Mercosul – Presidente Lula quer divulgar seus acordos



  

A aprovação singular do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem por referência a ampla aceitação da população brasileira para com suas iniciativas nos últimos sete anos, mais alguns meses. Programas de cunho sociais, entre eles o “Bolsa Família” e o “Farmácia Popular”, por exemplo, levaram benefícios diferenciados às classes menos favorecidas da sociedade. O “Minha Casa, Minha Vida”, outra iniciativa popular, ainda permite a aquisição de imóveis com benefícios de até R$ 23 mil – dependendo da remuneração familiar mensal.

Evidentemente, existem aqueles que se opõem aos seus programas, principalmente em ano eleitoral, o qual a postulante preferida pelo ex-sindicalista é Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores. Não satisfeito somente com o Brasil, Lula quer expandir sua área de atuação a outros planos, como é o caso do Mercado Comum do Sul (Mercosul).





Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais, afirmou recentemente que o presidente quer ser recordado nos últimos meses deste ano à frente da presidência do bloco econômico pelos progressos nas áreas produtiva e social da região. Em reportagem veiculada pelo portal de notícias G1, relacionou que algumas das menções feitas por Lula no que se refere à sua intenção (de ser lembrado) são os acertos acordados no setor de água doces e o fim da cobrança da TEC (Tarifa Externa Comum).

Por Luiz Felipe T. Erdei