FGV – IGP-DI tem variação de 0,50% em abril de 2011



  




Enquanto a população brasileira mais antenada, tanto por meio de telejornais, revistas e diários impressos como através da rede mundial de computadores, preocupa-se com rumores de que a inflação, aos poucos, começa a voltar, economistas e institutos buscam salientar dados concretos, ainda que parte indique perigo à vista – nada confirmado na teoria.
De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) apresentou variação de 0,50% em abril, 0,11% abaixo da taxa contabilizada em março (0,61%).
A FGV atesta que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) desacelerou para 0,24% no mês passado, contra 0,60% do terceiro período mensal de 2011. A taxa concernente a Bens Finais também decresceu baixa, porém de 0,80% para 0,50%. Bens Finais, resultante da supressão de combustíveis e alimentos in natura, cedeu de 0,14% para 0,04% entre março e abril.
Diferente da tendência acima descrita, a variação do grupo Bens Finais foi de 0,70% em abril, ante 0,62% de março. Ao se excluir lubrificantes e combustíveis para produção, a taxa também acelerou, de 0,61% para 0,66%.
A FGV atesta que ocorreu desaceleração no estágio conhecido por Matérias-Primas Brutas, cuja taxa arrefeceu de 0,37% no mês de março para índice negativo de 0,63% em abril. Vale destacar o recuo percebido no algodão em caroço, cujo percentual baixou de 3,82% para -10,35%, assim como na laranja, de 2,12% para -23,57%.
Por Luiz Felipe T. Erdei