Atualizações anteriores



Indústria de Papelão ondulado cresce no país


Inúmeros setores foram beneficiados pelas medidas adotadas pelo governo federal no combate à crise financeira. A indústria de papelão ondulado foi uma delas, pois conseguiu saldar números negativos e encerrar 2009 com um resultado praticamente estável se comparado a 2008.

Segundo a Agência Estado, dados iniciais da Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO) revelam que o segmento comercializou 2.273.780 toneladas do produto no ano passado, uma variação de 0,1% levemente negativa se comparada a 2008.

Para representar melhor esse percentual, nos primeiros seis meses de 2009 o setor apresentava contração de 7,08% em comparação ao período igual de 2008.

Em dezembro do ano passado, as vendas no setor totalizaram uma alta de 25,02% ante o mesmo mês de 2008, principalmente devido ao acentuado comércio na época de Natal. De acordo com a AE, esse foi o melhor resultado da história para o último mês de cada ano.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Índice de Pobreza pode ser erradicado do Brasil em 2016


Um estudo denominado Pobreza, Desigualdade e Políticas Públicas revelou que a nação brasileira está praticamente capaz de erradicar a pobreza extrema até 2016, ano dos jogos olímpicos no Rio de Janeiro. Se isso acontecer, revelar-se-á o menor índice de desigualdade desde 1960, ano em que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) iniciou esse registro.

No entanto, para que o resultado seja alcançado, será necessário que o Brasil mantenha o ritmo de melhorias sociais assistidos nos últimos cinco anos. O Comunicado da Presidência no 38, documento ilustrador dessa pesquisa, revela que se isso acontecer, o índice de extrema pobreza poderá ser o mesmo visto nos países mais desenvolvidos do globo terrestre.

Em 2008, avalia Marcio Pochmann, presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a taxa de pobreza absoluta cerceava o índice de 28,8%, mas em 2016 pode alcançar o resultado expressivo de 4%, ou, de forma mais otimista, 0%. Isto, segundo ele, nem os países mais desenvolvidos conquistaram.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Inflação Brasil – Crise ajudou o Combate a Inflação em 2009


A crise financeira mundial, se observada por outros prismas, pode trazer resultados e análises positivos, principalmente ao Brasil. Segundo o discurso de Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de índices de preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o colapso mundial ajudou no combate à inflação, em 2009.

De acordo com ela, conforme matéria da Agência Estado, a redução da demanda internacional por alimentos evitou que reajustes em diversos produtos, no mercado interno, fossem necessários. Por outro lado, o dólar desvalorizado em relação ao real permitiu a manutenção de preços.

Repetindo o discurso de Guido Mantega, ministro da Fazenda, Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, Dilma Roussef, ministra-chefe da Casa Civil, entre outros, Eulina ressaltou a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a vários produtos, que contribuíram – e muito! – para a rotatividade do capital circulante.

Leia outras informações interessantíssimas aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Desempenho Econômico 2010 – Brasil é Quinto País Mais Otimista


Um estudo realizado pela empresa de auditoria e consultoria Grant Thornton revela que o Brasil ocupa a quinta posição dos países que mais possuem otimismo em relação ao desempenho econômico deste ano. No início de 2009, 50% dos brasileiros estavam otimistas, mas em 2010, esse percentual subiu para 71%.

As nações mundiais que estão na frente do Brasil, de acordo com a pesquisa, são o Chile, com 85%, a Índia, com 84%, a Austrália, com 79% e o Vietnã, com 72%. Para Mauro Terepins, presidente da Terco Grand Thornton, isso já era esperado, pois a nação brasileira foi uma das menos afetadas pela crise financeira.

Duas características levantadas pela pesquisa são consideradas importantes para Terepins: a busca de aquisições e fusões pelas empresas nacionais e o efeito Copa do Mundo, que proporcionam novas perspectivas de negócios e investimentos.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Número de inadimplentes poderá cair ainda mais em 2010


Os efeitos pós-crise financeira sob o Brasil parecem ter dado vazão a várias melhorias em diversos pontos de análise. Um deles é a queda da inadimplência, conforme atesta Roberto Alfeu Pena Gomes, presidente do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) do Brasil.

Em reportagem transmitida pela Agência Estado, o executivo alegou que o baque no número de inadimplentes poderá chegar para além de 15%, percentual próximo ao verificado em 2008, quando alcançou o índice de 14,9%.

De acordo com Gomes, o resultado só é possível por causa da recuperação dos postos de trabalho e a renda potencial dos consumidores. Por incrível que pareça, segundo ele, as pessoas com renda salarial mais baixa contribuíram amplamente para a recuperação econômica.

O Produto Interno Bruto (PIB), para o executivo, poderá crescer 6,1% neste ano, provavelmente o terceiro maior do globo terrestre, atrás somente da China e da Índia.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Pagamento Seguro-Desemprego – Aumento Número de Beneficiados em 2009


A tão (mal) falada crise financeira mundial causou inúmeros efeitos nas economias das nações mais potentes do globo, mas, também, nas emergentes. O Brasil, por exemplo, registrou, no ano passado, um aumento considerável no número de pessoas beneficiadas pelo pagamento do seguro-desemprego.

O valor é considerado recorde, com mais de R$ 19,5 bilhões “distribuídos” para 7,753 milhões de pessoas. Em 2008, ano-chave da crise financeira, o valor havia alcançado a cifra de R$ 14,718 bilhões a 7,1 milhões de cidadãos.

Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, acredita, obviamente, que o aumento do desemprego e o maior valor do salário mínimo registrado em 2009 contribuíram para essa ascensão. Mesmo assim, a autoridade afirma que 2010 será um ano mais ameno neste sentido, principalmente por causa da estimativa de criação de dois milhões de empregos formais para este ano.

Veja a reportagem na íntegra aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Consumo de Sorvete no Brasil em 2009 – Aumenta em 70% com Verão


O calor pede sempre um sorvetinho geladinho, ou, então, isotônicos, sucos naturais, entre outros. A Associação Brasileira das Indústrias de Sorvetes (ABIS) fez um levantamento sobre o consumo de sorvete do brasileiro durante o ano.

No período do Verão, entre setembro e março, a ingestão representa aproximadamente 70% do total comercializado durante o ano, desde picolés e softs a sorvetes de massa. O ano passado representou um aumento de 3% nas vendas, ilustrando, assim, que o mercado tem feito a ampliação de variedades, bem como melhorado a tecnologia e mão-de-obra empregadas na produção.

De acordo com os últimos estudos, o brasileiro consome 4,7 litros de sorvete por ano, aproximadamente 30% do visto em países mais frios, como a Dinamarca e a Finlândia. Isto porque, revela Eduardo Weisberg, presidente da ABIS, existe uma diferença cultural, pois nas duas nações citadas neste parágrafo, o consumo no Inverno é feito normalmente, diferentemente do visto no Brasil, quando se acredita que tomar sorvete nessa época faz mal.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Comércio Varejista – Crescimento em 2009


O fluxo comercial no Natal fez o comércio varejista ampliar seus dados positivos no mercado. Segundo o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, o avanço dessa área circundou a casa de 2,4% em dezembro de 2009. Com esse alcance, o comércio varejista pelo país teve um desenvolvimento de 5,8%, revela a Agência Estado.

Apesar disso, os efeitos gerados pela crise financeira mundial sob o Brasil tornaram o resultado abaixo do esperado, pois em 2008 o ritmo expansivo obteve um crescimento de 13,9%.

Entre os destaques circulados pela AE estão o segmento de Eletrodomésticos, Móveis e Informática, com dilatação de quase 13% no período analisado. Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios acompanharam o ritmo em 7,9%, mesmo índice conquistado pelo comércio de Veículos, Motos e Peças.

Por Luiz Felipe T. Erdei



PIB Brasileiro em alta – Economia em Desenvolvimento


O Banco Central publicou, por meio de sua pesquisa semanal Focus, que a estimativa de desenvolvimento da economia nacional neste ano apresenta um desenvolvimento, pois, entre diversas premissas, a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) passou de 5,08% para 5,20%.

Além disso, no mesmo levantamento divulgado pela Agência Estado, a produção industrial deste ano mantém a estimativa de 2009 em 8%. No entanto, a previsão para o resultado final da produção na indústria permanece abaixo da ideal.

