Desigualdade salarial entre homens e mulheres cresceu



  

Mulheres recebem 81,4% do valor que os homens recebem trabalhando na mesma posição e tendo o mesmo nível de conhecimento.

A renda feminina cresceu pelo sexto ano consecutivo, mas ainda existe uma grande desigualdade salarial entre homens e mulheres no Brasil, e isso é comprovado através de índices que foram levantados no ano de 2014.

Essa pesquisa foi realizada pela Fundação Seade, na região metropolitana de São Paulo, mostrando que não existem motivos para comemorar a evolução do quadro das mulheres trabalhadoras, logo que os homens ainda possuem os salários mais atrativos.

Na pesquisa foi visto que as mulheres recebiam 81,4% do valor que é pago aos homens que trabalham na mesma posição, e que possuem o mesmo nível de conhecimento. Em 2013, esse percentual era de 77,1%.  Esse foi o maior aumento da última década.

Leia também:  Financiamento Imobiliário - Juros dos Bancos

Pensando em um cenário otimista, se o salário da mulher continuar crescendo da mesma forma, existe a previsão de que em até 4 anos elas consigam receber o mesmo valor do que os homens.

Em São Paulo, uma mulher ganhava por hora de trabalho o valor de R$ 9,80, mas com o aumento de 5,3% que aconteceu no ano de 2014, o valor pago por hora foi para R$ 12,04. Esse valor os homens já recebiam em 2013.

Um dos benefícios que o público feminino possui são as cargas horárias reduzidas. Boa parte das mulheres trabalha cerca de 36 horas por semana, enquanto eles atuam durante 40 horas. Alguns usam isso como justificativa para a diferença de remuneração, além dos benefícios como o auxílio maternidade e etc. 





Visão Mundial:

Mas saiba que essa diferença de salário não acontece apenas no nosso país. Até mesmo celebridades de Hollywood recebem menos que os homens que fazem papéis de destaque, pois isso foi revelado através de um discurso realizado pela Patrícia Arquette, que ganhou o Oscar neste ano de 2015 como atriz coadjuvante.

Leia também:  Salário Mínimo de 2018 pode ser de R$ 979

No momento em que foi receber a estatueta, ela pediu, em um discurso emocionado, a igualdade pela remuneração entre homens e mulheres. A atriz viveu a mãe Boyhood. 

Por Yasmin Fernandes Robles

Homem e mulher

Foto: Divulgação