Previsão da inflação para 2015 aumentou para 9,12%



  

Especialistas elevaram novamente a previsão da inflação para 2015.

A economia brasileira está passando por dias complicados, afetando o dia a dia dos brasileiros. Desemprego, diminuição do crédito, desemprego, aumento da carga tributária, entre outros fatores têm contribuído para uma perspectiva negativa à medida que os meses vão passando. Especialistas de instituições financeiras realizaram uma revisão na previsão da inflação para o ano de 2015 e aumentaram o índice.

Nesta segunda-feira (13), a pesquisa Focus do Banco Central foi divulgada e mostrou que a estimativa da inflação para 2015 é de 9,12%.   Na pesquisa anterior, esse número era de 9,04%, sendo a 13ª semana consecutiva de piora da previsão. Isso deixa um alerta para os consumidores brasileiros sobre o descontrole da inflação, que de acordo com a meta do governo, seria de até 6,5%.   

A pesquisa indicou um ligeiro ajuste para baixo na alta do IPCA no final de 2016. Pela segunda semana seguida de redução, o IPCA para 2016 ficou em 5,44%, contra 5,45% da análise anterior. O IBGE, na semana passada, havia informado que a inflação oficial brasileira acelerou a 0,79% no mês de junho, sendo a maior alta em quase 20 anos para o período. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação brasileira é de 8,89%.  

Leia também:  Nova Lei Trabalhista - Mudanças




Já o PIB brasileiro para 2015 tem quase a mesma projeção anterior, com recuo de 1,5%. Os economistas do mercado financeiro haviam previsto um recuo de 1,49% na última estimativa. Caso este número seja confirmado ao final do ano, será o pior desempenho da economia brasileira desde 1990, ou seja, há 25 anos, quando o Brasil registrou uma queda de 4,35%.   

Há duas semanas, o Banco Central admitiu que o IPCA deverá ficar em 9% em 2015. De acordo com o órgão financeiro, a probabilidade de a inflação ficar acima do teto estipulado pelo Governo Federal, em 2015, é de 99%.   Já os juros, segundo os especialistas, passaram a ver a Selic a 12,25% no final de 2016, contra 12,06% nas projeções anteriores. Até o final do ano, a perspectiva é que a taxa Selic, que atualmente está em 13,75%, seja de 14,50%. De acordo com a reunião do final deste mês do Copom (Comitê de Política Monetária), a previsão é que exista uma alta de 0,5%.

Leia também:  Salário Mínimo no Paraná em 2017

Por William Nascimento

Inflação em alta