Na área cambial e de contas externas, os analistas sustentaram a previsão do dólar visto no final do ano passado. Nos últimos dias de 2009 a moeda norte-americana foi avaliada em R$ 1,75.

Saiba informações detalhadas e outros pontos de análise em http://aeinvestimentos.limao.com.br.

Por Luiz Felipe T. Erdei



FGTS na Renovação de Frota de Ônibus


A Caixa Econômica Federal revelou mais uma de suas investidas. De acordo com a instituição, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) poderá ser utilizado para a renovação da frota de ônibus pelo Brasil. Informações iniciais indicam, também, que o montante aprovado e liberado é de R$ 1 bilhão para o atendimento às empresas do setor.

Wellington Moreira Franco, vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias de Caixa, afirma que esses recursos terão por fim atender, principalmente, pequenas empresas que visam renovar sua frota.

A Agência Estado veiculou que o FGTS deve empregar R$ 3 bilhões nessas operações para o setor de transporte, aproximadamente 35% para a renovação de frota e os outros 65% para transporte nos trilhos.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Brasil deve fechar ano com geração de 1,2 Milhões de Novos Empregos


Representantes de diversas áreas do governo continuam a exaltar o crescimento econômico brasileiro, bem como a criação de novos postos de trabalho e os possíveis investimentos estrangeiros em nossas terras. Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, é um desses, pois voltou a afirmar que o país deverá encerrar 2009 com a geração de até 1,2 milhão de novos empregos.

Para tanto, o ministro crê que em dezembro o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) deverá registrar o melhor saldo negativo da história da nação, com o encerramento de 200 mil a 250 mil vagas.

Além disso, segundo artigo publicado pela Agência Estado, Lupi reafirma que em novembro houve o menor número de demissões deste ano, o que significa, para ele, uma estabilidade dos empregados já contratados.

Confira números mais detalhados de demitidos e admitidos, suas causas e assuntos correlatos aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Economia do Brasil deve voltar a Crescer em 2010


Especialistas continuam a afirmar que 2010 será um ano próspero a inúmeros segmentos que participam da movimentação econômica pelo Brasil. Desta vez, quem demonstra otimismo é Reinaldo Pereira, técnico da coordenação de comércio e serviços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo Pereira, a partir de agora o segmento de varejo terá aumento nas vendas, mas só apresentará algo significativo no próximo ano, retomando, pois, o mesmo ritmo visto em 2008, quando chegou a um desenvolvimento acumulado de 9,1%.

Conforme discurso veiculado pela Agência Estado, os meses de novembro e dezembro são os mais aquecidos ao varejo. E isto é perceptível, pois as vendas em várias áreas para o Natal e também para o ano novo movimentam diversos setores, ainda mais com o efeito colaborativo do 13º salário à economia e os últimos incentivos fiscais relacionados a créditos e desonerações fiscais.

Leia mais aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



CNI prevê Crescimento de 5,5% do PIB Brasileiro


A Confederação Nacional da Indústria (CNI) estima que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro apresentará um desenvolvimento de 5,5% em 2010, com crescimento beirando zero em 2009. De acordo com o órgão, a produção industrial, o consumo das famílias e os investimentos elevarão o percentual.

A CNI prevê, conforme reportagem redigida pela Agência Estado, que a taxa de investimentos alcançará 18,3% do PIB no próximo ano, diferentemente do atual, que apresentou queda e chegou à casa de 16,9%.

A Confederação Nacional ressalta que o consumo das famílias apresentará um crescimento de 5,6% no próximo ano, dando continuidade ao aquecimento registrado nos últimos meses. Na área empregatícia, o índice de desemprego conjeturado pela CNI deverá cercear queda de 8,1% em 2009 para 7,6% no próximo ano.

Confira mais detalhes e outros índices aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Economia Brasileira em 2010 irá crescer, afirma Lula


Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, continua a afirmar que a economia nacional crescerá bastante e que a inflação permanecerá em níveis baixos no próximo ano. Isto porque, de acordo com ele, as medidas apregoadas pela equipe econômica suscitaram efeitos notáveis.

Em reportagem veiculada pela Agência Estado, Lula mencionou inúmeras iniciativas, dentre elas a liberação de R$ 80 bilhões de crédito para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a prorrogação, por mais alguns meses, das desonerações em várias linhas comerciais.

Além disso, o líder brasileiro afirmou que o Poder Executivo abrirá a linha de crédito para máquinas e equipamentos – bens de capital – a ônibus e caminhões para mercados estrangeiros, tais como a América do Sul e Latina e a África, antes vigente somente dentro de nossas fronteiras.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Comércio de Importação entre Brasil e Argentina deve melhorar


Finalmente Brasil e Argentina resolveram dar início a análises sobre as probabilidades de redução do número de mercadorias sujeitas às licenças não-automáticas de importação, que tem causado, por sua vez, grandes embates entre Luiz Inácio Lula da Silva, presidente brasileiro, e Cristina Kirchner, presidente argentina.

O Ministério de Indústria e Turismo da Argentina assegura que as duas partes se prestaram em fortalecer vínculos comerciais. A Comissão Bilateral de Comércio averiguou a idéia de aplicar o intento o mais rápido possível.

Um encontro entre Lula e Cristina marcou uma decisão importante. O acordado, desta vez, foi de que de 45 em 45 dias os ministros de Indústria, Economia e Relações Exteriores das duas partes se reunirão para aprimoramento comercial, de maneira a favorecer igualmente as duas nações.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Exportações de Carne do Brasil tem 1ª Retração em 15 anos


Um dado recentemente revelado torna-se preocupante ao segmento de exportações de carne do Brasil. Um levantamento feito pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) avalia que o setor terá sua primeira retração em 15 anos.

Ainda segundo a entidade, o comércio mundial de carnes finalizará 2009 com uma queda de 6%, com produção abaixo do ano passado, com pouco mais de 280 milhões de toneladas de carne. Além disso, o consumo por pessoa apresenta declínio de 0,3 quilogramas anuais, passando a figurar, pois, 41,7 quilos por cidadão.

Em reportagem veiculada pelo jornal O Estado de S. Paulo e utilizada pela Agência Estado como maneira de fomento, a grande maioria da queda no comércio global deve-se, segundo a FAO, ao Brasil, pois este é o maior fornecedor do mundo.

Mesmo assim, 2010 promete ser um ano mais promissor, com elevação de 2% nas exportações, mas inferior ao período compreendido entre 2007 e 2008. Confira mais detalhes deste artigo aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Comércio Brasil e Argentina – Argentina pede para que Brasil seja mais flexível


Certa vez escutei de um professor que a visão dos países latino-americanos em relação ao Brasil é a mesma visão de inúmeras outras nações do globo terrestre em relação aos Estados Unidos. O Brasil é visto, muitas vezes, como o grande líder, mas também como um grande ditador.

Introduções à parte, Cristina Kirchner, presidente da Argentina, cobrou indiretamente de Luiz Inácio Lula da Silva, líder brasileiro, maiores concessões e tolerâncias ante o protecionismo realizado sob Buenos Aires. Além disso, informa o jornal O Estado de S. Paulo, o Brasil é o responsável pela árdua tarefa de diminuir as assimetrias do Mercosul.

Lula, porém, não respondeu as palavras de Cristina, mas citou o término da dupla cobrança da Tarifa Externa Comum (TEC) e uma melhor utilização do Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul. A Agência Estado se pautou no jornal impresso; você pode conferir detalhes mais aprofundados em aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Brasil deve criar 2 milhões de empregos em 2010


Seguindo os discursos de Carlos Lupi, Miguel Jorge, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, confia que no próximo ano mais de 2 milhões de empregos serão criados no Brasil. Para ele, se fosse proferido a geração de 1,2 milhão de postos de trabalho no auge da crise, isso soaria como uma verdadeira quimera.

Jorge sugeriu aos integrantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) que uma agenda “pós-crise, de futuro”, precisa ser elaborada. Em reportagem veiculada pela Agência Estado, o órgão citado, de acordo com o ministro do Desenvolvimento, tem importante desempenho na criação dessa agenda.

