar a Caixa para a realização do depósito. Já aqueles que possuírem a poupança, esse procedimento não será necessário, pelo fato de que o depósito será feito no ato da liberação.

E quem possuir o Cartão Cidadão e tiver saldo de até R$ 3 mil para sacar, poderá realizá-lo em qualquer agência Caixa, tanto em canais parceiros do banco, como é o caso das lotéricas e dos correspondentes bancários, como de atendimento que são próprios para isso. Para quantias acima do valor citado, somente serão possíveis os saques em agências.

Quem tiver alguma dúvida sobre a medida adotada, maiores esclarecimentos poderão ser realizados por um telefone disponibilizado para isso, o 0800-726-2017. Além disso, ainda podem sanadas pelo site www.caixa.gov.br/contasinativas ou diretamente em uma agência.

Por Kellen Kunz

Bancos



FGTS Inativo – Caixa pode Depositar Crédito Automaticamente nas Contas


Medida pode ser realizada para aliviar o grande fluxo de trabalhadores buscando o benefício nas agências.

Desde o anúncio feito pelo presidente Michel Temer em dezembro do ano passado, milhões de brasileiros não veem a hora de poder retirar o dinheiro do FGTS inativo, que chega em uma excelente hora por causa da crise que o país enfrenta.

Em meio à expectativa da publicação do calendário com as datas dos vencimentos e também as dúvidas de muitos brasileiros, a Caixa Econômica Federal estuda a possibilidade de criar um site que possua somente informações sobre o FGTS de contas inativas, onde os brasileiros poderão se informar sobre tudo que envolve o assunto, inclusive verificarem se possuem o direito a receber esse saldo, com as datas para realizar o saque e o tempo em que o dinheiro estará a disposição.

A ideia da criação dessa página na internet surge a partir do momento em que se percebeu que um elevado número de brasileiros ainda possui muitas dúvidas em relação ao FGTS de contas inativas e muitas vezes não sabem como consultar o site da Caixa, que atualmente é quem tem essas informações. Nesse sentido uma página específica para o tema facilitaria muito para essas pessoas.

E para facilitar ainda mais, a Caixa também estuda o fato de manter as agencias abertas nos fins de semana, para assim oferecer atendimento para as pessoas que possuem o direito ao saque, a fim de otimizar esse processo, já que são milhões de brasileiros que possuem esse direito e o prazo a princípio determinado para que os pagamentos sejam feitos é de um ano.

Os pagamentos, segundo o calendário divulgado no dia 14 desse mês, têm início no dia 10 do mês de março. É possível que haja uma solenidade em Brasília para a divulgação oficial do calendário e do site do FGTS de contas inativas.

Os vencimentos do Fundo Garantidor por Tempo de Serviço inativo serão pagos da mesma forma que o benefício do PIS/PASEP é pago, considerando a data de nascimento das pessoas que possuem direito ao saque.

Para quem ainda está com dúvidas, é possível fazer a consulta pela Caixa por meio do site www.caixa.gov.br .

Se você tem o direito ao FGTS inativo, confira o calendário abaixo e saiba a data para seu saque:

Sirlene Montes



Saque do FGTS Inativo – Calendário de Pagamento Oficial


Confira aqui o calendário oficial de pagamento do FGTS Inativo.

O Governo Federal irá divulgar oficialmente nesta terça-feira, dia 14 de fevereiro, o tão esperado calendário dos vencimentos do FGTS de Contas Inativas. Após a divulgação do Calendário, os saques devem ter início no próximo mês de março.

Segundo informações preliminares, os brasileiros que têm direito ao saque poderão retirar o dinheiro a partir do dia 10 do mês de março.

O Calendário de Contas Inativas do Fundo Garantidor por Tempo de Serviço deve funcionar da mesma forma que o Calendário do Pis, contemplando quem tem direito considerando a data de nascimento.

O Calendário vai funcionar da seguinte maneira para quem tem o direito ao saque:

– Quem nasceu nos meses de JANEIRO e FEVEREIRO pode sacar no mês de MARÇO;

– Quem nasceu nos meses de MARÇO, ABRIL e MAIO pode sacar no mês de ABRIL;

– Quem nasceu nos meses de JUNHO, JULHO e AGOSTO pode sacar no mês de MAIO;

– Quem nasceu nos meses de SETEMBRO, OUTUBRO e NOVEMBRO pode sacar no mês de JUNHO;

– Quem nasceu no mês de DEZEMBRO pode sacar no mês de JULHO.

Diante disso, observa-se que até o meio do ano todos os saques devem ter sido realizados. A expectativa da Caixa Econômica Federal, que é responsável pelos pagamentos do FGTS, é que durante esses meses sejam sacados cerca de R$30 bilhões, o que deve fazer com que a economia brasileira que se encontra fragilizada pela crise seja movimentada.

Ainda na terça-feira espera-se que seja também divulgada uma página na internet, exclusiva para o FGTS de contas inativas. Onde as pessoas poderão fazer consultas e verificar se possuem algum saldo a receber.

Como o calendário prevê que todos os saques sejam feitos até o meio de ano, a Caixa considera a abertura de suas agências também nos fins de semana, para assim otimizar esse processo. Outra forma de evitar agências lotadas e demora para os saques é a transferência desses saldos para quem possui conta corrente na agência.

Enfim, a liberação do saque das contas inativas do FGTS foi uma medida inédita criada no intuito de auxiliar os milhões de brasileiros que vêm sentindo a crise e movimentar a economia no país.

Sirlene Montes



Saque do FGTS Inativo poderá ser feito no Final de Semana


Caixa Econômica estuda realizar a medida para amenizar a grande procura pelo serviço no próximo mês.

O saque a contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) poderá ser realizado na Caixa Econômica Federal aos finais de semana, ao menos é uma ideia a ser estudada pela instituição bancária, como afirma uma reportagem realizada pelo UOL. Essa ação ocorre para amenizar a grande procura pelo serviço no próximo mês, já que os saques serão autorizados em março. Ainda será divulgado calendário com os dias disponíveis para o serviço.

Desde o ano passado, o Governo Federal anunciou que o cidadão poderia sacar dinheiro de contas tidas como inativas. No caso, se tratam de contas as quais não recebem mais valores em depósitos feitos pelas empresas, após o pedido de demissão, por parte do funcionário, e quando a empresa demite a pessoa com justa causa. Esses valores inativos ficam retidos na conta e têm um rendimento de 3% ao ano. Por isso, é importante consultar o saldo, para verificar se algum valor está disponível para ser retirado.

Esse saque é válido para contas que foram encerradas até 31 de dezembro de 2015. Então, segundo a Caixa, quem não tiver saldo em conta e aqueles que possuírem contratos de trabalho encerrados a partir de 1º de janeiro do ano passado, estão impedidos de sacar os valores.

Quando anunciou essa medida, na ocasião, o governo disse que o objetivo é “estimular” a economia, ao injetar mais de R$ 30 bilhões, segundo informações da “Agência Brasil”. Cerca de 10 milhões de pessoas devem ser contempladas com a medida. Lembrando que o FGTS existe há 50 anos e garante que pessoas que trabalham no regime CLT – carteira assinada – tenham depósitos mensais do equivalente a 8% do salário.

Formas de Consulta

Para saber se há saldo para saque, o cidadão pode realizar essa consulta em app do FGTS, disponível nas plataformas Android e iOS. A consulta também pode ser feita no site da Caixa, mas devido a quantidade de acessos, a página está instável. Em todo caso, outra opção é ter acesso a esses dados em uma das agências da Caixa em todo o Brasil, será necessário informar o NIS/PIS. É também possível realizar essa consulta nas Casas Lotéricas, mas neste caso a pessoa precisa ter o Cartão Cidadão em mãos.

Por Letícia Veloso



Calendário para Saque do FGTS Inativo


Veja o cronograma:

  • Mês de nascimento em janeiro ou fevereiro: sacam em março (a partir do dia 10)
  • Mês de nascimento em março, abril ou maio: sacam em abril (também a partir do dia 10)
  • Mês de nascimento em junho, julho ou agosto: sacam depois de 10 de maio em diante
  • Mês de nascimento em setembro, outubro ou novembro, o saque começa em 10 de junho
  • Quem nasceu em dezembro saca de 14 de julho em diante

 

18,6 milhões de brasileiros devem ser beneficiados com a liberação deste dinheiro.

Em meio a crise econômica, a equipe do Governo Federal decidiu por liberar o saque à contas inativas do FGTS (Fundo de garantia do tempo de serviço) até dezembro de 2015. A previsão é de que 18,6 milhões de brasileiros, de acordo com dados do Ministério do Trabalho, sejam beneficiados com a medida anunciada ainda em dezembro do ano passado.

Na última semana, o governo anunciou que os beneficiários podem sacar os valores entre 13 de março e 14 de julho, porém, ainda não liberou o calendário de recebimentos (que deve ser baseado na data de nascimento, assim como é a liberação do PIS-PASEP). O trabalhador pode consultar se tem direito ao saque através do aplicativo Caixa-FGTS disponível para smartphones Android e iOS, agências e também pelo Site da CAIXA. Além destes canais, quem quiser pode optar por sanar suas dúvidas através do telefone: 0800 728 0207, de segunda a sexta feira, das 8 da manhã às 21 horas e aos sábados das 10 da manhã até às 16 horas.

A expectativa dos economistas do governo é uma injeção de 30 bilhões de reais, justamente para aquecer a economia. Segundo as informações divulgadas pelo Ministério, mesmo o trabalhador estando empregado e assim mesmo ter uma conta inativa, ele pode fazer o saque. Também não haverá limites no saque, sendo que o beneficiário, se optar, pode retirar todo o dinheiro que estiver depositado em sua conta inativa, inclusive aquelas que têm mais de uma conta inativa em seu nome.

Porém, quem não quiser esperar as datas em que o governo deve divulgar (a partir de fevereiro), instituições financeiras estão liberando o montante de forma antecipada, mas com cobrança de juros. O Banco Santander passou a trabalhar com essa modalidade nos últimos dias. Os correntistas podem optar por essa medida com liberação em 24 horas. Os juros, de acordo com as informações do banco, ficam entre 2,59 por cento e 4,59 por cento ao mês.

O FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) recebe depósitos mensais dos empregadores para empregados com carteira assinada. Tem direito a esse benefício todo trabalhador registrado sobre a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), incluindo também os trabalhadores rurais, temporários, avulsos e também atletas profissionais.

Por Leandro de Souza



Valores do Seguro-Desemprego em 2017


O benefício teve um aumento real de R$ 101,48 neste ano de 2017.

Como já é do conhecimento de todos, o seguro-desemprego é um benefício concedido pelo governo federal a todos os trabalhadores que perderam o emprego sem justa causa e não tem como ajudar no sustento da família.

Toda a documentação para dar entrada no benefício pode ser verificada no site da Ministério do Trabalho e Emprego e o agendamento pode ser feito via online também. Vale lembrar que se o trabalhador tiver alguma empresa ativa ou inativa em seu nome, o mesmo não terá direito ao benefício ou se o trabalhador, caso esteja recebendo as parcelas e começar a trabalhar com carteira assinada, o benefício será suspenso automaticamente.

O Ministério do Trabalho liberou nesse mês os novos valores do seguro-desemprego para este ano. O benefício teve um aumento real de R$ 101,48, que é pouco para uma época de crise financeira que assola o Brasil.

Para trabalhadores que ganham até R$ 1.450,23, deve-se multiplicar o salário médio por 0.8, que deve gerar uma parcela com valor de 80% do salário bruto, aproximadamente. Para quem recebe entre R$ 1.450,24 até R$ 2.417.29, deve-se fazer o cálculo da seguinte forma: o que exceder a quantia de R$ 1.450,23 deve-se multiplicar por 0.5 e o resultado deve-se somar a quantia de R$ 1.160,18 para se ter o valor exato da parcela a ser recebida. Nesse caso entram mais de 60% dos trabalhadores brasileiros cujo salário médio fica em torno de R$ 1.800.00. Já para quem recebe acima de R$ 2.417,29, o valor da parcela do benefício será de R$ 1.643,72, invariavelmente. Lembrando que o valor da parcela não pode ser inferior a um salário mínimo, que é R$ 937,00, independente da situação.

O cálculo do valor do benefício se dá de acordo com os três últimos salários mensais do trabalhador na empresa em que tinha vínculo empregatício. Caso o trabalhador só tenha recebido dois salários, a média será feita através dos mesmos.

Para mais informações a respeito de valores ou cálculo do benefício, o trabalhador pode acessar o site www.trabalho.gov.br para sanar suas dúvidas.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Seguro-Desemprego



Seguro-Desemprego – Quem tem direito a receber


O benefício serve como um apoio temporário, para que o trabalhador tenha condições de encontrar outro meio de se manter.

O seguro-desemprego é um benefício garantido ao trabalhador desempregado, que atenda às especificações da lei. Esse benefício serve como um apoio temporário, para que o trabalhador tenha condições de encontrar outro meio de se manter. Os recursos para pagamento do benefício vêm do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). É a quantia recolhida pelo PIS e Pasep pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Quem tem direito:

Tem direito ao seguro-desemprego trabalhadores domésticos ou formais que tenham sido demitidos sem justa causa; trabalhador que tenha sido demitido do emprego por estar frequentando cursos de qualificação fornecidos pelo próprio empregador; pescador profissional em época de pesca suspensa e trabalhador que se encontrava em situação similar à escravidão.

