Aumento da Inadimplência não abala Crédito do Consumidor



O consumidor brasileiro percebeu uma mudança de ares há alguns meses – aliás, poucos meses. Quem antes custava a acreditar na aquisição de bens duráveis e alguns não-duráveis teve de ser obrigado, se esses são os termos ideais, a pensar diferente. Prova dessas preliminares palavras são fruto de tudo o que a imprensa nacional propagou; veículos automotores, produtos da linha branca e, mais além, residências sofreram alta nas vendas.

Após o término da isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em março último, especialistas estimavam queda nas vendas de mercadorias e aumento no número de inadimplentes. O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor, para ninar os cidadãos, relacionou no início desta semana que embora essa seja uma tendência até o final do ano, pouco intervirá na perspectiva de crédito ao consumidor.

Leia também:  Renegociação de dívidas bancárias


Em junho, final do primeiro semestre, o indicador retrocedeu 0,5%, chegando, pois, ao nível de 96,2 pontos, configurando o segundo arrefecimento mensal consecutivo – em maio o tombinho foi de 0,2%. Embora os antenados no assunto possam vir a se preocupar, reportagem apregoada pelo portal de notícias G1 assegura contínuo caminho de ampliação do crédito às pessoas físicas, mesmo que mais amena.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *