BC – IPC-S registrou alta na 3ª prévia de maio de 2011




A possível volta da inflação deixa o governo e a população de cabelos em pé. Para tanto, o Banco Central (BC) vem anunciando desde o final de 2010 medidas para conter o consumo, que embora não tenham exercido o efeito desejado, agora parecem realmente corresponder.

O Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S), divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), desacelerou para 0,96% na semana encerrada em 22 de maio, diferença de 0,13% em comparação ao índice de 1,09% do levantamento anterior.


Pelo estudo, as quedas de destaque dentro do IPC-S ocorreram nos grupos Alimentação, cuja taxa desceu de 1,52% para 1,27%, e Transportes, que descreveu arrefecimento de 1,56% para 1,04%. O componente hortaliças e legumes merece ênfase, pois cedeu de 7,89% para 6,84%, enquanto a gasolina registrou baixa de 5,12% para 3,81% entre a pesquisa anterior e a mais recente.

Outras três categorias representaram queda no IPC-S. Em Saúde & Cuidados Pessoais a taxa cedeu de 1,04% para 0,88%, enquanto Despesas Diversas registrou queda de 0,61% para 0,46%. O último grupo na mesma tendência foi Vestuário, cujo índice passou de 1,38% para 1,04%.

As duas únicas classes de variação no sentido foram Habitação, com elevação de 0,76% para 0,91%, e Educação, Leitura & Recreação, com alta discreta de 0,26% para 0,27%.


Por Luiz Felipe T. Erdei