Para usufruir do benefício, o desempregado não pode ter, em nenhuma circunstância outro meio de obtenção de lucro. Há situações em que o empregado combina com seu empregador que quer ter o nome desvinculado da empresa, para que possa receber o seguro, e continuar trabalhando, tendo assim duas fontes de renda. Se o trabalhador for descoberto perderá o direito ao seguro e terá de devolver todo o valor antes recebido. Há casos em que o direito ao benefício é perdido para sempre, e o trabalhador não poderá usufruir mesmo em casos futuros.

Caso o desempregado atenda a todos os requisitos, este poderá fazer uma solicitação ao benefício, que será calculado com base nos três últimos meses em que exerceu sua função. Empregados domésticos, pescadores e pessoas que trabalharam em situação de escravidão recebem somente um salário mínimo.

Solicitação e documentação:

No caso de demissão sem justa causa, a empresa entrega ao trabalhador um Requerimento de Seguro-Desemprego já preenchido. É necessário levar duas vias desse documento a uma agência do Ministério do Trabalho e Emprego, munido dos dois últimos contracheques, Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho (TRCT), Cartão PIS/Pasep ou Cartão do Cidadão, documentos que comprovem depósitos do FGTS, comprovante de residência e escolaridade atualizados, RG e CPF.

O benefício é pago de três a cinco parcelas, que são creditadas em conta, para quem tem conta na Caixa Econômica Federal. Os trabalhadores também podem receber sua quantia em Correspondentes Caixa Aqui ou Lotéricas, sempre munidos de documento de identidade e Cartão Cidadão com senha.

Perda e suspenção do benefício:

O trabalhador pode perder o direito de receber seguro-desemprego em diversas situações, como por exemplo: recusar um emprego com remuneração justa que condiga com sua formação; comprovação de fraude ou falsidade nos dados fornecidos e morte do segurado.

A suspensão do seguro acontece nos seguintes casos: quando o trabalhador é contratado novamente e início de recebimento de outro benefício da Previdência Social, fora pensão por morte e no caso de acidentes.

Quando o beneficiário é recontratado não pode mais receber o seguro. As parcelas restantes são pagas caso o trabalhador fique desempregado e tenha direito ao seguro novamente.

No caso de licenças médicas ou licença maternidade, o período de afastamento é vinculado à empresa, assim não há descontos na avaliação do seguro-desemprego.

Por Fábio Santos

Seguro-Desemprego



Caixa desmente Boato sobre Dinheiro referente ao Abono Salarial


Boato divulgado nas redes socais é desmentido pela Caixa Econômica Federal.

Boatos ou notícias falsas são frequentes na internet. Desde anúncio de compra e venda até notícias de morte de pessoas famosas, a rede se contaminou por falácias. Existem até sites onde se cria e se compartilha informações falsas.

Para tentar amenizar esse tipo de informação, o Google criou uma nova fermenta dentro do seu sistema para conferir a credibilidade ou não das notícias. Essa ferramenta é de extrema importância pois infelizmente algumas pessoas mal intencionadas escrevem a notícia de maneira que parece verdadeira e engana muitas pessoas. Com isso, muitos cidadãos podem ser prejudicados. Esse tipo de seleção que o Google anunciou na reportagem se faz necessário nos dias atuais, nos quais a internet é um dos meios de comunicação mais usados no mundo.

Empresas e órgãos públicos criaram também plataformas para que as pessoas possam checar a veracidade dos fatos. Como é o caso da Coca-Cola , que criou um site para explicar os boatos que saem sobre os produtos produzidos pela marca. O Governo Federal do Brasil também tem o seu sistema para que a população confira a veracidade dos fatos sobre a política Nacional.

Um boato que saiu na internet no mês de março deste ano e iludiu muitas pessoas foi que o Governo Federal pagaria a quantia de até R$ 3.284 para os trabalhadores que tivessem registro na carteira de trabalho por pelo menos dois anos. Segundo o texto publicado, esse valor seria referente a revisão do abono salarial para quem contribuiu para o PIS (Programa de Integração Social). Ficou a cargo de a Caixa Econômica Federal desmentir o boato.

O critério para receber esse benefício do Governo é de acordo com o tempo de trabalho de cada brasileiro. As pessoas não podem sair acreditando em tudo que lê na internet, é preciso checar os dados em sites confiáveis. Notícias como essas, para que não acabem sendo mal interpretadas e reproduzidas tal qual a fonte disse, podem ser verificadas em sites de jornais e revistas. Outra opção seria usar a plataforma desenvolvida pelo Governo para verificar se a notícia é verdadeira ou falsa (http://www.brasil.gov.br/fatos-e-boatos). E claro, usar do bom senso, pois em um Governo que divulga a redução de gastos um aumento como esse é no mínimo curioso.

Por Isabela Castro



Brasileiros utilizarão o 13º salário para quitar dívidas


Pesquisa revelou que 74% dos brasileiros assalariados irão destinar o 13º salário para quitar suas dívidas.

Um estudo indica que a maioria dos brasileiros irá utilizar o 13º salário para pagar suas dívidas. A renda extra servirá para tampar parte do rombo que a recessão econômica acusou no bolso do consumidor.

Uma pesquisa divulgada pela Anefac na última segunda-feira (26) revelou que 74% dos assalariados irão destinar o 13º salário para quitar suas dívidas. A mesma pesquisa realizada no último ano obteve um resultado 8,8% menor do que no ano de 2015.

Dentre os trabalhadores que irão pagar suas dívidas com o 13º, 83% estão inadimplentes com o cartão de crédito e o cheque especial e pretendem utilizar os recursos do fim de ano para regularizar a situação com os mesmos.

Entre aqueles que possuíam dívidas com prestações do comércio houve uma redução de 20% se comparado com os números do ano passado (2014).

O maior vilão do encargo de dívidas do consumidor é o cartão de crédito. Do dividendo total, o cartão de crédito representa 44% das dívidas, seguido do cheque especial, com 39%.

Outra má notícia é que caiu o número de brasileiros dispostos a dedicar o salário extra para presentear a família, amigos e entes queridos neste fim de ano. A pesquisa revela que caiu em 27% o número de consumidores dispostos a comprar presentes. Esse número é preocupante para o comércio, que movimentará menos recursos e como consequência irá gerar menos empregos. A crise é, sem dúvidas, uma reação em cadeia.

Caiu também em 27% o número de consumidores que tem a pretensão de poupar parte da renda para quitar suas despesas do começo do ano seguinte.

De um modo geral, a pesquisa realizada pela Anefac revela que aumentou o número de pessoas que pretendem gastar menos no natal e diminuiu o número de pessoas que pretendem gastar mais. Neste ano, 90% dos consumidores pretendem gastar, no máximo, R$ 500,00, contra 87% no último ano.

Esperamos que a economia retome o crescimento em 2016 e que o consumidor tenha maior poder de compra no fim do ano, além de poder honrar com seus compromissos financeiros.

Por André César

13º salário



PIS/PASEP – Pagamento e como receber o benefício


Informações sobre o pagamento, valores, como receber e quem tem direito a receber o PIS/PASEP.

O benefício PIS/PASEP é uma iniciativa do Governo Federal com objetivo de promover a valorização do trabalhador por meio da distribuição de renda. Neste ano de 2015 começou a ser pago a partir de julho. A expectativa é que seja pago mais de R$ 7 bilhões em benefícios para todos os brasileiros que têm direito.

O valor do PIS é de um salário mínimo, e para ter direito o cidadão precisa ter trabalhado no mínimo 5 anos com carteira assinada, ganhado até dois salários mínimos por mês. Além disso, o benefício do PIS é liberado de acordo com o mês da data de nascimento.

Para sacar o benefício é preciso ter em mãos o cartão cidadão ou o cartão da Caixa Econômica (CEF). Quem não tem nenhum desses cartões e vai receber o PIS pela primeira vez, é necessário ir até uma Agência da Caixa Econômica com um documento de identificação em mãos, e aproveitar a oportunidade para solicitar ao atendente o cartão cidadão. Esse cartão é importante, pois além de sacar o benefício, nele está impresso o Número de Identificação Social (NIS). Porém, para facilitar a vida das pessoas, no site da CEF é possível consultar o saldo do PIS e saber se está disponível para saque – www.caixa.gov.br.

O PASEP é um benefício semelhante ao PIS, porém destinado aos militares, civis e funcionários públicos, pago por ano pelo Banco do Brasil. Para receber o PASEP é preciso ir até uma Agência do Banco do Brasil com o número de inscrição do PASEP e um documento de identificação em mãos. Ressaltando que, o benefício PIS/PASEP 2015 é pago referente aos meses trabalhados e salários recebidos no ano 2015.

Para facilitar e deixar o saque mais prático, o contribuinte que possuir cartão cidadão poderá sacar o benefício do PIS em lotéricas, correspondentes Caixa Aqui e caixas eletrônico. Lembrando que o pagamento do PIS só é liberado de acordo com a data de aniversário do cidadão. 

Por Stephanie Rodrigues do Nascimento

PIS



Arrecadação do FGTS teve queda no 1º semestre de 2015


Queda registrada foi de 24,52% no 1º semestre deste ano em comparação ao ano passado.

As consequências do desemprego são sentidas não só pelos que estão sem trabalho, mas ameaça também quem está empregado. O registro de arrecadação do FGTS sofreu uma queda durante o primeiro semestre deste ano de 24,52% quando comparado ao mesmo período do ano passado.

A diferença entre depósitos e saques feitos no fundo foi de R$ 8,3 bilhões, uma diferença de R$ 2,7 bilhões comparado ao mesmo período do ano passado. É a maior queda no fundo desde o ano de 2011.

A diminuição dos fundos no FGTS atinge a todos os brasileiros, pois esse dinheiro é utilizado para programas como habitação, infraestrutura e saneamento, por exemplo. Só para ter uma ideia, as metas do Governo para investir esse dinheiro até o ano de 2018 seria de aplicar o valor recorde de R$ 76,8 bilhões a cada ano até 2018. Desse valor total, R$ 56,5 bilhões iriam para habitação, R$ 12,8 bilhões para projetos de infraestrutura urbana, e R$ 7,5 bilhões seriam destinados para o saneamento.

Segundo fontes do conselho curador responsável pelo FGTS, a captação líquida, ou seja, o valor dos depósitos menos os saques têm previsão de fechar este ano por volta de R$ 12 bilhões. Valor bem menor do que o do ano passado, onde a captação líquida do FGTS chegou a R$ 18 bilhões.

Somente no acumulado dos seis primeiros meses do ano foram mais de 22 milhões de saques efetuados, o que em valores reais, equivale a R$ 57 bilhões, um valor 17,21% maior do que o mesmo período do ano passado. Enquanto isso, a arrecadação bruta subiu a passos menores, apenas 9,53%. Cerca de metade dos saques registrados no FGTS vieram de pessoas que foram demitidos sem justa causa.

Mas, com toda a redução da arrecadação, a Caixa afirma que não há falta de recursos para os pagamentos dos benefícios dos assegurados pelo FGTS. O banco reserva atualmente três vezes mais do que os saques eventuais registrados, para o caso de alguma eventualidade.

Por Patrícia Generoso

FGTS



Arrecadação de agosto foi a pior para o mês em 5 anos


Arrecadação do mês de agosto de 2015 foi de R$ 93,7 bilhões, atingindo uma queda real de 9,32% referente ao mesmo mês de 2014. Resultado é o pior para o referido mês dos últimos 5 anos.

Mesmo com o atual momento econômico do país juntamente com o forte aumento de tributos por parte do Governo Federal, a arrecadação ainda registra desempenho abaixo do esperado. Através de nota oficial, a Secretaria da Receita Federal destacou que a arrecadação no mês de agosto foi nada menos que a pior para o referido mês em cinco anos. O mês de agosto de 2015 conseguiu arrecadação total de R$ 93,7 bilhões. Tal valor representa uma queda real de 9,32% em relação ao mesmo período em 2014.

Portanto, o resultado de R$ 93,7 bilhões arrecadados é o pior em cinco anos (para o mês de agosto), haja vista os R$ 89,88 bilhões arrecadados em agosto de 2010.

Além disso, a Secretaria da Receita Federal destacou que essa queda significativa em relação a agosto de 2014 se deu devido à arrecadação extra ocorrida no mês do ano passado. Tal arrecadação trata-se do Refis da Copa que injetou mais R$ 7,13 bilhões nos impostos arrecadados em agosto de 2014. Em 2015, por sua vez, o ingresso extra de imposto foi de R$ 2,24 bilhões. Se não considerarmos tal resultado, a queda real no recolhimento de tributos foi de 4,9% em agosto de 2015.

Porém, os resultados negativos em relação ao recolhimento de impostos não é algo exclusivo do mês de agosto. O resultado do acumulado dos oito primeiros meses de 2015 mostra um recuo de 3,68% em relação ao mesmo período em 2014, haja vista os R$ 805,81 bilhões arrecadados. Dessa forma, trata-se do pior resultado para o referido período desde 2010.

