Como a biotecnologia pode ser usada na agricultura?



  

A biotecnologia e a agricultura se uniram com o objetivo de tornar mais eficiente o cultivo de plantas. Problemas climáticos, doenças e pragas, são bons exemplos, de obstáculos que sempre afetaram a produção de alimentos. Com isso, a engenharia genética desenvolveu diversas tecnologias para que as perdas fossem reduzidas e assim aumentasse a produtividade das lavouras.

A associação entre essas duas áreas já permitiu que fossem desenvolvidas diversas espécies de vegetais que resistissem a insetos e fossem tolerantes a herbicidas. Estas variedades transgênicas ou geneticamente modificadas (GM) acabaram proporcionando uma grande melhoria nas práticas de cultivo, trazendo incremento na qualidade e quantidade dos produtos agrícolas, favorecendo assim o crescimento econômico e reforçando a renda dos produtores rurais. Quando se trata das plantas transgênicas resistentes a insetos ou então tolerantes a herbicidas, a vantagem é que há uma facilidade em manejar insetos invasores e plantas, o que acaba resultando em uma redução na quantidade de produtos defensivos químicos aplicados. Hoje também já existem alguns vegetais que possuem juntas essas duas características e que assim são uma eficiente alternativa para os agricultores. Além de trazerem vantagens agronômicas, tais variedades também favorecem a preservação da biodiversidade e assim acabam por diminuir a necessidade de ampliar a área plantada, diminuindo as perdas no campo.

Leia também:  Lei da Terceirização - O Que Muda no Mercado de Trabalho




Vários cientistas e especialistas ao redor do mundo também têm trabalhado para desenvolver plantas que possuem características complexas modificadas, ou seja, envolvendo vários genes. Tudo indica também que em um futuro próximo serão criados vegetais transgênicos, que possuam propriedades nutricionais melhores ou então que produzam medicamentos. Pelo mundo todo são realizadas pesquisas com banana, arroz, beterraba, laranja, cana-de-açúcar, mandioca mamão e diversas outras plantas. A finalidade é expressar nelas as mais diversas características como resistência a fungos, insetos e vírus, tolerância à seca e a outros princípios ativos e também melhor suas composições nutricionais.

Hoje, o cultivo de produtos geneticamente modificados ocorre em todas as regiões agrícolas do mundo, e o uso da biotecnologia tem atingido números nunca alcançados por outras tecnologias, é um marco na história da agricultura mundial. No ano de 2009, culturas transgênicas foram plantadas em 134 milhões de hectares e por mais de 14 milhões de agricultores, em 25 países. Entre os países que possuem as maiores áreas cultivadas com produtos transgênicos, o Brasil está em segundo lugar batendo a marca de 21,4 milhões de hectares, perdendo somente para os Estados Unidos que atingiu o valor de 62,5 milhões de hectares. Todo esse sucesso se deve aos benefícios da plantas GM, como a resistência a insetos, doenças e o crescimento da produção.

Leia também:  Brasileiros que moram fora do Brasil podem sacar o FGTS Inativo