Empresários estão menos confiantes, diz CNI



  

A economia do país entre 2009 e 2010 deu uma boa decolada, reflexo do alto consumo proveniente de todas as classes sociais e de adoções de estímulos por parte do governo. Bens e serviços foram altamente procurados e traduziram com maestria a confiança do brasileiro quanto ao plano econômico. Os empresários, nesse meio tempo, também se sentiram mais a vontade para investimentos, mas dados recentes apontam queda no otimismo.

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) arrefeceu 0,8% neste mês em comparação a março, para 59,7 pontos. Esse recuo é o terceiro seguido em termos mensais. No confronto anual, ressalta o órgão, o medidor arrefeceu 7,2%.





Enquanto a CNI aponta que o índice de confiança apresentou a mesma taxa registrada na média histórica, assinala ser a primeira vez desde julho do ano passado que isso acontece com valores abaixo de 60 pontos. Para Renato da Fonseca, gerente-executivo da Unidade de Pesquisa da confederação, esse resultado aponta que os empresários estão mais incomodados com o futuro dos negócios e da economia, tanto que esse índice pode suscitar corte de investimentos.

O levantamento da CNI revela que a baixa no otimismo, no mês passado, aconteceu em todos os portes (pequenas, médias e grandes indústria) e em todos os locais do Brasil.

Por Luiz Felipe T. Erdei