É importante destacar que este é um resultado negativo para o Governo Federal e suas metas. Vale ressaltar que 2015 já conta com arrecadações extras, sendo que as mesmas já somam R$ 11,8 bilhões: R$ 4,6 bilhões resultantes de transferência de ativos entre empresas, R$ 1 bilhão é resultado direito de remessas para os residentes no exterior e outros R$ 6,2 bilhões fazem parte da recuperação de créditos atrasados. Em contrapartida, R$ 2,75 bilhões não foram arrecadados em decorrência da universalização do Simples Nacional.

Por Bruno Henrique

 

Impostos



Câmara aprovou uma alta do limite do crédito consignado


Empréstimo consignado, que é descontado diretamente na folha do trabalhador ou do aposentado, teve seu limite aumentado, indo para 35% do valor total do salário.

Na última terça-feira (dia 15), a Câmara dos Deputados aprovou uma medida provisória que aumenta o limite do crédito consignado. O crédito é um tipo de empréstimo, que é descontado diretamente na folha do trabalhador. Podem contratar o chamado empréstimo consignado, empregados com cargo público e aposentados. Antes a margem era de 30% do valor total do salário, e agora a margem vai para 35%. O percentual a mais servirá para incluir as despesas geradas pelo cartão de crédito.

A votação terminou em 249 votos a favor e 200 contra, com 4 abstenções. Inicialmente os deputados deixaram um destaque (proposta para alterar o texto), para ser votado posteriormente, mas o trecho acabou sendo retirado da proposta e não foi votado. Agora a matéria vai em direção ao Senado para ser analisada.

O texto aprovado é de autoria do relator da comissão mista, o senador Valdir Raupp, do PMDB de Roraima. Segundo o texto, o percentual a mais, poderá ser usado para um possível saque, utilizando o cartão de crédito.

Houve críticas por parte de alguns deputados, pela elevação do teto de endividamento do servidor. Esses deputados cobram a redução dos juros cobrados pelas empresas de cartão de crédito. Nas palavras do deputado Edimilson Rodrigues, do  PSOL do Pará, os juros cobrados pelas empresas de cartões são um “saqueio aos recursos do cidadão”.

Uma proposta semelhante foi lembrada pelo deputado Pompeo de Mattos, do PDT do Rio Grande do Sul, na proposta anterior, o aumento previsto para a margem consignável seria de 30% para 40%, a proposta, porém, foi vetada pela Presidente Dilma.

Na avaliação do deputado, a MP é melhor do que a proposta anterior. Segundo ele “dos males, o menor”. O deputado resolveu apoiar a Medida provisória apresentada na terça-feira à Câmara.

O aumento do percentual de endividamento do servidor e dos aposentados é um risco à saúde financeira do brasileiro. Em um período onde a economia não anda bem das pernas, comprometer parte do salário com dívidas pode não ser a melhor coisa a se fazer. Mesmo que o percentual de 5% possa parecer irrisório para alguns, no final das contas representará um gasto representativo para o bolso de quem pagar. Saem ganhando as empresas de cartão de crédito, e o próprio governo, que arrecadarão uma boa fatia de juros.

Por Patrícia Generoso

Crédito consignado



Tipos de aposentadoria – Como escolher a melhor?


A nova regra para a aposentadoria não substitui as alternativas anteriores. Cada caso deve ser avaliado para saber o tipo ideal para o trabalhador.

Com as novas regras para aposentadoria, algumas pessoas podem se sentir perdidas ao escolher o tipo certo de aposentadoria. A possibilidade de se aposentar mais cedo tem deixado muitos brasileiros empolgados, mas é necessário que cada caso seja analisado individualmente, para evitar surpresas na hora de receber o benefício.

A nova regra chamada popularmente de 85/95 é uma alternativa, mas não substitui as alternativas já válidas anteriormente, alertam os especialistas.

Saiba qual a aposentadoria ideal para você:

1 –      Pessoas que começaram a contribuir cedo:

Vamos analisar o caso de um homem que já tem 35 anos de contribuição e tem a idade de 55 anos. Pela nova fórmula (85/95) ele pode perfeitamente se aposentar com a idade de 55 anos já com seu salário integral, o que pode ser bem vantajoso.

2 –      Pessoas que se começaram a contribuir mais tarde:

Analisemos agora, o caso de um homem que começou a trabalhar aos 30 anos, e tem 55 anos atualmente.  Pelos cálculos, seu tempo de contribuição é de 25 anos, e quando somado com a sua idade não dará a soma mínima. Neste caso, o melhor a fazer é esperar mais dez anos, para se aposentar por idade e com o valor total de seu benefício, sob o risco de cair no fator previdenciário

3 –      O que é o fator previdenciário?

O fator foi criado para evitar que muitas pessoas se aposentem muito jovens, contando apenas com o tempo de serviço. Quanto mais jovem o trabalhador se aposentar, menor sua aposentadoria. Porém, quem contribuiu por mais tempo pode até mesmo ganhar mais do que a sua aposentadoria integral. Atualmente, o cálculo do fator é feito levando em conta quatro elementos básicos: a alíquota de contribuição, a idade do contribuinte, o seu tempo de contribuição e também sua expectativa de vida.

A decisão por qual aposentadoria escolher, vai depender destes fatores, e somente o contribuinte pode escolher o que é melhor para ele. Cada caso é diferente de outro.

Por Patrícia Generoso

Aposentadoria



Salário mínimo pode ser de R$ 865,50 em 2016


Governo anunciou o reajuste do salário mínimo de 2016, que pode chegar a R$ 865,50, valor este que pode não ser o suficiente para a população.

O reajuste anual do salário mínimo parece não estar agradando tanto para o ano de 2016. O Governo anunciou, na última segunda-feira (dia 31), o aumento dos atuais R$ 788 para os R$ 865,50. O pagamento do novo valor começaria a ser feito no mês de fevereiro.  O salário é pago atualmente para cerca de 46 milhões de pessoas pelo Brasil.

Mas o que os governantes não divulgam é que esse salário será apenas uma correção baseada no Índice Nacional de Preços ao Consumidor, um índice que é baseado na inflação do país. O valor reajustado para o próximo ano, embora esteja um pouco acima da inflação, pode não ser o suficiente para suprir a demanda de gastos dos aposentados. O Governo projeta que para o ano de 2019, poderá chegar a um salário mínimo no valor de R$ 1.029, prazo máximo onde esse tipo de correção baseado no IPCA valerá.

O Governo garante, no entanto, que esse valor proposto para o próximo ano ainda pode sofrer alguma mudança, baseado nos parâmetros do IPCA.

Previsões anteriores:

No ano de 2012, o Governo previa que o salário mínimo pudesse ultrapassar a barreira dos R$ 800 já no ano de 2015. Porém o crescimento do PIB ficou abaixo da projeção do Governo, resultando em um menor aumento do mínimo.

No entanto as previsões do ano passado para o mínimo de 2016 estão bem próximas do valor anunciado: em março de 2014, a estimativa era de um mínimo no valor de R$ 839,24, e em abril, o valor estimado era de R$ 854, valores bem próximos do anunciado na segunda-feira.

Resta saber se o aumento divulgado para o próximo ano será suficiente para suprir todas as necessidades dos aposentados, já que os índices de inflação atuais estão em alta, e o PIB em baixa.  Parece que o aumento anunciado pelo Governo não empolgou muito os beneficiários.

Por Patrícia Generoso

Salário mínimo 2016



Juros do cartão de crédito chegaram a 395,3% ao ano


Taxa de juros do cartão de crédito bateu todos os recordes e atingiu 395,3% ao ano. Consumidores devem evitar ao máximo utilizar o crédito rotativo.

A taxa de juros do cartão de crédito já chegou a 395,3% ao ano, um índice que bateu todos os recordes desde março de 2011. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (26) pelo Banco Central.

Comparando os meses de julho e junho, a taxa média teve um aumento de 23,2%.

O "rotativo do cartão de crédito" trata-se da operação onde o cliente precisa fazer o financiamento do saldo devedor do seu cartão, pagando somente uma parte da fatura, ou seja, é o que vem acontecendo com a grande maioria dos usuários do cartão de crédito que principalmente nesta época de crise, não está conseguindo pagar o valor total da fatura, pagando muitas vezes apenas o valor mínimo. Mas entram também no "rotativo do cartão de crédito" os saques que são realizados com o cartão.

Túlio Maciel, que é chefe do Departamento Econômico do Banco Central, informou aos consumidores para evitarem a todo custo o "crédito rotativo", que é válido tanto para o cartão de crédito como também para o cheque especial. O custo é altíssimo e não compensa usar estes serviços.

O crédito rotativo somente deve ser usado em caso de uma urgência e mesmo assim, por um curtíssimo espaço de tempo.

O aumento de junho para julho foi de 1,3% para a taxa de compras parceladas com juros, assim como para o parcelamento da fatura do cartão de crédito e também para os saques parcelados, ficando assim, em 119,5% ao ano.

O cheque especial também está com os juros elevadíssimos, a taxa subiu 5,6% de junho para julho e agora está em 246,9% ao ano.

Outro cuidado é quanto ao crédito consignado, aquele onde os descontos são feitos na folha de pagamento, pois apesar de ser bastante tentador, este empréstimo teve aumento nos juros, de 0,5% e está em 27,8% ao ano.

Houve uma queda registrada para os juros do crédito destinado à compra de automóveis, para ver se melhora a venda de veículos. Para este crédito, a queda foi de 0,2%, ficando em 24,5% ao ano.

Por Russel



Custo de vida em São Paulo teve alta de 0,95% em julho


Os principais grupos que impactaram na alta do custa de vida em São Paulo foram Habitação, Alimentação, Educação e Transporte.

O Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) informou que o custo de vida em São Paulo registrou um aumento em 0,95% no mês de julho se comparado com o mês anterior.

O Dieese informou que esse aumento se deve a vários fatores onde podemos perceber que as maiores contribuições para aumentar o ICV (Índice do Custo de Vida) vieram dos seguintes grupos:

  • Habitação (2,69%);
  • Alimentação (0,69%);
  • Educação (0,68%);
  • Transporte (0,12%).

Esse resultado do ICV reflete diretamente nas famílias que apresentam baixa renda, pois nos últimos 12 meses ocorreram um acúmulo de exatamente 10% e no caso dessas famílias ficou em 11,78%, para uma taxa que em 2015 estava em 8,05%.

Outros dados que merecem também uma maior observação são os seguintes:

  • Como a tarifa de energia elétrica teve um aumento de 15,06%, o subgrupo de operações do domicílio teve um aumento de 4,01%;
  • No grupo referente a alimentos, podemos destacar o aumento direto no subgrupo de alimentos in natura e semielaborados (0,94%), onde temos o destaque direto para as raízes e os tubérculos, sobretudo para a cebola (7,05%) e depois para a batata (4,6%). Fora isso, ainda temos o subgrupo de produtos da indústria alimentícia (0,50%) e também alimentação fora do domicílio (0,44%), onde no quesito dos industrializados o leite longa vida teve aumento de 4,16% e o chocolate caiu em 2,06%;
  • No grupo da educação e leitura, o subgrupo da educação teve um aumento de 0,72%, do qual os cursos formais ficaram com 0,97%, decorrentes do reajuste de 2,525 dos cursos universitários;
  • No grupo de transporte a tarifa de ônibus interestadual foi um grande atenuante para o aumento (7,67%) e no caso do transporte individual foi o contrário, onde teve uma diminuição de 0,14%, decorrente a uma queda de 0,66% diretamente dos combustíveis.

Fora tudo isso que foi analisado o Dieese ainda realiza o cálculo do custo de vida da renda dos paulistanos e o divide em 3 partes:

1.       Família de baixa renda com taxa de 1,33%;

2.       Famílias com uma renda intermediaria apresentam um aumento de 1,05%;

3.       Famílias com alta renda obtiveram um aumento de 0,8% no seu custo de vida.

Por Fernanda de Godoi

Custo de vida



Cortes no Orçamento tiraram R$ 4,6 bi do PAC


Novo corte no orçamento da União afetou várias áreas, principalmente, Cidades (com corte de R$ 1,32 bi), Saúde (com corte de R$ 1,18 bi) e Educação (com corte de R$ 1 bi).

Novos cortes no Orçamento da União tiram R$ 4,6 bilhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Exatamente como no corte anterior, em maio de 2015, as pastas que mais sofreram contingenciamentos foram Cidades, Saúde e Educação – sendo que desta vez Cidades foi a mais atingida.  O anúncio foi dado na última quinta-feira (30/07). 

O novo corte orçamentário em números: o Ministério das Cidades teve um corte de R$ 1,32 bi, Saúde R$ 1,18 bi e Educação R$ 1 bilhão – o curioso, considerando a última pasta, é que a presidente Dilma Rousseff definiu como lema de seu segundo mandato "Pátria Educadora", mas o que o cenário apresenta é que o lema foi bem esquecido. De acordo com o Planejamento, Saúde e Educação foram protegidas e o bloqueio foi bem abaixo dos outros.