Miguel exaltou, sobretudo, a figura de Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil. Para ele, o representante do país é diferente dos outros líderes do globo terrestre. Além disso, afirma, o governo brasileiro reagiu tranquilamente ante a crise financeira mundial, pois as pesquisas e estudos estatísticos demonstram a estabilidade com que a nação passou a navegar pelo mundo.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Guido Mantega Prevê Crescimento de 8% na Economia Brasileira


Guido Mantega, ministro da Fazenda, afirmou que a economia brasileira deve apresentar crescimento de aproximados 8%, em adjacências anualizadas, nos últimos três meses deste ano. Conforme reportagem veiculada pela Agência Estado, a autoridade crê que esse será o mesmo percentual do terceiro trimestre passado.

Entre os anos de 2009 e 2014, Mantega crê que a taxa de crescimento a ser obtida pela nação figurará em 5%, ou mais que isso, pois atualmente o país enfrenta um novo ciclo econômico de desenvolvimento, na qual é sub-julgado como auto-suficiente.

Em um modelo comparativo, o ministro da Fazenda utilizou o período entre 1998-2002 e 2003-2008, justamente no momento transitório do governo de Fernando Henrique Cardoso para o de Luiz Inácio Lula da Silva. Ele avalia que no primeiro instante avaliado, a taxa média de crescimento era 1,7%, diferentemente da segunda ocasião, que teve avaliação superior, de 4,2%.

Confira a matéria completa aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Ministro da Fazenda Prorroga Desoneração do IPI para Produtos Industrializados


A desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em torno de bens de capitais, que engloba máquinas e equipamentos, teve sua prorrogação divulgada pelo Ministério da Fazenda. A nova data ficou acordada para até 30 de junho do próximo ano, ocasião que coincidirá com o transcorrer da Copa do Mundo na África do Sul.

Aos cofres públicos, a medida acarretará aproximadamente R$ 370 milhões somente em 2010. Os principais artigos envolvidos são as árvores de transmissão, as válvulas industriais, os microscópios eletrônicos, os congeladores industriais, bem como diversos outros itens aparentes em máquinas e equipamentos.

O governo federal espera acolher, com tal intento, uma contínua recuperação do investimento existente em bens de capital. Para ler este artigo em mais detalhes, na íntegra, e conferir outras medidas do Ministério, acesse aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Welber Barral afirma que Brasil exportará quase US$ 170 bi no próximo ano


O mercado globalizado age sob efeito dominó. Quando uma primeira peça cai em direção ao chão, as demais passam a cair seguidamente. A economia segue o mesmo preceito: quando uma nação economicamente importante vai mal, as demais começam a reagir paralelamente.

Por isso, o Brasil, assim como outros países do globo, torcem para que os Estados Unidos se recuperem. Welber Barral, secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior assegurou que o Brasil pretende exportar US$ 18 bilhões a mais em 2010 em relação aos US$ 150 bilhões deste ano.

Barral crê, conforme reportagem da Agência Estado, que a velocidade de recuperação da economia internacional ditará o volume das vendas externas. No entanto, a valorização do real diante do dólar é um dos fatores determinantes, mas não o único, visto que a acumulação de créditos tributários neste segmento, por empresários, é mais importante que o próprio câmbio.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Mantega acredita em maior desenvolvimento econômico em 2010


Com um discurso aparentemente diferente do habitual, Guido Mantega, ministro da Fazenda, afirmou, em reportagem veiculada pela Agência Estado, que tem colocado o pé no acelerador da economia brasileira. Para ele, a nação deu início a um novo ciclo de crescimento. Entretanto, não garantiu que novas medidas de incentivo serão adotadas até o final de 2010.

Na ocasião, de acordo com a Agência Estado, o ministro falou sobre o projeto do trem de alta velocidade, que tem por proposta ligar Campinas, Rio de Janeiro e São Paulo. Isso será viável, pois o Brasil, segundo ele, está saindo forte da crise financeira mundial, juntamente com outros emergentes.

Mantega ressalta que antes da crise econômica o país apresentava um crescimento de 6,5% ao ano, mas que com o advento dela, caiu para 2%. No atual momento, porém, ilustra um desenvolvimento de 5%, com possibilidades de aumentar ainda mais em 2010, impulsionado, sobretudo, pelas vendas de final de ano.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Câmara Aprova Novas Regras para TVs Pagas


A Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara aprovou um texto que estabelece novas regras para toda a série de programas audiovisuais, que envolvem produção, programação e distribuição de conteúdo remunerado. Portanto, as companhias de telefonia estão próximas de distribuírem TV por assinatura atrelada a pacotes com televisão paga, telefone e internet.

O jornal O Estado de S. Paulo e a Agência Estado veicularam que a proposta foi suturada pelo deputado Henrique Lustosa, relator que almeja suprimir as atuais barreiras para o ingresso de canais diferenciados no setor de TV paga. Mesmo assim, afirma a reportagem da AE, isso abarca interesses de canais abertos, pois mantém o mercado de produção de conteúdo.

Para Lustosa, isso permitirá uma melhor ampliação da oferta dos serviços existentes na TV paga, atualmente restrita a aproximados 7 milhões de clientes. Na prática, empresas como a Embratel já atuam dessa maneira, pois esta controla a Net e a Telefônica, ambas da TVA.

Saiba mais informações aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



IPI Reduzido aumenta Vendas de Materiais de Construção


Uma reportagem veiculada pela Agência Estado revela que, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, o segmento de veículos, motos e peças apresentou um baque de 0,6% em novembro em relação a outubro, enquanto que as vendas de materiais de construção na nação aumentaram 0,6% com base no mesmo período analisado, denotando uma efetiva recuperação do setor.

Este desenvolvimento foi impulsionado principalmente pela isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) por mais 180 dias, conforme anúncio feito por Guido Mantega, ministro da Fazenda.

Além do setor de materiais de construção, atesta a Agência Estado, o prolongamento diminutivo do IPI à linha branca, bem como o crédito, alavancou a atividade comercial de produtos que possuem utilidade ao consumidor durante um grande período, ou seja, bens duráveis.

Maiores detalhes podem ser conferidos aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Brinquedos Argentinos não terão mais licença automática de importação no Brasil


Já escutastes aquela frase “com a Argentina, rivalidade até em jogo de bolas de gude”? Pois bem, o embate, que acontece de vez em quando nos gramados de futebol, se estendeu, definitivamente, ao campo econômico.

A Agência Estado divulgou que Welber Barral, secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, declarou que a nação brasileira aumentará a lista de itens que têm licença não automática para as importações de brinquedos dos hermanos. Com mais este componente, sobe para 40 o número de itens neste quesito.

Esta é uma rápida resposta do governo brasileiro para com o governo da Argentina, pois o país da presidente Cristina Kirchner passou a exigir de exportadores tupiniquins que brinquedos de nossas terras tenham certificação técnica emitida por lá. Isto tem impedido a venda de inúmeras mercadorias na nação hermana.

Mesmo assim, parece que técnicos dos dois países se encontrarão em São Paulo a fim de debaterem as restrições comerciais recentemente impostas.

Por Luiz Felipe T. Erdei



BNDES aumenta equipe para continuar o atendimento de 1.500 pedidos de créditos diários


A fim de continuar a aprovação diária de 1.500 operações de crédito do Finame por meio do plano de financiamento a juros reduzidos, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) arquitetou um projeto de contingência com equipes extras.

O Finame, que é uma linha exclusiva para obtenção de equipamentos e máquinas, teve seu perfil invertido devido a incentivos oferecidos pelo governo, principalmente em relação ao Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Em seu início, esse estímulo cerceava a compra de caminhões e ônibus, mas agora é enfocado à obtenção de máquinas para a agricultura, indústria e construção.

O Programa de Sustentação do Investimento foi germinado para proporcionar financiamentos com taxas de juros inferiores às praticadas pelo Finame. Por isso, aproximadamente 90% desse tipo de empréstimo foi utilizado através dos benefícios do PSI.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Bens de capital apresenta alta de 5,9% em outubro deste ano


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) relatou que a produção de bens de capital registrou ascensão de 5,9% em outubro ante seu mês antecessor. No entanto, em comparativo com o mesmo período de 2008, há um retrocesso de 16,8%.

