Imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida devem Sofrer Aumento no Preço



Reunidos no Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano, realizado em São Paulo em 13 de Abril, para discutir o programa de Habitação do governo federal para população de baixa renda, os secretários chegaram a conclusão de que os preços máximos dos imóveis destinados a famílias com renda de até R$ 1.395,00 devem sofrer um aumento de 35% nas regiões metropolitanas e nas demais cidades, de 25%, para que o programe se torne viável.

Segundo o recém eleito presidente do fórum e secretário de habitação do estado de São Paulo, Lair Krahenbuhl, sem contar o valor do terreno, o custo da construção na capital paulista sai em torno de R$ 55 mil, já o valor definido pelo governo federal está na casa dos R$ 52 mil, variando este valor de acordo com a localidade. No mínimo, este valor deveria girar em torno de R$ 70 mil para garantir a vialibidade da construção, não adiantando aumentar a quantidade de imóveis destinados à baixa renda, se o subsídio governamental não for também aumentado.

Leia também:  Pagamento do PIS-Pasep 2018/2019


Um outro pedido destas autoridades é a adoção do desenho universal nestas construções adaptando todos os imóveis aos deficientes físicos, o que necessitaria de área maior para construção.

O governo, que lançou a fase dois do programa Minha Casa, Minha vida, juntamente com o PAC 2, informou que dará maiores detalhes sobre o plano até o inicio do mês de Junho.

Por Mauro Câmara



Um comentário em “Imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida devem Sofrer Aumento no Preço

  1. olá, olha eu me escrevi nesse programa de habitação, só que até agora não fui chamada. O que será que aconteceu com a minha inscrição?