O motivo desse novo corte é tentar garantir que a nova meta fiscal consiga ser cumprida: 0,15% do PIB (meta anunciada na semana que passou). A Presidência da República não teve cortes de gastos (onde estão os gastos da presidente), mas a da vice-presidência sofreu redução de 15,9% em despesas. 

O valor contingenciado do PAC corresponde a 55% do total do Executivo. Os gastos do PAC se distribuem em vários ministérios, principalmente em Cidades – que abriga as obras do PAC e o Minha Casa Minha Vida – e que sofreu um corte bem significativo – o maior de todos.

Houve cortes também nas emendas dos Parlamentares – 6,6%, indo de R$ 4,9 bi para R$ 4,6 bi. Entretanto, o governo manteve o compromisso de liberar os recursos para tentar evitar derrotas no Congresso Nacional.

Sobre a meta fiscal reduzida (0,15% do PIB), que foi o principal motivo para os contingenciamentos, as notícias não são boas. A agência de classificação de risco Standard & Poor's acabou colocando a nota do Brasil com uma perspectiva negativa, o que pode fazer com que o país perca, em breve, o seu grau de investimento.

Por Elia Macedo

PAC



Queda no valor dos salários para admissão de profissionais


Salários médios apresentaram queda real neste ano.

Com a crise no cenário econômico, houve piora no cenário do mercado de trabalho e, consequentemente, uma queda real dos salários médios para admissão de profissionais com carteira assinada.

No primeiro semestre deste ano, a remuneração média dos trabalhadores brasileiros era de R$ 1.250,39, bem abaixo do valor pago pelas empresas entre os meses de janeiro de julho deste ano. Valor que era de R$ 1.271,10.  A queda é a primeira desde que a série histórica para o indicador foi iniciada, no ano de 2003.

A queda do número de brasileiros com carteira assinada também se relaciona com a piora da atividade econômica e do emprego. O número estimado para a recessão deste ano é de 1,7% e só no primeiro semestre, o país já fechou cerca de 345 mil postos de trabalhos, resultado que é o pior desde o ano de 2002. 

Em alguns estados, a redução do salário é ainda mais grave, atingindo uma queda de 5% no primeiro semestre deste ano. Os estados nessa situação são Pernambuco, Rondônia e Alagoas. A queda do poder de barganha salarial do brasileiro é culpa da alta inflação e da piora econômica do país. Ao mesmo tempo em que mais trabalhadores procuram emprego para melhorar as condições de vida, as empresas oferecem cada vez menos vagas, para frear os prejuízos da crise.

Com a queda dos salários oferecidos pelas empresas que assinam a carteira, o trabalhador vem buscando outras soluções. Até os 12 meses anteriores ao mês de maio, cerca de 213 mil profissionais trocaram o emprego com carteira de trabalho pelo próprio negócio.  Outro fator importante é que os salários sofrem uma precarização entre a admissão e a demissão do funcionário, o fator, segundo os especialistas é culpa da crise econômica, que força os donos de empresas a reduzir o salário de seus funcionários, ou contratar outros com um custo menor aos seus cofres. Com a demanda de empregos cada vez menor, os profissionais submetem-se à mudança de salários, para não perderem seus postos para profissionais que estão em busca de novas oportunidades ou mesmo do primeiro emprego. 

O cenário definitivamente não é dos melhores para o trabalhador brasileiro. Com pouco ou nenhum poder de barganha, os profissionais ficam a mercê das variações salariais oferecidas pelo mercado, para não engrossar o já grande número de desempregados no país.

Por Patrícia Generoso

Queda nos salários



Resgates da poupança registraram alto índice em junho


Em junho valor de resgates da poupança atingiu R$ 6,261 bilhões e no acumulado do 1º semestre valor chegou a R$ 38,542 bilhões.

Em meio ao cenário de crise econômica, muitos brasileiros estão recorrendo aos seus investimentos na poupança. Um dado que evidencia claramente isso é quanto ao valor sacado no mês de junho, haja vista o valor ter ultrapassado em R$ 6,261 bilhões a quantia depositada no mesmo mês. Esse é um dado oficial e divulgado pelo Banco Central. Em relação ao acumulado do primeiro semestre de 2015, o valor total sacado é de R$ 38,542 bilhões.

É importante destacar que os resultados aqui apresentados já preocupam muitos economistas. Ambos os valores, tanto para o mês de junho como para o primeiro semestre de 2015, tratam-se dos maiores valores dos últimos 20 anos para seus respectivos períodos.

Vale ressaltar que o mês de junho de 2015, por exemplo, apresenta resultado superior ao pior mês de junho até então que foi no ano de 1999 quando o resultado ficou negativo em R$ 1,4 bilhão. Além disso, o acumulado do primeiro semestre também é preocupante, pois desde o ano de 2005 não havia sido constatado um volume de resgates maior do de aplicações na primeira metade do ano.

Os resultados negativos em relação aos valores sacados não são exclusividade do mês de junho. Em janeiro, por exemplo, o resultado ficou negativo em R$ 5,5 bilhões e fevereiro seguiu a linha de aumentos registrando R$ 6,3 bilhões negativos. Já em março os resultados foram ainda piores: os valores sacados conseguiram superar os valores depositados em R$ 11,4 bilhões. O mês de abril registrou queda em relação a março, porém, o resultado ainda continuou negativo: R$ 5,8 bilhões. Em maio a caderneta também foi negativa sendo de R$ 3,2 bilhões.

O mês de junho ainda poderia ter sido pior, pois foi no último dia do mês que tivemos o registro de R$ 3,844 bilhões de aplicações a mais que o valor retirado e isso salvou junho de conseguir resultados ainda piores. Ou seja, até o dia 29 de junho o valor negativo da caderneta era de R$ 10,105 bilhões.

Por Bruno Henrique

Poupança



Previsão da inflação para 2015 aumentou para 9,12%


Especialistas elevaram novamente a previsão da inflação para 2015.

A economia brasileira está passando por dias complicados, afetando o dia a dia dos brasileiros. Desemprego, diminuição do crédito, desemprego, aumento da carga tributária, entre outros fatores têm contribuído para uma perspectiva negativa à medida que os meses vão passando. Especialistas de instituições financeiras realizaram uma revisão na previsão da inflação para o ano de 2015 e aumentaram o índice.

Nesta segunda-feira (13), a pesquisa Focus do Banco Central foi divulgada e mostrou que a estimativa da inflação para 2015 é de 9,12%.   Na pesquisa anterior, esse número era de 9,04%, sendo a 13ª semana consecutiva de piora da previsão. Isso deixa um alerta para os consumidores brasileiros sobre o descontrole da inflação, que de acordo com a meta do governo, seria de até 6,5%.   

A pesquisa indicou um ligeiro ajuste para baixo na alta do IPCA no final de 2016. Pela segunda semana seguida de redução, o IPCA para 2016 ficou em 5,44%, contra 5,45% da análise anterior. O IBGE, na semana passada, havia informado que a inflação oficial brasileira acelerou a 0,79% no mês de junho, sendo a maior alta em quase 20 anos para o período. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação brasileira é de 8,89%.  

Já o PIB brasileiro para 2015 tem quase a mesma projeção anterior, com recuo de 1,5%. Os economistas do mercado financeiro haviam previsto um recuo de 1,49% na última estimativa. Caso este número seja confirmado ao final do ano, será o pior desempenho da economia brasileira desde 1990, ou seja, há 25 anos, quando o Brasil registrou uma queda de 4,35%.   

Há duas semanas, o Banco Central admitiu que o IPCA deverá ficar em 9% em 2015. De acordo com o órgão financeiro, a probabilidade de a inflação ficar acima do teto estipulado pelo Governo Federal, em 2015, é de 99%.   Já os juros, segundo os especialistas, passaram a ver a Selic a 12,25% no final de 2016, contra 12,06% nas projeções anteriores. Até o final do ano, a perspectiva é que a taxa Selic, que atualmente está em 13,75%, seja de 14,50%. De acordo com a reunião do final deste mês do Copom (Comitê de Política Monetária), a previsão é que exista uma alta de 0,5%.

Por William Nascimento

Inflação em alta



Itens que a inflação pesou mais e menos em junho


No 1º semestre deste ano a inflação atingiu seu maior índice desde 2003. Grupos como Despesas Pessoais e Transporte foram os que registraram maior alta na inflação e grupo Alimentação e Bebidas foi que menos pesou na inflação.

Desde 2003 que a inflação no Brasil não subia tanto como agora, no primeiro semestre do ano, e os brasileiros vão buscando alternativas para conseguirem driblar a alta dos preços em todos os setores, sendo que alguns subiram mais e outros menos em junho, mas a alta foi generalizada. O IBGE monitora 9 grupos e em 5 deles a inflação pesou bem mais agora neste mês de junho.

E por mais estranho que possa parecer, a inflação pesou muito mais nos jogos de azar, que tiveram um reajuste de 30%, elevando para o alto o grupo das "Despesas Pessoais". Neste grupo, a inflação pesou mais, subindo de 0,74% para 1,63% em apenas um mês.

Outro fator que ajudou na alta da inflação foram as passagens aéreas, um item sempre muito instável no IPCA e que teve uma alta de 29% em apenas um mês e, por isso, o grupo "Transporte" também pesou muito na inflação, dando um salto de -0,29% para 0,70% comparando os meses de maio e junho.
No grupo "Alimentação e Bebidas" a alta foi de 0,63% e no de "Habitação" o aumento registrado chegou a 0,86%.

Em quase 2 décadas, a inflação oficial apresentou a maior alta para o mês de junho e além dos jogos de loteria e as passagens aéreas, as contas de água e esgoto ajudaram a pesar para o aumento da inflação.
E maio, a inflação medida pelo IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor – ficou em 0,74% e em junho foi para 0,79%, sendo a maior alta para o mês de junho desde o ano de 1996. Para o primeiro semestre deste ano a inflação oficial já chegou a 6,17%, o maior índice desde 2003.

Diferente do que muitos acreditavam, a inflação pesou menos nos alimentos, pois com raras exceções, o grupo "Alimentação e Bebida" chegou a desacelerar de 1,37% registrado em maio para 0,63% no mês de junho. Mas isso não significa que os preços dos alimentos caíram, pelo contrário, eles continuam subindo, só que menos do que os grupos que pesaram mais para a inflação de junho.

Tomate, cenoura e hortaliças ficaram mais baratos entre maio e junho. Em compensação, a cebola e o pãozinho francês ficaram mais caros, só que em um ritmo mais lento do que no mês de maio.

Por Russel

Inflação



Alterações no pagamento do Abono Salarial


Metade dos trabalhadores que possuem o direito de receber o abono salarial não poderá retirá-lo neste ano de 2015. Novo calendário engloba julho de 2015 até julho de 2016.

Qual trabalhador não fica ansioso pela chegada do pagamento do abono salarial a que tem direito, não é? Este que pode ser considerado o 14º salário dos trabalhadores brasileiros e que sempre chega para ajudar a quitar dívidas ou no pagamento de outras prioridades é sempre um dinheiro muito bem-vindo para a população em geral.

Mas, é bem provável que a metade dos trabalhadores que possuem sua carteira de trabalho assinada e têm este direito, não poderão receber este benefício em 2015, apenas no próximo ano. E a justificativa para isso é simples, está é apenas mais uma das muitas manobras fiscais adotadas pelo atual governo e que prejudicam principalmente aos que mais seriam beneficiados por este pagamento: a população de mais baixa renda.

Na tarde do dia 2 de julho, o Codefat – Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador atendeu ao calendário de pagamentos do abono salarial proposto pelo governo, que tira quase a metade dos pagamentos previstos para este ano e os inclui no orçamento para 2016.

Com mais esta manobra para tentar controlar as contas públicas, o governo esperaeconomizar neste ano cerca de R$ 9 bilhões.

Os pagamentos, que até no ano passado eram feitos entre os meses de julho e outubro, agora, de acordo com o novo calendário aprovado, serão liberados dentro de 12 meses, de julho de 2015 até julho 2016.

Este novo calendário de pagamentos do abono salarial foi aprovado por 10 votos a favor e 7 contra pelo conselho. Seis representantes de sindicatos dos trabalhadores e também da CNS – Confederação Nacional de Serviços votaram contra esta medida adotada. Em uma nota oficial emitida pela Força Sindical, a entidade fez duras críticas a estas mudanças e as classifica como mais uma retirada de direitos adquiridos pelos trabalhadores ao longo dos tempos.

A alteração aprovada no calendário do pagamento do abono salarial, por enquanto, vale apenas para o ano de 2015. Os pagamentos de 2016 serão discutidos na próxima reunião do conselho que acontecerá apenas em 2016.

Vale lembrar ainda que neste ano, o atual governo já havia tentado reduzir o pagamento do Abono Salarial aos trabalhadores de carteira assinada que recebem até 2 salários mínimos e que tivesse trabalhado ao menos 30 dias no ano anterior. 

Por André F.C.

Abono salarial



Dicas de como melhor aproveitar o seu 13º salário


No final do ano, quando receber o 13º salário, é importante saber como torna-lo mais rentável, para não começar o ano seguinte com dívidas e no vermelho.

