PIB do Brasil só deve voltar ao Normal em 2019




Analistas acreditam que 2016 será o ano mais recessivo para o PIB Brasileiro. Recuperação deverá ocorrer só em 2019.

De acordo com especialistas, podem ser elencados uma série de fatores responsáveis pela derrocada da economia brasileira nos últimos anos: descontrole nos gastos públicos, crise política e diminuição do excesso de liquidez na economia mundial.

No entanto, é quase um consenso a opinião de que, diferentemente de outros momentos, a crise atual não pode ser atribuída a um suposto cenário de crise externa, e sim aos prórios erros econômicos e políticos do governo brasileiro.


PIB de 2013 somente em 2019

Segundo estimativas do relatório Focus (espécie de síntese das expectativas do mercado feita pelo Banco Central sobre a realidade da economia brasileira), a economia do país só deverá entrar nos trilhos no final de 2019.

Leia também:  Pagamento da 1ª Parcela do 13º Salário para Aposentados do INSS - 2018

A projeção é que nesse ano o PIB Brasileiro atinja o montante de R$ 5.512 trilhões de reais (valor correspondente ao ano de 2013), saindo, portanto, do maior quadro recessivo da história do país.

Ainda com base nas projeções da Focus, esse ano de 2016 será o mais recessivo, onde o PIB Brasileiro não deverá ultrapassar os R$ 5. 277 trilhões de reais.


A Crise Política

Sem dúvida, um dos fatores determinantes para essa realidade, segundo especialistas, é a crise política instalada no país desde 2015, ano de incertezas, de acordo com analistas.

Essa instabilidade teria provocado uma alteração na projeção do crescimento econômico brasileiro, que até então acreditava-se que se daria em 2018.

Leia também:  Redução no Limite do Cartão para Maus Pagadores

A perda do mandato da presidente da república, incentivada pela rejeição das contas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pelo processo de cassação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), seriam uma espécie de pano de fundo para o maior quadro recessivo da economia brasileira desde o início dos anos 30, segundo o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Retomada do Crescimento

O quadro agravou-se ainda mais após a retirada do grau de investimento do país em 2015, pela Standard & Poors (mais importante agência de classificação de risco de crédito no mundo).

O resultado, entre outras coisas, foi uma sensível queda do Real frente ao dólar, fazendo com que os analistas projetem um PIB de cerca de US$ 1,370 trilhões de dólares em 2019, em comparação com o ano de 2013, cujo valor em dólar era de US$ 2,387,00.

Leia também:  Projeto permite saque do FGTS por trabalhador que pede demissão

No entanto, analistas apontam o caminho para a retomada do crescimento da economia brasileira, que deve estar definitivamente atrelado a uma série de medidas, de ajustes fiscais (inclusive com a possibilidade, ainda distante, de aumento de impostos), ao equilíbrio do jogo político (a partir da definição do processo de Impeachment), além do controle da inflação e do aumento do nível de emprego, por meio de investimentos em setores estratégicos.

Vivaldo Pereira da Silva