Seguros Populares para Classe D e E



  

Seguro não é coisa para quem tem muito dinheiro ou um grande patrimônio para proteger. No mercado também existem produtos de baixo custo para atender as necessidades de proteção social dos menos afortunados.

São seguros de vida profissional, odontológico, assistência hospitalar, contra acidentes pessoais, incêndios, por morte acidental, de serviços residenciais, perda ou roubo de cartão de crédito, prestamista e de garantia estendida.

Os chamados seguros populares ou massificados normalmente são comercializados por redes de varejo e de supermercados. Tem uma clientela de pelo menos 30 milhões de pessoas, que pagam mensalidades que variam de R$ 0,90 a R$ 5,00. Existe a flexibilização do Governo para a venda desses produtos, mas ainda não há uma regulamentação para o que denomina de "microsseguro".

Leia também:  FGTS Inativo - Caixa pode Depositar Crédito Automaticamente nas Contas




Uma das definições de microsseguro, é todo tipo de produto de proteção de riscos comercializada para a população de baixa renda (até três salários mínimos) e que tenha um custo mensal inferior a R$ 10,00. De acordo com o diretor da Mellenium Corretora e professor da Fundação Escola Nacional de Seguros (Funenseg), Guilherme Mota, as seguradoras têm interesse em desenvolver produtos para esse mercado (aproximadamente 100 mil brasileiros), mas a dificuldade está justamente na falta de regulamentação e na dificuldade de montar canais de cobrança.

Há, segundo ele, a necessidade de desenvolver sistemas de produção, venda e distribuição eficientes, além de oferecer capacitação específica aos profissionais que irão atuar no setor. O microsseguro ainda não existe de fato (do ponto de vista legal), mas a Superintendência de Seguros Privados (Susep) tem a intenção de regulamentá-lo até o final do ano.

Leia também:  Calendário para Saque do FGTS Inativo

Por: Alexandre de Souza Acioli