Inadimplência do Consumidor – Aumento em Fevereiro 2011



  

O aumento da inadimplência do consumidor era algo esperado por economistas. A aceleração econômica de 2010 surpreendeu até os mais otimistas, mas atualmente muitos pregam moderação no consumo. Dentro dos países integrantes do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), o Brasil é aquele que deve apresentar uma das expansões mais amenas relacionadas ao Produto Interno Bruto (PIB).

O Indicador de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor divulgado pela Serasa Experian delineou alta de 1,7% em fevereiro de 2011 contra janeiro, em outros termos o sétimo crescimento mensal seguido. A entidade prevê que essa situação deve perdurar pelos próximos meses, estendendo-se inclusive ao início do próximo semestre.





Leia também:  Pagamento PIS 2018 - Nascidos em Agosto

A atenção dos consumidores deve ser redobrada, pois o país enfrenta, atualmente, adoções de medidas pontuais provenientes do governo, então iniciadas em 2010. A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) expôs seu parecer sobre um dos mais polêmicos assuntos do campo econômico (leia aqui). Entretanto, um dos jeitos mais fáceis para entender as pautas atuais é o seguinte: cuidado com gastos, pois dificuldades poderão prejudicar a honra de compromissos, tanto no curto como no médio prazo.

Mesmo assim, a Serasa não faz muito alarde em sua página na internet. Segundo ela, o nível de inadimplência do consumidor está abaixo dos 100 pontos – atualmente em 97,8 pontos. O aumento de índices não ilustraria descontrole, mas apenas retorno a cenários anteriores.

Leia também:  Caixa antecipa o saque do FGTS de Contas Inativas

Por Luiz Felipe T. Erdei