Salário mínimo deverá crescer apenas 1,2% entre 2015 e 2018



  

Seguindo as regras e os anúncios feitos pelo novo governo da presidente Dilma Rousseff, o salário mínimo deve crescer pela metade este ano em relação aos outros anos. Entre 2011 e 2014, o salário mínimo cresceu equivalente a 2,9% ao ano, o que representa um reajuste acima da inflação. Mesmo assim o aumento foi abaixo dos já realizados pelos governos Lula e Fernando Henrique Cardoso (FHC).

De acordo com projeções feitas no mercado, o salário mínimo deve crescer apenas 1,2% entre os anos de 2015 e 2018 devido ao baixo crescimento que o país vem passando. A política tomada pelo governo é de que os reajustes serão feitos atrelados à expansão da economia brasileira, o que vem ocorrendo de forma baixa.

Do jeito que o cenário está apresentando, o governo Dilma deve ficar com valores abaixo de 2%, bem diferente dos 4,7% da época de FHC e de 5,5% na era Lula. Para colocar em valores mais práticos, é como se a moeda real subisse dos atuais R$ 788 para apenas R$ 807 em três anos. Claro que de acordo com o valor nominal, o aumento será maior por causa da inflação.

Leia também:  Como Calcular o Valor do Seguro-Desemprego

Esse tipo de cálculo foi adotado desde a época do governo Lula, em que a fórmula de reajustes está de acordo com os ganhos atrelados ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes mais a inflação. Ou seja, o aumento de 2016 será equivalente ao crescimento de 2014, o que a taxa ficaria em torno de 0% e 0,2%. O PIB deste ano será atrelado com o reajuste do salário mínimo de 2017 e assim por diante. Segundo analistas a tendência é que o país fique com uma taxa de crescimento este ano de 0,5%.





Especialistas explicam que o país ainda vai crescer pouco em 2015 por causa da alta dos juros para segurar a inflação e que acaba esfriando o consumo também. E, para segurar ainda mais os problemas econômicos do país, os ministérios da Fazenda e do Planejamento realizam cortes de gastos e elevação de impostos.

Leia também:  Prazo para realizar o saque das Contas Inativas do FGTS

Por Carolina Costa

Dinheiro