Salário Mínimo 2020 deverá ser de R$ 1.040





Reajuste no benefício não terá aumento acima da inflação.

Desde o governo de Dilma Rousseff, a política de correção do salário mínimo é de acordo com a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes, bem como a inflação do ano anterior.

A proposta do atual governo é de que o reajuste do salário mínimo esteja relacionado à inflação; o que não implica dizer um aumento real, ou seja, sem aumento acima da inflação.




Essa alteração poderá ajudar o governo a poupar recursos, uma vez que os benefícios pagos pela Previdência não podem ser inferiores ao valor do salário mínimo.

Segundo Waldery Rodrigues Júnior, secretário de Fazenda do Ministério da Economia “Esses valores para o salário mínimo não implicam em uma lei, ou colocação de qual será o salário mínimo em termos de legislação. É uma avaliação paramétrica. Estamos atendendo a uma regra de correção pelo INPC. Temos valores referenciais. Em termos de definição, para políticas salariais, o governo tem até dezembro desse ano para enviá-la. Não é a definição da lei de política para o salário mínimo”, ou seja, se a mudança acontecer, o reajuste do salário mínimo não representa um padrão de uma política salarial.

Leia também:  Valor do Salário Mínimo 2019

Veja como ficaria o salário mínimo seguindo esse modelo de aumento:

Para ajudar você a entender melhor esse cenário, trouxemos uma simulação deixando mais clara essa alteração:

Segundo o portal, numa matéria publicada em 14/04/2019 às 05h00, a simulação foi feita levando em consideração o mercado financeiro e, sobretudo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), assim, ficaria da seguinte forma:

  • Através do formato que vigorou até 2019 (inflação + PIB), o salário mínimo de 2020 seria de R$ 1.052,89;
  • Com o valor somente corrigido apenas pela inflação seria de R$ 1.041,91.
  • A diferença é de pouco menos de R$ 11.

Considerando que esses valores são estimativas, a previsão é de que o Governo anuncie essas mudanças o quanto antes.

Leia também:  Tabela de Pagamento do INSS 2019 - Divulgação em Breve

Quando essas mudanças começaram?

Em 2011, a lei que tramitava sobre o assunto obteve aprovação e antes disso, no ano de 2004 a política de valorização do salário mínimo já começava a ganhar notoriedade através das centrais sindicais.

De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em 2004, durante o governo do Ex- presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o aumento real acumulado do salário mínimo foi de 74,33%. Os dados consideram o recorte do momento político entre 2004 e Janeiro de 2019.

Do ponto de vista econômico, no que diz respeito aos cenários políticos e valorização sobre o assunto; o salário mínimo tem se mostrado como um elemento positivo no desenvolvimento socioeconômico do país, uma vez que tem estimulado as economias municipais e diminuição de desigualdades salariais.

Leia também:  Projeto permite saque do FGTS por trabalhador que pede demissão

Saiba qual o posicionamento do Banco Mundial, sobre o assunto

Para o Banco Mundial o emprego tem aumentando no nosso país e o índice de empregados formais também, porém, nos últimos anos a criação de rendas informais também tem ganhado, cada vez mais, espaço entre as famílias brasileiras, deixando clara, portanto, a insuficiência da remuneração mínima; o que leva inúmeros trabalhadores a buscarem oportunidades de ganhos maiores, mesmo que informais.

Outro fator importante, apontado pelo Banco Mundial, são as distorções de reajustes que consideram produtividade, base salarial mais baixa para os jovens, entre outros. Para a instituição, as mudanças salariais podem ser possíveis, se considerarmos a flexibilidade do mercado e da economia.

Continua sendo insuficiente…

Por fim, não pode se negar que, apesar de aumentos reais nos últimos anos e governos, a remuneração continua deixando brasileiros “apertados”; tornando as famílias privadas as necessidades básicas, como alimentação, saúde e moradia, por exemplo.

Mayara Barreto Arruda