Em 2009, a produção de bens de capital aglomera um baque de 22%, mas num período de exatamente um ano, há recuo de 19,4%. Mesmo assim, as categorias de uso assinalaram altiva produção em outubro em comparação com o mês de setembro.

Além de bens de capital, outros segmentos apresentaram dilatação, entre eles bens de consumo duráveis, com 5,9%, bens intermediários, com 1,2%, e bens de consumo semi e não duráveis, com 1,3%. Mesmo assim, atesta a Agência Estado, apenas a categoria de bens duráveis teve alta anotada, na produção, em 2,8%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Índice de Desemprego tem queda em outubro


Novos dados suscitam que a taxa de desemprego em Salvador, Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre cedeu de 7,7% para 7,5% em outubro. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o rendimento familiar por pessoa nessas regiões metropolitanas apresenta alta de 3,6% no ano.

O número de trabalhadores formais, isto é, com carteira assinada, nessas regiões permaneceu estável em comparações mensal e anual, com 9,5 milhões de empregados. O rendimento médio continuou praticamente o mesmo em outubro, com R$ 1.349,70 per capital, mas com uma ascensão de 3,2% em relação ao período igual do ano passado.

Apesar de todos esses números positivos, os trabalhadores formais do setor privado foram a única classe a apresentar diminuição no rendimento médio por mês, com queda de 0,4% em outubro em relação ao mês antecessor.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Crise de Dubai não deve afetar Brasil segundo Henrique Meirelles


O confiante presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, assegurou em seu discurso que os bancos brasileiros não estão expostos ao efeito Dubai World, conglomerado que em 25 de novembro solicitou uma suspensão por seis meses no pagamento de sua dívida estimada em US$ 60 bilhões.

Para Meirelles, as instituições do Brasil não possuem qualquer vínculo com esse grupo, pois no cenário brasileiro há regulação prudencial. Portanto, não teme o atual momento, porque, ressalta, a nação está preparada para enfrentar oscilações na economia mundial com base na superação obtida durante a crise financeira.

Meirelles garantiu que autoridades monetárias e regulatórias de outros países já emitiram sinais de que o acontecido em Dubai não deve suscitar grandes agitações no sistema de finanças dos países centrais. Mesmo assim, ainda para o Brasil, garante existir inúmeras medidas prontas para enfrentar qualquer crise.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Governo da Argentina decide Barrar Brinquedos do Brasil


A batalha campal entre Brasil e Argentina continua. Desta vez, o governo liderado por Cristina Kirchner decidiu barrar triciclos, bonecas e outros brinquedos de fabricação brasileira. Isto configura como parte da restrição executada pelo país argentino, sob a justificativa de que os produtos tupiniquins invadem o mercado daquela nação.

Efetivamente, a nova medida de Cristina deixa muitos importadores com os pés e mãos atados, pois as vendas para o Natal deste ano eram promissoras. A Secretaria do Comércio Interior, com base na resolução 894/2009, determina a suspensão de duas disposições sobre condições de segurança em brinquedos.

Finalmente, com esta iniciativa, alguns dos produtos fabricados no Brasil passarão por novas triagens alfandegárias, o que tende a acarretar quedas nas exportações de brinquedos brasileiros ao mercado da Argentina. Curiosamente, a participação nacional no mercado daquele país é de simplórios 2,2%, contra 79,1% de fabricantes chinesas. Não é invasão de mercado, como afirma Cristina. É rivalidade, clássico!

Por Luiz Felipe T. Erdei



Diretor de planejamento do BNDES estima crescimento econômico em 5%


Adotando o mesmo discurso de outros empresários, institutos e outros responsáveis pela condução econômica do Brasil, João Carlos Ferraz, diretor de planejamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), afirmou aguardar um crescimento na economia da nação entre 4% e 5% para os próximos cinco anos.

De acordo com o diretor, o baixo nível de endividamento, a estabilidade política e institucional e a maior inserção no mercado interno são algumas das conquistas obtidas pelo Brasil, que podem colaborar, inclusive, para que o país figure como um dos mais notáveis do globo.

Entre suas palavras, entre seu discurso, Ferraz disse que mesmo que o país assegure uma maior previsibilidade para com os investidores, decorrente das últimas evoluções nos campos político e econômico, o Estado ainda não pode arcar com isso em sua totalidade, pois sua capacidade ainda não é suficiente para os próprios embates internos.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Indefinições atrasam Edital de Trem de Alta Velocidade (TAV)


No Brasil, parece que inúmeros feitos denotam muito tempo além do suportável. O problema da vez são as indefinições com relação à repartição dos riscos que passaram a atrasar a preparação do edital do leilão, este, que visa definir os empreendedores envolvidos na construção do tão comentado trem-bala, que ligará São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas.

Pelas estimativas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a minuta do edital do denominado Trem de Alta Velocidade (TAV) deveria estar disposta desde o final de outubro. A nova expectativa é a de que o documento esteja disponível para consulta até o último dia de novembro.

O principal entrave se baseia em relação a quem assumirá os possíveis riscos de uma acidental baixa demanda pelos serviços do TAV. Segundo Bernardo Figueiredo, diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), apesar desse atraso, ainda será possível haver o leilão do trem-bala até o final dos primeiros três meses de 2010, conforme previsto no PAC.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Lula mostra sua força e critica o Sistema Financeiro Mundial


Uma das mais notórias personalidades dos últimos anos voltou a proferir críticas ao sistema financeiro mundial. Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, afirmou que a falta de regulação e a especulação por uma parcela dos principais governos globais gerou o tão comentado colapso bancário.

Seu discurso, feito durante a Cúpula Mundial sobre Segurança Alimentar da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Agricultura e a Alimentação (FAO), em Roma, Itália, cerceou, também, pedidos de maior atenção – por parte do líder brasileiro – em relação à temática de combate à fome. Segundo Lula, ao menos metade dos gastos do Estado para salvar bancos falidos poderia ser inclinado a melhorias alimentares.

A reforma de instituições internacionais, dentre elas o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, foi outro apelo de Lula. De acordo com ele, medidas funcionais em situações emergenciais são importantes, mas soluções para longo prazo podem prevenir situações de calamidade.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Criação de mais de 2 milhões de Empregos Formais é a estimativa de Lupi para 2010


O otimista Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, estima que no próximo ano, 2 milhões de empregos formais, isto é, com carteira assinada, serão gerados no Brasil. Para ele, além de se extirpar a estigmatização de que o país é pequeno, o setor de serviços continuará a sustentar a criação de empregos dentro de nossas fronteiras.

O ministro mantém seu discurso em relação aos empregos formais suscitados neste ano, entre 1 milhão e 1,1 milhão. Lupi assevera, infelizmente, que dezembro é um mês em que se nota um maior número de demissões, mas que neste próximo pode ser diferente, pois um menor número de desempregados poderá ser registrado.

Carlos ressalta, assim como os demais ministros e políticos simpatizantes de Lula, que o Brasil é o único país integrante do G-20 (grupo das 20 maiores economias mundiais) a conceber mais de 1 milhão de empregos formais em 2009. Para ele, isso leva a crer que as políticas governamentais adotadas foram corretas. Para este ano, avalia, a economia brasileira deve crescer aproximadamente 2%; em 2010, o Produto Interno Bruto (PIB) pode apresentar um percentual de desenvolvimento entre 7% e 8%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Cursos Técnicos oferecem grandes oportunidades de emprego no país


O Brasil melhorou muito até os nossos dias e está encontrando o caminho para o desenvolvimento. Desde a sábia elaboração do Plano Real, inflação como antigamente se via não existe mais.

Desta nova realidade a vida passou a  poder ser melhor planejada e assim possibilita as portas da era desenvolvimentista.

Entre muitos outros reflexos do desenvolvimento, está a possibilidade de trabalho com a formação em cursos técnicos, pois a demanda está ficando cada vez maior, fruto de um caminhar para essa nova era.

O SENAI está abarrotado de oportunidades para formações técnicas, já que para este ramo de trabalho, emprego não está faltando.