Todo final de ano é época de alegria. Além das festas típicas, uma importante parcela do salário é paga para todos os assalariados: o 13º. Entretanto, muitos acabam se deslumbrando com tanto dinheiro na mão e acabam gastando tudo, fato que acaba fazendo com que ingresse o próximo ano no vermelho. Para isso não acontecer, é importante saber como torná-lo mais rentável.

Abaixo, listamos algumas dicas importantes de como cuidar do seu 13º salário:

O que fazer:

– Quitar as dívidas: Assim que receber o bônus, o primeiro passo a dar é quitar as dívidas e saber como negociá-las para conseguir alguns descontos, que são importantes.

– Antecipar os pagamentos: Se você puder pagar suas contas antecipadamente, melhor, afinal, é possível que ganhe algum desconto.

– Impostos e matrículas: Assim que receber o 13º salário, guarde uma parcela para pagar taxas do IPTU, IPVA e também matrículas de colégio.

– Aperfeiçoamento da carreira: Investir na carreira é sempre uma ótima opção, afinal, você estará investindo em seu futuro. Portanto, utilizar o 13º para algo do gênero é interessante.

– Família: Utilizar o dinheiro extra do final do ano para investir em algo para a família ou mesmo para si também é uma opção.

– Aplicar tudo o que sobrar: Uma dica importante é tentar aplicar todo o dinheiro que sobrar, pois, você estará pensando em longo prazo. É interessante aplicar na poupança, o método mais seguro, ou mesmo no Tesouro Nacional.

– Controle: A última dica é não gastá-lo todo desenfreadamente. O ideal é contabilizar todo ele em uma planilha e ir anotando tudo o que gastar, para ter um controle melhor.

O que não fazer:

– Compras: Se você quiser fazer compras, faça à vista, portanto, evite fazer dívidas no cartão de crédito no final do ano.

– Festas: Não se deslumbre com o dinheiro extra e gaste todo ele nas festas. Elas não vão te trazer retorno financeiro.

– Supérfluos: Evite utilizar este dinheiro para comprar itens desnecessários, compre apenas o essencial.

Por Andréa Corneli Ortis

13º salário

Foto: Divulgação



Modelo de reajuste do salário mínimo será usado até 2019


Aumento do salário leva em conta o INPC e a variação dos PIBs dos anos anteriores

Foi anunciado nesta quarta-feira, 25 de março, a nova medida provisória adotada pelo Governo.   

A Medida Provisória 672 tem como principal objetivo a extensão de política de reajuste do salário mínimo nacional até o ano de 2019. A MP foi assinada na última quinta-feira, pela Presidente da República, Dilma Rousseff. Durante a reunião onde Dilma fez o anúncio, estavam presentes diversos representantes das bases sindicais.

Esta medida assegura o aumento do salário de acordo com a correção da inflação obtida no ano anterior tendo em conta o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), somada à variação dos anos anteriores do Produto Interno Bruto.  

A Medida Provisória foi adotada após um acordo com senadores e também deputados dos setores aliados. A resolução positiva estava ameaçada segundo o vice-presidente Michel Temer e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Ambos acreditavam que a MP poderia ser descartada já que havia uma pauta de lei que assegurava até 2019 a fórmula do reajuste do salário mínimo das pessoas que usufruem da aposentadoria.  

Sobre a resolução adotada e a assinatura da MP, Dilma Rousseff afirma que a adoção da medida é necessária para que os trabalhadores possam ter uma vida digna e que o crescimento da economia do Brasil não deve ser feito em detrimento do trabalhador. Ainda acrescentou que esta MP é necessária para que o MPOG possa trabalhar com novos orçamentos ainda em 2015.  

Agora, com a Medida Provisória em andamento, Eduardo Cunha retirou o projeto da manutenção da fórmula do reajuste do mínimo para aposentados. Caso este projeto avançasse e conseguisse a aprovação, a Presidente do Brasil seria obrigada a vetar o reajuste próximo ao dia oficial dos trabalhadores (1° de maio), visto que se Rousseff optasse por aprová-la, a medida iria causar uma perda de R$ 16,4 bilhões nos cofres do país até o ano limite de adoção da MP.   

Por Melina Menezes

Salário mínimo



Rendimentos da poupança deverão perder para a inflação em grande parte de 2015


Muitos brasileiros gostam de realizar o seu investimento através da Caderneta de Poupança, pois é mais seguro, porém, com menores taxas de rendimento do país.

No mês de janeiro de 2015 o rendimento da poupança foi pequeno, e os investidores perderam para a inflação, e isso deve acontecer mais vezes no decorrer do ano. O valor do rendimento da Caderneta de Poupança deverá voltar ficar atraente quando a inflação começar a diminuir, assim como os juros e as demais aplicações.

No mês de janeiro o rendimento da poupança foi de apenas 0,59%, sendo um índice muito abaixo do IPCA (Índice Oficial de Inflação). Em 2014 a poupança perdeu menos, pois ela teve o aumento de 7,5% nos últimos doze meses, mas esse número ainda foi abaixo da inflação que teve o aumento de 7,14%.

Existe a previsão que neste ano de 2015 a poupança renda cerca de 7,44%. De acordo com o IPCA existe a projeção do mercado onde a poupança deverá subir cerca de 7,15%, aumentando a cada semana. No ano de 2014 a estimativa era chegar a 6,53%, porém, o resultado real surpreendeu e foi maior como já descrevemos acima.

Os especialistas mencionam que a poupança já deu sinais de fraqueza no ano passado, e o cliente precisa entender que uma aplicação tão segura como a poupança pode ter rendimentos maiores.

Já existem muitas pessoas que decidiram realizar a variação dos investimentos para aproveitar a Selic (taxa básica de juros) de 12,25%. Quem pensa em comprar um imóvel pode ter essa como a melhor alternativa e com risco moderado.

Os principais investimentos que estão sendo escolhidos por essas pessoas que desejam ter rendimentos maiores do que a poupança são os fundos de multimercado que têm as aplicações de renda fixa e ações.

A expectativa é que a poupança continue rendendo pouco, e o investidor que desejar procurar por investimentos de renda fixa pode fazer isso através das LFTs (Letras Financeiras do Tesouro) que são vendidas pela Tesouro de Ouro. 

Por Yasmin Fernandes Robles

Investimentos



Inadimplência registrou a maior alta para os meses de janeiro desde 2003


Conforme a Serasa Experian, o índice de inadimplência registrou uma alta em comparação ao último mês de 2014. Conforme dados informados pela Serasa, o índice cresceu 4,1% comparado ao mês de dezembro e teve um incremento de 16,7% ao ser comparado a janeiro de 2014.

Desde o mês de janeiro de 2003 não era registrado um índice de inadimplência tão alto, no primeiro mês deste ano foi registrado um crescimento de 7,1%. Segundo as informações concedidas pelo relatório da entidade, o aumento da taxa foi o resultado de um mercado de trabalho menos aquecido, aumentos nos custos nos transportes, energia, impostos e taxas de IPTU e IPVA, taxas de juro. Ou seja, o problema do brasileiro em honrar seus compromissos é fruto de severas mudanças nos preços administrados, aumentos sazonais nas taxas e impostos, crescimento da taxa de juros, além de outros motivos. Ainda de acordo com a Serasa, este foi o maior ritmo de crescimento de inadimplência registrado nos últimos quatro meses.

Este índice também é composto pelas dívidas não bancárias, isto é, dívidas referentes ao cartão de crédito, lojas (varejo e atacado), prestadoras de serviço, entre outras, no caso desse tipo de dívida a inadimplência teve uma alta de 10,4% no primeiro mês de 2015 perante o mês anterior. De acordo com a pesquisa da Serasa, a dívida perante os bancos teve um crescimento de 0,3%.

Uma situação diferente foi registrada no caso de outros tipos como cheques sem fundo e títulos protestados. O primeiro teve uma queda de 9,9%, já os títulos protestados caíram em 12,3% comparado ao mês de dezembro.

O indicador de inadimplência é um registro da quantidade mensal de anotações de casos de inadimplência no país. Esse índice registra somente os casos de pessoa física e possui uma série histórica iniciada no ano de 1999.

No próprio site da Serasa Experian (www.serasaexperian.com.br/estudo-inadimplencia) é possível encontrar um estudo que mostra o mapa de inadimplência no país no ano passado.  

Por Melina Menezes

Inadimpl?ncia



Liberação da consulta ao segundo lote residual do IR 2014


Já está disponível a consulta ao segundo lote residual referente ao Imposto de Renda 2014, segundo informações da Receita Federal. O pagamento aos 160.765 contribuintes está programado para dia 18 de fevereiro.  O valor total a ser restituído ao contribuinte que caiu na malha fina é de R$ 300 milhões, segundo o Fisco. 

A analista de conteúdo Luciane Santos Ribeiro não esperava pela restituição residual. Ela afirma que “o dinheiro veio em uma boa” e será bem utilizado para saldar algumas dívidas que ficaram do ano passado. “Eu fiquei feliz com essa graninha. A gente paga tantos impostos. Bom, mas a restituição poderia ter um valor maior”, afirma.

O contribuinte pode sacar o valor da restituição no prazo máximo de até um ano. O dinheiro será depositado pela Receita Federal na conta corrente informada pela pessoa física durante o preenchimento de dados na declaração do IR (Imposto de Renda).

Caso o saque não seja realizado dentro do prazo, será preciso fazer um requerimento através de preenchimento de formulário online no site da Receita. Há também a opção de realizar a solicitação direto pelo sistema e-CAC (área do portal da Receita exclusiva para solicitações e serviços diversos).

Entretanto, é necessário possuir um certificado digital, uma espécie de documento eletrônico. Segundo o Fisco, o certificado digital é essencial para garantir a segurança de dados durante as transações pela internet.

Se o valor não for creditado na conta bancária, o contribuinte pode entrar em contato diretamente com qualquer agência do Banco do Brasil (BB) ou, se preferir, ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos).

Através de aplicativos para tablets e smartphones, é possível também consultar informações sobre os lotes disponíveis, as declarações do IR, histórico e dados sobre o cadastro do CPF na Receita Federal. Para ter acesso a essas informações, basta baixar nos dispositivos o aplicativo da Receita Federal.

Por Letícia Veloso

Consulta ao lote residual do IR 2014



Saques na poupança foram maiores do que os depósitos em janeiro de 2015


Em recente comunicado pronunciado pelo Banco Central do Brasil foi verificado que os brasileiros realizaram mais depósitos do que saques na poupança em apenas dez dias do mês de janeiro de 2015. Esses números confirmam que em tempo de crise a poupança é  o melhor investimento.  Isso se deve não só a liquidez na hora que o poupador precisa sacar um dinheiro numa urgência, mas também devido ao fato de que o saque não sofre qualquer alíquota do Imposto de Renda.

Segundo a Instituição, dos 21 dias úteis de janeiro em apenas sete deles foi verificada captação líquida positiva. A maior delas foi registrada no último dia útil do mês (30), no montante de R$ 3,066 bilhões. A mais baixa, de R$ 308 milhões, foi apurada no dia 5. Porém, no restante do mês a caderneta de poupança registrou arrecadações negativas.

Ainda segundo fonte do Banco central, foi no dia 12 de janeiro, porém, que o volume de retiradas ultrapassou ao de depósitos, fazendo com que o resgate líquido ficasse em R$ 3,611 bilhões. Para  Banco Central foi um caso preocupante porque a caderneta da poupança teve em janeiro a maior saída líquida (retiradas menos depósitos) da história.

Em um cenário de alta da inflação, dos juros e do endividamento das famílias, os saques da caderneta superaram os depósitos em R$ 5,52 bilhões no mês passado, segundo o Banco Central. É o maior volume para todos os meses desde o início da série histórica do BC, em janeiro de 1995.

No mês passado, o resgate líquido da caderneta ficou em R$ 5,529 bilhões. Em janeiro deste ano, ainda segundo o Banco Central, os depósitos na caderneta de poupança somaram R$ 147,46 bilhões, enquanto os saques ficaram em R$ 152,99 bilhões. O volume dos rendimentos creditados nas contas dos investidores alcançou R$ 3,57 bilhões no mês passado. Portanto, o volume total de recursos aplicados na caderneta reduziu em janeiro.

No fechamento de 2014, o estoque de recursos na poupança totalizava R$ 662,72 bilhões, caindo para R$ 660,77 bilhões em janeiro deste ano, contabilizando uma baixa de R$ 1,95 bilhão.

Por Alexandre de Sá

Saque da poupan?a



Salário mínimo deverá crescer apenas 1,2% entre 2015 e 2018


Seguindo as regras e os anúncios feitos pelo novo governo da presidente Dilma Rousseff, o salário mínimo deve crescer pela metade este ano em relação aos outros anos. Entre 2011 e 2014, o salário mínimo cresceu equivalente a 2,9% ao ano, o que representa um reajuste acima da inflação. Mesmo assim o aumento foi abaixo dos já realizados pelos governos Lula e Fernando Henrique Cardoso (FHC).

De acordo com projeções feitas no mercado, o salário mínimo deve crescer apenas 1,2% entre os anos de 2015 e 2018 devido ao baixo crescimento que o país vem passando. A política tomada pelo governo é de que os reajustes serão feitos atrelados à expansão da economia brasileira, o que vem ocorrendo de forma baixa.

