Influência da graduação no salário dos trabalhadores



Segundo dados da Rais (Relação Anual de Informações Sociais) do MT, pouco mais de 47% dos trabalhadores que concluíram a formação superior e que atuam no mercado formal brasileiro ganhavam até quatro salários mínimos em 2013. Somente 5,3% dos trabalhadores com curso superior completo tinham salários superiores a 20 salários mínimos. Além disso, o percentual daqueles que apresentam nível de escolaridade de mestrado e doutorado e recebem o teto de até 4 salários é de 36% e 23%, respectivamente.

Já o economista Naercio Menezes Filho, do Insper diz: "Os salários pagos no Brasil, de forma geral, ainda são baixos, apesar de a renda ter aumentado". Não só ele, como outros especialistas afirmam que os números podem refletir a qualidade do ensino superior do país. Outro economista, Fernando Veloso afirma: "Existe uma heterogeneidade grande na formação superior".

Leia também:  Pagamento do PIS-Pasep 2018/2019


Além disso, um estudo feito por Menezes Filho mostra que os salários pagos a determinadas carreiras que tiverem muitos formandos despencaram. É o caso dos cursos de Administração, Enfermagem, Marketing e áreas correlatas, que são vítimas da lei da oferta e da procura. Quanto mais profissionais no mercado, menores são os salários pagos e como ele consegue absorver os profissionais nesta faixa salarial, eles estagnam e sofrem pouco aumento.

Em contrapartida, áreas como Medicina, Economia, Ciências Sociais e as Engenharias registram salários cada vez maiores, devido à carência de pessoal especializado. "Parece existir um efeito de mudanças de demanda e oferta no mercado, mas fatores como diferenças na qualidade da formação também podem influenciar os salários", afirma Menezes Filho.

Leia também:  Calendário de Pagamento da Aposentadoria e Pensão 2018

Os números não são dos piores e ainda mostram que a recompensa para os trabalhadores que possuem nível superior em relação aos que apresentam ensino médio é uma das maiores do mundo. Trata-se de um prêmio salarial que pode ser até 160% maior do que os salários daqueles com ensino médio. Segundo dados da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o prêmio foi o segundo maior em 2013, em um grupo de 34 países desenvolvidos e emergentes. 



Por Robson Quirino de Moraes