Programa “Minha Casa, Minha Vida” registra vendas abaixo do esperado


Dados divulgados pela Caixa Econômica Federal apontam que quase 46 mil casas do programa “Minha Casa, Minha Vida” foram vendidas em seis meses, no país. O total comercializado, até o momento, representa menos de 5% da meta de 1 milhão de moradias previstas pelo governo.

A Caixa ilustrou que desde 14 de abril, início do programa, até a última sexta-feira, mais de 95 mil moradias foram contratadas, o que denota que essas habitações já possuem aval do governo federal para serem comercializadas dentro do “Minha Casa, Minha Vida”.

Para Sergio Watanabe, presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), os resultados apresentados até a atual ocasião são relativamente baixos. No entanto, acredita que as vendas devem apresentar uma aceleração deste momento em diante.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Taxa de inadimplência apresenta queda de 5,88% entre setembro e agosto de 2009


Um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) apontou que a taxa de inadimplência de setembro para agosto apresentou queda de 5,88%. Essa informação tem por base o número de registros incluídos no Serviço de Proteção ao Crédito.

Ainda de acordo com o órgão, o acumulado no ano apresentou taxa de inadimplência em uma variação negativa de 12,01%. Em relação a setembro do ano passado, houve derrocada de 3,85% na taxa.

Para Roberto Alfeu Pena Gomes, presidente do SPC Brasil, esses números favoráveis devem-se ao crescimento da renda real do trabalhador, à oferta de empregos e por último e não menos importante, taxas de juros reduzidas. Segundo ele, os dados indicam que o comércio está aquecido. E que venha o Natal!

Por Luiz Felipe T. Erdei



Eike Batista é o homem mais Rico do Brasil segundo pesquisa


Para quem imaginava que seria Antônio Hermínio de Morais, se surpreendeu em levantamento feito que o homem mais rico do Brasil é Eike Batista.

Agora vivendo em São Paulo, Eike fez muito de sua fortuna morando no Rio de Janeiro. Mineiro radicado no Rio, Eike foi durante muito tempo, e ainda hoje, mais conhecido como o ex-marido de Luma de Oliveira do que propriamente pelo seu desempenho como empresário.

Dono de várias empresas que lidam com minério e extração de petróleo, o mineiro conseguiu multiplicar e muito a fortuna de seu pai, que já era muito rico em Minas Gerais.

Por José Alberi Fortes Junior



Greve Bancária e os impactos sobre a população brasileira


Sempre que questionamos greves surgem argumentos que são favoráveis e contras, portanto para que se possa tomar uma posição de apoio ou desfavorável, é preciso verificar o quanto o movimento impacta o dia-a-dia da população.

Todos que precisam dos serviços bancários, correntistas ou não, sofrem com a greve, que por muitos são criticadas. O salário e as reivindicações, para a maioria da população, demonstra apenas um sentimento de individualismo dos bancários.

Eles já possuem remuneração e benefícios acima do mercado, e carga de trabalho, normalmente, de 6 horas. Mas, independentemente das razões, o direito de um vai até onde interfere no direito do outro, ou seja, o correntista tem as taxas cobradas mas não pode usar os serviços em épocas de greve.

Por José Alberi Fortes Junior



O Dever e a Imoralidade das Leis Tributárias


Vivemos em um estado democrático de direito onde impera uma legalidade quase absoluta e no campo tributário esta legalidade perde para a moral.

Muito é legal, porém, também muita coisa é extremamente imoral, é o que nos deparamos com muito dos tributos que se exigem de todos os brasileiros que são obrigados a efetuar uma contraprestação pecuniária compulsória (artigo 3º CTN) em torno de 40% de tudo o que ganham em um ano de duro trabalho a este mesmo Estado, que se diz Democrático, mas peca na moralidade, sabendo-se que legal é o que está na lei e deve ser cumprido, moral é a consciência do que é certo a se fazer.



Aumento de idade durante o tempo para aposentar


Dizem que o Brasil está evoluindo, para melhor ou para pior? Com certeza para melhor, o fato de os brasileiros precisarem de mais idade para aposentarem-se não significa um retrocesso.

O fato é que a população brasileira esta se tornando idosa, caminhando para a realidade dos países subdesenvolvidos onde a população é velha e o governo até paga para quem quer procriar, é o que ocorre no velho continente.

Pois para essa realidade, existe muito pouco os que contribuem, a massa jovem da nação, e muito mais os recebedores de aposentadoria, os denominados proventos, realidade que tem seus prós e contras, mas a realidade é eminente.



Cresce o número de empregos formais no Brasil – Agosto teve recorde


Em agosto de 2009, o Brasil bateu recorde de emprego formal pra o mês.

De acordo com os dados divulgados pelo Governo Federal, a economia brasileira cresceu 1,9% no segundo trimestre na comparação com o primeiro período, o que parece ter tirado o Brasil da recessão após seis meses de crescimento negativo.

Em agosto o saldo de novos empregos foi de 242.126 – resultado da diferença entre contratações (1.457.455) e demissões (1.215.329).

Foi o sétimo mês seguido de alta no número de empregos, o que faz com o que o mercado absorva parte dos 800 mil postos formais fechados entre novembro/08 e janeiro/09.



Governo libera a reabertura dos Bingos no Brasil – Oportunidades de Empregos


Um dos maiores empregadores até dois anos atrás, os bingos que foram fechados por várias leis e liminares O governo taxou em 17% do faturamento e agora liberou a abertura de todos os bingos no Brasil.

É um perigo para os viciados em jogo, mas pode ser uma excelente oportunidade de emprego para quem quer crescer neste ramo, pois ainda é novo e não possui pessoal experiente na ativa.

Ficar antenado com a movimentação do mercado é fundamental para quem procura uma recolocação no mercado, e quando um setor inteiro (bingos) está sendo autorizado a ser reaberto, currículos devem ser enviados e disposição, pois a rotina é puxada e os horários são bem flexíveis.



Agosto apresenta queda no setor industrial em relação ao mês anterior


Com os últimos e otimistas dados veiculados por vários institutos pelo Brasil, nota-se, após a recessão técnica da crise financeira, que a indústria começa a se recompor.

Segundo informações da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo(Fiesp), houve queda de 0,04% na criação de empregos em diversos setores industriais entre julho e agosto, mas sem a tal convenção, percebeu-se alta de 0,07%, o que representa a instituição de 1.500 novas vagas.

No entanto, em 2009 registra-se, no Estado, um nível de queda considerável em relação ao atual renascimento, por assim dizer, do momento financeiro do país, com cerca de 57 mil postos de trabalhos fechados.



Brasil é o país mais competitivo entre os Brics


Foi divulgado nesta terça-feira, dia 08, o ranking de competitividade elaborado anualmente pelo Fórum Econômico Mundial e que tem a parceria da Fundação Dom Cabral em território brasileiro. Os dados mostram que o Brasil subiu oito posições no ranking em relação à última avaliação e passa a ocupar a 56ª colocação.

Entre os países emergentes, que além do Brasil incluem Rússia, China e Índia, também conhecido como Brics, o Brasil foi o que apresentou melhor desempenho na avaliação. Tanto a China quanto a Índia subiram um ponto no ranking. Já a Rússia caiu 12 posições e, pela primeira vez, configura a lista atrás do Brasil.



Emprego na Indústria volta a crescer no Brasil


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), depois de nove meses em queda, o nível de emprego na indústria volta a crescer. A informação de que houve uma alta de 0,4% em julho em relação à junho foi divulgada nessa terça-feira, dia 03.

No acumulado dos sete primeiros meses do ano, a folha de pagamento caiu 1,6% na comparação com o mesmo período em 2008. Em relação aos últimos doze meses, houve avanço de 1,5%. O valor da folha de pagamento dos trabalhadores da indústria teve a terceira variação positiva, com alta de 0,1% frente a junho.



Salário Mínimo Real e o Ideal para a população Brasileira


por Lindomar Vieira

Com um Salário Mínimo vigente de R$ 465,00 que comprovadamente não atende às necessidades básicas do cidadão brasileiro e uma proposta de aumentá-lo para R$  506,50 em 2010, o governo vê a proposta como parecendo o máximo que pode ser feito.

Contudo há pesquisa do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) que aponta no sentido de que esses valores estão muito aquém do necessário a garantir todas as necessidades básicas da família brasileira.

