Redução na tarifa da bandeira vermelha da energia elétrica



  

A Presidente Dilma Rousseff anunciou que a bandeira vermelha da energia elétrica que está em vigor sofrerá uma redução entre 15% e 20%. Tal medida começará a valer em setembro deste ano.

A presidente Dilma Rousseff anunciou que o valor da bandeira vermelha irá ter uma redução entre 15% e 20%, uma vez que houve o desligamento de várias usinas térmicas nos últimos dias. O ministro de Minas e Energia confirmou a redução e informou que elas começarão a valer a partir do mês de setembro.

Dilma disse que é lastimável que o brasileiro tenha que arcar com os aumentos nas contas de luz, mas que isso é temporário e que agora, a Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica, já vai providenciar a primeira redução no valor da bandeira tarifária de cor vermelha para o próximo mês.

Com a crise da falta de chuva e muitas represas não tendo condição de gerar o volume de energia necessária para o país, foi preciso ativar as usinas térmicas, que geram uma energia mais cara e o consumidor acabou arcando com este gasto a mais.

Leia também:  Salário Mínimo de 2018 pode ser de R$ 979

Atualmente, a cada 100 kilowatts-hora (kWh) consumidos pelo brasileiro, há um acréscimo na conta de luz no valor de R$ 5,50 que é referente ao valor da bandeira vermelha, porém, com o desligamento de 2 mil megawatts das usinas térmicas, será possível reduzir, mesmo que seja um pequeno valor, o preço da bandeira vermelha.

Desde o mês de janeiro que está vigorando em todo o Brasil a bandeira vermelha, que é a mais cara. De acordo com o Governo, por enquanto, não é possível passar para a bandeira amarela, que tem um valor inferior, pois estamos em um período de seca, onde as chuvas são raras e a situação do país requer muita cautela.





Será feita pela Aneel uma consulta pública, mas tudo indica que a redução no valor da bandeira vermelha fique entre 15% e 20%.

Eduardo Braga, ministro de Minas e Energia, disse que o país ainda não tem a segurança necessária para mudar a tarifa adicional para a bandeira amarela, que por enquanto, só é possível reduzir o valor da bandeira vermelha, mas que nos meses de outubro e novembro, novas avaliações serão feitas e havendo uma estabilidade maior no sistema energético, aí sim, poderá ser acionada a bandeira amarela.

Leia também:  Caixa antecipa o saque do FGTS de Contas Inativas

Até o próximo dia 28 de agosto, será definido o desconto para a bandeira vermelha que de R$ 5,50 para cada 100 kilowatts-hora passará para R$ 5,00 ou até R$ 4,50.

Por Russel

Bandeira vermelha