IBGE – IPCA apresentou queda em abril de 2011



  

O final de 2010 foi marcado por mudanças no panorama econômico brasileiro, embora a população ainda não tenha sentido, em maio de 2011, os efeitos tanto desejados pelo governo. Entre novembro e dezembro passados, o Banco Central (BC) passou a seguir postura mais cautelosa quanto ao consumo dos cidadãos por meio de adoções de restrição ao crédito e ciclo de aumento da Selic, a taxa básica de juros da economia.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) desacelerou brevemente para 0,77% em abril, ante taxa de 0,79% do mês anterior. No acumulado do ano o avanço chega a 3,23%, ou 0,58% superior aos 2,65% do primeiro quadrimestre de 2010.





O grupo Alimentação continua em rota de baixa, tanto que a taxa de 0,75% de março passou para 0,58% em abril. Mesmo assim, o IBGE registra alta de 2,75% entre janeiro e o mês passado. Tomate, açúcar cristal, arroz e carnes foram os produtos que descreveram os maiores decréscimos no período, enquanto as grandes altas ficaram para:  batata, feijão carioca, ovos, leite pasteurizado, refeição fora de casa e pão francês.

Segundo o IBGE, o grupo Transporte delineou elevação de 1,56% para 1,57% de março para abril, enquanto Vestuário passou de 0,56% para 1,42%. Alta também foi descrita em Saúde & Cuidados Pessoas, de 0,45% para 0,98%, enquanto a taxa em Habitação subiu de 0,46% para 0,77%.

Por Luiz Felipe T. Erdei