Consultor defende Aumento no Bolsa Família




Considerando Bolsa Família, do governo federal, um "conjunto de esmolas", o consultor pernambucano Álvario Figueiredo Maia de Mendonça defende que os valores pagos atualmente sejam equiparados ao salário mínimo. "Por que até hoje o Governo não se estudou a possibilidade de extinção do Bolsa Família e o valor máximo concedido ampliado até o valor do salário mínimo?", questiona.

Para Álvaro Maia de Mendonça, nenhuma família com cinco pessoas (Casal, mais três filhos) tem condições de tomar café da manhã, almoçar e jantar todos os dias recebendo apenas o valor máximo de R$ 220,00 do Bolsa Família. "Somente o Presidente Lula acredita nisso e o afirmou durante discurso no bairro da Brasília Teimosa, no Recife, quando lançou o natimorto projeto Fome Zero", criticou.

Leia também:  Salário Mínimo 2018 - Valor

Para ele, o Bolsa Família tornou-se o maior projeto eleitoreiro do país e a "maior distribuição de esmolas" está no Nordeste e no Norte do Brasil. Segundo dados oficiais, o programa beneficia 12 milhões de famílias – o equivalente a 48 milhões de pessoas, praticamente um quarto da população do país. "O programa tem uma fiscalização frouxa e se verifica que a concessão do benefício já chegou para filhos e conjuges de políticos, para vereadores nordestinos e seus parentes, e para mãe de artistas", recorda o consultor.
 
Por: Alexandre de Souza Acioli

3 comentários em “Consultor defende Aumento no Bolsa Família

  1. Tenho pena de quem precisa deste tal bolsa família, esmola que o governo dá aos mais necessitados, que ainda é DESVIADO PARA PESSOAS QUE NÃO PRECISAM,enquanto os que realmente tem direito ficam a espera do que ? do nada