FGV – IPC-C1 apresentou alta em fevereiro 2011



  

O crescimento da economia brasileira deverá ser mais ameno neste ano, mas poucas pessoas parecem ter sentido os efeitos das medidas adotadas pelo Banco Central (BC) desde o final do ano passado. Por enquanto, as dificuldades se baseiam no pagamento do IPVA e do IPTU e na aquisição de materiais escolares. Após o primeiro trimestre, possivelmente, as iniciativas da entidade monetária ficarão mais claras.

Independente deste fato simplesmente introdutório, informações divulgadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) apontam variação de 0,32% do Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) de fevereiro. A elevação, portanto, contribui para o acúmulo da taxa em 1,72% desde janeiro e 6,79% nos últimos 12 meses.

Dos sete grupos cerceados pelo estudo, cinco registram baixa em seus índices. Transportes cedeu de 5,11% para 0,89%, Educação, Leitura & Recreação arrefeceu de 3,51% para 0,25%, Alimentação de 1,32% para 0,05%, Vestuário de 0,06% para -0,20% e Saúde & Cuidados Pessoas, finalmente, de 0,27% para 0,11%.




Diferentemente dos grupos anteriores, Despesas Diversas ilustrou avanço para 2,02% em fevereiro, contra variação de 0,45% do levantamento anterior. Habitação, por sua vez, saltou de 0,26% para 0,38%.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: FGV