Ministro da Fazenda – Em 2010 Brasil terá crescimento de 7% no PIB



  

Os benefícios atuais voltados à população são os mais distintos possíveis, logicamente para abrigar o maior número de oportunidades e pessoas. “Minha Casa, Minha Vida”, “Bolsa Família”, “Farmácia Popular” entre outros aqui não descritos compõem grande repertório de oportunidades. No entanto, não é somente a população mais carente que tem observado o crescimento da economia, pois aqueles que se valeram da isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) ainda comemoram grandes descontos em variados segmentos.

Guido Mantega, ministro da Fazenda, assegurou na última quinta feira que o Produto Interno Bruto (PIB) da nação deverá encerrar 2010 com ampliação aproximada de 7%, segundo ele, um dos mais amplos em todo o globo terrestre. Em reportagem veiculada pelo portal de notícias G1 a autoridade assegurou ser o Brasil um dos raros países que deixou o colapso financeiro melhor do que ingressou.





O campo que tem conseguido superar as expectativas, inclusive as dos mais otimistas, é o empregatício, que no acumulado anual até o mês passado, por exemplo, observou a geração de 1,5 milhão de postos formais de trabalho, isto é, aqueles com carteira de trabalho assinada. A perspectiva será mais ampla caso as profecias do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, se concretizarem: criação de 2,5 milhões de vagas em 2010.

Embora exista toda essa exaltação por parte do governo federal, vale salientar que o efeito eleições pode surtir positiva ou negativamente em conformidade com as perspectivas do empresariado estrangeiro e da própria população.

Por Luiz Felipe T. Erdei