Do jeito que o cenário está apresentando, o governo Dilma deve ficar com valores abaixo de 2%, bem diferente dos 4,7% da época de FHC e de 5,5% na era Lula. Para colocar em valores mais práticos, é como se a moeda real subisse dos atuais R$ 788 para apenas R$ 807 em três anos. Claro que de acordo com o valor nominal, o aumento será maior por causa da inflação.

Esse tipo de cálculo foi adotado desde a época do governo Lula, em que a fórmula de reajustes está de acordo com os ganhos atrelados ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes mais a inflação. Ou seja, o aumento de 2016 será equivalente ao crescimento de 2014, o que a taxa ficaria em torno de 0% e 0,2%. O PIB deste ano será atrelado com o reajuste do salário mínimo de 2017 e assim por diante. Segundo analistas a tendência é que o país fique com uma taxa de crescimento este ano de 0,5%.

Especialistas explicam que o país ainda vai crescer pouco em 2015 por causa da alta dos juros para segurar a inflação e que acaba esfriando o consumo também. E, para segurar ainda mais os problemas econômicos do país, os ministérios da Fazenda e do Planejamento realizam cortes de gastos e elevação de impostos.

Por Carolina Costa

Dinheiro



Dicas do que fazer com o seu 13° salário


Final do ano chega e você recebe da empresa aquele seu tão esperado 13° salário. Sabendo que é um dinheirinho a mais que entrará em seu orçamento, o que você faz? Gasta? Vai fazer aquela viagem dos sonhos?

Bom, seja lá qual for sua decisão, saiba que ela precisa ser tomada com muita cautela, pois caso contrário você correrá o risco de passar o final de ano sem dinheiro nenhum.

Siga as dicas abaixo e veja algumas alternativas de utilizar seu 13° salário:

– Faça investimentos:

Os investimentos são alternativas mais seguras e rentáveis para seu dinheiro. Conheça mais sobre as opções de investimentos e invista de acordo com seu perfil. Pode ser bolsa de valores, poupança, títulos, entre outras diversas formas. Nesse caso, vale a pena investir 100% do seu dinheiro se o retorno dele for rentável para você e se você também conhecer bem a opção que escolheu para investir. Caso contrário, passe mais tempo pesquisando sobre as diversas opções de investimentos do mercado financeiro para ter toda a certeza na hora de investir e não fazer coisa errada, pois o prejuízo pode ser grande e irreversível.

– Utilize apenas 10% do dinheiro:

Você pode fazer também um planejamento com esse dinheiro. Para isso, reserve 10% dele para investimentos de longo prazo ou alguma coisa que você gostaria de fazer, comprar, etc. O restante você pode usar como deve, mas lembre-se de ter total responsabilidade pelos seus gastos. O ideal seria utilizá-lo para alguma necessidade que você já vinha planejando há tempos, como, por exemplo, a reforma de sua casa, a quitação daquela dívida ou ir viajar para ver um parente que mora em outro estado e que você não vê há anos.

Saiba que se o seu dinheiro for usado para uma coisa construtiva, você terá a consciência tranquila de que ele não foi utilizado em vão. Mas lembre-se sempre de investir pelo menos os 10%.

Por Daniela Almeida da Silva



Dicas de onde investir o 13º salário


Com a chegada do fim do ano, todo mundo logo espera os benefícios que são ofertados pelas empresas. Um deles é o 13º salário, que é dado ao trabalhador com carteira assinada em duas parcelas, sendo a primeira em novembro e a segunda em dezembro. Mas, como você pode aproveitar bem o seu 13º? Aqui vão algumas dicas de especialistas.

Ao receber seu 13º, pense bem antes de ir ao shopping e sair gastando esse dinheiro extra que recebeu, pois, caso você tenha alguma dívida alta como a de cheque especial ou cartão de crédito, aproveite a oportunidade para pagar já que os juros que correm sobre essas dívidas são altos. Vá ao banco e veja o que pode ser feito, veja se consegue adiantar parte do pagamento ou mesmo quitar a dívida.

Já para você que não está em nenhuma situação conforme as que foram citadas acima, aproveite para deixar sua casa em ordem, troque o que precisa e pague as festas do fim de ano à vista. Você pode também, guardar o dinheiro para pagar o IPVA, o IPTU e todas as despesas de começo de ano, que logo estão batendo à sua porta. Caso já tenha todo o dinheiro que necessita guardado, você pode investir esse valor, na poupança ou mesmo em investimentos nos bancos, pode também investir naquela tão sonhada viagem com a família e/ou os amigos.

Para que você possa aproveitar o dinheiro do 13º salário para viajar e se divertir, comece o seu ano fazendo um planejamento da sua vida financeira e pessoal, para ter um ano tranquilo e sem dívidas. Todo cuidado é importante para não pagar juros exagerados

Aproveite bem os benefícios que a empresa te oferece para ficar em dia com as contas e se divertir. Comece um ano livre das dívidas e se possível relaxado após todas as comemorações. 

Por Juliana Ghisi

Dinheiro

Foto: Divulgação



Saque do FGTS registrou a marca de R$ 100 milhões entre janeiro e setembro de 2014


Cerca de R$ 100 milhões foram sacados dos recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) entre o período de janeiro a setembro deste ano.

Segundo o que a Caixa Econômica Federal informou no dia 11 de setembro, 38 mil trabalhadores que moram em áreas afetadas por calamidades fizeram a retirada do dinheiro.  

De acordo com as regras vigentes no país, o trabalhador brasileiro tem direito a sacar o FGTS em ocasiões específicas como no momento da aposentadoria, se foi diagnosticado com neoplasia maligna, doença terminal, demissão por justa causa do emprego ou ainda se o imóvel ao qual reside for danificado por uma calamidade natural.  

Henrique José Santana, gerente nacional do FGTS pela Caixa Econômica Federal, afirma que é possível que o trabalhador realize o saque desde que ele resida em uma das áreas comprovadamente em estado de desastre natural ou situação de emergência, reconhecidas pelo governo. Santana ainda declara que "depois de confirmada a situação crítica da cidade pelo Ministério da Integração Nacional, e a casa do trabalhador for afetada, é possível efetuar o saque do Fundo de Garantia".  

Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Acre e Rondônia são os estados brasileiros que foram mais afetados por calamidades naturais este ano. As situações de emergência são decretadas por órgãos de defensoria pública em regiões que recebem fortes chuvas que danificam as condições de moradia.  

O FGTS é disponível apenas para os trabalhadores que apresentam carteira assinada e contrato regido pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). De acordo com o gerente nacional, o fundo é uma boa poupança para os trabalhadores brasileiros. 

O papel do empreendedor que emprega seus funcionários é depositar mensalmente 8% do valor do salário do empregado na conta do FGTS.   

Somado, o patrimônio do FGTS é de mais de R$ 340 bilhões, segundo informa Santana. O valor que não for sacado pelo trabalhador poderá ser aplicado em melhorias de infraestrutura e saneamento básico, além de ser utilizado em financiamento de habitações.  

O trabalhador poderá consultar por meio do site da Caixa ou em um caixa eletrônico do banco o saldo de seu FGTS. 

Por William Nascimento

FGTS

Foto: Divulgação



Mitos e verdades sobre a Previdência Privada


A MetLife, companhia multinacional de seguros, realizou uma lista que apresenta todos os mitos e verdades sobre a previdência privada. Confira a lista abaixo e conheça mais a respeito.    

1. Você pode definir quanto e quando você quer receber a sua renda.

Sim, isso é verdade! Quando o período de concessão do benefício for atingido, a sua reserva acumulada transformará efetivamente em uma renda. Você ainda pode optar pela melhor forma de recebê-la, como rendas vitalícias ou temporárias ou simplesmente como um benefício.  

2. A previdência privada é um investimento que pode garantir uma renda estável para o seu beneficiário ou comprador.

Sim, também é verdade! A maioria das pessoas pensa que a previdência é apenas uma forma de investimento, e não uma garantia de renda.

3. É preciso investir muito dinheiro para aderir a um plano de previdência privada. 

Isso é um mito! Existem alguns planos no mercado que permitem você fazer contribuições a partir de R$ 30 por mês. Outros, ainda depois de abertos, recebem apenas aplicações, e a qualquer momento, para aproveitar "sobras" do investidor.  

4. Todos os planos da previdência são aplicações para longo prazo. 

Sim, é verdade! Fazer o resgate do dinheiro com pouco tempo de investimento não é bom negócio, pois a alíquota de IR é mais alta do que a de fundos de investimento a longo prazo.  

5. O Imposto de Renda tende a aumentar à medida que o tempo passa.

Isso depende! Para obter um sistema regressivo, quanto mais tempo seu dinheiro permanecer aplicado, menos imposto você pagará. Já no sistema progressivo não, pois o IR aumentará constantemente. 

6. É possível ter outros benefícios além da aposentadoria. 

Sim, é verdade! Quem contrata o plano pode ter outros benefícios durante o período que for acumulando, como seguro de vida contra invalidez ou morte.

7. A Previdência privada só pode ser indicada para alguns tipos de renda e de classe social. 

Isso é um mito! O benefício mais alto que pode ser pago pela previdência social é de R$ 3.689,66, e são recomendados apenas para quem tem salário superior a este valor. Portanto, o investidor, que começar a investir desde cedo e com valores cada vez mais populares, será uma forma de garantir uma renda complementar com mais estabilidade durante a aposentadoria.

8. Quem é jovem não precisa se preocupar, pois ainda há muito tempo para pensar em investir na aposentadoria, e quem já é velho não tem mais tempo para aderir ao plano.

Isso é um mito! Começar a investir cedo, com apenas uma quantia mensal, poderá acumular futuramente uma boa quantia na aposentadoria. Pois uma pessoa com 45 anos de idade, por exemplo, tem ainda 10 ou 15 anos para poder se aposentar. Nossa expectativa de vida está aumentando, por isso, mesmo que seja um pouco mais tarde, ainda haverá tempo de investir e garantir uma aposentadoria mais estável e tranquila.

9. Caso a instituição escolhida falir, o beneficiário perde todo o dinheiro investido. 

Sim, isso é verdade! Com a Lei Complementar 109, a previdência privada conta agora com uma grande segurança jurídica, e, as regras que regulamentam o setor aumentaram e ficaram mais rígidas para as empresas comercializarem a intermediação do serviço. Por isso, é importante pesquisar e procurar uma empresa sólida e com muita experiência.

10. O segurado poderá migrar para outra entidade. 

Sim, isso é verdade! Durante a acumulação do seguro, a lei permite que o segurado migre sua reserva para outra instituição ou empresa, sem precisar arcar com custos adicionais. 

Por Daniela Almeida da Silva



Projeto prevê aumento do salário mínimo para R$ 779


Enviada ao Congresso Nacional a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) que prevê salário mínimo de R$ 779, valor de R$ 35 ao comparar com a quantia atual (R$ 724). Apesar do aumento, o projeto não traz os R$ 800 que foram acordados entre trabalhadores e Dilma Rousseff.

Em termos de percentuais deve acontecer aumento de 7,7%, o que proporciona crescer a economia nacional em três por cento, conforme estimativas por parte do governo. Com tais valores o poder público deseja alcançar meta de inflação na casa de cinco por cento ao ano de 2015, de acordo com índices medidos no IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

Tal projeto segue ao Plenário e precisa de aprovação por parte dos parlamentares até antes da data do recesso parlamentar, prevista para 17 de julho. Não se pode ignorar o fato de que para 2015 acontece o último cálculo que leva a regra atual para corrigir a renda mínima (Inflação do período anual anterior adicionada ao PIB de dois anos anteriores).

Com o projeto, governantes indicam que esperam obter superávit primário de R$ 143 bilhões, quantia que serve para pagar os juros referentes à dívida pública. O valor se equivale em quase três por cento do PIB (Produto Interno Bruto), ou seja, soma dos bens e serviços produzidos no Brasil.

A meta do superávit deve ficar em torno de dois por cento do PIB, o equivalente em quase R$ 115 bilhões, ao levar na conta os aproximados 29 bilhões de abatimento aos fundos que se destinam ao PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

LDO servem para direcionar as regras da LOA (Lei Orçamentária Anual), sobre a origem e os objetivos dos recursos públicos usados por governantes. Seus números legais servem para direcionar o dinheiro usado no ano seguinte para serviços, obras, entre outras prioridades.

Por Renato Duarte Plantier

Proposta de novo sal?rio m?nimo

Foto: Divulgação



Suíça poderá ter o maior salário mínimo do mundo


O trabalho é algo extremamente essencial para o ser humano e está presente em nossas vidas desde o nosso surgimento até os dias atuais. Após as diferentes fases do trabalho, o mesmo passou a virar um emprego logo após a Revolução Industrial, sendo assim, os trabalhadores passaram a ser empregados e serem assalariados. A questão salarial varia de acordo com cada país, suas leis, bem como outros detalhes como, por exemplo, países subdesenvolvidos tendem a dispor de um piso salarial baixo.

Uma notícia que já “correu” todo o mundo é justamente quanto ao fato da Suíça ter organizado um referendo, em 18 de maio de 2014, onde através desse referendo será decidido se o país e irá dispor do maior piso salarial do mundo. Para quem ainda não sabe, a Suíça é um país localizado na Europa e também um dos mais desenvolvidos do mundo.

