Necessidades do cadastro nacional de drogas



Diária e infelizmente, os brasileiros veem notícias envolvendo apreensão de drogas, armas, veículos e outros relacionados. Os programas sensacionalistas, meio pelo qual as informações são mais esmiuçadas, veiculam que tantos quilos de maconha foram apreendidos num local e outros tantos de crack em outro, por exemplo. Todavia,  número total  ao final do ano é somente um número perdido, uma estimativa ao acaso.

Luiz Paulo Barreto, ministro da Justiça, atendendo à necessidade da unificação de números sobre o mote, semeou na última quinta-feira, 8 de julho, o censo brasileiro de confisco de drogas. De acordo com informações veiculadas pelo portal UOL, a partir desse intento o Brasil conseguirá, pela primeira vez em sua história, registrar dados sobre a captação desse mal a partir de operações das polícias federais e estaduais, bem como armas, imóveis, aviões, veículos e embarcações.



O programa tem por base empenho mútuo do Departamento de Polícia Federal e da Secretaria Nacional de Segurança Pública. Além de ambos, a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) e o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República participarão da ação.

Barreto assevera que a partir da reunião de todos os dados o país poderá melhorar a maneira como as políticas públicas de combate ao narcotráfico são feitas, na atualidade.



Por Luiz Felipe T. Erdei

Saiba mais no UOL.

Post Anterior

Não há mais posts

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *