Saque Aniversário FGTS 2019 – Quando Sacar e Para Quem Compensa





Confira aqui mais detalhes sobre o saque de aniversário do FGTS 2019.

A partir de 2020, o trabalhador poderá dar um presente a si mesmo, pegando uma parcela a mais de seu próprio fundo. Trata-se do Saque Aniversário, que ficará disponível para saque a partir do primeiro dia útil do mês de aniversário do trabalhador e poderá ser sacado dentro de 3 meses (o mês de aniversário e os dois meses subsequentes). Mas isso só ocorrerá a partir de 2021, pois em 2020 o pagamento obedecerá a tabela que será divulgada pela Caixa Econômica Federal.

Será obrigatório?

Não será obrigatório. Quem não quiser essa parcela a mais do próprio fundo poderá optar por permanecer na modalidade antiga, tendo direito ao saque do fundo em caso de demissão sem justa causa. Por causa disso, a modalidade tradicional será conhecida como “saque-rescisão”. Em 2019 os trabalhadores serão limitados a sacar até R$ 500. Mas a partir de 2020 o valor vai variar de acordo com cada conta.

Leia também:  Como consultar o saldo do FGTS



Será sempre vantajoso?

No evento que serviu para divulgar as novas regras, o ministro da Economia Paulo Guedes afirmou que esse valor “a mais” servirá como um salário extra todos os anos. Mas o trabalhador precisa prestar atenção aos detalhes na hora de decidir pegar ou não o benefício.

Existe uma tabela que estabelece os valores de saque de acordo com o saldo em conta. Essa tabela torna mais vantajoso o Saque Aniversário para quem tem valor baixo em conta. Os valores são os seguintes:


  • Até R$ 500 – Sem saque adicional
  • Entre R$ 500,01 e R$ 1.000 – Saque de R$ 50
  • Entre R$ 1.000,01 e R$ 5.000 – Saque de R$ 150
  • Entre R$ 5.000,01 e R$ 10.000 – Saque de R$ 650
  • Entre R$ 10.000,01 e R$ 15.000 – Saque de R$ 1.150
  • Entre R$ 15.000,01 e R$ 20.000 – Saque de R$ 1.900
  • Acima de R$ 20.000,01 – Saque de R$ 2.900
Leia também:  Contas Digitais para Negativados no SPC e Serasa

Vamos exemplificar: uma pessoa com saldo de R$ 11 mil pode sacar R$ 2.800. Até que o valor é alto. Mas deve-se tomar cuidado para evitar se arrepender depois de escolher essa opção, pois o trabalhador não terá mais a opção do saque do fundo caso seja demitido sem justa causa.

Portanto, se o trabalhador decidir dar a si mesmo um presente de aniversário todos os anos, ele estará abrindo mão do valor do fundo em caso de demissão. Ele pode até voltar à opção tradicional, mas somente será efetivada a mudança de volta depois de 2 anos!

Somente a multa

A pessoa do nosso exemplo, que tem o valor de R$ 11 mil na conta, deixaria de sacar os R$ 11 mil com a adição dos 40% da multa paga pela empresa, multa de R$ 4.400. Esse trabalhador só receberia os R$ 4.400 mais os proporcionais de férias, etc. Não receberia mais os R$ 15.400 (fundo mais multa). Talvez esse valor de R$ 4.400 não seja o suficiente para a pessoa se manter enquanto se recoloca no mercado. Portanto, a decisão deve ser muito bem pensada.

Leia também:  Pagar Boletos com Cartão de Crédito

Quando vale a pena?

Para quem tem condições financeiras de se segurar no caso de desemprego, a melhor opção é sacar e investir, já que a taxa de retorno do FGTS hoje é muitas vezes menor que a inflação.

Sonho da casa própria

Para quem tem o sonho da casa própria e quer aproveitar essa oportunidade de sacar e reinvestir, é uma ótima ideia. Algumas pessoas terão mais facilidade do que outras quando o assunto e reinvestir o dinheiro. Porém outras irão gastar mais dinheiro do que investir. E são essas últimas que mais preocupam. Se você é do segundo tipo de pessoa e deseja ter a casa própria dentro de alguns anos, não saque o dinheiro. Deixe inacessível.

Por Bruno Rafael da Silva