Em relação à votação no referendo é importante destacar que os suíços irão, por meio de votação decidir se o piso salarial do país passará a ser de 4.000 francos, o equivalente hoje a cerca de R$ 10.000. Esse é um valor bastante alto e, por isso vem ganhando bastante destaque em toda a imprensa internacional.

Uma das curiosidades em relação ao possível novo valor do piso salarial suíço é justamente quanto ao fato de que se o mesmo for aprovado será nada menos que 13,8 vezes maior que o valor brasileiro, que atualmente é de R$ 724.

Vale ressaltar que cerca de 90% dos trabalhadores suíços já ganham mais do que o piso salarial proposto, 4.000 francos, porém os empregadores afirmam que a proposta iria aumentar o rendimento em toda a economia suíça. Além disso, a proposta ainda tem o forte apoio dos sindicatos suíços, que usam como argumento o fato dos preços praticados no país, dessa forma, o ajuste do piso salarial seria uma necessidade.

É importante destacar que pesquisas já foram feitas em relação à opinião dos suíços sobre o ajuste do piso salarial, onde 52% estão propensos a rejeitar a proposta. Porém, no mês passado (março de 2014) outro instituto do país divulgou que esse mesmo percentual apoiava a medida.

Por Bruno Henrique



Revisão dos valores do FGTS de acordo com a inflação impactaria no mercado imobiliário


Revisaros valores do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de acordo com os movimentos da inflação resultaria em milhões de revisões nos contratos de financiamento à habitação, afirma o procurador geral do BC (Banco Central do Brasil), Isaac Sidney Menezes Ferreira. O mercado imobiliário receberia um choque o qual de forma difícil conseguiria se recuperar.

De forma prática as ações que se encontram no STF (Superior Tribunal Federal) e STJ (Superior Tribunal de Justiça), de cidadãos que reclamam da política monetária do FGTS, objetivam solicitar a correção de acordo com a inflação dos períodos.

A diferença é grande nos números. Por exemplo, no começo do ano de 2014, enquanto a TR quase atingiu a casa dos 0,20%, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) registra quase 6% de inflação.

Não se pode ignorar que o BC solicitou a licença para julgar ao levar em conta que o órgão tem a responsabilidade de fazer o cálculo da TR (Taxa Referencial), conforme regras ditadas no CMN (Conselho Monetário Nacional).

Vale ressaltar que a TR também objetiva corrigir a política de valorização dos valores que se encontram em depósito no FGTS. De forma prática, a mesma fórmula de renda é usada para corrigir a conta poupança.

Em terras nacionais o empregador tem dever de depositar oito por cento do valor referente ao salário bruto, sem desconto, registrado em carteira assinada aos trabalhadores de regime CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). A quantia segue ao Fundo que pode ser usado para diferentes formas de consumo.

Isaac Sidney Menezes Ferreira diz que a média dos juros atuais de financiamento para casa própria se encontra em aproximados 7%. Caso acontecesse a revisão do FGTS, de acordo com a inflação, o valor do juro iria à faixa dos 11%.

Comente e opine. Diga se é contra ou a favor de revisão da renda no FGTS.

Por Renato Duarte Plantier



Proposta para modificar as regras do Programa Bolsa Família foi rejeitada no CAS


PSDB e PT travam luta no Senado Federal ao discutir a proposta dos tucanos que objetiva modificar regras do Programa Bolsa Família, apresentada por Aécio Neves. A CAS (Comissão de Assuntos do Senado) rejeitou a proposta duas vezes, fato que indigna os magistrados que concordam com a pequena reforma.

Entre as propostas de mudança vale ressaltar a presença de seis meses adicionais de benefícios às famílias que demonstrem aumento de renda durante o período de fiscalização, que acontece a cada dois anos. Aécio diz que estranha o fato do PT impedir com que exista maior segurança nas finanças dos trabalhadores e das famílias brasileiras.

De forma frequente o senador Aécio Neves vem a público para criticar os petistas. Depois de acontecer segunda recusa da proposta, na CAS, o magistrado começou a criticar o PT ao afirmar que as políticas assistencialistas acontecem no Brasil antes da ascensão de Lula e Dilma no poder executivo.

Aécio acredita que caso chegasse um extraterrestre e presenciasse a Comissão, de forma provável esse ser iria pensar que algo acontece de errado. O senador aponta que se a proposta fosse apresentada por camaradas petistas, de maneira provável já estaria aprovada.

O senador tucano também indica que existem falhas a se considerar no Programa, inclusive em termos de acompanhamento. De acordo com as regras da ONU, para estabelecer a linha da miséria o valor per capita deve estar na casa dos R$ 88. Nos dias atuais a Bolsa Família vale R$ 70 por pessoa.

Existem também os senadores que fazem o papel conciliador e não assumem estar contra ou a favor do projeto de Aécio. Esse é o caso de Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) que indica a importância de continuar com o debate referente à matéria sem considerar disputas políticas de partidos, mas a realidade social do país.

Por Renato Duarte Plantier

Bolsa Fam?lia

Foto: Divulgação



Cálculo para o reajuste do salário mínimo em 2015 pode mudar


Vence no próximo ano, 2015, a lei que regulamenta o ajuste do salário mínimo. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, Dieese, o salário deveria ser de R$ 2.700,00. Também segundo informações divulgadas pelo Departamento, 48,2 milhões de pessoas possuem o vencimento ligado ao salário mínimo.

De acordo com os cálculos feitos pelo Governo, o brasileiro tem tido nos últimos dez anos um ganho real de 73,35% nos seus rendimentos. Este cálculo realizado leva em conta o crescimento do PIB e a inflação resultante do período de dois anos.

Este é um assunto polêmico, visto as discussões que gera. Uns admitem que o salário mínimo deveria ser calculado da mesma forma que vem sendo estipulado até agora, outros acreditam que a melhor forma de salvaguardar o ganho real seja mediante o controle rígido da inflação. Centrais sindicais e economistas estão em extremos opostos.

Os economistas são a favor do controle da inflação, isso porque um aumento importante do salário mínimo mexeria também na Previdência Social, sendo assim, defendem que esse controle seja feito e que as regras que atrelam o salário em função da inflação sejam revisadas.

Segundo o ponto de vista dos membros da CUT (Central Única dos Trabalhadores), o cálculo não deve ser revisado nem alterado e afirmam que não irão aceitar qualquer tipo de mudança. Para eles, a mudança no cálculo seria um retrocesso considerando que o salário está no seu melhor momento.

Patrícia Palatieri, coordenadora executiva do Dieese, concorda que avanços na forma de calcular são importantes, mas que essa revisão não levaria a uma diminuição do ganho real. Ela acredita que as regras e a metodologia é que devem ser verificadas e que o valor do mínimo deve sim ser aumentado.

Embora existam discussões sobre o assunto, o Ministério da Fazenda afirma que esse reajuste e a forma de cálculo ainda não estão sendo discutidos.

Por Melina Menezes

Dinheiro

Foto: Divulgação



Maioria dos aposentados recebem um salário mínimo


De acordo com a Associação de Servidores da Previdência e Seguridade Social, mais do que 70% dos aposentados do INSS ganham um salário mínimo por mês, quantia que vale R$ 724.

Sindicalistas dizem que o poder aquisitivo dos aposentados cai há tempos. Em termos reais a quantia da aposentadoria não segue os reajustes que acontecem no salário mínimo dos trabalhadores. Maior número de pessoas para de trabalhar e menos dinheiro há no sistema previdenciário para pagar a quem se aposenta.

A pesquisa da Associação de Servidores indica que dos 31 milhões de aposentados e pensionistas com cadastro no INSS, 21 milhões recebem um salário mínimo ao mês.  O grupo do estudo indica que essa quantia corresponde a 71,6% dos beneficiários do sistema previdenciário.

Não se pode ignorar o fato de que conforme outra pesquisa da Associação de Servidores, feita no ano de 2005, o valor de aposentados que ganhavam um salário mínio era de quase 68%. Em termos práticos, os líderes de sindicatos que representam aposentados se queixam da queda do poder aquisitivo a quem está na aposentadoria.

Warley Martins, presidente da COBAP (Confederação dos Aposentados e Pensionistas do Brasil), enxerga um futuro ruim ao sistema previdenciário. De acordo com o líder, nove em cada dez aposentados devem ganhar um salário mínimo do INSS no ano de 2025, caso o quadro atual não receba mudanças significativas.

Desde o ano de 1998, há 77,6% de queda no acumulado do poder aquisitivo de quem recebe valor superior a um salário mínimo. Se no ano de 2008 o aposentado recebia três salários mínimos, nos dias de hoje ganha um e meio. Exemplo de que a aposentadoria não segue ajustes conforme remunerações pagas aos trabalhadores.

Aposentados prometem não se calar até acontecer aumento real da aposentadoria do INSS, com ajuste referente ao aumento dos valores do salário mínimo. Também prometem permanecer na luta por maior equilíbrio de renda no Brasil, indica a COBAP.

Por Renato Duarte Plantier

Sal?rio m?nimo dos aposentados

Foto: Divulgação



Dicas de boas empresas para investir em ações


Quem investe no mercado de ações tem uma grande chance de ganhar dinheiro, contudo algumas avaliações podem ser significantes para quem deseja investir. Segundo o Infomoney algumas empresas geram mais dividendos que outras e desta vez a Telefônica dividiu o ranking com a Tractebel. O ranking estabelece as empresas com cotações nas bolsas brasileiras, que podem render mais, tornando-se uma ótima opção tanto para investidores com compra direta de ações quanto para fundos de investimentos.

A Telefônica ainda está no topo por conta do crescimento, que apesar de ficar um pouco abaixo do esperado, ainda mantém a empresa como uma boa fonte de investimentos ao médio prazo. Por isso vale considerar quanto tempo você pretende poupar e o segundo ponto é ter um objetivo. O mercado de ações é bom para quem tem outro investimento, pois o retorno pode ser em dois, três ou cinco anos.

É um investimento de risco e por isso é uma boa alternativa, gerando ativos maiores que outras aplicações. O ideal é que os investidores saibam investir e por essa razão buscar informações junto a uma corretora é essencial.

Já a Tractebel se mostrou uma empresa na defensiva, com um fluxo de caixa com números bem acentuados, além do bom desempenho em suas operações. Espera-se que a empresa gere dividendos de R$ 0,85/ação, após divulgar os números do último trimestre de 2013.

Empresas como CCR, Alupar, Grendene, Cielo, Valed, Vale, Banco do Brasil, Bradesco e outras também estão no Ranking da Infomoney, que leva em consideração as indicações de diferentes portfólios.

É possível investir até pouco menos de R$ 200 dependendo dos fundos de investimentos. Principalmente naqueles que podem obter retorno de índices comprados em cotas na bolsa. São os chamados conjuntos de ações, cujos dividendos são automaticamente reaplicados no próprio fundo. Os clubes de investimentos também são opções para quem deseja investir em ações. 

Por Robson Quirino de Moraes



Nova proposta visa que o FGTS seja calculado pelo IPCA


O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um direito trabalhista, o qual tem a função de assistir financeiramente todos os trabalhadores que, por alguma razão, foram dispensados do trabalho sem justa causa. Pelo projeto do FGTS, todos os meses, fica o empregador responsabilizado em depositar na conta do funcionário (Caixa Econômica), o referente a 8% sobre o salário registrado na carteira.  

Apesar de parecer uma regra bem simples a do cálculo e arrecadação do FGTS, o Partido da Solidariedade afirma que é preciso se fazer ajustes no tributo, uma vez que a forma atual com que é calculada – pela Taxa Referencial (TR) – não acompanha as perdas causadas pela inflação.

A proposta apresentada ao Supremo Tribunal Federal, pelas lideranças do partido, almeja que a Suprema Corte dê parecer favorável para que o FGTS seja calculado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), um instrumento de cálculo que se aproxima atualmente, de forma mais precisa, das variações da inflação.

Caso seja deferido esse requerimento feito pelo Partido da Solidariedade, milhões de brasileiros que trabalham na formalidade, com carteira assinada, terão acréscimos sobre o seu FGTS, o que vai permitir que cada brasileiro tenha maiores recolhimentos quando precisarem sacar seu benefício.

O partido argumentou em protocolo apresentado que os prejuízos sobre as perdas de arrecadação estão em torno de 88,3%, se calculados de 1990 até o ano atual de 2014. Traduzindo essa porcentagem em números, significa que cerca de R$ 300 bilhões deixaram de ser distribuídos entre trabalhadores.

Sem dúvidas, uma ação como essa, se a justiça julgar favorável para os trabalhadores, será de grande ajuda para tantos trabalhadores que usam o FGTS para comprar a casa própria, reformar ou até mesmo investir em empreendimentos como o próprio negócio.

Até o momento, a Caixa tem amargado cerca de 40 mil processos de trabalhadores que querem ser ressarcidos no FGTS. O banco estatal ainda não emitiu uma nota oficial sobre esse assunto, mas, adiantou que, caso essa correção venha a ser aplicada, o mercado imobiliário – que é embasado pelo FGTS – também vai passar por reajustes na média entre 12,5% a 14,6% ao ano (atualmente a taxa é de 6,66%).