Segundo levantado, o valor ideal do salário mínimo deveria ser de R$ 2.005,07 para assegurar um bom padrão de vida para uma família, ou seja, 4,31 vezes os atuais R$ 465,00, que é o Salário real.

Não devemos esquecer que isso é pesquisa e quem ficar sonhando com um Mínimo desses hoje, só se mudando para a imaginária “ilha da fantasia”.



Salário mínimo deveria valer R$ 1,9 mil para cobrir as despesas básicas do cidadão


De acordo com dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o valor do salário mínimo deveria valer R$ 1.994,82 em julho de 2009 para poder cobrir as despesas básicas do trabalhador e seus familiares.

O valor do salário mínimo vigente no Brasil é de R$ 465, ou seja, 4,29 vezes menor do que seria necessário para suprir necessidades básicas como moradia, saúde, alimentação, vestuário, educação, higiene, transporte, lazer e previdência do cidadão e sua família, fatores determinados pela Constituição Federal e que o Dieese levou em conta para o cálculo do valor do salário mínimo brasileiro.



Portadores de Doenças Graves, Idosos e Deficientes terão Prioridade no Atendimento em Órgãos Públicos


Foi sancionada a Lei nº 12.008, que garante a portadores de doenças graves, pessoas acima de 60 anos e portadores de deficiência física e mental, a prioridade em procedimentos administrativos de órgãos públicos federais e em questões judiciais em geral.

Estas pessoas terão prioridade em casos de devolução do imposto de renda, revisão de aposentadorias, recursos de multas, emissão de passaporte e qualquer pedido feito à administração pública federal. Em casos de doença grave, a prioridade será dada mesmo que a doença tenha sido contraída depois de o processo já ter sido iniciado.



Nova Lei de Adoção – Agora ficou mais fácil adotar no Brasil


O Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou uma nova Lei Nacional de Adoção.

A partir de agora, crianças e adolescenetes não podem ficar mais do que dois anos em abrigos de proteção, salvo por recomendação Judicial. E o abrigo deverá ser próximo ao endereço da família.

Os abrigos são obrigados a enviar um relatório semestral para a autoridadade judicial informando as condições de adoção ou de retorno à família dos menores que estão sob a sua tutela.

Agora, todas as pessoas acima de 18 anos, mesmo as solteiras, poderão adotar uma criança ou um adolescente. A única restrição é que o adotante tenha pelo menos 16 anos a mais do que o adotado.

Casais que queiram adotar uma criança precisam ser legalmente casados ou manter união civil estável reconhecida judicialmente.

A nova lei também exige que os pais adotivos tenham uma preparação prévia e companhamento familiar pós-acolhimento em caso de adoção internacional.

O menor agora será ouvido pela justiça após ser entregue aos cuidados da família que o adotou. E a lei determina que irmãos sejam adotados pela mesma família, exceto em casos especiais analisados pela justiça.

A adoção internacional irá acontecer somente em última hipótese, sendo que sempre será dada a preferência para adotantes nacionais, em seguida pra brasileiros residentes no exterior.

A partir de agora, o poder público deve dar assistência a gestantes ou mães que queiram entregar seus filhos para adoção.

A lei exige ainda que, em caso de adoções internacionais, o estágio de convivência no período mínimo de 30 dias seja cumprido dentro do território nacional.

Outra grande evolução da nova lei é que agora o juz poderá considerar o conceito de “família extensa”, dando preferência para adoção dentro da família, mesmo não sendo parentes diretos da criança ou do adolescente. Agora tios, primos, cunhados ou parentes próximos têm preferência sobre o cadastro de adoção.

A nova lei visa acelerar o processo de adoção no país.

Clique aqui e obtenha mais informações sobre a Nova Lei de Adoção no Brasil.

A nova lei visa acelerar o processo de adoção no país.
Clique aqui e obtenha mais informações sobre a Nova lei de Adoção no Brasil.


Defesa do Consumidor – Empresas pagam multa por mal Atendimento


A nova lei criada há oito meses para melhorar o atendimento ao consumidor parece que não está sendo cumprida por algumas empresas.

De acordo com dados do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, o setor de Telefonia é o que mais recebe reclamações por causa do atendimento (57%), seguido das empresas de Cartões de Crédito (18%), Bancos (7,71%) e TV por Assinatura (5%).

Entre as empresas de telefonia fixa a Oi é a que concentra a maior concentração de queixas (59%). Nas operadoras de celular a Claro é a que possui mais reclamações (31%).

Estas empresasas de telefonia serão multadas em R$ 300 mil, cada, em desrrespeito às regras de defesa do consumidor.



Fortalecimento da moeda – O uso de moedas está cada vez mais comum entre os brasileiros


Já foi o tempo em que as moedas não tinham valor. Com o surgimento do real, as moedas passaram a ser mais valorizadas e utilizadas pelas pessoas.

Hoje em dia é mais comum encontrarmos moedas de um real do que as notas e fazer cofrinhos em casa pode ser uma forma de juntar um dinheirinho. O uso de moedas está relacionada ao final da inflação e ao fortalecimento do Real.



Salário Mínimo aumentou 116% desde o surgimento do Real


Desde o surgimento do Plano Real, o valor do salário mínimo aumentou 116%, sendo que o período de maior aumento foi de 2004-2009 (48% ou 65 ao ano).

Durante o período de 1995 a 1998, o salário mínimo teve um aumento de 24% ou 5,5% ao ano, já entre 1999 a 2003, este aumento foi de 17% ou 3,3 5 ao ano.

A implementação do Plano Real foi um grande marco para a queda da hiperinflação e, consequentemente, para o aumento do poder de compra do salário mínimo.

Nota-se um maior crescimento do salário mínimo na “Era Lula” do que na “Era FHC”, o que demonstra uma melhora na economia doméstica nos últimos anos.



Salário Mínimo de maio deveria valer R$ 2.045,06 para brasileiro atender as suas necessidades e de sua família


Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômico (Dieese), no mês de maio, o cidadão brasileiro deveria receber um salário mínimo de R$ 2.045,06 para atender suas necessidades vitais básicas e de sua famíla.

De acordo com o Dieese, para o salário seguir o preceito constitucional de atender as necessidades como moradia, alimentação, saúde, educação, laser, vestuário, higiene, transporte e previdência social ele deveria ser 339,80% maior do que o salário vigente no Brasil, que é de R$ 465.



Caiu pela metade o número de brasileiros que possuem renda per capita inferior a um dólar por dia


O Brasil reduziu pela metade o número de pessoas que possuem renda per capita inferior a um dólar por dia, segundo informações do coordenador do grupo de trabalho para acompanhamento das Metas do Milênio da Casa Civil da Presidência da Repúbica, Darci Bertholdo.

Em 1990, o Brasil possuía 8,8% da sua população com uma renda inferior a um dólar por dia, hoje este percentual é de 4,2%, menos da metade. A meta é reduzir este valor para 3,3% até 2015



Pesquisa revela que 77% dos pisos salarias não atingem de 1,5 salário mínimo


De acordo com dados divulgados pelo Dieese – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, os pisos salariais dos trabalhadores estão frustando sindicatos de diversas categorias. 

O balanço anual do Dieese analisou 628 pisos salariais de catagorias dos setoras da indústria, comércio e serviços e rural.

Segundo a pesquisa, o salário de 77% das categorias ficaram abaixo do valor de 1,5 salário mínimo, ou seja, R$ 622, considerando o valor do salário mínimo vigente em 2008, de R$ 415.

A grande maioria dps pisos (56%) ficaram abaixo de R$ 523, ou seja, 1,2 salário mínimo e apenas 2,9% das categorias conquistaram pisos superiores a dois salários mínimos (R$ 830).



Trabalhador paga o equivalente a 40% de seu salário em impostos


De acordo com um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), o brasileiro irá trabalhar neste ano, em média, 147 dias e cerca de 40% da sua renda irá para os tributos.

De acordo com o IBPT, o Brasil cobra muitos impostos, penalizando o trabalhador e o setor produtivo, comprometendo o desenvolvimento do país, pois extrapola os níveis de produção. 

