Emprego formal no Brasil – Carteira de Trabalho Assinada



  

O mercado informal no Brasil ainda continua com índices bem altos, mas de acordo com novas informações divulgadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o percentual de brasileiros que trabalham sem registro em carteira de trabalho decresceu consideravelmente.

Segundo a instituição, um dos fatores primordiais para o crescimento do trabalho formal deve-se a Lei do Microempreendedor Individual, que entrou em funcionamento em junho de 2009. Quando foi lançada, a estimativa era de que 100 mil microempresários seriam regularizadas, no entanto, 2009 fechou com aproximadamente 110 mil, segundo o Ministério do Desenvolvimento e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).





Outras pesquisas avaliam que além desse quesito, o ano passado foi o primeiro em que o número de empreendedores por vocação ultrapassou aqueles que querem ter um próprio negócio simplesmente para a obtenção de seu sustento.

Leia também:  Lei da Terceirização - O Que Muda no Mercado de Trabalho

Por Luiz Felipe T. Erdei



3 comentários em “Emprego formal no Brasil – Carteira de Trabalho Assinada

  1. Prezados, estou com uma dúvida. Vou contratar uma empregada por 1 salário mínimo. É necessário que eu registre o valor de R$510,00 ou posso escrever apenas 1 (um) salário mínimo?

  2. gostaria de saber se é verdade q mesmo q a pessoa trabalhe menos horas,tem que ser resgistrada na carteira com o salário minimo? ela trabalha 75 horas menais, tenho q registra-la como salário minimo na carteira e não com o valor q vou pagar pra ela?