Por Michelle de Oliveira



Reajuste do salário mínimo para os aposentados


Com o aumento no valor do salário mínimo em quase R$ 50, já que passa do antigo R$ 678 para R$ 724, quem tem muito a comemorar são os aposentados, isso porque uma boa parte recebe de aposentadoria um salário inferior ao mínimo.  

Na lista dos contribuintes que têm direito ao salário mínimo encaixa-se os cidadãos com mais de 70 anos, pessoas caracterizadas como inválidos, desde que recebam a Renda Mensal Vitalícia, a RMV como benefício previdenciário, no valor de um salário. No complemento de quem ainda tem direito a receber, estão idosos com mais de 70 anos e sem condições de auto-sustento, geridos pela Lei Orgânica de Assistência Social, (LOAS), além das pessoas portadoras de deficiência.

De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos (Dieese), o aumento no valor pago vai injetar aproximadamente R$ 28,4 bilhões na economia, sendo que o a somatória representa uma crescente de 6,78% em relação ao saldo depositado em 2013.

Se levarmos em conta apenas o Estado da Bahia, cerca de 80% dos aposentados baianos poderão ver em seu extrato um aumento real em relação ao que recebiam anteriormente, ou seja, o valor a ser recebido é um pouco maior que o pago em dezembro do ano passado.

Como o reajuste é algo desigual, uma parte passará a receber o valor do salário mínimo e com isso uma parcela dos aposentados quase nem perceberá o crédito. Assim que determinado o valor do reajuste, diversas queixas começaram a ser lançadas sobre a nova regra. Marcos Barreto, coordenador jurídico da Associação dos Pensionistas e Aposentados da Previdência Social (Asaprev), disse: “os que recebem acima do mínimo vão ter aumento de 5,7%. Vai chegar o dia em que todos os aposentados vão receber salário mínimo”.

Ainda no quesito contas do governo, o novo salário mínimo pago aos brasileiros acarretará em um impacto de R$ 12,8 bilhões nas contas da Previdência Social. Nas contas da Previdência, aproximadamente 21,4 milhões de contribuintes devem receber um salário mínimo. No montante total, os benefícios correspondem a 48,7%.

Por Paulo Dias

Salário mínimo dos aposentados

Foto: Divulgação



Valor do novo Salário Mínimo pode ser maior em alguns Estados brasileiros


O primeiro dia do ano foi de boas notícias para grande parte dos brasileiros – cerca de 48 milhões de pessoas, afinal o novo salário mínimo nacional foi anunciado. Com aumento de 6,78%, o valor foi para R$ 724,00. Conforme o Estado brasileiro e a categoria profissional, o valor do salário mínimo pode ser ainda maior, pois há outros salários mínimos em vigor no Brasil. Tal medida deve implantar na economia cerca de R$ 28,5 bilhões, que refletirá em ganhos no comércio.

Em relação aos salários mínimos diferenciados, cinco Estados no Brasil possuem salários mínimos designados como regionais, que variam conforme a categoria profissional, são eles: Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo.

No Rio Grande do Sul, os empregados domésticos recebem atualmente salário mínimo de R$ 770,00, o qual será reajustado somente a partir de fevereiro. No Paraná, o salário mínimo dos domésticos (trabalhadores de atividades agropecuárias, florestais e pesca) é ainda maior – R$ 914,82, e será reajustado em maio.

Nos outros três Estados – São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro – o mínimo regional já foi reajustado, sendo de R$ 835,00 em SC, R$ 810,00 em SP e no RJ está em discussão, sendo cogitado o valor de R$ 802,00.

É necessário lembrar que, além do salário mínimo, há pisos mínimos referentes às categorias profissionais. Especialistas alertam que o empregado deve ficar atento, pois o empregador é obrigado a pagar o salário mínimo regional nos Estados onde está estipulado ou então os pisos e salários convencionais previamente definidos. Caso o empregado não receba o mínimo previsto, é necessário negociar. Se as negociações não tiverem êxito, recorrer à Justiça do Trabalho é a melhor opção.

Em órgãos como sindicatos, Ministério do Trabalho e Emprego, e Ministério Público do Trabalho é possível receber informações quanto aos salários.

Por Rafaela Fusieger

Salário Mínimo

Foto: Divulgação



Executivos brasileiros pecam na fluência em Inglês


A consultoria Michael Page divulgou nesta semana uma pesquisa sobre os executivos brasileiros que demonstrou uma situação interessante.

Dentre os 3 mil entrevistados apenas 37% deles possuem fluência no Inglês com salários oscilando entre R$8.000,00 e R$15.000,00 e com idade entre 30 e 45 anos.

De forma mais específica, 50% dos executivos que atuam no setor de serviços possuem Inglês fluente enquanto na indústria apenas 35% tem essa característica e no agronegócio apenas 3% se garantem no Inglês.

Ao estratificar estes dados por região, a Michael Page encontrou que 49% dos executivos em São Paulo possuem fluência em Inglês, 45% destes profissionais no Rio de Janeiro tem esta capacidade.

Fonte: Valor Online

Por Ana Camila Neves Morais



Novas Notas de R$ 50 e R$ 100 entram em circulação


De acordo com informação dada pelo Banco Central nesta sexta-feira, 10 de dezembro, a partir da próxima segunda-feira entrarão em circulação no país as novas cédulas de cinquenta e de cem reais, através dos bancos comerciais.

As novas notas possuem alterações com relação à tecnologia e design, e as cédulas antigas serão retiradas do mercado naturalmente, à medida que forem se desgastando.

Uma questão importante é a facilidade do uso do das novas notas pelos deficientes visuais, em função dos tamanhos diferentes e do relevo mais acentuado para identificação através do tato.

Segundo o Banco Central, as novas cédulas possuem um custo 25% maior em relação às antigas.

Por Elizabeth Preático



Dicas de Como Economizar Dinheiro


Você não vê o dia de receber seu salário, para pagar suas contas, comprar roupas novas, sair prá balada sem se preocupar muito com o  din din. Mas sem que você perceba sobrou mês pro seu dinheiro… então é hora de você começar a se questionar sobre alguns gastos excessivos que anda tendo. Valem então algumas dicas de como fazer sobrar dinheiro no fim do mês!!!

1º – Pense bem antes de sair gastando, pare, pense, respire, pense novamente. Reflita se você realmente necessita do que está comprando, será mesmo util ou vai ficar em casa só ocupando espaço. Evite agir pelo impulso da compra.

2º – Evite comprar "bugigangas", coisas como canetas, brincos, pulseiras, enfeites entre outras coisitas mais, eles podem parecer baratinhos, mas muitas vezes acabam sendo os vilões do mês.

3º – Guarde o dinheiro antes de começar a gastar. Receba o dinheiro, já defina a quantidade a ser destinada à poupança, deposite o valor estipulado, e só em seguida comece a gastar. Pois deixar para guardar o dinheiro que sobra é mais difícil. Até porque pode nunca sobrar…

4º – Procure pesquisar antes de comprar pelo menos em 3 lugares, pois é comum depois que compramos o que queremos encontrarmos o mesmo produto com um valor inferior em outro estabelecimento.

5º – Deixe sempre um valor separado, reservado para momentos de lazer, ou para pequenos imprevistos que possam ocorrer. E nada de recorrer a poupança, Esqueça – a .

Tenha sempre em mente esses 5 passos, com certeza você conseguirá fazer seu dinheiro render mais, e ficar satisfeita ao final do ano, quando poderá comprar o que precisar, sem precisar se endividar, ou quando puder viajar, ou quem sabe até comprar um carro. Já pensou! Vale a pena usar seu dinheiro de forma mais racional. você irá me agradecer por essas dicas.

Por: Carla G. Leme



Novas cédulas do Real – Veja como vai ficar cada nota


O Banco Central lançou a segunda família de cédulas do real. As alterações foram feitas para evitar fraudes, com mais tecnologia e novos itens de segurança.

A novas notas terão as mesmas cores das antigas, com a imagem da efígie da república estampada na frentre e animais da fauna brasileira no verso.  Alguns elementos gráficos foram alterados para facilitar a identificação e a autenticidade das notas.

A grande novidade é que, a exemplo das notas do Euro, as novas notas terão tamanhos diferentes, conforme o seu valor: notas mais baixas serão menores do que as notas com valor maior.

Esta diferença de tamanhos e a existência de novas marcas táteis em relevo, facilitará a identificação das notas pelos deficientes visuais.

As primeiras notas a serem lançadas, ainda no primeiro semestre deste ano, serão as de R$ 50 e R$ 100, pois são mais suscetíveis de falsificação. As notas de R$ 10 e R$ 20 entrarão em circulação a partir do primeiro semestre de 2011. A previsão é que até 2012 todas as novas notas estarão em circulação.

As células antigas continuarão valendo até substituição integral das notas.

Confira como vai ficar cada nota do Real:

Fotos: Divulgação



Resgate do Plano Collor pode ser feito até fevereiro


O ex-presidente Fernando Collor de Mello é, até hoje, considerado o grande responsável por um dos maiores escândalos nacionais. À época, milhares de pessoas foram prejudicadas com o resgate de dinheiro da caderneta de poupança, este feito da noite para o dia, sem o consentimento da população.

Durante os anos subsequentes, principalmente após o Impeachment de Collor, pessoas passaram a entrar na Justiça para reaver o dinheiro, mesmo que não integralmente. Os que foram prejudicados têm até o final de fevereiro deste ano para solicitar, na Justiça, o ressarcimento de suas perdas, com correção monetária e juros devidamente atualizados.

Para que o poupador ingresse no processo, deverá apresentar extrato bancário ou microfilmagem de sua conta referente aos meses de março a junho de 1990, e janeiro e fevereiro de 1991.

O documento deve ser retirado nos bancos após solicitação protocolada. Caso o titular da conta já tenha falecido, a solicitação precisa ser executada pelo cônjuge, inventariante, espólio ou herdeiro.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Eike Batista é o homem mais Rico do Brasil segundo pesquisa


Para quem imaginava que seria Antônio Hermínio de Morais, se surpreendeu em levantamento feito que o homem mais rico do Brasil é Eike Batista.

Agora vivendo em São Paulo, Eike fez muito de sua fortuna morando no Rio de Janeiro. Mineiro radicado no Rio, Eike foi durante muito tempo, e ainda hoje, mais conhecido como o ex-marido de Luma de Oliveira do que propriamente pelo seu desempenho como empresário.

Dono de várias empresas que lidam com minério e extração de petróleo, o mineiro conseguiu multiplicar e muito a fortuna de seu pai, que já era muito rico em Minas Gerais.

Por José Alberi Fortes Junior



Maior Salário pode não representar maiores ganhos – Avalie os benefícios


Em algumas etapas da vida profissional nos deparamos com diversas oportunidades que são muito diferentes entre si. Se diferenciam no salário, nos benefícios, nas responsabilidades, na jornada de trabalho e no tamanho da empresa.

Para que uma escolha seja correta ou com menos risco, deve-se estudar com calma e com muito estudo da vaga. Verificar se existe possibilidade de crescimento, procurar referências (semelhante à pesquisa que a empresa faz com o funcionário), consultar conhecidos e pesquisar na internet informações de funcionários e ex-funcionários para que você possa escolher de forma segura e com pequena margem de erro.

Verificar o pacote de benefícios para o funcionário e para os familiares também deve ser levado em conta, pois em alguns casos o maior salário não representa o maior ganho, por exemplo, uma pessoa que ganha R$ 1.000,00 de salário sem benefícios, ganha menos que uma pessoa que recebe R$ 800,00 de salário, R$ 250,00 de vale alimentação, mais vale transporte e ainda plano de saúde.

Por José Alberi Fortes Junior



Reflexão: O Poder do Conhecimento


Saber e poder. Numa trajetória cronológica, os tempos atuais podem ser nomeado como a época do conhecimento e ao mesmo tempo, um momento de ódio ao conhecimento. Uma época de manipulação da massa, que se deixa dominar pelo que vê, fato pelo mostrado pela mídia.

A Mídia ajuda a proporcionar muito conhecimento, mas por outro lado, muita dominação. Isto se vê na exibição das chamadas telenovelas, reality shows entre outros, com suas audiências estrondosas, fonte de faturamento imenso.

A população deixa de viver a sua vida, talvez até uma forma de esquecer a sua cruel realidade, mas que está dando um lucro quase inimaginável.

Não é a toa que chamam a mídia, principalmente televisiva de “poderosa detentora do conhecimento atual“, porque ninguém mais do que ela consegue esta “população controlada”. Portanto, Bill Gates já era, o detentor do conhecimento “Windows”, já é passado.



Fortalecimento da moeda – O uso de moedas está cada vez mais comum entre os brasileiros


Já foi o tempo em que as moedas não tinham valor. Com o surgimento do real, as moedas passaram a ser mais valorizadas e utilizadas pelas pessoas.

Hoje em dia é mais comum encontrarmos moedas de um real do que as notas e fazer cofrinhos em casa pode ser uma forma de juntar um dinheirinho. O uso de moedas está relacionada ao final da inflação e ao fortalecimento do Real.