“O ideal seria uma tributação que acompanhasse a produção e que suprisse as necessidades do governo sem que a população sofresse prejuízos”, revelou o diretor técnico so IBPT, João Eloi Olenike.

De acordo com a pesquisa, trabalhadores com a maior renda que são os mais prejudicados. Pessoas que ganham entre R$ 3 mil a R$ 10 mil pagam cerca de 42,62% de sua renda em impostos.

O Brasil possui uma imensa variedade de tributos, são cerca de 61 tipos de impostos diferentes. O ideal seria uma simplificação, que reduzisse para 7 ou 8 impostos no país. 



Mais 382 mil famílias foram incluídas no Programa Bolsa Família


O Ministério do Desenvolvimento Social incluiu mais de 382 mil famílias na lista dos beneficiários do programa Bolsa Família. Em agosto o Governo pretende acrescentar mais 550 mil famílias.

O Plano do Governo visa estenter o programa a 1,8 milhões de novas famílias até o final de 2010.

As prefeituras foram orientadas a irem atrás de famílias que apresentam maior risco com relação à segurança alimentar, ou seja, moradores de rua, quilombas, grupos indígenas e população de acampamentos da reforma agrária, listados pelo Incra. Invasores de propriedades não serão incluídos no programa.



Brasil está superando a crise: Cresce o número de empregos com carteira assinada


Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Mistério do Trabalho, revelou um aumento no número de empregos com carteira assinada no Brasil.

Em abril foram criados 1.350.446 novos empregos e demitidos 1.244.241 trabalhadores, gerando um saldo positivo de 105.205 novas vagas de emprego com carteira assinada. Em março, foram criados apenas 34.818 novos empregos.

No mês de abril, os setores que mais contrataram foram o de serviços, agricultura, construção civil e comércio.



Cidades do interior oferecem oportuniades de emprego com salários bem maiores do que nos grandes centros


Uma pesquisa revela que 51% das oportunidades de trabalho estão fora da região Sudeste, centro econômico do Brasil.

Profissionais estão migrando para as cidades menores em busca de oportunidades melhores de emprego. Profissionais qualificados podem ganhar mais do que o dobro do salário pago nas grandes metrópolis.

Além de mais rentável, o trabalho no interior também pode trazer mais sossego e tranquilidade ao trabalhador.

Veja a reportagem sobre o assunto:



A Evolução da Moeda no Brasil: Do Império até os Dias Atuais


Veja nesta apresentação abaixo a evolução da Moeda Brasileira e conheça um pouco mais da história do nosso dinheiro desde os tempos do Império até os dias atuais:



De acordo com Dieese o salário mínimo do brasileiro deveria ser de R$ 2.005,57


Levantamento divulgado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), revelou que o salário mínimo necessário, para o trabalhador brasileiro suprir suas necessidades básicas e de sua família, deveria ser de R$ 2.005,57 no mês de março.

O cálculo, para chegar a este valor, foi feito com base na Pesquisa Nacional da Cesta Básica em março, realizada em 17 capitais brasileiras. 

Na pesquisa foi considerado o presuposto na Constituição Federal, de que “o salário mínimo fixado em lei deverá suprir as necessidades vitais básicas e de sua família, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social”. O gasto familiar foi ponderado, considerando o maior valor da ração essencial das localidades pesquisadas para uma família de dois adultos e duas crianças.



Governo anuncia que o Salário Mínimo em 2010 poderá ser de R$506,50


Paulo Bernardo, Ministro do Planejamento, anunciou que o Governo Federal está propondo que o valor do salário mínimo em 2010 passe a valer R$506,50, a partir de 1º de fevereiro.

Esta proposta foi incluída na Lei das Diretrizes Orçamentárias enviada hoje ao Congresso. 

Esta proposta se baseia na previsão de um crescimento econômico de 2% no PIB (Produto Interno Bruto) neste ano. A expectativa para 2010 é um crescimento de 4,5% no PIB.

Caso seja aprovado, o salário mínimo, que hoje é de R$ 465, terá um aumento de 8,92%.



Minha Casa, Minha vida – Programa habitacional ajuda famílias que recebem até dez salários mínimos a adquirirem sua casa própria


Começa a operar o novo Programa de Habitação do Governo Federal chamado “Minha Casa, Minha Vida“, para a construção de até 1 milhão de moradias nos próximos anos. O Pacote pretende auxiliar famílias que possuem renda de até 10 salários mínimos a adquirirem um imóvel.

Os interesados que possuem renda familiar de até três salários mínimos poderão efetuar o cadastro nas Prefeituras dos Municípios e nos Governos do Estados, em locais a serem divulgados. A parcela mínima para adquirir uma imóvel será de R$ 50 em dez anos.

Quem recebe de 4 a 10 salários mínimos poderá fazer a simulação do financiamento no site da Caixa, ou procurar uma agência para obter mais informações. Após escolher o imóvel que pretende adquirir, o interessado realiza o financiamento em uma Agência da Caixa.

Na região metropolitana de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, o valor máximo do imóvel a ser adquirido é de R$ 130mil. Municípios com mais de 500 mil habiatantes e demais capitais, o financiamento não poderá utlrapassar R$ 100 mil. Para os demais municípios do Brasil, o valor máximo para a aqusição do imóvel é de R$ 80 mil.

Para mais informações acesse www.caixa.gov.br/habitacao.

Veja a entrevista do Presidente Lula sobre o novo Programa Habitacional:



Aumenta o número de desempregados no Brasil


A taxa de desemprego no país teve mais uma alta no mês de fevereiro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em fevereiro, a taxa passou a 8,5%, maior registrada desde março do ano passado, reflexo da piora na situação econômica mundial.

Este resultado indica que o Brasil passou a ter 1,9 milhões de desempregados, 51 mil a mais do que o registrado em janeiro.



A História do Salário Mínimo no Brasil


Salário é a remuneração que o trabalhador recebe por seu serviço executado. O salário mínimo é a menor remuneração que um empregado deve receber de seus empregadores. É estabelecido por lei e atualizado todos os anos de acordo com o custo de vida da população. Foi criado baseado no valor mínimo que uma pessoa gasta para garantir a sua sobrevivência.

O salário mínimo foi criado na Austrália no século XIV e no Brasil, surgiu no século XX, com a lei nº185 em janeiro de 1936 e, no dia 1º de maio de 1938, foram fixados os valores e este passou a vigorar em todo o país.

Nesta época, existiam 14 valores diferentes para o salário mínimo, para cada região do país. Sendo que o valor do salário mínimo prar o Rio de Janeiro, era três vezes maior o valor do salário no Nordeste.

Em 1943 o salário mínimo sofreu o seu primeiro reajuste, seguido de outro em dezembro do mesmo ano.

Os aumentos da remuneração mínima, eram calculados para recompor o poder de compra do mesmo. A unificação total ocorreu em 1984.

Dese então, o valor do salário mínimo sofre reajustes anuais e, cada região pode possuir um valor diferente, porém nunca inferior, para o salário mínimo de sua população.

 



Algumas estimativas sobre o Salário Mínimo brasileiro


De acordo com uma pesquisa recente, 43,4 milhões de brasileiros possuem o seu rendimento baseado no salário mínimo. Ou seja, que foram beneficiados com o reajuste anual.

Deste valor total, 17,8 milhões recebem o benefício do INSS; 12,6 milhões são trabalhadores da iniciativa privada; 8,1 milhões são trabalhadores autônomos; 4,6 milhões de trabalhadores domésticos e 176 mil empregadores.

Com o último aumento do Salário Mínimo, de R$ 465,00, a renda na economia brasileira teve um aumento de R$ 27,8 bilhões, destes,  R$6,8 bilhões correspondem ao aumento da arrecadação de impostos sobre o consumo da população.  



O Salário Mínimo e as Centrais Sindicais


O reajuste do Salário Mínimo nos últimos anos deve-se a uma extensa mobilização das centrais sindicais brasileiras (CGTB, CTB, CUT, NCST, UGT e Força Sindical). Isso fez com que o valor do salário mínimo aumentasse 132,50% de 2003 a 2009.

