OCDE – Classe Média da América Latina – Dificuldades e Crescimento



  

A América Latina obteve, nos últimos anos, bons números por meio de todos, ou quase todos os países que a integram. O Brasil, um deles, observa já há alguns meses dados econômicos interessantes, tais como o Produto Interno Bruto (PIB) do 1º trimestre de 2010, que avançou 2,7% em comparação aos últimos três meses do ano passado.

Comenta-se com certa ênfase sobre a denominada classe média – no Brasil já corresponde a mais da metade de toda a população. Relatório desenvolvido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) revela que embora essa classe social esteja em crescimento e já participa mais ativamente do desenvolvimento, continua a ser vulnerável em relação à mesma casta presente nas nações ricas.





Para Angel Gurria, secretário geral da OCDE, a classe média latinoamericana ainda enfrenta diversos entraves concernentes à estabilidade empregatícia, o poder de compra e a educação. Em reportagem veiculada pelo Estadão, avalia existir longo caminho para essa mesma camada ser análoga às classes médias das economias mais desenvolvidas.

Dados da OCDE revelam que existem mais trabalhadores sem qualquer tipo de registro em carteira de trabalho ante os formalizados na América Latina, denotando, na visão da organização, baixa seguridade social.

Por Luiz Felipe T. Erdei