Crise financeira piorou situação de 53 milhões de pessoas na América Latina



  

A desigualdade existente entre continentes, países, estados e municípios é um fato, infelizmente, presente na vida da população. Não bastassem os problemas crônicos vistos na África, por exemplo, a crise financeira global trouxe mais fome e miséria a diversos locais.

A Organização das Nações Unidas (ONU) para a Agricultura e a Alimentação (FAO) fez um estudo envolto ao tema e averiguou que mais de 53 milhões de pessoas residentes na América Latina passaram a ter mais dificuldades em obter alimentos, acarretando, portanto, no aumento do número de desnutridos.

A desaceleração econômica e a alta dos preços dos produtos básicos aos cidadãos foram os dois principais pontos levantados pela FAO como justificativa ao entrave mencionado anteriormente. Crianças, indígenas e mulheres são os principais prejudicados.





Essa divisão da ONU relata que haverá efeitos duradouros aos países que passaram a sofrer ainda mais com a crise mundial, principalmente aqueles em que se notam dificuldades comerciais e de arrecadação fiscal.

Fonte: G1

Por Luiz Felipe T. Erdei