Seguros – Tipos e Cuidados na hora da Contratação



  

Passou-se o tempo em que se afirmava que contratar seguro é sinal de ‘mau agouro’, um serviço caro e desnecessário. A sabedoria popular diz justamente o contrário. Quem não conhece os ditados populares que afirmam: "é melhor prevenir do que remediar" e que "o homem prevenido vale por dois"? Pois bem, eles podem ser utilizados para justificar a contratação de um seguro: prevenção.

Contratar um seguro é a forma inteligente de se prevenir contra imprevistos e não ser pego de ‘calça curta’ quando eles surgirem. Infelizmente, a população ainda conhece muito pouco sobre este serviço e a maioria só tem conhecimento da existência dos seguros de vida, de saúde e de automóveis. Mas existem muitos outros, para as mais variadas necessidades: seguro-fiança locatícia, residencial, de acidentes pessoais, riscos diversos, viagens, contra roubo e furto qualificado, de responsabilidade civil (geral ou profissional), incêndios, de renda ou previdência privada entre tantos mais.

Leia também:  Como Comprar na Black Friday Sem Cair em Armadilhas




Todos são importantes e têm o objetivo de resguardar a vida e o patrimônio das pessoas e de empresas. A sua utilização permite recuperar, parcial ou integralmente, o valor do bem perdido. "Mas se em alguns casos não resolve 100% a necessidade de quem os contrata, pelo menos ameniza os problemas financeiros e os prejuízos causados pelo sinistro", explica Valter Fonseca, da Caxangá Seguros, que recomenda só adquirir produtos de companhias sólidas e confiáveis.

Mas atenção: antes de contratar qualquer serviço o cliente deve analisar as suas necessidades, as coberturas oferecidas, condições para utilização, prazos, preços e condições de pagamento. Esse procedimento ajuda a evitar problemas e insatisfações futuras.

Por: Alexandre de Souza Acioli



Leia também:  Investimentos em Renda Fixa - Tipos, Prazos, Rendimentos