Além do reajuste salarial, as centrais sindicais conseguiram que o governo intituisse uma política de valorização permanente do salário. Isso garante o poder de compra do mínimo até 2023 e , esta valorização está atrelada à variação do PIB (Produto Interno Bruto), ou seja, do valor da riqueza gerada no país.

Também foi negociado com o Governo que o valor do salário mínimo será reajustado, a partir de 2010, sempre no dia primeiro de janeiro.



Dez razões para o brasileiro ficar otimista com realção à Crise Mundial


A revista Veja publicou neste mês um artigo que promete trazer um opouco mais de ânimo e otimismo ao povo brasileiro com relação à Crise Econômica Mundial

O Editor executivo de Economia, Marcio Aith, juntamente com alguns dos mais renomados economistas do país, fizeram uma lista dos dez principais motivos para os brasileiros ficarem otimistas diante da crise econômica mundial. O País tem a possibilidade de atravessar esta crise apenas com alguns pequenos arranhões e com boas chances de um grande crescimento em 2010. Confira:

  1. O Brasil possui uma reserva de 200 milhões de dólares que se mantém intocadas, mesmo após 6 meses de crise econômica;
  2. O país possui Bancos competentes, regulados, provisionados contra calotes e evitam se expor a riscos;
  3. O país não possui bolhas de crédito e imobiliária e ainda por cima possui um forte potencial para o crescimento nestes setores;
  4. O mercado interno é forte e mantém um crescimento proporcional ao poder de compra e crescimento populacional;
  5. O Brasil é auto-sustentável em petróleo e não dependendo de importações;
  6. Vivemos num país democrata, com estabilidade política. A democracia é um patrimônio nacional;
  7. O país vive um período de estabilidade econômica e arcabouço regulatório imperfeito, mas previsível;
  8. O Brasil é o maior exportador de alimentos do mundo, isso garante grandes exportações em qualquer cenário mundial;
  9. O nosso mercado externo é muito diversificado, possuimos compradores em todas as partes do mundo e as nossas mercadorias possuem um crescente valor agregado;
  10. As mesmas projeções que apontam estagnação mundial, estão apontando o crescimento do PIB no Brasil em 2009. 


Segundo o presidente Lula o País será um dos primeiros a sair da Crise Financeira


O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, manifestou otimismo ao revelar que o País foi um dos últimos a entrar na Crise Finaceira, mas será um dos primeiros a sair dela, em seu programa semanal “Café com o Presidente”.

Conforme os dados divulgados pelo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o mês de fevereiro fechou com aumento no índice de desemprego no país. O Presidente afirmou que a previsão é de que estes dados melhorem a partir deste mês de março, pois as medidas tomadas para a liberação de crédito para financiar capital de giro, incentivar a construção civil e repassar  mais dinheiro ao BNDES, estão em processo de maturação e começarão a surtir efeito a partir de agora.

Lula afirmou que pretende negociar com o Banco Central e com o Ministério da Fazenda um redução nas taxas dos bancos e nos juros cobrados nos empréstimos.

O presidente volta a afirmar que se as pessoas consumirem adequadamente e se comprarem aquilo que precisam, as vendas impulsionarão a produção nas fábricas e, consequentemente, irá gerar mais empregos aqui no Brasil.



Trabalhador que teve o seu salário reduzido poderá conseguir descontos em empréstimos


A Febraban – Federação Brasileira dos Bancos realizou um acordo com a Força Sindical, que orienta as instituições financeiras a reduzirem ou suspenderem o valor das prestações dos empréstimos consignados de trabalhadores que tiveram seu salário reduzido, por conta da crise econômica.

A redução do valor descontado deverá ser proporcional a redução do salário do trabalhador. Por exemplo, se o trabalhador, que realizou um empréstimo, sofrer uma redução de 20% no seu salário, o valor da parcela descontada em sua folha de pagamento que antes era de R$ 100, passa a ser R$ 80, ou seja, 20% a menos.

Os valores descontados na parcela serão acrescidos no final do pagamento do financiamento.



Portabilidade numérica facilita a vida dos usuários de telefonia fixa e móvel


Até o início de março, todos os usuários de telefonia fixa ou móvel poderão mudar de operadora e manter o mesmo número.

Desde que foi implantada, a portabilidade já foi usada por mais de 230 mil consumidores

Muitas pessoas temiam trocar de operadora para evitar o transtorno de ter que enviar o seu novo número para todos os seus contatos. Agora, além de poder manter o seu número, o usuário ele poderá escolher a operadora que oferecer melhores condições, planos mais acessíveis e melhores serviços.



Portabilidade numérica entra em vigor no Rio e em Brasília


O novo sitema de Portabilidade Numérica permite o usuário de telefonia celular ou fixa trocar de operadora e manter o mesmo número telefônico.

Este sitema já está disponível em diversos municípios do país e, a previsão é de que, até março tenha sido concluído o cronograma nacional e todas as cidadades já possam ter acesso a este serviço.

A portabilidade entra em vigor nesta segunda-feira (09/02) para cidades do Rio de Janeiro atendidas com os DDDs 21, 22 e 24 e para cidades com DDD 61, região metropolitana de Brasília.

A portabilidade foi implantada no Brasil em setembro de 2008 e, até agora, mais de 346 mil pessoas migraram para outra operadora e mantiveram o mesmo número telefônico.

Para quem quiser a portabilidade, deverá solicitar para a operadora que deseja migrar, a realização da tranferência, que deverá ser efetuada em até 5 dias úteis.



Mais de 2 milhões de pessoas já perderam o emprego no Brasil por conta da Crise


É meus amigos… a situação está ficando “periclitante”, como diria meu pai. Mais de 2 milhões de pessoas já foram cortadas em todo o Brasil, haja vista a piora da situação econômica mundial.

O que fazer diante dos fatos? A resposta é simples! Tentar se manter no emprego. Como? Mostrando que você é capaz, e que seu trabalho faz diferença. Não seja louco de fazer “corpo mole” nesse momento, pois sua “sentença” pode ser determinada a partir disso.

E quem perdeu o emprego? Como pagar as contas? Questão é poupar, e evitar gastos com futilidades… Se você tem dois celulares, elimine um deles! Você usa cartão de crédito adicional? Cancele! Livre-se das dívidas!

Só assim você fará o dinheiro “sobreviver” enquanto não se consegue um novo emprego.



Dicas de como conseguir emprego em época de crise econômica


O Brasil e o Mundo estão sendo afetados ela Crise Econômica e, um dos sinais disso é o desemprego.

Empresas dos Estados Unidos, Europa e no mundo todo estão demitindo milhares de trabalhadores e, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho, a tendência é de que mais de 50 milhões de desempregos surjam neste ano.

E como conseguir se recolocar ou entrar no mercado de trabalho com esta crise? Não adianta sair por aí distribuindo currículos, especialistas afirmam que agora, mais do que nunca, o trabalhador deve investir num diferencial estratégico, uma qualidade ou conhecimento que o destaquem da concorrência.

Com o aumento do desembrego, aumenta a concorrência por uma vaga nas empresas, que estão cada vez mais exigentes na hora de contratar um candidato. O candidato que apresentar mais ousadia, determinação e conhecimento são os mais bem vistos.

O candidato deve focar na área que possui mais conhecimento e experiência, vale também conhecer o local onde pretende trabalhar, os recrutadores gostam quando o candidato se identifica e se interessa pelos valores da empresa



Desemprego mundial acelera e Dilma Rousseff faz plástica e cuida de forma física


Somente no Brasil, mais de 130 mil empregos foram cortados na indústria (todos os 21 setores demitiram funcionários).

Existem previsões do FMI de que o “mundo” cresça apenas 1% em 2009.

Dilma Rousseff faz uma transformação drástica: novo corte de cabelo, plástica e visivelmente mais magra. Esperemos que essas mudanças façam com que o Brasil enfrente bem a crise, certo?



Economista do BNDES comenta sobre indicadores econômicos


Segundo a economista do BNDES, Ana Cláudia Além, já existem indicativos positivos na economia americana, o que faz com que se criem boas esperanças para um futuro melhor.

Ela frisa que o grande motor de alavancagem da economia brasileira é o setor interno, fato que torna o Brasil não tanto vulnerável à crise externa.

Confira a reportagem do Conta Corrente, da Globo News: