Vendas para o Dia das Crianças caíram em 2015



  

Comércio registrou queda nas vendas de 8,98% para o Dia das Crianças neste ano devido à crise pela qual o Brasil está passando. As pessoas estão mais cautelosas e evitando gastar com itens supérfluos.

As vendas no comércio para o Dia das Crianças caíram este ano em torno de 8,98% comparado ao mesmo período do ano passado. Analisando os últimos 4 anos: 2013, 2012, 2011 e 2010 a queda nas vendas teve uma somatória de 0,32%.   

De acordo com o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) foi o pior percentual de queda registrado nos últimos anos. Este ano os pais não quiseram comprometer o orçamento com compras parceladas e o resultado foi uma retração de 7,82%.

Fatores que contribuíram para que as vendas fossem fracas, como a alta dos juros, a inflação, o medo da inadimplência e o comprometimento do orçamento familiar fizeram com que se pensasse melhor na hora das compras. Os pais não quiseram arriscar comprando produtos caros ou sofisticados, optaram por brinquedos simples ao alcance do orçamento, assim as crianças não ficaram sem os presentes.   

De acordo com levantamentos, as vendas à vista foram as mais procuradas, as pessoas evitaram os parcelamentos e principalmente os cartões de crédito, pois os juros aumentaram e neste momento de recessão é melhor se precaver.

Os itens mais vendidos foram: roupas, jogos interativos, carrinhos, bonecas, mostrando que os artigos mais práticos e econômicos foram os desejados.   

Neste ano, os brasileiros enfrentam dificuldades na área econômica, os preços elevados dos alimentos, transporte, educação, roupas, cesta básica, juros altos do cartão de crédito e rotativo, fizeram com que as pessoas restringissem o poder de compra e o orçamento ficou limitado.





Leia também:  FGTS - Como saber o saldo de contas inativas

Nas datas comemorativas as pessoas estão evitando gastar, e este ano houve registro de quedas das vendas nas datas comemorativas: dia das mães, dos pais, dos namorados, páscoa, com percentual de 0,5%, 11,21%, 4,93%, 0,59%, mostrando que economizar se tornou prioridade.   

O comércio esperava uma maior demanda e um aquecimento das vendas para o Dia das Crianças, mas com um orçamento apertado e comprometido as pessoas gastaram pouco, pois estão dando prioridade ao essencial. Brinquedos e presentes se tornaram objetos de luxo.

Os comerciantes não estão muito otimistas para as vendas do final de ano, baseados nas vendas que ocorreram referentes às datas comemorativas. As pessoas, provavelmente, utilizarão o 13º salário para quitar débitos e o comércio contratará menos devido às baixas expectativas. É um momento difícil na economia brasileira.  

Por Marisa Torres

Vendas Dia das Crianças

Foto: Divulgação



Leia também:  Salário Mínimo Regional São Paulo 2017