Destaque em 2017

Atualizações anteriores



Salário Mínimo Ideal – Valor em Agosto 2017


Dieese afirma que valor do salário mínimo em agosto de 2017 deveria ser de R$ 3.744.

O Brasil vem passando por momentos muito delicados em sua economia. Vivemos em um momento de muita instabilidade, em que todos os setores têm sentido e refletido a crise. Contudo, o alvo maior da crise é sempre a classe mais baixa, que é a maior parte da população.

Em tempos de elevado número de desempregados em todo o país, a situação econômica que a maioria das famílias brasileiras têm passado não tem sido nada fácil. Diante de tanta inconsistência financeira, as famílias brasileiras têm realmente que fazer “mágica” para se sustentarem. Afinal, quanto custa o sustento de uma família no Brasil?

Um levantamento realizado recentemente apontou que o sustento de uma família formada por quatro pessoas deveria estar custando nesse mês de agosto do ano de 2017 o equivalente a R$ 3.744,83, valor este que está totalmente fora da realidade da maioria das famílias brasileiras que não conseguem nem a metade desse valor. Fato que comprova que o brasileiro não possui condições financeiras para ter acesso a tudo aquilo que precisa, como necessidades básicas.

A pesquisa foi realizada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, o chamado Dieese, que faz esse tipo de pesquisa todos os meses do ano.

Com o resultado divulgado nesta última terça-feira, dia 05 do mês de setembro, a pesquisa deixou muita gente surpresa, pois o valor indicado pelo estudo equivale a 4 vezes o valor do salário mínimo brasileiro atual, que é no valor de R$ 937.

O departamento considera na coleta dos dados, informações sobre os valores que suprem as necessidades consideradas básicas que o trabalhador brasileiro possui, assim como sua família. Essas necessidades são baseadas no que está previsto na Constituição, como alimentação, saúde, moradia, educação e outros gastos também considerados básicos.

Nesse sentido, o cálculo desse valor é feito considerando o preço atual da cesta básica.

No mês de agosto, a cesta básica com valor mais alto do país foi a de Porto Alegre, que custava o equivalente a R$ 445,76.

O Departamento verificou que entre os meses de julho e agosto, a diferença entre o valor do salário mínimo e o valor que ele deveria ser teve uma diminuição.

No mês de julho, por exemplo, o departamento calculou que o salário mínimo brasileiro deveria ser de R$ 3.810,36, o que seria mais de 4 vezes do valor do mínimo atual.

Como todos já sabem, o salário mínimo brasileiro foi oficialmente alterado para o valor de R$937 no dia 1º do mês de janeiro de 2017.

Para o Dieese, esse aumento do 1º dia do ano não teve nenhuma relevância, pois não conseguiu superar a inflação.

Diante disso, só se confirma o quanto o Brasil é atrasado nesse quesito, pois são milhões de famílias que praticamente têm que sobreviver com um salário mínimo, que não dá para satisfazer nem a metade das necessidades básicas, principalmente em famílias mais numerosas em que só uma pessoa trabalha.

Não bastasse esse salário mínimo de valor vergonhoso, a forte crise política e financeira acabou por atingir essas mesmas pessoas assalariadas, que muitas das quais perderam seus empregos e seus salários mínimos, tendo agora que buscar outros meios de se sustentarem. Ou seja, a grande massa brasileira não é de hoje que tem enfrentado grandes desafios, sem o mínimo de consideração por parte de nossos líderes políticos, que elaboram diversos projetos de leis, sem que nenhum seja voltado para a melhoria dessa questão do salário mínimo, que ao que parece nunca alcançará o valor necessário para atender às mínimas necessidades desses brasileiros, que em épocas de eleições possuem uma grande representação nas urnas.

Sirlene Montes



Valor do Salário Mínimo em 2017 deverá ser de R$ 946


Reajuste do próximo ano deverá cobrir apenas a inflação.

Com o decorrer do ano de 2016, o Governo Federal já começa a fazer as perspectivas para o ano de 2017 e a uma das mais aguardas já está sendo veiculadas nos meios de comunicação do país, que é a previsão de reajuste do salário mínimo, que atualmente está fixado em R$ 880 e que segundo o que está sendo divulgado, passará a ser de R$ 946 no próximo ano.

Em termos de porcentagem este reajuste representará um aumento de 7,5%, correspondente a estimativa para a inflação gerada de janeiro até dezembro deste ano, mensurada por meio da análise do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Esta estimativa de reajuste do salário mínimo é oriunda do que está previsto na Lei de Diretriz Orçamentária (LDO), a qual foi enviada para o Congresso Nacional nesta última sexta-feira, dia 15 de abril de 2016.

Para fazer o cálculo do reajuste do salário mínimo levando em consideração a variação do Produto Interno Bruto (PIB) e a inflação é preciso somar todas as riquezas obtidas pelo país nos dois anos anteriores. Contudo, o PIB brasileiro infelizmente sofreu um decréscimo de 3,8% no ano de 2015 e ao que tudo indica deverá encolher ainda mais neste ano de 2016. Desse modo, o reajuste deverá cobrir somente a inflação.

Em termos de comparação, do ano de 2015 para o ano de 2016 o reajuste do salário mínimo foi de 11,6%, uma vez que era de R$ 788 e passou a ser R$ 880.

Este aumento impactou diretamente cerca de 40 milhões de trabalhadores, aposentados e pensionistas que recebem o piso nacional. Segundo os dados oriundos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, esta medida deve impactar as contas públicas em R$ 30,2 milhões.

A regra que vigora atualmente para fazer o cálculo do salário mínimo, que considera o crescimento econômico do país e a inflação, é garantida por lei até o ano de 2019.

Já para os aposentados e pensionistas, esta regra tem validade somente para aqueles que ganham até 1 salário mínimo, pois aqueles que ganham mais de um salário mínimo recebem apenas o reajuste de acordo com a inflação.

De acordo com as estimativas do governo, cada R$ 1 concedido de reajuste no salário mínimo, implica em R$ 293,6 milhões em gastos assistenciais e previdenciários.

Por Adriano Oliveira