Atualizações anteriores



Previsão do Salário Mínimo 2018 sofre Redução


Governo revê valor do salário mínimo em 2018 e diminui de R$ 969 para R$ 965.

A situação da economia brasileira não está nada fácil e para concluirmos isso basta olhar para a última informação divulgada pelo Ministério do Planejamento nesta última segunda-feira, dia 30 do mês de outubro, em que nos é informado que por mais uma vez o governo precisou abaixar o valor do salário mínimo brasileiro do ano de 2018. Assim, o valor que estava em R$ 969 caiu para R$965.

Por enquanto não há nada confirmado, mas esse valor na realidade é uma estimativa que foi feita baseada em uma mensagem modificativa da proposta do orçamento do ano de 2018. Ela ainda deve ser encaminhada ao Congresso Nacional e segundo informações, na mensagem o governo informa que esse valor é resultado de uma elevação dos gastos que subiu para R$ 44,5 bilhões.

Os brasileiros devem se lembrar que no último mês de agosto, a estimativa do novo salário mínimo que estava no valor de R$ 979 caiu para R$ 969, o que já causou um burburinho em todo o país, uma vez que a expectativa dos brasileiros assalariados é que a cada ano, o salário aumentasse, ainda que seja pouco, mas que haja um aumento.

O motivo de tantos comentários se deve ao fato de que a maioria dos brasileiros pertence a classe dos assalariados que atualmente recebem o valor de R$937. Os números recentes apontam uma soma de 45 milhões de brasileiros que possuem como renda o salário mínimo, entre essas pessoas se encontram pensionistas e aposentados, cujos benefícios são custeados pelo governo federal.

Desse modo, planejando realizar uma economia considerável, o governo pretende diminuir o salário mínimo e assim economizar no pagamento desses benefícios, o que segundo os cálculos realizados pelo Ministério do Planejamento, seria uma soma de R$1,2 bilhão.

Para quem não sabe como é feito o cálculo do valor do salário mínimo, ele é realizado com uma fórmula que faz a soma do INPC, que é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, do ano antecessor, cujo cálculo é realizado pelo IBGE, mais o resultado do PIB, que é o Produto Interno Bruto, de dois anos antes.

Resumindo, o cálculo do salário mínimo do ano de 2018 será feito com a soma do INPC (ano anterior: 2017) + PIB (dois anos anteriores: 2016).

Como já era previsto, o PIB do ano de 2016 teve uma forte retração e por isso não será utilizado para o cálculo da correção do salário mínimo de 2018, sendo considerado somente o INPC deste ano de 2017.

No entanto, de acordo com o governo, a previsão é de que a variação do INPC seja ainda menor do que a que foi estimada. Por esse motivo, o resultado do cálculo do salário mínimo do ano que vem deve ser menor.

Até o momento, havia uma estimativa do governo de que a variação do INPC seria em torno de 3,5%. Contudo, na última mensagem para modificação do orçamento, o aumento que passou a ser previsto é de 3,1% neste ano.

Assim, esse valor até o fim deste ano pode ainda sofrer modificações, o que será determinado pela variação do INPC até lá.

De acordo com Dyogo Oliveira, que é o Ministro do Planejamento, só se saberá ao certo o valor definitivo do salário mínimo do ano de 2018 no próximo mês de janeiro.

Segundo o Ministro, o valor que foi anunciado é na realidade apenas uma previsão para que os cálculos do orçamento sejam realizados e assim previstos. O real valor que o salário mínimo do ano de 2018 terá só será definido no mês de janeiro do ano que vem. Os valores citados até então são apenas estimativas do governo, pois não existe uma liberdade por parte do governo para calcular um salário que não seja baseado na fórmula já existente.

Diante de tanta inconstância, resta a todos os brasileiros aguardar o mês de janeiro de 2018, para então saber de fato o valor do salário mínimo.

Sirlene Montes



Salário Mínimo 2018 – Novo Valor depende da aprovação de Temer


Lei de Diretrizes Orçamentárias é aprovada e define salário mínimo 2018. Michel Temer ainda precisa aprovar.

