Consórcio – O Que é? Como Funciona? Quais as Vantagens e Desvantagens?



  

Consórcio de Imóveis e Carros cresce a cada dia. Confira aqui como funciona e quais as vantagens e desvantagens deste serviço.

Muitas pessoas quando vão comprar um imóvel ou carro acabam optando por realizar um consórcio. Mas você sabe o que é realmente um consórcio e como ele funciona? Caso não saiba, confira aqui todos os detalhes sobre este tipo de serviço.

Para aqueles que não sabem, o serviço de Consórcio surgiu no Brasil na década de 60. A ideia em si é reunir um grupo de pessoas interessadas em comprar um bem e que não possuem dinheiro suficiente para compra-lo. Com isso, ao invés de aguardar muitos meses até juntar o dinheiro suficiente para a aquisição do bem, a pessoa interessada pode se reunir com outros interessados para que juntos consigam autofinanciar seus objetivos.

Como Funciona:

O consórcio funciona de maneira bastante simples. Imagine primeiramente que uma pessoa quer comprar um imóvel de R$ 200 mil, mas só dispõe de R$ 20 mil em caixa. Para comprar este imóvel, a pessoa precisaria aguardar 100 meses para efetuar a compra ou então se reunir com outras pessoas com este mesmo problema para formar um consórcio e assim cada um dos participantes realize este sonho.

Leia também:  Calendário para Saque do FGTS Inativo

Com o consórcio formado, os participantes devem pagar uma prestação mensal e com este montante é formado um fundo, onde os recursos serão usados para contemplar periodicamente um dos participantes com o valor que precisa para comprar o imóvel. Vale lembrar que mesmo depois de contemplado com o prêmio, o usuário deve continuar pagando as prestações do consórcio até que o último participante seja contemplado com o valor necessário para a compra de seu bem.

Administradora do Consórcio:

A administradora do consórcio nada mais é do que uma empresa responsável por reunir as pessoas interessadas em comprar um bem. É ela que administra o dinheiro que foi juntado através das parcelas e realiza o sorteio dos contemplados. É importante lembrar que para realizar este trabalho a empresa precisa de uma autorização do Banco Central. Caso você não saiba se a administradora possui autorização do BC, pode conferir estas informações no próprio Banco Central ou então na Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC).





Vantagens e Desvantagens:

Muita gente também fica na dúvida sobre o que é melhor, fazer um financiamento ou realizar um consórcio. Se você também está com esta dúvida, aqui vão algumas vantagens e desvantagens do consórcio:

Realizar um consórcio é menos burocrático do que fazer um financiamento, já que você não precisa comprovar renda. Apesar disso, deve-se tomar cuidado com as parcelas, pois o não pagamento delas acabará acarretando problemas.

Leia também:  Como Calcular o Valor do Seguro-Desemprego

O consórcio também tende a ter um valor menor que o financiamento. Isso acontece porque nos consórcios não há a cobrança de juros. Apesar disso, o participante precisa arcar com despesas como taxa de administração, taxa de adesão, seguro e fundo de reserva. Vale lembrar que mesmo com todas estas taxas o consórcio geralmente tende a sair mais em conta do que o financiamento.

Uma grande desvantagem do consórcio é quanto ao prazo para recebimento do bem, isso porque ele é bem maior do que no financiamento. No financiamento o recurso necessário é liberado em pouco tempo após a aprovação, já no consórcio você depende de ser sorteado, caso isso demore para acontecer, você pode acabar recebendo o recurso apenas no final do financiamento, ou seja, pode levar anos até que você consiga comprar o seu sonhado bem.

Por fim, outro ponto negativo no consórcio é quanto à dependência dos outros participantes. Por exemplo, enquanto que no financiamento o risco de inadimplência é apenas seu, no consórcio este risco é somado ao de todos os outros participantes. Por isso, é importante se informar antes de assinar o consócio sobre o impacto que a inadimplência de um participante do grupo pode acarretar para os outros.

Leia também:  Lei da Terceirização - O Que Muda no Mercado de Trabalho