Aperfeiçoamento no Programa Minha Casa, Minha Vida



  

Nova fase do programa, chamada de Fase 1 com FGTS, visa ampliar o acesso de beneficiários por meio de uma nova modalidade de financiamento

Até o fim de 2015 o Programa Minha Casa, Minha Vida deverá ser aperfeiçoado e sua terceira fase deve entrar em vigor. Tal notícia foi exposta de forma oficial nesta segunda-feira, 16 de março, pelo ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa. O anúncio em si foi feito após uma reunião do ministro com Gilberto Kassab, ministro das Cidades, e a presidente da Caixa Econômica, Miriam Belchior, além de representantes da construção civil.

A grande novidade desta terceira fase do programa social será a ampliação do acesso de beneficiários através de uma nova modalidade de financiamento. A nova modalidade já possui nome: Faixa 1 com FGTS. Tal modalidade de financiamento prevê a combinação de incentivos da faixa dos beneficiários com renda de até R$ 1.600,00 com aqueles que se encontram na faixa entre R$ 1.600,01 e R$ 3.275,00.

Leia também:  Novozymes recebe Prêmio Cátedra Unesco

“O programa continua, vai ser aperfeiçoado, e vai ter uma nova modalidade, que estamos chamando de Faixa 1 com FGTS, combinando os incentivos da Faixa 1 com os incentivos da Faixa 2, para aumentar o público que tem acesso a esse programa”, disse o ministro. “Também está em estudo, no caso de financiamento, o trabalhador ou beneficiário poder usar as cotas dos recursos do FGTS como parte do pagamento”, destacou o ministro Nelson Barbosa.

Além disso, o presidente da Câmera Brasileira da Indústria da Construção, José Carlos Martins, também destacou alguns detalhes sobre a nova modalidade. Segundo ele, o beneficiário que recebe R$ 1.600,00 de salário irá pagar apenas 5% (R$ 80,00) de mensalidade.





O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, por sua vez, ressaltou que uma das principais metas com a nova modalidade é conseguir contratar a construção de 3 milhões de moradias até o ano de 2018.

Leia também:  Calendário do PIS 2017

“Não se questiona a meta. A meta será atingida: 3 milhões. O que será definido pelo Ministério do Planejamento é o cronograma. Assim como aconteceu na primeira fase, que o programa foi um dos principais vetores de retomada do crescimento do Brasil, o Minha Casa, Minha Vida 3 cumprirá o mesmo papel. Servirá para alavancar nossa economia e gerar emprego, mesmo com ajuste fiscal”, disse Kassab.

Por Bruno Henrique

Programa Minha Casa, Minha Vida

Foto: Divulgação