Por meio de anúncio oficial em 07 de julho, Henrique Meirelles, atual ministro da Fazenda, destacou que o governo irá propor o teto do salário mínimo fixado em R$ 979 para o ano de 2018. O valor atual é de R$ 937. O reajuste do salário mínimo aqui destacado será devidamente incluído na proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2018, que é a base para o orçamento do próximo ano. Sendo assim, as propostas em questão, incluindo o reajuste do salário mínimo, devem ser enviadas ao Congresso Nacional até o dia 15 de abril de 2018.

Um detalhe muito importante é que a correção do salário mínimo serve como base para nada menos que 45 milhões de trabalhadores em todo o país. O cálculo do reajuste é feito por meio da soma da variação do Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) do ano anterior, que é calculado pelo IBGE, juntamente ao resultado do PIB de dois anos antes.

Levando em consideração a regra de cálculo destacada acima, além da variação estimada para o INPC deste ano, que é de 4,48%, o ministro da Fazenda destaca que o salário mínimo deveria ser corrigido de R$ 937 para R$ 979. Outro detalhe importante é que o valor do salário mínimo proposto para 2018 é a mediana do resultado aguardado por mais de 100 instituições financeiras, sendo que essas instituições foram consultadas pelo Banco Central na primeira semana de julho.

Haja vista o grande recuo do PIB registrado em 2016, 3,6%, ano esse que serve de parâmetro para o cálculo do salário mínimo em 2018, segundo a regra destacada, a correção do mínimo para 2018 levará em conta apenas o valor da inflação de 2017. Portanto, vale ressaltar que não haverá uma alta real, ou seja, acima da inflação, para o ano que vem.

Ainda em 2016, o governo havia estimado que o teto do salário mínimo fosse ultrapassar a casa dos R$ 1.000,00 ainda em 2018. A expectativa, naquela época, era de que o valor seria de R$ 1.002,00 em 2018 e R$ 1.067,00 no ano seguinte. Porém, o cenário de recessão fez o governo voltar atrás e Henrique Meirelles destaca que as mais recentes projeções são: R$ 1.029 em 2019 e R$ 1.103 em 2020.

Por Bruno Henrique



Salário Mínimo de 2018 pode ser de R$ 979


Valor do salário mínimo para o próximo ano poderá subir R$ 42.

O Ministério da Fazenda do Governo Federal anunciou a sua proposta para o salário mínimo do ano de 2018. O novo valor é de R$ 979. Atualmente, o salário percebido pelo trabalhador assalariado é de R$ 937. Assim, o aumento será de R$ 42. Essa previsão integrará o Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO). Nesse documento, que deve ser encaminhado ao Congresso Nacional até 15 de abril (sábado), também constam as projeções para o piso salarial nos anos de 2019 e 2020, R$ 1.029 e R$ 1.103, respectivamente.

Com esse aumento de 4,48% em 2018, o governo está praticamente aplicando a inflação projetada em 4,5%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já para os anos seguintes, a previsão de alta é de 5,11% para 2019, o que corresponde a R$ 50 e, para 2020, R$74 ou 7,19% de correção. Por trata-se de um projeto de lei, os valores podem sofrer alterações quando forem aprovadas no Congresso Nacional.

A projeção do Produto Interno Bruto (PIB) para 2018 e 2019 é de 2,5% para cada ano. A expectativa para 2020 é de 2,6%. Já o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é estimado em 4,5% para todos os anos.

O Banco Central do Brasil consultou uma centena de instituições financeiras na última semana a fim de sondar as estimativas do mercado com relação à economia.

Os valores divulgados são mais realistas do que em 2016, pois naquele momento havia a projeção de que o salário mínimo atingisse R$ 1.002 em 2018 e R$1.067 em 2019. Devido ao cenário de crise econômica e recessão no qual o Brasil vive, o reajuste do piso salarial nacional foi menor do que o programado.

O governo do presidente Michel Temer afirma estar focado com o ajuste fiscal. Para a equipe econômica, os números dos próximos anos são reflexos da crise financeira e política que, além de assolar o país em 2015 e 2016, prejudicou a arrecadação e causou retração na economia. Naqueles anos, o PIB sofreu retração de 3,8% e 3,6% respectivamente. Desde 1996, todos os setores da economia brasileira não registravam taxas negativas.

Melisse V.