Senado Federal anuncia Medidas para contenção de gastos



  

Pouca gente espera que uma medida dessas parta do Senado ou da Câmara Federal. Mas o fato é que nesta quinta-feira, dia 10/02, os senadores puseram em prática algo que os Ministérios do Planejamento e da Fazenda do Governo Dilma já estavam atentos: a necessidade de reduzir os custos da máquina do governo. O presidente da casa, José Sarney, anunciou que comecará esse processo atacando duas frentes principais: de um lado adiando o concurso do Senado Federal; de outro, não mais pagando horas extras a funcionários com funções de direção.

Com relação ao não pagamento de horas excedentes a diretores, Sarney lembra que é uma medida salutar porque evita o risco corrente de os próprios funcionários, munidos da autonomia do cargo, serem “os próprios árbitros das avaliações das horas que devam trabalhar”. Por outro lado, adiando a promoção do concurso público, põe por terra a expectativa criada pelos concurseiros de plantão, na disputa por uma das 180 vagas (sem contar cadastro de reserva) anteriormente divulgadas.

Leia também:  Calendário para Saque do FGTS Inativo




Essas medidas, em parte, podem ser consideradas fruto do anúncio do Governo sobre a redução de 50 bilhões de reais nos gastos primários como forma de manter a estabilidade da economia.

Por Alberto Vicente